EntreContos

Detox Literário.

KIRAI! (Anorkinda Neide)

  Chovia intensamente quando Toninho acordou banhado em suor. O garoto levantou e foi até o banheiro trocar de roupa e secar o suor na toalha de rosto. Ele sabia … Continuar lendo

1 de maio de 2019 · 16 Comentários

Violeta Sem Flor (Anorkinda Neide)

A planta era híbrida, de um jeito que só dava flor uma vez na vida. Mas, Maria não sabia. Duvido que alguém soubesse além do jardineiro que a criou. E … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · 30 Comentários

Flores (Anorkinda neide)

O buquê manejado em mãos solícitas. O dedo aperta a campainha. Segundos de espera. Terá decorrido um minuto? Aquela demora lhe faz suar frio, as mãos tremem e as pálpebras … Continuar lendo

13 de janeiro de 2017 · 90 Comentários

Por um fio de memória (Anorkinda Neide)

Por um tempo um tanto curto ousei acreditar no futuro. Sabem, aquela fé de que tudo seria melhor, mais bonito, mais fraterno, mais justo, blábláblá. Ainda bem que foi por … Continuar lendo

25 de novembro de 2016 · 40 Comentários

Miudinha (Anorkinda Neide)

– Shh… não faça barulho. – Larga de ser besta, eles não ouvem mais nada, não. – Não sei. Talvez ouçam tudo e mais um pouco. – Você diz, pensamentos? … Continuar lendo

20 de setembro de 2016 · 90 Comentários

El Kakuy – Conto (Anorkinda Neide)

Quando cheguei à cidade de Santiago del Estero, por coincidência ou azar era exatamente o dia principal do Festival. Ronaldo já me falara deste evento cultural do norte da Argentina … Continuar lendo

27 de agosto de 2016 · 8 Comentários

Dia de magia (Anorkinda Neide e Andreza Araujo)

Três delas chegaram primeiro, já procurando pelo melhor espaço onde pudessem juntar as mesinhas para que obtivessem um bom número de lugares à espera de quem chegaria logo depois. Garçons … Continuar lendo

6 de julho de 2016 · 36 Comentários

GP Papagaio na Hípica de Pipas (Sérgio Ferrai e Anorkinda Neide)

Bem vindos de volta, amigos ouvintes, aqui na rádio Requinte, AM 890. Todos agitando as apostas em direção à pista, as pipas já estão no alto e a raia está … Continuar lendo

5 de julho de 2016 · 39 Comentários

Imaginativa – Conto (Anorkinda Neide)

Os personagens começaram a visitá-la na infância, pulavam dos livrinhos. Eles brincavam e se divertiam entre as cobertas, por cima dos sonhos. … – Mãe, não tá ouvindo o telefone … Continuar lendo

18 de abril de 2016 · 10 Comentários

Os frágeis fios da confiança (Anorkinda Neide)

Alina sempre passeava pelos bosques de cristal à tarde, logo depois que o sol atingia o meio do céu. Na verdade, ela precisava buscar um pouco da água límpida da … Continuar lendo

5 de março de 2016 · 14 Comentários

Virada (duas versões) – Conto (Anorkinda Neide)

1 Começamos o ano em devaneios… Cheios. Mal a luminosidade do dia primeiro de janeiro alvoreceu por inteiro e Carmélia já estava à janela. À espera. Guilherme semiabriu um dos … Continuar lendo

10 de fevereiro de 2016 · 10 Comentários

Virada (Anorkinda Neide)

Mal a luminosidade do dia primeiro de janeiro alvoreceu e Carmélia já estava à janela. À espera. Guilherme semiabriu um dos olhos e a primeira coisa que viu foi o … Continuar lendo

14 de janeiro de 2016 · 66 Comentários

Desordenada a mente (Anorkinda Neide)

Engraçado como a emoção não casa-se com o raciocínio de jeito nenhum. Água e azeite. E na tentativa desta união, a consequência é a morte das lembranças. Pode esforçar-se, tente… … Continuar lendo

9 de dezembro de 2015 · 67 Comentários

É melhor roer (Anorkinda Neide)

Murilo andava apaixonado. Estava namorando há meses com Vanessa e pouco sabia dela além de suas manias. Como essa mania de não falar sobre si mesma ou de seu passado. … Continuar lendo

25 de novembro de 2015 · 10 Comentários

Sentidos Afinados – Poesia (Anorkinda Neide)

Ao sentir os primeiros toques do vento, prelúdios de amor… Percebi que a sinfonia começara diferente, notas de mais alto valor… Fechei os olhos, sintomas de febre… Ouvido apurado, a … Continuar lendo

20 de novembro de 2015 · 13 Comentários

Os Quatro Irmãos (Anorkinda Neide)

León era forte e decidido, adorava provocar uma rusguinha qualquer só para provar de suas habilidades viris, de luta e ação. Mas a verdade é que ele tinha poucas chances … Continuar lendo

12 de setembro de 2015 · 18 Comentários

Catatonia (Anorkinda Neide)

Perambulando por estas trilhas, noites e noites sem fim, sem destino, sem saber porquê… A floresta densa, negra, fechada em seus mistérios, não abre-se para mim. Eu sigo andando e … Continuar lendo

30 de agosto de 2015 · 12 Comentários

Não Mais! – Poesia (Anorkinda Neide)

Não mais! Tinhas o poder de manchar a tela dos meus prazeres Tinhas o prazer de profanar a via das minhas purezas Querias ser o castigo de elite a veia … Continuar lendo

18 de agosto de 2015 · 14 Comentários

Os chubs (Anorkinda Neide)

Os chubs são criaturinhas adoráveis, que vivem no mundo das imaginações. Não, espera… Os chubs são as criaturas mais amáveis que já conheci. Na verdade, não sei onde eles vivem. … Continuar lendo

22 de julho de 2015 · 107 Comentários

Realidade Alternativa – Poesia (Anorkinda Neide)

Com a luz acesa do quarto de dormir pude perceber que ela ainda lia era alta madrugada mas a leitura a envolvia Passei pelo corredor e fiz algum ruído queria … Continuar lendo

22 de junho de 2015 · 8 Comentários

Quando A Fobia é A Cura (Anorkinda Neide)

Como a consumir da uva a sua baga e mesmo que a abelha o mel lhe traga um horizonte de paz lhe adviria?   Ziguezagueava pelas ruas tranquilas de sua … Continuar lendo

30 de maio de 2015 · 63 Comentários

Beleza Fantasma (Anorkinda Neide)

A lua incitava ao passeio múltiplos guizos iludiam os tementes em receio A calma dela em rosto alvo, resplandecia noite de agosto A escuridão e o frio eram-lhe companhia mistério, … Continuar lendo

7 de maio de 2015 · 21 Comentários

Um Bocado de Saudade (Anorkinda Neide)

Paredes corrompem os desejos e eu me jogo contra elas perdida entre obediência e a satisfação arbitrária Depende das horas mortas o que extraio delas rendida por uma paixão Correntes … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 24 Comentários

Janelas Abertas (Anorkinda Neide)

Tarde nublada, um vento leve e morno viaja pelo jardim, movimenta as folhas de um arbusto. Pressentindo-o, uma borboleta levanta vôo em busca de paragens mais seguras. A brisa encontra … Continuar lendo

1 de abril de 2015 · 49 Comentários

Nos Umbrais (Anorkinda Neide)

(Dilacerado sem sorte) Atravessamos vários problemas, mas jamais nos separamos, Antonieta e eu… Mesmo atravessando diversos umbrais, a presença dela me fortalece e de seu lado, andar comigo dá um … Continuar lendo

5 de março de 2015 · 6 Comentários

Meu Gênesis (Anorkinda Neide)

Pela mão do anjo, eu vim aninhar-me e formar-me num fluxo criador. Moldar um corpo material, desde suas primeiras células, união feminino/masculino, gametas do amor. Tudo em muito parecido com … Continuar lendo

28 de fevereiro de 2015 · 9 Comentários

Assembleia do inferno (Anorkinda Neide)

Em uma sala exígua, quente, abafada e sem janelas reunia-se, de tempos em tempos, os demônios responsáveis pelos pecados. A pauta, sempre a mesma, é decidir qual deles tem maior … Continuar lendo

5 de fevereiro de 2015 · 63 Comentários

Aula de Fada (Anorkinda Neide)

Ela voejou por todo lado, inquieta… à procura. Logo acima, bastava bater um cadinho mais suas asinhas, e ela o veria. Andreto era tão esperto quanto brincalhão e amava vê-la … Continuar lendo

16 de janeiro de 2015 · 7 Comentários

Inspiração independente (Anorkinda Neide)

Na madrugada, o silêncio quebrado pelo ruído constante do ventilador, atormentava a inspiração que bradava por descer ao mundo dos mortais, mas era impedida pela prática macabra da procrastinação. O … Continuar lendo

19 de dezembro de 2014 · 59 Comentários

No mundo imaginário de Laurinha e Mário (Anorkinda Neide)

– Tô pra te dizer que tudo aqui é um saco! Um saco cheio de chatice, hein, menina! Laurinha encarava o rapaz que sentou-se a seu lado no sofá da … Continuar lendo

21 de novembro de 2014 · 6 Comentários

Josué (Anorkinda Neide)

No minuto 1:35, Fernanda Montenegro ou sua personagem Dora, começa a narrar a carta que está escrevendo…   http://www.youtube.com/watch?v=wYpBt7GIV4U       ‘Josué, Faz muito tempo que eu não mando … Continuar lendo

7 de novembro de 2014 · 31 Comentários

O Dia e o Assassinato (Anorkinda Neide)

Amanheço em sossego, um doce sossego. A brisa traz a meiguice matinal do vento. Dali a pouco o calor ser´s escaldante, mas agora a brisa é doce… Sossego… Conforme a … Continuar lendo

9 de outubro de 2014 · 17 Comentários

E ainda estou confuso (Anorkinda Neide)

Deslizava pelo ar, sentindo as cores das flores, o perfume dos néctares, em dueto com o vento… Pousava, sorvendo, de leve, o líquido, breve movimento… Tornava a voar, talvez feliz? … Continuar lendo

12 de setembro de 2014 · 47 Comentários

Criação Literária (Anorkinda Neide)

Num contexto formado por textos, vivia a criação do Homem. Um castelo criado com sonhos, erigido por letras, que uma a uma levantaram as paredes da ficção. Voavam as inspirações, … Continuar lendo

28 de agosto de 2014 · 12 Comentários

Matéria de Estudo (Anorkinda Neide)

Conhecemo-nos, enfim. Depois de algumas aulas virtuais, confesso que não estava ansiosa para ver que cara tinha, nem que tipo de expressão faria ao me ver.   – Então, minha … Continuar lendo

21 de junho de 2014 · 19 Comentários

Poncho de la Pachamama (Anorkinda Neide)

‘contra mim bate a esperta difusão do tempo, a extensa confusão do olhar, a vibrante galeria da cor: o espaço. durante uma pequena e qualquer loucura, não me componho. se … Continuar lendo

26 de abril de 2014 · 35 Comentários

Apoteose Gaia (Anorkinda Neide)

– Uma grandiosidade! Luzes fortes e coloridas e pontuais, mostraram e encantaram durante todo o tempo. Atuações perfeitas e ousadas. A música, uma só, escolhida a dedo. De uma originalidade … Continuar lendo

6 de março de 2014 · 57 Comentários

Tarô na Web (Anorkinda Neide)

Ela temia esquinas e lugares escuros, principalmente porque fugia dela mesma. E como havia desafios internos a enfrentar! Enfrentar? Eu disse enfrentar? Não, ela preferia fugir. 1. Que a tempestade … Continuar lendo

2 de fevereiro de 2014 · 57 Comentários