EntreContos

Literatura que desafia.

Avaliação – Folclore Brasileiro

Caros Entrecontistas participantes e amigos, Agradecemos mais uma vez a presença de todos por aqui. No total, 44 (quarenta e quatro) contos inscritos, abrangendo os mais diversos aspectos de nosso rico … Continuar lendo

10 de março de 2017 · 2 Comentários

Ô, Seu Moço (Zé do Arimatéia)

Ô, seu moço, vamo chegá. Ocê tá bão? Pode i entrano. Vamo assentá? Ocê aceita um pãozim de queijo, um cafezim, uma broa de mi? Tá quentim, cabô de saí … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Cumacanga (A Encantada do Pará)

“Lua, luar, toma o teu andar, pega esta criança e me ajuda a criar, depois de criada retorna a me dar, lua, lua, luar, torna a teu andar”   Senta … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Canção de Ninar (Sir Jon, o Enforcado)

“E ela cantará por ti, homem da terra. E nenhum sonho será pra ti consolo”.   Foram os únicos versos que meu conhecimento limitado da língua suanam conseguiu trazer ao … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

O sequestro da mãe-d’água (João Galafuz)

A manhã despertara para a vida fazia pouco: o pretume da madrugada desalgemando a luminosidade. Os mesmos ventos frios, soprados do interior da floresta e vindos como que das funduras … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Sobre mulas e cabeças (Mithrandir)

“Essa história que eu vou contar procêis foi contada pra mim logo antes do azarento bater as botas; pelo morto mesmo! Mas quando ainda tava vivo, claro”. O velho aprumou … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

A Última Traquinagem do Saci-Pererê (Sacizin)

Numa floresta cheia de belezas, mistérios e mosquitos, reuniram-se os personagens do folclore brasileiro. Primeiro, veio Tupã, o anfitrião, organizador do encontro. Logo em seguida, Curupira, Lobisomem e Homem do … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Estranha é a Matinta (Boto Roxo)

“Criatura horrenda que caminha por minha vila, deixe os pobres e trabalhadores repousarem a cabeça no colo de suas esposas, deixe as crianças sonharem com doçuras e brincadeiras e deixe … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Afluentes (Mandu Ladino)

O corpo boiava rio abaixo. As garras seguraram-no pelo calcanhar e o arrastou até a margem. O céu encoberto, embora não significasse, precisamente, chuva por aquela terra desolada engolia as … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

A Lenda da Vitória-Régia (Flor de Maio)

-Mãe, que flor mais linda é aquela? -É a Vitória-Régia, minha filha. -Que nome mais estranho! Porque ela tem esse nome? Andirá, uma menininha de seus cinco anos, com seus … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Mapinguari (Sílvia Werneck)

Nesse território vazio, todo o verde que agora me pertence é um quase nada. A mata formando muralha verde de não deixar atravessar gente, só sussurro de cachoeira beirando a … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

O rapto de Flora Novais pelo famigerado cangaceiro Galdino Rubião (Astrogildo)

Pernambuco- 1938 Uma mosca voejava na janela e o zumbido dela era o único ruído que o delegado Ubiratã ouvia naquele início de tarde quente. Recostado na cadeira, ele começou … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Plano de Extração (Sacelote)

— Apareceu a margarida! Welington levantou as mãos para cima, fingindo agradecer aos céus pela presença de Gleice. — Minha mãe não saiu do meu pé — justificou ela, a … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Quanto riso, Oh, quanta alegria…. (Macunaíma)

A bola de fogo no céu, as ondas branquinhas espumando feito sabão em pó, e o mar azul-olhos-Bruno-Gagliasso são um convite à felicidade. É fevereiro. Eu não estou feliz. O … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Conspiração Folclórica (Velho do Saco)

Manaus, Centro Velho. A sala daquele cinema de rua falido fora alugada na véspera e aspirada às pressas pelos proprietários aturdidos, enquanto borboletas, colibris e morcegos levaram uma mensagem urgente … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Medonha (Arroz Doce)

– Medonha, medonha, vai morrer sozinha! Medonha ainda ouvia as crianças gritando ao longe. Gritavam e corriam, nunca ficavam para ver o que essas palavras provocavam na moça. Seu nome … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Arapuca (Corposeco)

Contam os de boa memória uma aventura insólita, que afirmam terem ouvido, quando ainda eram kuru’min, da boca daqueles que diziam ser aprendizes dos P’awés, que não existem mais. Os … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

De lobos e ovelhas (Pastor)

Se  escrevo nesse momento, é por genuíno receio de perder a memória e com ela, os fatos. Os anos se atropelam e, em sua inércia, arredam quase tudo, por isso, … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Macuã (José Arcanjo)

Pássaro que canta no escuro, faz a gente se arrepiar. Não mexa no futuro, deixa a sorte me beijar. Versos tristes de uma cantiga Pousada no galho oculto da gameleira … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Fura Tripa (Sonhador)

Um gritinho de felicidades e muita alegria, sábado e domingo comemorativos e o rebuliço vai começar na casa da dona Laura. “Senhor Saci, senhor Saci Tinhorão” – exclamou espevitada e … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Os Irmãos da Família Galvão (Allan King)

Três irmãos habitavam a casa da família Galvão. Eram eles, em ordem de nascimento: Gabriel, Igor e Daniel. Contando com os seus pais, cinco almas chamavam o lugar de lar … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

O Lobisomem do Pau Miúdo (Poetamaldito)

Em outubro de 1965 saí do Rio de Janeiro para morar em Salvador, na Bahia. Sem trabalho e sem dinheiro para o aluguel, a única moradia que consegui foi uma … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Vitória-Régia – A Verdadeira História (Hipólita, Rainha das Amazonas e do Amazonas)

Existem muitas e muitas versões desta história. Esta, que vocês vão ler agora, é a verdadeira, a que descreve o acontecido tal e como se deu. Eu tenho certeza que … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Mayara Sereia (Menino do Rio)

Eu poderia ter deixado para viajar depois do Carnaval, meu chefe me deu essa opção. Mas estava enjoado de passar Carnaval no Rio, bloquinhos de rua não faziam a minha … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Um homem mau (José de Anchieta)

Existem coisas no nosso mundo que não conseguimos explicar, um fenômeno da natureza ou segredo entre a vida e a morte, mas as vezes o que realmente parece inexplicável é … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Ao bater das caixas (Santa Devoção)

Seis de setembro, dia em que não pude abandonar-me ao abandono. Como num susto estava aqui na praça que deixei há dezesseis anos. Pensava em como seria voltar. Não sabia … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Todo o meu pedaço (Calango)

Ainda com o torpor da vigilância noturna, Etelvino lavou o sorriso pensando no corpo morno de Melissa entre os lençóis sonolentos. Tirou o uniforme e devolveu a arma da firma, … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

A Dona do Ouro (Celina Sucupira)

O entardecer já se anunciava com suas nuvens enferrujadas e os homens ainda insistiam na labuta. Ora por medo de não encontrar coisa melhor, ora por uma ambição sem sossego … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Encantamento (Tapajós)

Os irmãos observavam o ritual. A Saraipora conduzia o andor de cipó adornado com algodão e fitas, repleto do simbolismo religioso. Significados de mais de trezentos anos na região. Seguia … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Meu homem, não! (Engajado)

Cresceu em meio a mitos e lendas, e acreditava em tudo: Boitatá, Boto encantador de moças, Curupira, Lobisomem, Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça… De todos os seres o que mais chamava a atenção … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Terceira encruzilhada, no caminho da esquerda (Pedro Cavalari)

Hoje que estou em segurança tudo parece ter sido sonho, como sempre na vida. Hoje está tranquilo, madrinha, mas não quero visitas, estou doente ainda, quero remédios e não quem … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Verdades Submersas (Moacir Peixoto)

Quando emergi das águas do rio, o Sol fazia um arco laranja no horizonte, como um gigantesco gomo de tangerina. Lembrei, ao olhar para aquilo, do que Bartolomeu contava em … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Barriga para cima (Exilado)

A falta de ar começava sempre do mesmo jeito, logo depois que ele se deitava. Não exatamente logo depois. Havia sempre um período de calmaria, como uma lua-de-mel. Minutos, às … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Samba-enredo (Allan Tejoula)

No quintal do terreiro de Mãe Donana, praticamente todo domingo, o couro comia solto desde manhã. Nem era o mês de maio ainda e o pessoal do Grêmio Recreativo, Esportivo … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Responsabilidade (Mestre de Obras)

Tomás empilhou as últimas sacas de cimento e acendeu um cigarro para tentar aliviar o tremor nos músculos. Chovia fino fora da obra, e ele ficou encostado na janela, absorto, … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Escuro da noite (João Negão)

A mãe já tinha avisado: tenha modos que mais tarde tem visita. Quando chegaram, a janta tava pronta. Panelas quentes e todo mundo ao redor da mesa. Mãe puxou reza. … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Fissuras (Bill Denbrough)

Cresci ouvindo essa ladainha de que meu pai era o Boto que em noites de festa junina se transformava num moço. Balela, papo furado, eu bem sabia. Mesmo assim, perdi … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Na desesperação da glória suma (Alair Monteiro)

Há semanas andava meio apaixonado pela funcionária nova. Lucas, extrovertido como era, logo fez amizade com a moça, mas Gregório não tinha tal habilidade. Toda vez que Maira lhe dirigia … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Diabo na corrente (O Etrusco)

Mal tinha eu descido do ônibus e o padre Josefo já me esticava a mão para cumprimentar. Sorriso nervoso na cara. Suspeitei que não quisesse ter ido me buscar na … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Eleutério e o Garrafão (Zélindo)

Da pequena Jequitinhonha, no cocuruto das Minas Gerais, nasceu um Eleutério – primeira cria entre cinco que haveriam de vir. Como primogênito, esperava-se muito dele: que carregasse o legado de … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

A Moça-bonita e o Guardião (Blogueiro Fantasma)

11 de Março de 2017, às 22:00   Olá, caros leitores. Bem vindos a mais um post do blog “Entidades reais”. A história dessa semana foi mandada por “Niarinha”, a … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Histórias (Chacrinha)

O grupo de feirantes ficou olhando de lado para Jandira quando ela passou. Tinham um jeito reprovador, alguns diziam que ela era uma baita sem-vergonha, mas o pior era o … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Cadu (Gólgota)

– Mas já? Acabei de deitar! – O celular berrava insistentemente enquanto uma mão tateava o criado mudo em busca do silêncio, da paz, um arrastar desajeitado de tela para … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Sob(re) Mitos e Lendas (Rcok Glauber)

Fade in:     Tédio era um tremendo eufemismo para qualquer pessoa que tivesse acesso remoto ao meu cérebro. Não suportava mais as marchinhas, o gosto constante de álcool e … Continuar lendo

10 de março de 2017 · Deixe um comentário

Formigas (João Neto)

Ao entrar no galpão segurava uma trouxa com milho e batatas. Por sorte, conseguira surrupiar alguns pedaços de carne de porco também, enquanto as cozinheiras conversavam sobre a seca assolava … Continuar lendo

8 de março de 2017 · Deixe um comentário

Regulamento Desafio “Folclore Brasileiro”

I – Disposições Gerais 1) A participação no Desafio “Folclore Brasileiro” é totalmente gratuita. O certame é voltado para ESCRITORES que orgulhosamente sejam também LEITORES. 2) Os interessados deverão enviar UM conto INÉDITO abordando … Continuar lendo

19 de fevereiro de 2017 · 4 Comentários