EntreContos

Desafios Literários, Contos e Resenhas

Regulamento Desafio “Fobias”

I – Das Disposições Gerais e da Inscrição 1) A participação no Desafio “Fobias” do EntreContos é totalmente gratuita. O Desafio é voltado a ESCRITORES que orgulhosamente sejam também LEITORES. 2) Os … Continuar lendo

Destacado · Deixe um comentário

Próxima Parada: Estação das Desgraças (Alberto Roberto)

1. José Um versinho inocente fora pichado num muro recém-pintado de branco. O ônibus 606 passou sacolejando defronte e o passageiro X o leu: “Queijo do Alentejo, gostoso como um … Continuar lendo

25 de maio de 2015 · 2 Comentários

Velhos guardanapos (Jayne Casey)

Sempre senti muito medo de perder. MIL E UMA VOZES já disseram que eu era (que eu sou) uma caduca. Caduca por carregar cinzeiros antigos, fotos esmaecidas e todo tipo … Continuar lendo

23 de maio de 2015 · 8 Comentários

Roda Mundo, Roda Gigante (Martha Phobos)

A noite mal começara e a lua crescia no céu de verão. Bianca não sabia o que estava fazendo ali. De mãos dadas, sorriso no rosto, comendo pipoca fria. Pedro … Continuar lendo

23 de maio de 2015 · 6 Comentários

Pato Manso (Ivan Karranger)

Pato manso Oh, pato manso Se for nervoso É porque é ganso!   Havia certo ar de intranquilidade na vizinhança por aqueles tempos. Época de quaresma. As ruas se esvaziavam … Continuar lendo

22 de maio de 2015 · 9 Comentários

O Futuro Desfeito (Raí Barbitúrico)

— Nove e oitenta —disse a moça e ele instintivamente colocou a mão sobre o bolso da calça. “Ótimo, ainda está aí”, pensou enquanto sentia um ligeiro formigamento tomar conta … Continuar lendo

20 de maio de 2015 · 11 Comentários

Doce Tango Argentino (Escritorfóbico)

Tanto medo de encarar Em outra face, Um novo eu Como quem vive a delatar Meus segredos Em um museu. Aberto à visitação Em um fim de domingo Sonhos ressentidos … Continuar lendo

19 de maio de 2015 · 14 Comentários

Crônica de uma morte anunciada – Gabriel Garcia Márquez

Publicado originalmente em Literateca:
Se um dia eu tivesse que responder qual autor é mais importante pra minha formação como leitora, um dos primeiros (pra não dizer o primeiro) nomes…

18 de maio de 2015 · Deixe um comentário

Efebofobia (John Slave)

Talvez eu já esteja morto quando este mapa de infortúnios estiver tatuando amargas lembranças em seus olhos, curioso leitor. Mas, acredite, os relatos macabros que, de agora em diante, irão … Continuar lendo

16 de maio de 2015 · 20 Comentários

O Poema das Árvores (Stephany Queen)

  ABRIL DE 2015, CAPITAL, SESSÃO #1 — A primeira vez? Olha, não lembro a idade exata, mas devia ser quatorze, ou no máximo quinze. Fui praticamente a última da … Continuar lendo

16 de maio de 2015 · 15 Comentários

Vidas Sem Rumo – Resenha (Gustavo Araujo)

Esqueça John Green, Stephanie Meyer e clones afins. O livro que todo jovem deveria ler é de uma autora chamada Susan E. Hinton. Foi escrito em 1967 e se chama … Continuar lendo

12 de maio de 2015 · 2 Comentários

Sumiço da Lua (Paulo José Pires)

Há alguns dias olhei pro céu .E daí ? Todo mundo olha. Tinha alguma  coisa de estranho ou tava estranho ou tava estranho por não Ter a coisa. ’Cê tá … Continuar lendo

10 de maio de 2015 · 1 comentário

Sentimento (Vinícius Camara)

Os dois tinham quase a mesma idade. Foram casados por muitos e maravilhosos anos. Tinham filhos e netos. Tinham irmãos de sangue, irmãos de sentimento e irmãos que nem sabiam … Continuar lendo

10 de maio de 2015 · Deixe um comentário

Capitães da Areia – Resenha (Gustavo Araujo)

Em 1937 o Brasil estava às portas do Estado-Novo. Vivia-se no mundo à época uma divisão ideológica profunda e mesmo em terras tupiniquins as diferenças de parte a parte se … Continuar lendo

10 de maio de 2015 · 4 Comentários

Reencarnação Sintética (Alan Cosme Machado)

– “A consciência vai além do nosso cérebro”, me disse um homem que acreditava em alma. Um fato que concordo plenamente, apesar de por outros motivos. Nossa personalidade não se … Continuar lendo

7 de maio de 2015 · 3 Comentários

Beleza Fantasma (Anorkinda Neide)

A lua incitava ao passeio múltiplos guizos iludiam os tementes em receio A calma dela em rosto alvo, resplandecia noite de agosto A escuridão e o frio eram-lhe companhia mistério, … Continuar lendo

7 de maio de 2015 · 15 Comentários

Enclausurado (Diego Lopes)

Sentindo falta das doses etílico-sanguíneas, me tornei irascível ultimamente. O que impacientou meus algozes. Hoje pela manhã me propuseram: “Se provares que és um vampiro, te libertaremos”. Como se alguma … Continuar lendo

7 de maio de 2015 · 1 comentário

Anastácia (Roberto Noir)

                         “Mas quando a morte conduzir-te a sepultura                                 Tirar todo o seu talento e formosura                                  O teu orgulho em pó reduzirá”                                                     José M. Lacerda, “TALENTO E FORMOSURA” … Continuar lendo

7 de maio de 2015 · 5 Comentários

Mercado da Alma (Sidney Muniz)

Neste quarto frio e úmido sobrevivo Na epiderme de um disfarce pífio No inverno de braços incógnitos Na veracidade de um mundo sombrio   Busco a moeda sórdida que mal … Continuar lendo

7 de maio de 2015 · 5 Comentários

Mergulho (Simoni Dário)

Naquele momento éramos apenas eu e ela, eu, e a natureza blindada por uma beleza resfolegante. Uma brisa mansa, e na minha frente o meu amado me convidando para comungar … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · Deixe um comentário

Noite do Dia (Vitor Leite)

Noite do dia Vida sem espaço para a imaginação, onde só cabe a poesia. Sou casa, o teu espaço, desarrumado, baralhado, transformado em nós. Sou vazio preenchido, boca beijada, olhos … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · 4 Comentários

Poesia (Cácia Leal)

A esfera desliza, movimenta-se frenética sobre o papel, linha após linha. Rabiscos que ganham forma, moldam sentimentos indizíveis, defloram a folha virgem até alcançar a alma.   E assim vai-se … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · 9 Comentários

Um Anjo na Terra (Alexandre Leão)

Vejo um anjo passando na rua… Todo povo sem entender. “Que faz um anjo na terra?…” Ninguém sabia dizer. Vejo o anjo prosseguindo Sorrindo, sempre a cantar. O povo sem … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · 6 Comentários

Máscara (Roberto Noir e Sharon Ligian)

A verdade que ocultas em teu pensamento responde À realidade de algo que em tua vida é ficção Talvez seja algo perigoso o suficiente Para destruir tua alma e teu … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · 7 Comentários

A Entrega (Claudia Roberta Angst)

De repente, o querer torna-se vendaval Desses que arrancam raízes e razões O encontro acontece como deveria ser Plena descoberta em oceano de emoções Sem separar o que invade pele … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · 18 Comentários

Morte (Leonardo Jardim)

Dor Dúvida Angústia Saudade   Uma dor intensa Por não sabermos o motivo Por não termos uma explicação Para a perda que parece eterna   A dor nunca cessa Apenas … Continuar lendo

6 de maio de 2015 · 26 Comentários

Vulcão Inativo (Fabio Baptista)

Nunca vi um vulcão em erupção. Pedras de fogo voando, explosão e estrondo, magma escorrendo, cinzas cobrindo o azul, calor e Sol escurecendo. Espetáculo belo e tétrico, da natureza expelindo … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 24 Comentários

Um Bocado de Saudade (Anorkinda Neide)

Paredes corrompem os desejos e eu me jogo contra elas perdida entre obediência e a satisfação arbitrária Depende das horas mortas o que extraio delas rendida por uma paixão Correntes … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 24 Comentários

Apologia ao Ódio (Wender Lemes)

Odeio os moderados! Odeio tudo que torna a vida medíocre! Odeio quem apanha e se cala, quem não chega a odiar, quem acha chicória amarga – mas engole! Odeio a … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 30 Comentários

Last but not least (Rafael Sollberg)

A saideira é uma espécie de Santo Graal. Ela é inalcançável, inatingível. É um sopro de esperança para um bêbado desolado e solitário – apesar de acompanhado. Ela reluz sobre … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 10 Comentários

Fumo (Vitor Leite)

À espera sei lá de quê, talvez nada, numa mesa redonda para as ideias não pararem. Entre os dedos, um cigarro que não vai à boca. Esfumasse, acaba no fumo, … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 8 Comentários

Será (Neusa Fontolan)

O que é esta coisa que sinto? Esta certeza de que vivi onde seres míticos acrescem maior beleza em um mundo fabuloso Onde os seres deste mundo gargalham ao deslizarem … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 20 Comentários

Conexões (Brian Lancaster)

Parte 1 – Terra Estrelas distantes, luzes tênues… Poderia um simples olhar conter seu esplendor? Que lástima ao pensar, anos-luz de distância, Uma civilização morreu envolvida em terror.   Este … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 9 Comentários

Espelhos da Sedução (Sidney Muniz)

Seu reflexo no espelho, espelho seu… Os olhos que te enxergam, são os meus… O reflexo do brilho de tua alma, só teu… Reluzente a bronzear o seu corpo, seu … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 17 Comentários

Momentos (Jowilton Amaral)

As cadeiras vermelhas, De um bar sem cor, Sustentam quarenta anos de mim. Nos momentos de silêncio, Entre um cigarro, um gole de cerveja, Uma dose de conhaque e um … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 20 Comentários

O Caso da Rosa (Carlos Henrique Gomes)

… as únicas flores que todo mundo tem certeza de conhecer. Katherine Mansfield   A campainha tocou. Era Ângela chegando, sempre atrasada. Todos já estavam no quintal, em volta da … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 1 comentário

Armazém Nove (Marco Antônio)

Vazamento de água. Basta uma brecha pra ela invadir, a água é foda, rapaz. Ela acha a saída, por menor que seja, ela sempre passa. A água invade, basta uma … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · Deixe um comentário

A Queda (Fabio Baptista)

Lúcifer, Estrela da Manhã, distraiu-se por alguns instantes, segurando a manopla de combate em frente ao rosto. Contemplou todas as nuances e detalhes da luva prateada que refletia o azul … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 13 Comentários

A Leoa Edêntula (Jowilton Amaral)

Nota do autor: Este foi um dos contos que escrevi depois da leitura do livro o Lobo da Estepe de Hermann Hesse. Escrevi com o intuito de enviá-lo a um … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 2 Comentários

Sangue e Saudade (Alexandre Leão)

De rubro tingiu-se à tarde, A noite descendo calma; De sangue banhava a cena, Negra, tornava minh’alma.   Ouviu-se distante, a cigarra, Canção funesta, enfadonha. Aquela que amo, tão longe, … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 14 Comentários

O Temor de um robô (Jefferson Lemos)

Hoje fui capaz de vislumbrar o passado E por um momento fitei a existência transgressora Havia carne nos ossos e circuito nas mãos Eram todos felizes e pareciam pessoas   … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 28 Comentários

Tudo Aquilo (Ricardo Falco)

  Eu hoje me dei conta de que não consigo mais chorar.   As cartas, certamente surpresas, não mais podem me encarar; não entorto mais suas linhas, devagar; nem rego … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 25 Comentários

Mariposa (Roberto Noir)

Um enorme vulto voador voa na madrugada Rompendo o silêncio noturno de forma repentina O bater de suas asas é uma sonora pancada Que acorda até os mais íntimos da … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 10 Comentários

Coração de Papel (Pedro Luna)

Estava perdido em um espaço em branco Sem nunca enxergar uma saída Um dia encontrei uma trilha de letras E então as palavras libertaram a minha vida Hoje eu rabisco … Continuar lendo

4 de maio de 2015 · 14 Comentários

A Luneta Mágica, de Joaquim Manuel de Macedo – Resenha de livro

212 páginas L&PM Pocket Simplício, personagem possuidor uma severa míopia fisica, extende-se sua deficência a até sua moralidade, onde incapaz de lulgar por si só a índole e o caratismo … Continuar lendo

4 de maio de 2015 · 1 comentário

Vadinho (André Albuquerque)

O ônibus estacionou, ao final da viagem de dez horas. O relógio do terminal rodoviário marcava cinco horas e vinte minutos. Os passageiros desocupavam o carro, alguns ainda sonolentos, sem … Continuar lendo

4 de maio de 2015 · 1 comentário

Tortura (Cilas Medi)

Está amarrado e amordaçado. Suando em bicas. Por duas vezes aqueles dois mastodontes entraram e, não precisariam, mas, o fizeram obrigar a tomar água pelo canudinho, cujo furo, mínimo em … Continuar lendo

4 de maio de 2015 · 1 comentário

O Caso da Injeção (Carlos Henrique Gomes)

Prefiro acreditar que na minha família a união é diferente! Resume-se numa aglomeração de gente na casa dessa ou daquela vó sob qualquer pretexto de festa. Nada de ajudar uns … Continuar lendo

4 de maio de 2015 · 8 Comentários

A Morte não pede carona (ela entra, senta e se aconchega) – (Jefferson Lemos)

Desculpe-me pela história resumida, mas os baixos níveis de oxigênio não me permitem extravagâncias. Afinal de contas, o ser humano tem dessas coisas. A morte iminente nos assola, cercando como … Continuar lendo

3 de maio de 2015 · 7 Comentários

Menino Levado (Alan Cosme Machado)

Suas forças estavam acabando e a ajuda estava longe de chegar. Homens da alta sociedade passavam por ela em suas carruagens luxuosas e fingiam não a ver. Quando um deles … Continuar lendo

3 de maio de 2015 · 1 comentário
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.280 outros seguidores