EntreContos

Desafios Literários, Contos e Resenhas

Regulamento Desafio “Ficção Científica”

I – Do Texto e do Envio 1) A participação no Desafio EntreContos é totalmente gratuita. O Desafio é voltado a ESCRITORES que orgulhosamente sejam também LEITORES. 2) Os interessados … Continuar lendo

Destacado · 25 Comentários

Diretriz (Okay Data)

Dentes da rua, pasta de dente, escova de dente, fio dental imprescindível. Um androide escova os dentes após a refeição, já há vinte minutos trancado no banheiro do bar, sem … Continuar lendo

6 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Sentido da Vida (Isaac Asiengov)

Faz 385 bilhões de anos, mas parece que foi ontem. Chegamos à praça e nos juntamos à pequena multidão cercando o homem de boné engraçado que transformava o líquido das … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Mundos Passados (Lenny)

Minha filha me pediu um feelingshot dos anéis de Saturno. Segui as instruções dela: era só colocar a lente que ela me deu, admirar a vista e deixar tudo o … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Colônia (Gort)

Max estava diante do projetor holográfico, com uma expressão inconfundível de tédio, os olhos cinzas cintilantes, o cabelo castanho ondulado penteado para trás, braços cruzados sobre a mesa. Seu trabalho … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Sobrevivência de Derante (Chimpa)

A espessa fumaça do campo de batalha ocultava o horror que se prolongava por dezenas de quilômetros. O último ataque das forças humanas foi um desastre colossal e agora o … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Os auto-falantes de Madagáscar (Philip Castorp)

A chuva produzia um barulho ensurdecedor ao atingir o telhado de metal corrugado, milhares de gotas por segundo, como o toque de uma bateria ensandecida. Jean a observava pela janela … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Os filhos de Eva (Eyedol)

Mesmo não sendo verão, a temperatura permanecia elevada no Catar de 2022, quase atingindo os 50 graus. Condição ideal para os carros movidos a calor ambiente. E, por sorte e … Continuar lendo

4 de julho de 2015 · Deixe um comentário

30 Minutos de Mergulho (Hari Seldon)

Dirigir até o ponto A. Coletar a carga. Dirigir até o ponto B. Entregar a carga. Retornar a central. Assinar uma via do relatório em todas as etapas anteriores. Por … Continuar lendo

4 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Código das Estações (Victor Hugo)

Ano 2055. Pai, o nosso suprimento de água só durará por vinte e quatro horas. Diz o filho mais velho da família tripulada. É, sei! O grande pai confere as … Continuar lendo

4 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Biblioteca (Azathoth)

— Desisto! — Ela largou a espada e levantou as mãos abertas, prostrando-se com um joelho no chão enlameado. Sua armadura prateada estava tão imunda quanto o cabelo louro que … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Deus Vindo Da Máquina (Bastardo Sortudo)

Não sei quando começou, mas a tempos atrás, os implantes foram obrigatórios para a sobrevivência humana nas colônias espaciais. Antes disso os humanos desenvolveram A inteligência artificial, não uma matriz … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Homem do Caos (Jack Vance)

Eu não conseguia afastar os olhos do seu terno amarelo-mostarda. – Doutor, o senhor já deve ter ouvido falar de Simon de Laplace – perguntei. – O matemático. O psicanalista … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Nave (Dr. Moo)

A Nave foi criada através de um estudo que durou meio século. Dotada de atmosfera autorregulável e autolimpante prescindia de filtros. Transparente em toda sua circunferência recebia luz natural regulada … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Ecos da Colônia (Muad’Dib)

Xenozoobotânico Tibor Simón, log pessoal #489. O que posso dizer é que é insano, muito bizarro mesmo, visitar outro planeta habitável. A gravidade aqui em Kepler 977d, que carinhosamente apelidamos … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Santuário (Domo Arigato)

Andy acariciava as inscrições em seu braço esquerdo, enquanto apreciava o brilho artificial da imitação quase perfeita do Sol. A geração de autômatos domésticos, Androide Y, costumava estar no topo … Continuar lendo

2 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Ancestral (Astrogildo Silva)

Aline acordou. Nua e abraçada a Eduardo, ela não sabia quanto tempo havia dormido, mas estava acostumada. Era comum ao casal, após a terceira ou quarta relação sexual consecutiva, dormirem … Continuar lendo

2 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Defeito na Cama Gelada (William Adama)

Ano 1 – Dia 1 Foi difícil demais para me acostumar. Nos primeiros dias eu achei que estava louco ou sonhando. Desesperado, tentei acordar de todas as formas possíveis. Beliscões, … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Trigger/Gatilho (Felipe K. Pinto)

I. C01sas Entr3z Uma das coisas que menos gostava de fazer, era quando estava sentado no banheiro e precisava dar uma olhada nas notícias. Ele abominava qualquer tipo/espécie de informação … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Sete luas, oito planetas, quinze galáxias (Ed Hartmann)

Abro os olhos e vejo, sob um véu vermelho, apenas a poeira ocre que aderiu em parte do plexigas do visor de cristal líquido em frente ao meu rosto. Choco-me … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Rainha e o Robô (Driscoll Malcom Paige)

Londres, 2144 Sob a espessa neblina, caminhávamos naquele inverno interminável. Era impossível distinguir se aquilo que caía sobre nossos ombros era neve ou poeira radioativa. Não importava, estávamos todos condenados … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Bye Bye Blue Sky! (Odu Anastácio)

Acordei assustado, o sol já invadia meu quarto e esquentava os meus pés. Justo eu, cão adestrado tão bem, que pulava ao ouvir o primeiro toque do despertador, como se … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Balada por Adele5 (Joe Space)

A vida não é justa. É apenas um apanhado de dados analógicos, desorganizados e caóticos. Não entendo o porquê da surpresa dos mais jovens. Estamos todos inseridos neste mesmo contexto, … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Um Pálido Ponto Cinza (Carl Sagan)

Os seres de barro nos deram muitos nomes. Anjos, celestiais, orixás, loas, deuses, espíritos de luz… Devido à uma dominação cultural, a maioria deles nos imaginava como sendo europeus portadores … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Enquete para o Desafio de Julho

  Olá, pessoal! Pedimos a ajuda de todos para decidir como será o próximo desafio literário do Entre Contos. Sistema de votação, comentários, limites de palavras e, claro, o tema. … Continuar lendo

26 de junho de 2015

Aniversário de Casamento (Mirlene Souza)

Ela tirou o assado do forno. Sentiu o cheiro e admirou o resultado. A carne estava dourada, macia e suculenta. Colocou-o em cima da mesa, milimetricamente posta e cuidadosamente decorada. … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Jornada ao Nada (William Oliveira)

No livro dos paradigmas, paradigmado esta. Caminho, tropeço e levanto. Rumando, rimando e cantando. Fatídico estado de estar. Que canta pra rua de frente pro bar. Detestando o compasso que … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · 4 Comentários

Queda (Francisco Ferreira)

Calcar na rocha a rubrica da dor tatuar no sangue espesso cristalizar signos da cruz de todo o dia.   Pictografar a pele na tortura do voo revés desguarnecido das … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · 4 Comentários

Gargalhada (Juliano Marques)

Fui o primeiro a chegar ao acidente. Nem o carro retorcido e destruído, nem o corpo no banco do carona e com a cabeça estourada, nem o óleo vazando na … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Alma (Lucas Lopes)

Te acalma, alma, que a calma vem pra acalmar essa alma sem calma que sofre, que grita, que chora que acalma quando ver, quando sente, se alma ama. Alma, te … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · 2 Comentários

Por ti (Rubem Cabral)

Por ti eu reformei minha alma Desconstruí, dolorosamente, Meu antigo eu . Olhava-me no espelho e Não mais me reconhecia . Mas não bastou, Não foi o suficiente . Então, … Continuar lendo

23 de junho de 2015 · 3 Comentários

Poison Heart – Resenha (Gustavo Araujo)

A paulista Susana Lima, mais conhecida como Susy Ramone, é dona de uma prosa fluida, certeira e que convida à leitura. Quando apanhei “Poison Heart”, romance de sua autoria, pude … Continuar lendo

22 de junho de 2015 · 2 Comentários

Nem imagem, nem semelhança (Jowilton Amaral)

Não olho para o céu, O céu não me é tentador. Prefiro ver o arrastar dos pés, No chão. No avesso do celeste, ser do divino viés. Evaporar a luz. … Continuar lendo

22 de junho de 2015 · 3 Comentários

Realidade Alternativa (Anorkinda Neide)

Com a luz acesa do quarto de dormir pude perceber que ela ainda lia era alta madrugada mas a leitura a envolvia Passei pelo corredor e fiz algum ruído queria … Continuar lendo

22 de junho de 2015 · 2 Comentários

As Surpreendentes Aventuras do Barão de Munchausen – Rudolf Erich Raspe

Publicado originalmente em Literateca:
Venho apresentar esse homem incrível que é o Barão de Muchausen. Vocês precisam conhecer ele o quanto antes, parem tudo e prestem atenção nessa história. Esse…

22 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Trilhas de Silêncio (Evelyn Postali)

Israel Morelli é um jovem porto-alegrense, estudante de jornalismo e amante de fotografia, que empreende uma jornada em busca da identidade desconhecida e a descoberta dos segredos guardados por sua … Continuar lendo

21 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Sementes do Tempo (Evelyn Postali)

    Costa da Irlanda, 1588.   Depois que os navios da armada espanhola passaram em Larne, naquele início de verão de 1588, a região não viveu sossegada por um … Continuar lendo

21 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Sólidos (Francisco Ferreira)

No tempo das’águas, no em antes, do ano passado andei quase a virar passarinho. Um átimo da minha vocação de borboleta ou morcego foi que faltou. Desvoei!   Mas meu … Continuar lendo

21 de junho de 2015 · 7 Comentários

O Fantasma (Carlos Eduardo Simão)

Desde que finalizou a obra da sua vida com a cor mais crua e intangível o artista passou a ser perseguido pelo fantasma. Não era o fantasma da obsessão ou … Continuar lendo

20 de junho de 2015 · 1 comentário

O Ilustrador (Juliano Marques)

A ideia era conseguir a perfeição em seu desenho. Em pé na frente da prancheta Alan iniciou o esboço com uma linha circular. Sobre o círculo fez dois riscos, formando … Continuar lendo

20 de junho de 2015 · 1 comentário

A Primeira Manhã (Gustavo Carlos)

Aquela foi a primeira vez em que eu tomei consciência de que algo acontecia muito além do alcance de minhas mãos. Sentado à mesa, eu comia alguns biscoitos e bebia … Continuar lendo

20 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Suicídio Diário (William Oliveira)

Criar para os olhos do outro, tem sempre um destino ingrato. Imensidão de tão pouco. Encaixe apertado. Arte tecida, alheia, Entorpecida, Sujeita. Não é bom pra mim, gastar o tempo … Continuar lendo

19 de junho de 2015 · 5 Comentários

Magos espaciais movidos a vapor (Alan Cosme Machado)

Nenhum dos planetas daquele sistema solar era o nosso, apesar disso, todos eles tinham características que remetiam a algum elemento geográfico, cultural ou histórico da nossa Terra. O sol, como … Continuar lendo

19 de junho de 2015 · Deixe um comentário

O garoto que queria ser feliz (Evandro Furtado)

Corredor da Escola Uma figura solitária caminha em direção ao seu armário. Os óculos fundo de garrafa destacam-se na face. Carrega consigo uma pilha de livros. Ele abre a porta, … Continuar lendo

19 de junho de 2015 · 2 Comentários

A cor da imortalidade (Juliano Marques)

Cor? Qual era a cor perfeita? Qual a cor que deixaria sua pintura imortalizada? Ele estava em busca da tonalidade que transportasse sua genialidade a tela. O artista a frente … Continuar lendo

18 de junho de 2015 · 5 Comentários

Ponto de Fissão (Jefferson Lemos)

Observei o céu de chumbo daquela tarde vertiginosa e inspirei o vento frio que anunciava chuva fraca. O sinal já havia soado, como de costume, e me encaminhei para a … Continuar lendo

18 de junho de 2015 · 3 Comentários

Doce Dulce (Jowilton Amaral)

Ela esticava as pernas grossas e bem torneadas e dizia: “Dá uma olhada aqui, veja como minhas coxas são fortes e bonitas” aí se virava e mostrava sua bunda: “Olha … Continuar lendo

17 de junho de 2015 · 6 Comentários

Vigia (Gustavo Carlos)

Há mais ou menos quinze anos fiz uma viagem até o litoral, com Juliana. Eu havia ganhado um final de semana grátis em um Resort, e então resolvemos comemorar antecipadamente … Continuar lendo

17 de junho de 2015 · 1 comentário

Confusionante (William Oliveira)

Minha cabeça está confusa Ela e tudo mais Tudo é uma imensa bagunça Nada está em paz   Olho sem saber o que vejo Sem saber o que olhar Sem … Continuar lendo

17 de junho de 2015 · 8 Comentários

O Clube dos Homens Respeitáveis (Alan Cosme Machado)

– Bolivar, são cinco horas da tarde, a hora do chá. A importância desse momento não está na comida ou na bebida servida. Mas sim pelo fato de ser a … Continuar lendo

16 de junho de 2015 · 1 comentário
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.301 outros seguidores