EntreContos

Literatura que desafia.

Avaliação – Desafio Retrô Cemitérios

Caros participantes e amigos, Agradecemos mais uma vez a presença de todos por aqui. No total 46 (quarenta e seis) textos inscritos para o certame que comemora três anos de Entre Contos, … Continuar lendo

Destacado · Deixe um comentário

Regulamento Desafio Retrô “Cemitérios”

Sim, somos permeáveis a sugestões subliminares e nem tão subliminares assim. Neste mês de setembro, o Entre Contos completa três anos de Desafios Literários. E, para comemorar a data, nada … Continuar lendo

Destacado · Deixe um comentário

Partidos e partidos (Allan Giroux)

O comportamento estranho de Alcides começava a incomodar os presentes no enterro. Parecia perturbado, caminhava, ia e voltava entre as muitas lápides e tinha tirado os sapatos. – O que … Continuar lendo

25 de setembro de 2016 · 17 Comentários

Não use droga, ruim (Cinderela adormecida)

Yolandy desceu da moto nem aí para a calcinha que aparecia por debaixo da saia minúscula. Riu para o China, o motorista e amigo há pouco reencontrado, e bateu de … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 14 Comentários

O lugar que o vento e a luz esqueceram (Erie Blur)

As pedaladas causavam ruídos ritmados com as engrenagens e correias que impulsionavam a bicicleta a circundar a rua que descia suave por seu manto cinza. Tão logo alcançou a calçada, … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 15 Comentários

Ficções (Davi Torres)

Acompanhava o cortejo de longe. O caixão pequeno, enfeitado com crisântemos, era conduzido por formas arqueadas, que se deslocavam a passos lentos e concatenados. As expressões fechadas eram cobertas por … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 6 Comentários

O Jardim das Almas Perdidas (Mustang)

A sensação era como se eu estivesse submersa em um mar gelado e, aos poucos, meus ossos iam transformando-se em gelo. Olhei fascinada para uma gota de suor escorrendo no … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 6 Comentários

Canteiros no Planalto Central (Constant Gardener)

“Quem morou aqui? Ele deve ter sido um jardineiro muito preocupado, Que arrancou as lágrimas e cultivou boa colheita. E estamos tão surpresos! Estamos paralisados e aturdidos… Um jardineiro assim … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 4 Comentários

Uma Prece para Maria (Marvin The Martian)

O fim da tarde se aproximava sonolento, e os últimos visitantes caminhavam entre as sepulturas, produzindo um som crocante do atrito dos seus sapatos com o piso de dolomitas. Em … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 12 Comentários

Colóquio Noturno (Rapaz da TV a cabo)

O grupo penetrava no cemitério em silêncio, enquanto o vento se esfregava em seus corpos, causando calafrios. Davi andava ao lado de Mônica, com quem estivera transando há algumas semanas. … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 6 Comentários

O Pelotão (Cris Horner)

Sábado, 23 de julho de 1904. Dia da última etapa do Tour de France, após mais de 2200 km percorridos por estradas e montanhas onde em raros momentos os olhos … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 5 Comentários

Flutuando na Poeira (Sabor de Humano)

Eu sei que estou morto. Uma existência fria e metálica. Cada passo, uma encruzilhada, num susto perdido tentando estabelecer o contato entre o que eu fora e o que eu … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 7 Comentários

Batuque e Reza (Clarice)

Xiqueópolis sempre foi esta cidade litorânea excêntrica e odara. Onde o tempo e realidade se tornam um grande termo abstrato e colorido, sem início ou fim. E desde o primeiro … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 7 Comentários

Inumação (Pseudemônimo)

Acordei tonto e minha cabeça latejava com restos de um pesadelo que terminou. Raspei a mão em uma superfície de madeira quando fui tocar a nuca. O sangue pastoso grudou … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 11 Comentários

Faminta (Parmegiana de Berinjela)

O jantar de sexta era sagrado pra Juliana. Um hábito que servia de motivação para aguentar (“sobreviver”) a semana frustrante: emprego medíocre (“Essa velha megera e essa gente feia o … Continuar lendo

23 de setembro de 2016 · 18 Comentários

O Espeleólogo (Menino do Camboja)

“No mundo inteiro, mais de 500 mil famílias vivem em cemitérios. No Camboja, centenas vivem entre túmulos, lutando contra a pobreza e a desigualdade” Agência Fides   Quando crescesse, queria … Continuar lendo

23 de setembro de 2016 · 17 Comentários

Mundos de Quartzo (Ana Lovecraft)

O nome “Clínica de Repouso Itainara” pode até ser disfarce, como comentam os pescadores irreverentes da enseada, mas dificilmente poderia haver um local em Itainara tão apropriado para descansar. Pela … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 9 Comentários

A capela de telhas amarelas (Mariana Lacerda)

A conversa entre dois homens perturbava o imponente silêncio daquele amplo espaço verde. – Mas que ideia é essa, senhor Giuseppe? Giuseppe inchou as bochechas em sua irritação. Em sua … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 11 Comentários

Até prova em contrário (Thymus)

Coisas estranhas vinham acontecendo na vida de Marquinhos desde aquele dia. A morte da mãe fora boba e repentina. Mal súbito, dizia o doutor, o coração dela parou de trabalhar … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 13 Comentários

Recorte do cotidiano (Arthur Menghelli)

As mãos trêmulas, couro grosso de uma vida de labuta, sustentam o terço de encardidas pérolas, outrora brancas. Em movimento de prece silenciosa, os lábios ressequidos conjuram nomes santos e … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 14 Comentários

O Segredo de Fênix (Sami Terry)

Eu poderia estar agora delirando, falando sobre seres sobrenaturais, poderes ocultos, rituais místicos, sociedades perdidas, cemitérios clandestinos, ou demais temas fascinantes por sua morbidez. Porém, preferi narrar para vocês o … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 27 Comentários

Na praia (Poseidon)

Acostumados a acordar antes do sol e a acompanhar os pais nas jangadas, os três meninos ignoravam o vento frio do início da manhã e andavam lado a lado, seguindo … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 14 Comentários

“Sem Título” (Zha Haisheng)

Regido pela sinfonia de algum funk carioca, entornei o conteúdo do copo em uma única golada. Voltei o recipiente sobre a mesa e, ignorando a ninfeta que rebolava em meu … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 13 Comentários

Belinha (Alair Silva)

Por causa de Belinha que eu fui. Vê se moleque nessa idade tem motivo para entrar em cemitério meia-noite? Meia-noite, cabra! Cêdemais pra chamar de dia, tardemais pra não chamar … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 15 Comentários

Lembrem-se dos Esquecidos (Legista)

O voo de Brasília até o pequeno sítio ao norte da Serra das Andorinhas foi tranquilo. Após quarenta anos do termino da guerrilha, mais um cemitério clandestino havia sido descoberto, … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 14 Comentários

Miudinha (Mal assombrado)

– Shh… não faça barulho. – Larga de ser besta, eles não ouvem mais nada, não. – Não sei. Talvez ouçam tudo e mais um pouco. – Você diz, pensamentos? … Continuar lendo

20 de setembro de 2016 · 32 Comentários

Negrinho, a Fada Madrinha e o Cemitério sem Flores (Monteiro Lobatomia)

Era uma vez, um menino chamado Negrinho. Não era esse o nome dele, mas era assim que todo mundo chamava. Negrinho queria ganhar um presente de Natal. Na verdade, ele … Continuar lendo

20 de setembro de 2016 · 24 Comentários

O Cemitério sem Fim – Os Que Perseguem Suas Caudas AKA O Cemitério sem Saída II (Edgar O Corvo)

Uma Microtetralogia PROSPERO   Os cemitérios são as cidades dos que não mais existem. Odeio esses antros de finitude, só vim neste para o enterro de William. Depois de caminhar … Continuar lendo

19 de setembro de 2016 · 41 Comentários

Amor (Verde Cinza)

“Você está tão bonita hoje”, digo. Ela sorri e me lança um olhar capaz de fazer com que eu acredite que esta vida valha a pena. “Sabe, às vezes fico … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 21 Comentários

Pela Santa Dor do Túmulo (Vandro Limão)

“Ó meu Senhor que por teu filho falou “Eu vos dou a paz, eu vos dou a minha paz” por que faz isso comigo?” “De todas as maneiras tentei interpreta-lo … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 18 Comentários

Maria Padilha S/A (Ana Bolena)

-Então é fácil, minha querida! Levante-se daí e vamos começar. Pegue seu kit. Aqui também estão algumas instruções. As condições já acertamos. Vá e encontre seus fiéis. E lá vai … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 24 Comentários

Por quem crescem as raízes (Benjamin Monk)

Mila caminhava ao lado do irmão para longe do burburinho de conversas e prantos. Era uma tarde ensolarada, porém agradável. Havia um leve cheiro de grama cortada preenchendo o ar … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 24 Comentários

Simetria (Lúcio Fullci)

Eu não sou o culpado. Tal afirmação vai contra todas as evidências, sei disso, e nem é minha intenção convencer alguém com este relato: ele é apenas uma tentativa desesperada … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 37 Comentários

Hibisco para todos (Jardineiro)

Há anos adquiri o hábito de passear nas alamedas do cemitério depois do almoço, lendo as lápides, imaginando a vida daquelas pessoas e sempre terminando meu passeio no túmulo 1672, … Continuar lendo

17 de setembro de 2016 · 26 Comentários

As vidas do cemitério (Manuel Poucomorto)

Já não tenho paciência para preencher mais formulários, tanta papelada, tanta pergunta e depois o emprego acaba por ser para alguém que desde início já estava escolhido. – Querido, não … Continuar lendo

16 de setembro de 2016 · 20 Comentários

O Apanhador (Brad Buried)

— Azul, lilás, vermelho, laranja, amarelo. O que são esses cristais, Isalla? — São presentes do pai dela, Janilla. — Ele não foi sorteado há três anos? — Foi. — … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 22 Comentários

Mea Culpa (J.D. Salignas)

Confiteor Deo omnipotenti, omnibus Sanctis, et tibi, pater: quia peccavi nimis cogitatione, verbo, et opere: mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa…   — Abençoa-me, padre, porque pequei. — In … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 21 Comentários

A Cruz que Carrego (Ernesto Carrizo)

“Sinto que é grande a tristeza. Intenso o inverno. O meu destino cruel. Me expõe ao inferno. Em nada mais posso crer. Para mim nada existe. Somente eu sei dizer, … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 30 Comentários

Vende-se uma alma (Corpus Debrindhe)

Mais um sinal fechado, quase trancado. O terceiro naquela manhã que prometia mais calor do que novidades. Ele dedilhou notas invisíveis no volante, tentando reaver a melodia perdida no despertar. … Continuar lendo

13 de setembro de 2016 · 54 Comentários

Poço das Almas (Bunny Jack)

  Procura-se coveiro instruído, com 2° de escolaridade para enterrar mortos e realizar serviços adicionais, disposto a receber R$ 1500 mensais. A saber: o referido cargo não exige conhecimento imediato sobre … Continuar lendo

13 de setembro de 2016 · 67 Comentários

A Casa do Bairro Atibaia (O Maracujazeiro)

Pedro entrou na casa com passos miúdos. Não fora fácil para ele reencontrar o lugar onde crescera. O cheiro de maracujá pairava na sala como uma nuvem diáfana de reminiscências. … Continuar lendo

13 de setembro de 2016 · 45 Comentários

Noite de Confidências (A Moça Triste)

Marcelo anda solitário pelas ruas impulsionado por um comichão na consciência que não o deixava ficar em paz. Era uma noite muito fria e a lua brilhava, redonda, prateada e … Continuar lendo

12 de setembro de 2016 · 57 Comentários

A Musa (Solfieri)

O velho desperta com os olhos brilhando. Ainda não amanheceu, mas ele não pode perder a oportunidade. Levanta da cama e corre até o computador, que é sua forma de … Continuar lendo

12 de setembro de 2016 · 56 Comentários

O Estranho Desaparecimento de Eleanor Rigby (Lennon)

O estranho desaparecimento de Eleanor Rigby Novamente repito: eu não sou padre. Meu nome é John Mackenzie, professor. Fui seminarista sim, intencionava ingressar nas fileiras de Nosso Senhor, mas o … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 29 Comentários

Túmulos em Si (Mouro)

O cheiro de tabaco velho que escapava daquela gaveta dispersava memórias antigas pelo ar. Seu Sebastião tinha a mania de sentar-se ali na beirada da cama e revirar as coisas … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 35 Comentários

Amor Gótico (Álvaro Amoroso)

Ouviram um gemido rangido e desagradável. A lua gorda de maio abriu uma janela estreita entre as nuvens e a fumaça para ver Lucinda nua. Ela riu, a lua deve … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 40 Comentários

Vencendo a Morte (KikoChê)

A enfermeira Egbertha Hims era gorda. Muito. Entretanto, o carinho, a simpatia e o profissionalismo com que tratava os pacientes da Clínica Samaritana lhe emprestavam uma fina silhueta e se … Continuar lendo

8 de setembro de 2016 · 79 Comentários

Eu sou Crewe (Randolf Crewe)

Aquele que este relato encontrar não deve nele acreditar, para sua própria segurança. Mas devo redigi-lo de qualquer forma, antes que minhas mãos percam as habilidades a elas concebidas. Antes … Continuar lendo

8 de setembro de 2016 · 45 Comentários

Achados e Perdidos – Oliver Jeffers – Resenha (Gustavo Araujo)

Preciso confessar: sou um sujeito apegado a tradições. Quando se trata de filhos e literatura, isso se traduz no hábito de ler para as meninas ao colocá-las para dormir. Normalmente, … Continuar lendo

3 de setembro de 2016 · 3 Comentários

Labirinto (Priscila Pereira)

Entre espinhos e rosas, numa curva sombria, eu me vejo. Não sei para onde ir. Em um lado, solidão, neblina e mistério. No outro lado o luar entre as folhas … Continuar lendo

2 de setembro de 2016 · 4 Comentários

Sou – Poesia (Lucas Lopes)

eu sou logo eu sou cedo sou agora sou vivo sou quente sou sentimento sou quente respiro me permito me permito sentir e sinto forte sinto falta sou amor sou … Continuar lendo

31 de agosto de 2016 · Deixe um comentário

Sem Você – Conto (Simoni Dário)

  – Como posso ser feliz? – Sorrindo. – E se o sorriso for falso? – Mantenha, por exercício. – Estou cansado de me exercitar. – Persista. – Para que … Continuar lendo

31 de agosto de 2016 · 10 Comentários

Os Devaneios do General – Clássico (Érico Veríssimo)

Abre-se uma clareira azul no escuro céu de inverno. O sol inunda os telhados de Jacarecanga. Um galo salta para cima da cerca do quintal, sacode a crista vermelha que … Continuar lendo

30 de agosto de 2016 · 14 Comentários

O preço da inseminação – Conto (Daniel Siqueira)

Prólogo No Século XX   Um homem perdeu todo o seu dinheiro porque ele apostou que os EUA venceriam as Olimpíadas, mas os EUA boicotaram as Olimpíadas. Esse homem está … Continuar lendo

28 de agosto de 2016 · 4 Comentários

O Pistoleiro – Conto (Vitto Graziano)

As imagens exuberantes estampadas nos cartões postais não deveriam ser compostas apenas pelo Cristo, praias, morros e a plácida Copacabana. Amalgama perfeita entre tragédias e beldades, o Rio de Janeiro, … Continuar lendo

28 de agosto de 2016 · 2 Comentários

El Kakuy – Conto (Anorkinda Neide)

Quando cheguei à cidade de Santiago del Estero, por coincidência ou azar era exatamente o dia principal do Festival. Ronaldo já me falara deste evento cultural do norte da Argentina … Continuar lendo

27 de agosto de 2016 · 8 Comentários

Algemados – Conto (Olisomar Pires)

Nasci livre (me disseram), assim como todos antes de mim, não tão livre que não tenha controle nas asas, nem tão preso que não possa sonhar (um pouco). Sou um … Continuar lendo

27 de agosto de 2016 · 7 Comentários

Nos Bosques de Puttin – Conto (Fabio D’Oliveira)

O vento gelado bateu com força nos dois, mas somente Helena sentiu frio. Hiems sorriu gentilmente ao ver a careta da menina. — Vamos falar das estações do ano — … Continuar lendo

27 de agosto de 2016 · 2 Comentários

O sol é para todos – Harper Lee – Resenha (Gustavo Araujo)

Difícil dizer algo de novo sobre um dos clássicos da literatura contemporânea. “O Sol é para Todos” foi escrito em 1960 e rendeu à autora Harper Lee o prêmio Pulitzer, … Continuar lendo

26 de agosto de 2016 · 2 Comentários

Os pergaminhos de Annabel Lee – Conto (Iolanda Pinheiro)

Acordei… Abri os olhos com dificuldade. Demorei alguns segundos para distinguir o recinto onde me encontrava. Meu corpo inteiro doía. Vi aquele homem me olhando e então  recordei: estava sentado … Continuar lendo

26 de agosto de 2016 · 3 Comentários

Dejá Vù – Conto (Paula Giannini)

Quer que eu assuma o volante, querida? Não! Gostava de dirigir. Sobretudo quando pegavam a estrada. No som, uma seleção tocava músicas do pen drive, repetidas à exaustão. Costumava gostar … Continuar lendo

26 de agosto de 2016 · 7 Comentários

Qualquer dia – Poesia (Gardel Dias)

Saio andando um dia por semana, salvai-me por um dia, o pesar meu A foto semanalmente diária por vir, bem mais – invento, recrio, destruo Apenas um dia durante toda a … Continuar lendo

26 de agosto de 2016 · 2 Comentários

História de uma escolha (Neusa Fontolan)

Alcanço alguns documentos e emboco na pasta executiva que é minha segunda maior comparte, sem olhar para os lados atravanco o corredor que fica entre as mesas dos empregados. – … Continuar lendo

25 de agosto de 2016 · 11 Comentários

Enquanto a chuva caía – Conto (Artur Sarmento)

As lágrimas se misturavam ás gotas de chuva que caíam da pesada e enorme nuvem negra que se movia lentamente. Juntas, lágrim­a e gota escorriam para os becos e frestas. … Continuar lendo

25 de agosto de 2016 · 1 comentário

Life Goes On – Conto (João Gabriel)

João nasceu na periferia de São Paulo, sobreviveu as custas, tinha uma mãe que morreu de overdose de cocaína, era uma vez um irmão que levou três tiros no rosto … Continuar lendo

25 de agosto de 2016 · Deixe um comentário

Número Zero – Umberto Eco – Resenha (Davenir Viganon)

“Número Zero” foi a último romance de Umberto Eco, lançado em 2015. O autor que, entre outras coisas, foi um estudioso da mídia e fez nesta obra um panorama sarcástico … Continuar lendo

25 de agosto de 2016 · 6 Comentários

Ranking – AGO/2016

Chegou a hora mais esperada após o término da sessão de RPG… digo… término do desafio! Sem mais delongas, vamos ao Ranking 2016, que vai considerar todos os certames iniciados no ano corrente … Continuar lendo

25 de agosto de 2016 · 1 comentário

Ensurdecer os tambores – Crônica (Eduardo Selga)

Vamos renascer das cinzas Plantar de novo o arvoredo Bom calor nas mãos unidas Na cabeça de um grande enredo (Renascer das Cinzas –Martinho da Vila)   Houve um momento … Continuar lendo

24 de agosto de 2016 · 2 Comentários

Até a próxima – Conto (Gelson Denian)

Continuo deitado. Pensei que doeria mais ou, então, que algo aconteceria para me impedir. Mas não, tudo simplesmente ocorreu de um jeito rápido e sem maiores problemas. Talvez eu, por … Continuar lendo

24 de agosto de 2016 · 12 Comentários

Até o último round – Conto (Caliel Alves)

Levanta! Levanta! Levanta! Esses malditos fazem parecer bem fácil. Não é nenhum deles que está tomando diretos de esquerda. Durante três rounds eu acertei o filho da mãe com tudo … Continuar lendo

24 de agosto de 2016 · 1 comentário