EntreContos

Desafios Literários, Contos e Resenhas

Votação – Ficção Científica

Caros participantes e amigos, Agradecemos mais uma vez a presença de todos por aqui. Nada menos do que 56 (cinquenta e seis) contos inscritos, o segundo maior número até hoje … Continuar lendo

Destacado · Deixe um comentário

Regulamento Desafio “Ficção Científica”

I – Do Texto e do Envio 1) A participação no Desafio EntreContos é totalmente gratuita. O Desafio é voltado a ESCRITORES que orgulhosamente sejam também LEITORES. 2) Os interessados … Continuar lendo

Destacado · 45 Comentários

Sarjeta dos Robôs (Lorathiel)

A porta do HOJO BAR se abriu e Bentley foi arremessado violentamente para fora. O dono do lugar, Hojo, um enorme robô modelo Nexus (com bigode), apareceu na porta e … Continuar lendo

24 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Ensaio Quântico (Maria Laura)

Sofia desceu as escadas apresentando um nível alarmante de euforia. Seus pezinhos descalços correndo pelo chão gélido do sábado de manhã provocavam um alvoroço comparável a uma desordenada orquestra de … Continuar lendo

24 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Hoje é 23 (Tomorrow Is Later)

“Sua participação é muito importante para nós. Por favor, avalie nosso sistema para que possamos melhorar cada vez mais sua experiência de entretenimento com nossa marca”, solicitou a voz metálica … Continuar lendo

24 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Sistemática da Alvorada Humana (Morpheus)

Bem-vindo aos Arquivos de Zion. Você selecionou a pasta 17-9: Programas Governamentais Arquivo: Demanda Populacional #001 O 129º erro na Matrix, ocasionado por Laura Pauper e atualmente corrigido. * A … Continuar lendo

23 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Ainda há esperança (Paulo Sent)

Parte I: Uma mensagem Eden era a única nave inventada pelo homem com a capacidade de captar e utilizar a energia escura. Abundante no universo, essa energia alimentava seus motores, … Continuar lendo

23 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Doce Adeline (Senneville & Toussaint)

O pôr do sol é belo, mas ela é mais. O som das ondas é inebriante, mas ela é mais. A brisa morna é acalentadora, mas ela é mais. A … Continuar lendo

23 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Al Kahf (Vera Lúcia)

BAHARYIA, DESERTO OCIDENTAL. Como uma onda no mundo físico, Sherine Abdel Masr sentiu a escuridão inundar o planeta quando ela e sua lanterna desabaram, em sincronia olímpica, no fosso do … Continuar lendo

23 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Identidade (O Nazi)

Jared Fell não aparentava ser um homem soturno. Em todo o material que me ia chegando às mãos, o inglês possuía qualidades de sensual, de bom traço e língua ardente, … Continuar lendo

23 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Os chubs (Caminhante do Céu Solar Vermelho)

Os chubs são criaturinhas adoráveis, que vivem no mundo das imaginações. Não, espera… Os chubs são as criaturas mais amáveis que já conheci. Na verdade, não sei onde eles vivem. … Continuar lendo

22 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Inventores Invisíveis (Elysha)

A elfa foi empurrada contra uma cadeira e duas pessoas permaneceram ao seu lado, cada uma segurando um de seus braços contra a madeira lisa. Estranhamente, o assento estofado era … Continuar lendo

22 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Um Futuro Promissor (Fréderic Sebastian Mozart)

Adeline sentia a vibração magnética do trem enquanto este corria por trilhos quase invisíveis. Suas articulações doíam irritantemente sob uma pele pálida e enrugada. ― Isso eles não podem consertar. … Continuar lendo

22 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Madeuza (Escritor Anônimo)

O INCREMENTO — Engano   Discutiam como poodles no cio. Alarido esganiçado de agressões suportadas sobre pilares de frustração. Ele, rosto congestionado, dedo em riste como quem sublinha uma sentença, … Continuar lendo

22 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Ideia (Aiedi)

O espaço era escuro e sem qualquer referencia de em cima ou em baixo, esquerda ou direita. Sem cor e sem gravidade parecia um local ausente, um qualquer não-sítio, sem … Continuar lendo

21 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Súper poderes (Caroline Vieira)

Não gosto de festa, mas aceito algum convite quando estou súper cansado de ficar em casa. De vez em quando vale a pena conversar um pouco, ver alguém vomitar, invejar … Continuar lendo

20 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Morgax (Áureo Ferraz)

Negro. Tudo era negro, e então uma linha de luz tênue foi rasgando o breu, desabrochando numa fresta turva que foi crescendo e crescendo, ficando cada vez mais nítida. Pronto, … Continuar lendo

19 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Escarlate, amarelo (Gaal Edison)

Estava com uma chave inglesa nas mãos quando senti o puxão. O gerador de gravidade da nave falhou por um segundo quando as luzes piscaram. Tinha algo errado. “O que?”, … Continuar lendo

18 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Guardião do Prédio (Zador Kírion)

Na parede da sala de estar, acima da porta de entrada, havia um relógio que marcava a hora, o dia da semana, o mês e o ano. Pelos registros da … Continuar lendo

17 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Tribunal dos Quatro Mundos (A. D. Foster)

“Primeiro foi necessário civilizar o homem em relação ao próprio homem. Agora é necessário civilizar o homem em relação à natureza e aos animais.” (Victor Hugo)   A garota abriu … Continuar lendo

17 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Chuva Ácida (Rhaoden)

Nem mesmo as estrelas duram para sempre  (Avenged Sevenfold – Acid Rain) Tão fugaz…   O horizonte árido se estendia tremulante com as ondas de mormaço estagnadas no ar. No … Continuar lendo

16 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Mulher 2.0 (ou Humanidade 2.0 ou A Salvação do Planeta) – (Diogo Cardoso Marques)

De todas as previsões que fizeram sobre a tecnologia que o ano 2000 teria e que não se realizaram, carros voadores, tele transporte, viagens espaciais tão comuns quanto pegar um … Continuar lendo

15 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Gibarian (Marie Curie)

“Qual é o seu menino?” “Aquele, de cabelo preto, tipo tigela.” “Ah, sim. Estevão, né?” “Sim, ele mesmo.” O inspetor chamou o garoto, que veio correndo a um só fôlego. … Continuar lendo

13 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Esperança que vem do céu (Regis Kappa)

Dizem que esse céu um dia foi azul. Eu não me lembro. Desde a primeira vez que o vi, sempre fora essa nuvem acinzentada que sufoca impiedosamente. Pelo menos contrasta … Continuar lendo

12 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O último e o primeiro (Julius)

Sem nenhuma cerimônia, a câmara abriu e revelou um homem em seu interior. Ele ainda permaneceu imóvel. Mexeu as pálpebras e seus olhos foram se abrindo, aos poucos. Os tubos … Continuar lendo

12 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Um presente para Sharah (Plinius)

O vento frio de junho, mesmo ao meio dia, provoca um breve arrepio. O Shopping Center está razoavelmente cheio, centenas de pessoas andam alvoroçadas – lembram formigas no jardim – … Continuar lendo

12 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Tela azul da morte (Brian Aldiss)

“Eu proponho… que nós façamos um robô capaz… de amar.” William Hurt, A.I.   A luz vermelha não parava de piscar. Os olhos de Borges estavam congelados no minúsculo botão … Continuar lendo

10 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A lembrança de Prístina (Vitaly de Kubinka)

A primeira lição de um revolucionário tem que aprender é que ele é um homem condenado. – Huey Newton   I – Kubinka, Novaya Soyus No fim da tarde Vitaly … Continuar lendo

10 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Peste de uma Nova Era (Jöns Jacob Berzelius)

Com certeza existiam lixões menos fedorentos que aquele local. Pessoas aglomerando-se umas sobre as outras em algum estado catatônico de pseudo-vida. Realizavam movimentos aleatórios, reflexos de uma vida existente apenas em … Continuar lendo

8 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Kobo (Lucio W.S)

Este é um futuro distante. Esse. Não há nada para sorrir, me desculpem. Se procuram sorrisos, gargalhadas ou barrigas doloridas, parem de ler agora, eu imploro. Mas se a curiosidade, … Continuar lendo

8 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Opiniões (Imolível)

Dentro de um carro voltando para o apartamento que dividiam, a discussão seguia sem resolução. Contrariando um ao outro, gesticulando e de cenho franzido, defendiam energicamente seus ideais e objetivos: … Continuar lendo

8 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Destino Vazio (Laura Magnatto)

Será que existe alguma maneira de ir para o futuro? Essa fora a frase que Jane Anning mais repetira entre os seus dez e dezessete anos, agora, com algumas centenas … Continuar lendo

7 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Fim (B. McBird)

— Como ele está? — havia um leve tremor no questionamento, algo entre o cansaço mecânico e o exaspero melancólico de quem não queria ouvir a resposta. O monitor, após … Continuar lendo

7 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Hora das Trevas (Rael Zavilah)

Eu precisava esboçar alguma reação. O homem continuava ajoelhado na clareira, enquanto as gotas de suor misturadas com sangue pingavam na árida terra daquele lugar. Busquei qualquer palavra de conforto … Continuar lendo

6 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O sucesso de Gregor Samsa (Marius Spunick)

  Após quarenta e um anos estelares, teve inicio o despertar da tripulação do cruzador espacial Nixm, vindo do planeta Axis da constelação de Caelum. Os onze astronautas abdicaram de … Continuar lendo

6 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Diretriz (Okay Data)

Dentes da rua, pasta de dente, escova de dente, fio dental imprescindível. Um androide escova os dentes após a refeição, já há vinte minutos trancado no banheiro do bar, sem … Continuar lendo

6 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Sentido da Vida (Isaac Asiengov)

Faz 385 bilhões de anos, mas parece que foi ontem. Chegamos à praça e nos juntamos à pequena multidão cercando o homem de boné engraçado que transformava o líquido das … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Mundos Passados (Lenny)

Minha filha me pediu um feelingshot dos anéis de Saturno. Segui as instruções dela: era só colocar a lente que ela me deu, admirar a vista e deixar tudo o … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Colônia (Gort)

Max estava diante do projetor holográfico, com uma expressão inconfundível de tédio, os olhos cinzas cintilantes, o cabelo castanho ondulado penteado para trás, braços cruzados sobre a mesa. Seu trabalho … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Sobrevivência de Derante (Chimpa)

A espessa fumaça do campo de batalha ocultava o horror que se prolongava por dezenas de quilômetros. O último ataque das forças humanas foi um desastre colossal e agora o … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Os auto-falantes de Madagáscar (Philip Castorp)

A chuva produzia um barulho ensurdecedor ao atingir o telhado de metal corrugado, milhares de gotas por segundo, como o toque de uma bateria ensandecida. Jean a observava pela janela … Continuar lendo

5 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Os filhos de Eva (Eyedol)

Mesmo não sendo verão, a temperatura permanecia elevada no Catar de 2022, quase atingindo os 50 graus. Condição ideal para os carros movidos a calor ambiente. E, por sorte e … Continuar lendo

4 de julho de 2015 · Deixe um comentário

30 Minutos de Mergulho (Hari Seldon)

Dirigir até o ponto A. Coletar a carga. Dirigir até o ponto B. Entregar a carga. Retornar a central. Assinar uma via do relatório em todas as etapas anteriores. Por … Continuar lendo

4 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Código das Estações (Victor Hugo)

Ano 2055. Pai, o nosso suprimento de água só durará por vinte e quatro horas. Diz o filho mais velho da família tripulada. É, sei! O grande pai confere as … Continuar lendo

4 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Biblioteca (Azathoth)

— Desisto! — Ela largou a espada e levantou as mãos abertas, prostrando-se com um joelho no chão enlameado. Sua armadura prateada estava tão imunda quanto o cabelo louro que … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Deus Vindo Da Máquina (Bastardo Sortudo)

Não sei quando começou, mas a tempos atrás, os implantes foram obrigatórios para a sobrevivência humana nas colônias espaciais. Antes disso os humanos desenvolveram A inteligência artificial, não uma matriz … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Homem do Caos (Jack Vance)

Eu não conseguia afastar os olhos do seu terno amarelo-mostarda. – Doutor, o senhor já deve ter ouvido falar de Simon de Laplace – perguntei. – O matemático. O psicanalista … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Nave (Dr. Moo)

A Nave foi criada através de um estudo que durou meio século. Dotada de atmosfera autorregulável e autolimpante prescindia de filtros. Transparente em toda sua circunferência recebia luz natural regulada … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Ecos da Colônia (Muad’Dib)

Xenozoobotânico Tibor Simón, log pessoal #489. O que posso dizer é que é insano, muito bizarro mesmo, visitar outro planeta habitável. A gravidade aqui em Kepler 977d, que carinhosamente apelidamos … Continuar lendo

3 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Santuário (Domo Arigato)

Andy acariciava as inscrições em seu braço esquerdo, enquanto apreciava o brilho artificial da imitação quase perfeita do Sol. A geração de autômatos domésticos, Androide Y, costumava estar no topo … Continuar lendo

2 de julho de 2015 · Deixe um comentário

O Ancestral (Astrogildo Silva)

Aline acordou. Nua e abraçada a Eduardo, ela não sabia quanto tempo havia dormido, mas estava acostumada. Era comum ao casal, após a terceira ou quarta relação sexual consecutiva, dormirem … Continuar lendo

2 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Defeito na Cama Gelada (William Adama)

Ano 1 – Dia 1 Foi difícil demais para me acostumar. Nos primeiros dias eu achei que estava louco ou sonhando. Desesperado, tentei acordar de todas as formas possíveis. Beliscões, … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Trigger/Gatilho (Felipe K. Pinto)

I. C01sas Entr3z Uma das coisas que menos gostava de fazer, era quando estava sentado no banheiro e precisava dar uma olhada nas notícias. Ele abominava qualquer tipo/espécie de informação … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Sete luas, oito planetas, quinze galáxias (Ed Hartmann)

Abro os olhos e vejo, sob um véu vermelho, apenas a poeira ocre que aderiu em parte do plexigas do visor de cristal líquido em frente ao meu rosto. Choco-me … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

A Rainha e o Robô (Driscoll Malcom Paige)

Londres, 2144 Sob a espessa neblina, caminhávamos naquele inverno interminável. Era impossível distinguir se aquilo que caía sobre nossos ombros era neve ou poeira radioativa. Não importava, estávamos todos condenados … Continuar lendo

1 de julho de 2015 · Deixe um comentário

Bye Bye Blue Sky! (Odu Anastácio)

Acordei assustado, o sol já invadia meu quarto e esquentava os meus pés. Justo eu, cão adestrado tão bem, que pulava ao ouvir o primeiro toque do despertador, como se … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Balada por Adele5 (Joe Space)

A vida não é justa. É apenas um apanhado de dados analógicos, desorganizados e caóticos. Não entendo o porquê da surpresa dos mais jovens. Estamos todos inseridos neste mesmo contexto, … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Um Pálido Ponto Cinza (Carl Sagan)

Os seres de barro nos deram muitos nomes. Anjos, celestiais, orixás, loas, deuses, espíritos de luz… Devido à uma dominação cultural, a maioria deles nos imaginava como sendo europeus portadores … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · Deixe um comentário

Enquete para o Desafio de Julho

  Olá, pessoal! Pedimos a ajuda de todos para decidir como será o próximo desafio literário do Entre Contos. Sistema de votação, comentários, limites de palavras e, claro, o tema. … Continuar lendo

26 de junho de 2015

Aniversário de Casamento (Mirlene Souza)

Ela tirou o assado do forno. Sentiu o cheiro e admirou o resultado. A carne estava dourada, macia e suculenta. Colocou-o em cima da mesa, milimetricamente posta e cuidadosamente decorada. … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · Deixe um comentário
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.305 outros seguidores