EntreContos

Detox Literário.

O Jardim da Infância (Daniel Reis)

As primeiras lembranças que tenho, e que mantenho muito bem guardadas desde os meus cinco anos sob uma grossa camada de medo e saudade, são apenas sensações: o frio do … Continuar lendo

1 de maio de 2019 · 23 Comentários

A Ressurreição dos Mortos (Daniel Reis)

  Chuva fina e insistente – lágrimas sobre lápides escurecidas pela poluição. Entre corredores e jazigos, a mulher rastreava o endereço definitivo daquele seu tio praticamente desconhecido. Nunca se encontraram … Continuar lendo

17 de fevereiro de 2019 · 18 Comentários

Saída Temporária (Daniel Reis)

  Terminal Rodoviário de Taubaté, uma e dez da tarde. Dois homens sem nada a perder, sem nada a fazer. Em paredes de lados opostos no saguão, olhos famintos vagando … Continuar lendo

20 de novembro de 2018 · 20 Comentários

Encomenda (Daniel Reis)

– Distribuidora Central, boa tarde. – Boa tarde. Por gentileza, eu gostaria de falar com um consultor. – Pois não, em que posso ajudar? – O caso é o seguinte: … Continuar lendo

29 de agosto de 2018 · 33 Comentários

A tempestade inesperada (Daniel Reis)

Estava bem ali. No meio da tarde, deitado de costas, braços cruzados, exatamente no círculo central do campinho de várzea. Sozinho. Olhos para cima, vidrados nas nuvens, acompanhando a virada … Continuar lendo

14 de junho de 2018 · 4 Comentários

Irreversível (Daniel Reis)

Foi assim que tudo terminou. Cada um para o seu lado, cigarros acesos na chuva. Não sem antes trocarem um longo beijo desesperançado. Combinaram que aquilo era só outro começo. … Continuar lendo

3 de abril de 2018 · 46 Comentários

Helena e a roda gigante (Daniel Reis)

Ruídos, luzes e pessoas podem ser bem assustadores – principalmente quando tudo o que você tem são quatro anos de idade. Helena mantinha-se firmemente ancorada, da forma como era possível, … Continuar lendo

10 de dezembro de 2017 · 45 Comentários

Transtornos Obsessivos (Daniel Reis)

Era sempre uma agonia: parada, embaixo do chuveiro, ela não encontrava forças nem para se desviar do jato de água quente que tatuava as suas costas, com manchas ainda mais … Continuar lendo

13 de outubro de 2017 · 44 Comentários

A Caixa (Daniel Reis)

I. Em cima da mesa, o telefone tocava com aquela insistência que celulares costumam ter quando você acaba de entrar no banho e está sozinho em casa. No display, “NUMERO … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · 25 Comentários

Omníricon ou O Livro das Revelações (Daniel Reis)

Sentado no sofá de espera do consultório, Harry Mantovan folheava lentamente uma revista fútil sobre os ricos e famosos. Espalhados à sua frente, na mesinha de centro, outros exemplares mais … Continuar lendo

20 de maio de 2017 · 56 Comentários

Samba-enredo (Daniel Reis)

No quintal do terreiro de Mãe Donana, praticamente todo domingo, o couro comia solto desde manhã. Nem era o mês de maio ainda e o pessoal do Grêmio Recreativo, Esportivo … Continuar lendo

10 de março de 2017 · 41 Comentários

Homens-árvore (Daniel Reis)

Véspera de Natal. Pelo vidro da loja, vislumbro o rosto do amigo que não quis mais ser meu, um dia. Afastamo-nos há tantos anos, ambos sem razão, sempre em lados … Continuar lendo

13 de janeiro de 2017 · 91 Comentários

CTRL-X (Daniel Reis)

CTRL-X (Narcopunk) Nanocomprimidos nucleares revestidos (50 mg). A embalagem pode incluir entre 28 e 31 unidades, de acordo com o mês de referência para distribuição do lote.   COMPOSIÇÃO Cada … Continuar lendo

26 de novembro de 2016 · 86 Comentários

Daniel Reis

Daniel Reis nasceu em Curitiba, Paraná, em 1973, mas só foi ver neve aos três anos de idade – e, mesmo assim, apenas pela janela, porque estava muito resfriado naquele … Continuar lendo

17 de outubro de 2016 · 3 Comentários

Mea Culpa (Daniel Reis)

Confiteor Deo omnipotenti, omnibus Sanctis, et tibi, pater: quia peccavi nimis cogitatione, verbo, et opere: mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa…   — Abençoa-me, padre, porque pequei. — In … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 88 Comentários

N.D.A. (Daniel Reis e Danilo Pereira)

“Ela tem os lábios da Naima, o queixo da Darah e os olhos da Aysha”. Foi o que eu pensei, mesmo sabendo que Naima havia desaparecido; Darah estava bem longe … Continuar lendo

13 de julho de 2016 · 35 Comentários

Um Sopro de Vida (Thiago de Melo e Daniel Reis)

A pequena sala de espera estava lotada, pessoas em silêncio se enclausuravam em seus próprios pensamentos. Pequenos grupos de duas ou três pessoas falavam baixo. Assuntos triviais. Falar ajudava a … Continuar lendo

8 de julho de 2016 · 34 Comentários

A Teoria das Cordas (Daniel Reis)

1. Luísa levantou-se muito cedo. Não era seu hábito, mas naquela manhã dispensou a empregada e fez questão de verificar, sozinha, se tudo estava em perfeita ordem para quando ele … Continuar lendo

14 de maio de 2016 · 67 Comentários

Fantasia Impromptu nº 18 (Daniel Reis)

O Rei despertou assustado, no meio da madrugada. Após várias noites em claro, havia conseguido entregar-se por algumas horas a um sono profundo e agitado, de sonhos intranquilos provocados pela … Continuar lendo

5 de março de 2016 · 10 Comentários

Idade da Pedra (Daniel Reis)

Dez anos de idade. Morava na rua. Os outros não sabiam onde. Nem tinha tanta importância. Aproximou-se, envergonhado — posso jogar? Depois, sempre o último escolhido no par ou ímpar. … Continuar lendo

14 de janeiro de 2016 · 63 Comentários

Maltraçadas (Daniel Reis)

Não tenho vergonha de dizer que vivo só, e que estou vivo justamente por isso. Creio, por serem meus hábitos tão peculiares e diferentes da expectativa das gentes, que nem … Continuar lendo

9 de dezembro de 2015 · 48 Comentários