EntreContos

Literatura que desafia.

Resultados do Desafio Retrô Cemitérios

Caros participantes, amigos e curiosos de sempre. Um Desafio à altura dos três anos de Entre Contos. Uma disputa apertada, em que o vencedor foi definido apenas no último voto! … Continuar lendo

16 de outubro de 2016 · 24 Comentários

Avaliação – Desafio Retrô Cemitérios

Caros participantes e amigos, Agradecemos mais uma vez a presença de todos por aqui. No total 46 (quarenta e seis) textos inscritos para o certame que comemora três anos de Entre Contos, … Continuar lendo

25 de setembro de 2016 · 42 Comentários

Não use droga, ruim (Maria Santino)

Yolandy desceu da moto nem aí para a calcinha que aparecia por debaixo da saia minúscula. Riu para o China, o motorista e amigo há pouco reencontrado, e bateu de … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 43 Comentários

O lugar que o vento e a luz esqueceram (Marcia Saito)

As pedaladas causavam ruídos ritmados com as engrenagens e correias que impulsionavam a bicicleta a circundar a rua que descia suave por seu manto cinza. Tão logo alcançou a calçada, … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 48 Comentários

O Jardim das Almas Perdidas (Amanda Gomez)

A sensação era como se eu estivesse submersa em um mar gelado e, aos poucos, meus ossos iam transformando-se em gelo. Olhei fascinada para uma gota de suor escorrendo no … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 42 Comentários

Canteiros no Planalto Central (Bia Machado)

“Quem morou aqui? Ele deve ter sido um jardineiro muito preocupado, Que arrancou as lágrimas e cultivou boa colheita. E estamos tão surpresos! Estamos paralisados e aturdidos… Um jardineiro assim … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 82 Comentários

Uma Prece para Maria (Iolanda Pinheiro)

O fim da tarde se aproximava sonolento, e os últimos visitantes caminhavam entre as sepulturas, produzindo um som crocante do atrito dos seus sapatos com o piso de dolomitas. Em … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 98 Comentários

Colóquio Noturno (Thiago Amaral)

O grupo penetrava no cemitério em silêncio, enquanto o vento se esfregava em seus corpos, causando calafrios. Davi andava ao lado de Mônica, com quem estivera transando há algumas semanas. … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 40 Comentários

O Pelotão (Marcelo Nunes)

Sábado, 23 de julho de 1904. Dia da última etapa do Tour de France, após mais de 2200 km percorridos por estradas e montanhas onde em raros momentos os olhos … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 77 Comentários

Flutuando na Poeira (Fátima Heluany)

Eu sei que estou morto. Uma existência fria e metálica. Cada passo, uma encruzilhada, num susto perdido tentando estabelecer o contato entre o que eu fora e o que eu … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 44 Comentários

Batuque e Reza (Fil Felix)

Xiqueópolis sempre foi esta cidade litorânea excêntrica e odara. Onde o tempo e realidade se tornam um grande termo abstrato e colorido, sem início ou fim. E desde o primeiro … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 42 Comentários

Inumação (Davenir Viganon)

Acordei tonto e minha cabeça latejava com restos de um pesadelo que terminou. Raspei a mão em uma superfície de madeira quando fui tocar a nuca. O sangue pastoso grudou … Continuar lendo

24 de setembro de 2016 · 45 Comentários

Faminta (Luis Guilherme)

O jantar de sexta era sagrado pra Juliana. Um hábito que servia de motivação para aguentar (“sobreviver”) a semana frustrante: emprego medíocre (“Essa velha megera e essa gente feia o … Continuar lendo

23 de setembro de 2016 · 52 Comentários

O Espeleólogo (Paula Giannini)

“No mundo inteiro, mais de 500 mil famílias vivem em cemitérios. No Camboja, centenas vivem entre túmulos, lutando contra a pobreza e a desigualdade” Agência Fides   Quando crescesse, queria … Continuar lendo

23 de setembro de 2016 · 97 Comentários

A capela de telhas amarelas (Maria Flora)

A conversa entre dois homens perturbava o imponente silêncio daquele amplo espaço verde. – Mas que ideia é essa, senhor Giuseppe? Giuseppe inchou as bochechas em sua irritação. Em sua … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 51 Comentários

Até prova em contrário (Simoni Dário)

Coisas estranhas vinham acontecendo na vida de Marquinhos desde aquele dia. A morte da mãe fora boba e repentina. Mal súbito, dizia o doutor, o coração dela parou de trabalhar … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 51 Comentários

Recorte do cotidiano (Pétrya Bischoff)

As mãos trêmulas, couro grosso de uma vida de labuta, sustentam o terço de encardidas pérolas, outrora brancas. Em movimento de prece silenciosa, os lábios ressequidos conjuram nomes santos e … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 43 Comentários

O Segredo de Fênix (Ricardo Falco)

Eu poderia estar agora delirando, falando sobre seres sobrenaturais, poderes ocultos, rituais místicos, sociedades perdidas, cemitérios clandestinos, ou demais temas fascinantes por sua morbidez. Porém, preferi narrar para vocês o … Continuar lendo

22 de setembro de 2016 · 92 Comentários

Na praia (Pedro Luna)

Acostumados a acordar antes do sol e a acompanhar os pais nas jangadas, os três meninos ignoravam o vento frio do início da manhã e andavam lado a lado, seguindo … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 46 Comentários

“Sem Título” (Gustavo Aquino)

Regido pela sinfonia de algum funk carioca, entornei o conteúdo do copo em uma única golada. Voltei o recipiente sobre a mesa e, ignorando a ninfeta que rebolava em meu … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 51 Comentários

Belinha (Anderson Henrique)

Por causa de Belinha que eu fui. Vê se moleque nessa idade tem motivo para entrar em cemitério meia-noite? Meia-noite, cabra! Cêdemais pra chamar de dia, tardemais pra não chamar … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 43 Comentários

Lembrem-se dos Esquecidos (Gilson Raimundo)

O voo de Brasília até o pequeno sítio ao norte da Serra das Andorinhas foi tranquilo. Após quarenta anos do termino da guerrilha, mais um cemitério clandestino havia sido descoberto, … Continuar lendo

21 de setembro de 2016 · 43 Comentários

Miudinha (Anorkinda Neide)

– Shh… não faça barulho. – Larga de ser besta, eles não ouvem mais nada, não. – Não sei. Talvez ouçam tudo e mais um pouco. – Você diz, pensamentos? … Continuar lendo

20 de setembro de 2016 · 90 Comentários

Negrinho, a Fada Madrinha e o Cemitério sem Flores (Fabio Baptista)

Era uma vez, um menino chamado Negrinho. Não era esse o nome dele, mas era assim que todo mundo chamava. Negrinho queria ganhar um presente de Natal. Na verdade, ele … Continuar lendo

20 de setembro de 2016 · 74 Comentários

O Cemitério sem Fim – Os Que Perseguem Suas Caudas AKA O Cemitério sem Saída II (Ricardo de Lohem)

Uma Microtetralogia PROSPERO   Os cemitérios são as cidades dos que não mais existem. Odeio esses antros de finitude, só vim neste para o enterro de William. Depois de caminhar … Continuar lendo

19 de setembro de 2016 · 67 Comentários

Por quem crescem as raízes (Phillip Klem)

Mila caminhava ao lado do irmão para longe do burburinho de conversas e prantos. Era uma tarde ensolarada, porém agradável. Havia um leve cheiro de grama cortada preenchendo o ar … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 45 Comentários

Simetria (Pedro Teixeira)

Eu não sou o culpado. Tal afirmação vai contra todas as evidências, sei disso, e nem é minha intenção convencer alguém com este relato: ele é apenas uma tentativa desesperada … Continuar lendo

18 de setembro de 2016 · 61 Comentários

Hibisco para todos (Catarina Cunha)

Há anos adquiri o hábito de passear nas alamedas do cemitério depois do almoço, lendo as lápides, imaginando a vida daquelas pessoas e sempre terminando meu passeio no túmulo 1672, … Continuar lendo

17 de setembro de 2016 · 50 Comentários

As vidas do cemitério (Vitor Leite)

Já não tenho paciência para preencher mais formulários, tanta papelada, tanta pergunta e depois o emprego acaba por ser para alguém que desde início já estava escolhido. – Querido, não … Continuar lendo

16 de setembro de 2016 · 39 Comentários

O Apanhador (Victor O. de Faria)

— Azul, lilás, vermelho, laranja, amarelo. O que são esses cristais, Isalla? — São presentes do pai dela, Janilla. — Ele não foi sorteado há três anos? — Foi. — … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 43 Comentários

Mea Culpa (Daniel Reis)

Confiteor Deo omnipotenti, omnibus Sanctis, et tibi, pater: quia peccavi nimis cogitatione, verbo, et opere: mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa…   — Abençoa-me, padre, porque pequei. — In … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 88 Comentários

Vende-se uma alma (Claudia Roberta Angst)

Mais um sinal fechado, quase trancado. O terceiro naquela manhã que prometia mais calor do que novidades. Ele dedilhou notas invisíveis no volante, tentando reaver a melodia perdida no despertar. … Continuar lendo

13 de setembro de 2016 · 94 Comentários

Poço das Almas (Evelyn Postali)

  Procura-se coveiro instruído, com 2° de escolaridade para enterrar mortos e realizar serviços adicionais, disposto a receber R$ 1500 mensais. A saber: o referido cargo não exige conhecimento imediato sobre … Continuar lendo

13 de setembro de 2016 · 104 Comentários

A Casa do Bairro Atibaia (Jowilton Amaral)

Pedro entrou na casa com passos miúdos. Não fora fácil para ele reencontrar o lugar onde crescera. O cheiro de maracujá pairava na sala como uma nuvem diáfana de reminiscências. … Continuar lendo

13 de setembro de 2016 · 61 Comentários

Noite de Confidências (Priscila Pereira)

Marcelo anda solitário pelas ruas impulsionado por um comichão na consciência que não o deixava ficar em paz. Era uma noite muito fria e a lua brilhava, redonda, prateada e … Continuar lendo

12 de setembro de 2016 · 89 Comentários

A Musa (Felipe Teodoro)

O velho desperta com os olhos brilhando. Ainda não amanheceu, mas ele não pode perder a oportunidade. Levanta da cama e corre até o computador, que é sua forma de … Continuar lendo

12 de setembro de 2016 · 74 Comentários

O Estranho Desaparecimento de Eleanor Rigby (Tatiane Mara)

O estranho desaparecimento de Eleanor Rigby Novamente repito: eu não sou padre. Meu nome é John Mackenzie, professor. Fui seminarista sim, intencionava ingressar nas fileiras de Nosso Senhor, mas o … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 44 Comentários

Túmulos em Si (Wender Lemes)

O cheiro de tabaco velho que escapava daquela gaveta dispersava memórias antigas pelo ar. Seu Sebastião tinha a mania de sentar-se ali na beirada da cama e revirar as coisas … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 52 Comentários

Amor Gótico (José Geraldo Gouvea)

Ouviram um gemido rangido e desagradável. A lua gorda de maio abriu uma janela estreita entre as nuvens e a fumaça para ver Lucinda nua. Ela riu, a lua deve … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 52 Comentários

Vencendo a Morte (Olisomar Pires)

A enfermeira Egbertha Hims era gorda. Muito. Entretanto, o carinho, a simpatia e o profissionalismo com que tratava os pacientes da Clínica Samaritana lhe emprestavam uma fina silhueta e se … Continuar lendo

8 de setembro de 2016 · 99 Comentários

Eu sou Crewe (Evandro Furtado)

Aquele que este relato encontrar não deve nele acreditar, para sua própria segurança. Mas devo redigi-lo de qualquer forma, antes que minhas mãos percam as habilidades a elas concebidas. Antes … Continuar lendo

8 de setembro de 2016 · 55 Comentários

Regulamento Desafio Retrô “Cemitérios”

Sim, somos permeáveis a sugestões subliminares e nem tão subliminares assim. Neste mês de setembro, o Entre Contos completa três anos de Desafios Literários. E, para comemorar a data, nada … Continuar lendo

5 de setembro de 2016 · Deixe um comentário