EntreContos

Detox Literário.

Microcontos 2021 – Nelson Rodrix

Manchetes Populares

BOA PRAÇA

Mendigo gente boa, querido pela vizinhança, é encontrado morto enrolado em jornais no banco da praça. Polícia investiga possível colapso financeiro. Mas não se tem mais notícias.

(Leia mais em A1)

DIREITA, VOU VER

Pelotão inteiro se recusar a usar máscara no bloco Foliões de Independência durante o desfile. Tudo acaba no quartel (1a.DP) em carnaval, sacanagem e contaminação.

(Apuramos a história completa em A2)

MISTÉRIO DA BICICLETA

Pedreiro distraído ou academia ao ar livre? Povão quer saber quem “obrou” na reforma da parede – ou se foi só um roda-presa que se esqueceu de tirar a magrela do buraco antes jogar cimento no assunto.

(Entenda o caso concreto em B2)

HOMO-SAX-SSUAL

Músico de rua é preso em flagrante com o instrumento pra fora, em atentado violento ao pudor. “Era só meu blow-job noturno” alegou, num sopro de voz.

(Mais notas sobre o assunto em B4)

E A MOLEZA, VAI ACABAR?

Na fila de posto de saúde, idosos se estapeiam pela prioridade na retirada gratuita do “kit comprimido azul” – tem gente que acha que não vai dar pra todo mundo.

(Cobertura no duro em C1)

NEM VIU DIREITO

Falso cego que abusava das passageiras em ônibus lotados leva surra de vara do travesti marombeiro.

(Veja o que aconteceu em C3)

CHEGA DE CHIFRE

Touro, Capricórnio, Carneiro & outros bichos – previsão e conselhos no horóscopo de hoje para quem não quer mais tomar na testa.

(Fique informado em D3)

A BRUXA TÁ SOLTA

Atacante do São Paulo culpa mandinga de ex-namorada pelas bolas fora. “A gente dá o melhor de si, mas treino é treino e jogo é jogo” – disse ele, na falta de ideia melhor e de desculpas pelas noitadas.

(Leia tudo em D4)

AÇÃO ENTRE AMIGOS

Cidadão vendeu até rifa de mãe e não entregou. Diversas tentativas de cobrança e seis meses depois, um dos ex-colegas ganhadores desabafa: “é um grande filho da puta”.

(Reportagem exclusiva em E1)

SÓ TÁ FECHADO O QUE NÃO ABRE

Lockdown e medidas restritivas obrigam as “primas” a atenderem os clientes em cabines individualizadas. “Apesar de tudo, o movimento não pára”.

(Entenda os casos em E4)

39 comentários em “Microcontos 2021 – Nelson Rodrix

  1. anamartorelli
    10 de abril de 2021

    Olá, Nelson Rodrix,

    Bela ideia, gostei do estilo e da tentativa de criar manchetes de jornal. Eu não sei se funcionaram tanto assim como micros, tira um pouco a individualidade dos textos maaas, de toda forma não tiro o mérito das construções; Bom uso dos estímulos grande dose de sarcasmo e humor. Alguns errinhos de digitação, peca na revisão e precisa de um pouco de esforço para passar por cima dos erros, mas no geral foi uma bela participação, parabéns pela criatividade.

    Meu favorito: E1 por brincar um pouco com nosso momento e com a hipocrisia dos quarenteners que seguem aproveitando festinhas privativas.

    Boa sorte no desafio!

  2. Ana Carolina Machado
    10 de abril de 2021

    Oiiii. Achei muito criativo a forma como os microcontos foram organizados, de forma que parecem manchetes de jornais. Todos os microcontos tem uma boa dose de bom humor e usam trocadilhos que deixaram as construções das frases divertidas. Eles me lembraram um pouco as crônicas que tinham naqueles livros “Para gostar de ler” , pois assim como as crônicas eles fazem humor com fatos do cotidiano, apesar dos microcontos terem um humor um pouco mais pesado digamos assim.rsrs
    Parabéns pelos textos e boa sorte no desafio.

  3. Ana Maria Monteiro
    10 de abril de 2021

    Olá, Nelson Rodrix.

    Achei o seu conjunto de micros muito original, a ideia de fazer manchete de jornal com casa estímulo foi ousada. Infelizmente, na maioria dos casos não funcionou no sentido e criar um conto, mas apenas isso mesmo que era: manchetes de jornal. Agora, vamos lá a ver, manchetes com muito humor, sagacidade, crítica social, criatividade. Eu provavelmente compraria esse jornal, pelo menos o destacaria entre a panóplia dos vários que se encontram à disposição, todos eles sensaborões e que nada acrescentam. Mas, à semelhança, de um outro caso que vi por aqui, esta coletânea caberia melhor no desafio experimental. Ainda assim, dou-lhe os parabéns pela ousadia e por marcar a sua opção com um toque tão individualizado, teve grande mérito nesse aspeto – além dos outros que já manifestei anteriormente. B2, C3 e D4, foram os que consegui classificar como melhores, mas foi difícil fazer a escolha pois são todos muito bons, pena não serem contos.

    Parabéns e boa sorte no desafio.

  4. Regina Ruth Rincon Caires
    10 de abril de 2021

    Microcontos 2021 – Nelson Rodrix

    BOA PRAÇA

    Muito boa a construção do texto brincando com os sentidos da palavra “praça”. Muito bom.

    DIREITA, VOU VER

    Com o uso da palavra “pelotão”, o autor também brinca com a palavra “volver” (vou ver). Criativo.

    MISTÉRIO DA BICICLETA

    Olhe outra brincadeira com as palavras! Há certa jocosidade com o termo “obrou” (sabemos do significado duplo).

    HOMO-SAX-SSUAL

    Músico danadinho! Para certas coisas, o melhor é seguir a “tradição dos gatos”.

    E A MOLEZA, VAI ACABAR?

    A fila para conseguir o danado do “azulzinho” parece pior que a da vacina! É, acho que “não vai dar” pra todo mundo! Kkkkkkk

    NEM VIU DIREITO

    Puxa, que maldade com o falso cego…

    CHEGA DE CHIFRE

    Acho que isso é inevitável. O bom é que só dói para nascer… Depois, tem lugar fixo.

    A BRUXA TÁ SOLTA

    Fábio, seria tu, menino?!

    AÇÃO ENTRE AMIGOS

    Cara caborteiro! Sei lá, esse “linguajar” não me é estranho.

    SÓ TÁ FECHADO O QUE NÃO ABRE

    Isso. O movimento não pode parar… kkkkkkkkk

    Olhe, é impressionante o capricho que o autor teve até mesmo em confeccionar a figura. Gosto muito disso, queria ter esse talento. Sei lá, o linguajar dos micros traz a carinha marota do Fábio. Será?!

    Textos imensamente criativos.

    Parabéns, Nelson Rodrix! NR deve estar de bruços no caixão! Misericórdia!

    Boa sorte no desafio!

    Abraços…

  5. Amana
    10 de abril de 2021

    Olá, Nelson, o seu post ficou muito bom, a imagem, os micros seguindo a estrutura de manchetes de jornal, o humor, enfim, muito criativo! No entanto, alguns micros ficaram a meu ver parecendo realmente uma manchete, logo não me cativaram como narrativas. Gostei muito de B4, D4 e E1.

  6. Fil Felix
    9 de abril de 2021

    Olá, Nelson!

    Gostei muito da sua participação! Assim como curto muito o Nelson Rodrigues e você acertou em trazer as manchetes sensacionalistas, assim como a imagem (lembrei logo do Beijo no Asfalto) e por não pisar no freio. Você apostou na estrutura de jornal, assumiu os riscos de trazer micros conectados que funcionam como uma coisa só (a gente não sabe onde começa um e termina o outro) e em trazer cenas absurdas e engraçadas, indo com isso até o final. É um risco que se corre, já que tira a questão da individualidade de cada micro. Mas foi uma boa sacada, bastante divertida e com algumas pérolas.

    O músico com o instrumento à vista foi hilário, assim como a briga entre os idosos, tem muita mensagem de duplo sentido e sexual, deixando tudo meio que escrachado, mas sem ser de baixo nível. “Sacanagem e contaminação”, morri! Também foi um dos poucos no desafio que trouxe a imagem da bicicleta na parede de maneira literal, mas mesmo assim interessante e não só algo “onírico no ar”. Tudo muito bom, como conjunto ou peça única, um dos melhores do desafio. Outro ponto a se destacar é o próprio humor. No desafio senti dificuldade em gostar de alguns micros engraçados porque parecia que caia na piada pronta ou na pegadinha, mas aqui já achei a construção mais bem elaborada.

  7. jeff A Silva
    9 de abril de 2021

    Olá caro autor ou autora

    Devo dar os parabéns pelo construtor dessa obra. Transformar a seleção de contos em matérias jornalistas sensacionalistas foi uma sacada genial. É bom ter esse nível de experimentalismo nesse estilo de desafio, é original e único entre todos nós. Parabéns. Já na questão do conteúdo das notícias, digo com certeza que nenhuma me chamou muito a atenção, com a exceção (que a propósito também foi a única piada de todos os contos que li nesse certame que me tirou risos) da HOMO – SAX – SSUAL (o nome é infame porém cabe com certa folga). Parabéns novamente pela originalidade e pela criatividade envolvida aqui

    Parabéns pelo trabalho e sorte no certame.

  8. Anorkinda Neide
    9 de abril de 2021

    Olá, nelson
    Não vou conseguir comentar um a um porque to rindo bagarai aqui!! kkkkk
    Que criatividade! Benzadeus!!
    Parabéns…
    Foi num crescente de gosto e de admiração que fui lendo cada micro, a animação foi decrescendo a partir dos contos Ds que nao me conectaram muito e os Es, tb não… embora o útlimo seja bom, mas não mais naquela engraçadisse dos As, Bs e Cs…
    Porém isto não desmerece vc da lista dos favoritos.. muto bom mesmo, obrigada pelas risadas!

  9. Klotz
    9 de abril de 2021

    Imagino que o pseudônimo seja a soma de Nelson Rodrigues com Matrix. Tenho uma profunda admiração por NR. Li sua biografia e vários livros (peãs) escritas por ele. Começou com altas expectativas.
    A1 – surpreendente jogo com o duplo sentido das palavras. A2 – “Vou ver” – claramente o autor tem prazer em buscar alternativa para os sentidos. “Pelotão inteiro se recusar” soou estranho. B2 ótimas associações, não falta humor, entretanto sem a imagem o conto fica prejudicado. B4 O autor indiscutivelmente tem ótimo humor e admirável criatividade. Preocupado em atender ao próprio desafio de criar manchetes desfocou nos contos. Este também não funcionou desassociado da imagem.C1 –Para mim é manchete de jornal, não conto. Entretanto, percebo um conflito, uma história, uma piada. Na dúvida, pro réu. C3 – Bom. D3 – vai ser criativo lá na “Última Hora! D4 – Nelson Rodrigues também foi ótimo comentarista de futebol. Fechamento previsível. E1 – partiu e fechou com ideia clichê. E4 – ótimo de novo como manchete de jornal.
    Eu tranquilamente compraria (e recomendaria) o seu jornal ou um livro com suas manchetes. Entretanto como microcontista pisou na bola. Em tempos, admirei a imagem do jornal com as manchetes. Quando eu crescer quero aprender a fazer essas imagens.

  10. Luciana Merley
    9 de abril de 2021

    Olá, caro autor.

    Para minha avaliação, utilizarei dois critérios principais: se o microtexto é uma HISTÓRIA e o IMPACTO que ela provocou.

    Excelentes textos, de muita engenhosidade. Fazer humor bem feito na literatura é coisa das mais difíceis. Coisa de Nelson’s. Alguns não me pareceram contos, já aviso.

    BOA PRAÇA
    Olha o meu mendigo aí, oh! Excelente visão trágico-cômica.

    DIREITA, VOU VER
    Crítica política e social sem excessos e com ótimo humor.

    MISTÉRIO DA BICICLETA
    Esse é ótimo, mas é uma crônica. Entendo que o formato “jornalesco” te levou a isso, mas é uma crônica.

    HOMO-SAX-SSUAL
    Maravilhoso. Uma bela maneira de explicitar como os jornalistas tem o poder de distorcer as notícias.

    E A MOLEZA, VAI ACABAR?
    kkkkkkkkk, mais um pouquinho de kkkkkkkkkkkkkkkk.

    NEM VIU DIREITO
    Ai que horror! E que ótimo conto.

    CHEGA DE CHIFRE
    Esse é um anúncio. A não ser que você tenha escrito um conjunto de textos, mas desejando a interpretação como se numa página só do jornal, não é um conto. Mas é um excelente anúncio.

    A BRUXA TÁ SOLTA
    Outra notícia que não deve ter agradado muito os São Paulinos.

    AÇÃO ENTRE AMIGOS
    Nelson ficaria orgulhoso.

    SÓ TÁ FECHADO O QUE NÃO ABRE
    Que tristeza, a dessa vida e dessa situação. E que ótimo micro.

    Parabéns pela criatividade e pelo humor afiado.

  11. Fernanda Caleffi Barbetta
    9 de abril de 2021

    Achei a sua ideia de fazer os micros como se fossem manchetes de jornal bastante inteligente, pois não podemos negar que realmente sejam micronarrativas, com enredo, personagem, ambiente. Outra coisa que gostei foi o humor empregado em todas elas. O que me incomodou é que em muitos microcrocontos, as referências praticamente se perderam, não houve uma relação com os estímulos….ao menos foi a minha impressão.
    Apesar de conter muita informação e, em alguns casos, ser a cereja do bolo, os parênteses no final saíram um pouco do formato de microconto e só fazem sentido para quem entende que os números e letras referem-se aos estímulos.

    BOA PRAÇA
    Kkkk humor inteligente, sutil. Muito bom.

    DIREITA, VOU VER
    Este é bom, engraçado, mas não traz o mesmo humor perspicaz.

    MISTÉRIO DA BICICLETA
    Aqui ficou um pouco confuso… não peguei a ideia em “academia ao ar livre”. Desculpe.
    Gostei do final. O melhor ficou nos parênteses… caso concreto foi boa)

    HOMO-SAX-SSUAL
    Esta também foi muito engraçada. O final, “sopro de voz” foi uma excelente sacada.

    E A MOLEZA, VAI ACABAR?
    Aqui ficou mais escrachado. Muito bom. “Cobertura no duro” kkkk

    VIU DIREITO
    Esse já não achei muito bom. Os parênteses também deixaram a desejar.

    CHEGA DE CHIFRE
    Não sei qual a relação com a ilustração.

    A BRUXA TÁ SOLTA
    Sacanegem esse aqui kkkk. A referência está apenas no título. Não vi nenhuma relação do micro com a ilustração.

    AÇÃO ENTRE AMIGOS
    Esta precisei ler de novo para pegar a piada, mas funcionou quando entendi qual era a rifa da mãe.

    SÓ TÁ FECHADO O QUE NÃO ABRE
    Kkkk muito bom este também. A única coisa é que em um microconto, tudo conta muito. Usar aspas em primas e na fala ficou estranho. Eu usaria itálico em primas para diferenciar. Pode parecer bobeira, mas o micro tem tão poucas palavras que qualquer elemento salta aos olhos.

  12. Felipe Lomar
    8 de abril de 2021

    olá,
    Gostei bastante da proposta das manchetes. Acho que isso trouxe uma identidade à coleção, e acima de tudo uma boa coerência. O humor é apresentado de uma forma muito inteligente e descontraida, lebrando as famosas manchetes do jornal meia hora.
    Boa Sorte

  13. davenirviganon
    8 de abril de 2021

    [Nelson Rodrix]
    Neste desafio o que eu menos queria que acontecesse era que o microconto fosse desvalorizado como uma peça única de arte. Aceito o rótulo de chato por pensar assim, mas acho que devia ser o desafio da concisão e ao concatenar todos os contos, acabou tornando tudo uma única peça. Aquele “Notícias Populares” na primeira linha é o título do quê?
    Acabou ficando outra coisa e isso me deixou bastante frustrado com a expectativa que eu tinha do desafio, falo desafio porque não foi apenas você.
    Contudo, adorei o seu estilo e o resultado aqui me divertiu bastante. Os micros como manchetes de jornal. As tiradas são sensacionais, ainda que restasse a sensação de que foram mais limitadas do que inspiradas nas inspirações do desafio. Resta um sentimento dúbio de adorar o que li, mas achar que fugiu completamente da proposta. Ainda não sei o que fazer com você, sinceramente.

  14. Fernando Dias Cyrino
    8 de abril de 2021

    Olá, Nelson Rodrix. Ponto para o seu apelido juntando o grande Nelson Rodrigues, jornalista das notícias do povo, com o Zé Rodrix. Cá estou eu a visitar os seu contos. A criatividade iniciada na escolha do nick name se mantém nos microcontos. Bacana. No entanto, amigo, depois de um certo ponto, achei que ficava faltando algo. A entrega que começou muito bem foi ficando um tanto quanto frouxa. Senti falta também de uma derradeira revisão ortográfica nos seus contos. Fica com o meu abraço.

  15. Catarina Cunha
    8 de abril de 2021

    Micro: Certeiro no estilo manchete de jornal sensacionalista. Nelson Rodrigues está morto, sua obra imortal; mas agora morrendo de inveja de você.

    Conto: Todos concatenados, ousados e divertidos. Cabe uma revisão ortográfica.

    Destaque: É preciso muita imaginação para visualizar a cena que você criou através de uma foto tão singela.

    HOMO-SAX-SSUAL
    Músico de rua é preso em flagrante com o instrumento pra fora, em atentado violento ao pudor. “Era só meu blow-job noturno” alegou, num sopro de voz.
    (Mais notas sobre o assunto em B4)

  16. danielreis1973
    7 de abril de 2021

    Prezado(a) Nelson Rodrix
    Gostei bastante da ideia de utilizar o formato de manchetes de jornal como gatilhos para os textos. Segue adequadamente os estímulos propostos para este desafio, e surpreende em E1. Porém, precisa de uma revisão de digitação, pois faltam algumas palavras. Sucesso no desafio!

  17. Fabio D'Oliveira
    7 de abril de 2021

    Opa, Nelson Rodrix!

    Cara, que criatividade maravilhosa. Além de escrever muito bem e ser cuidadoso o suficiente para cuidar da estética do texto, pensou num formato macro que não impacta em nada o micro, evitando assim que o leitor fique caçando pelo em ovo (explico: evita que os participantes fiquem lendo cada textinho, minuciosamente, pra ver se é impactante/bom por conta própria, o que me parece ser perca de tempo, já que dificilmente a pessoa vai se desvincular da visão que criou do todo e vai inevitavelmente ficar comparando o micro com o macro). Essa coletânea de notícias, descritas duma forma sensacionalista, me lembrou do Rio de Janeiro. Eu costumava comprar um jornal, o Meia-Hora, que tem chamadas parecidas com as suas, se não piores (num sentido bom, claro). Era hilário. Pesquisa no Google, se não conhece, tem manchetes que são verdadeiras pérolas do humor escrachado.

    Acho que aí reside a maior frustração pra mim. Essa criatividade poderosa, esse potencial, parece ter sido deixada de lado quando começou a criar os textos que compõem essa coletânea. O humor é bom, dá pra rir, mas a piada por detrás dos micros é genérica demais. Poderia muito bem ser um episódio da Zorra Total, com aquelas cenas rápidas, sem muita imaginação, apenas para fazer aquele humor descompromissado. Não sei se houve um desgaste, ou foi algo intencional, mas eu, como leitor, fiquei decepcionado. Todo o cuidado pra criar algo tão genérico… Parece desperdício, sabe?

    Mas isso é minha visão como leitor, claro. A leitura começou divertida e acabou meio “meh”.

    Meu micro favorito é Boa Praça. Inteligente, fazendo uma jogada interessante quando fala sobre o colapso financeiro nos jornais que enrolam o corpo, dando a entender que a vítima, o mendigo, chegou naquele estado depois dum colapso financeiro na vida pessoal. Gostei bastante desse. E foi um dos fatores que aumentou minhas expectativas. Depois o humor começou a ficar mais escrachado e genérico.

    Parabéns pelo ótimo trabalho, Nelson. Apesar da minha decepção pessoal, é inegável que seu trabalho é de uma qualidade ímpar.

  18. Elisabeth Lorena Alves
    7 de abril de 2021

    Olá, Nelson Rodrix.

    Tenho algo a declarar: se é Nelson Rodrigues não sei, mas com certeza é Notícias Populares – aqui em Manaus é Extra o nome do jornal que a gente torce e sai sangue. Pois bem. Vamos às suas pedras. Suas Manchetes Populares tem lá sua graça, por um tempo, o que é ruim. Talvez por ser repetida a informação final. O detalhe é que mesmo sendo chato, é uma sacada interessante.

    Conto por conto.[A1] traz a um jogo de sentido com a palavra praça e funciona bem. [A2] Era óbvio que essa desordem armada ia dar errado. E deu, mas o conto não. Ele funciona bem. [B2] também funciona bem e o uso da imagem foi bem feito.

    HOMO-SAX-SSUAL, texto bem sacado, tema bem abordado, conto bem definido, subtema de manchete bem marcado. Assim como o [C1], nome bem aproveitado e o duplo sentido foi bem construído. [C3] também traz a violência e o despudor sendo vingado. Avisa ao travesti marombeiro que, mesmo não gostando da justiça do povo, gostei dele. [D3] também usa da brincadeira semântica para confundir os tolos, ops, leitores.

    [D4] e [E4] são até legais, mas não me convenceram. [E1] vem mostrar que amizade e negócios não dão certo. Avisa ao comprador que conheço umas vítimas de mães tóxicas que doam as delas.

    Boa sorte no Desafio.

  19. Elisa Ribeiro
    5 de abril de 2021

    Eu me diverti muito lendo sua coleção. E olhe que sou enjoadissima com humor, mas a ironia ácida e a agilidade do seu texto me pegaram. Só não curti muito A 1. Meu preferido, acho, foi B2. O único senão da sua coleção é que seus textos para mim não soaram micronarrativas, mas piadas, no melhor estilo carioca, a la Casseta. Mas eu nem sei se vou considerar isso na hora de escolher meus melhores. Gostei muito. Um abraço e sorte.

  20. Luis Fernando Amancio
    5 de abril de 2021

    Oi, Nelson Rodrix. Obrigado por compartilhar conosco uma apropriação tão peculiar dos estímulos do desafio. Fico muito feliz em ler textos criativos e que indicam um escritor corajoso e com mais vocação para criar obras autorais do que jogar no “modelo microconto vencedor de concursos”.
    Gostei muito no geral, mas seguem alguns destaques: o A1 possui uma boa crítica social, mas a forma de redação ficou confusa. A BRUXA TÁ SOLTA também me pareceu um amontoado de expressões que conversaram pouco entre si – e olha que eu acompanho bastante as bolas fora do São Paulo.
    Por outro lado, os dois últimos são excelentes. Bons jogos de palavras, redação bem pitoresca dos jornais populares. Os que eu não destaquei estão também em bom nível e foram bem avaliados por mim.
    Parabéns e boa sorte no desafio!

  21. cgls9
    3 de abril de 2021

    Como diria dona Regina: felomenal! Que sacada inteligente a sua. Mas não é só isso, seus contos tem trocadilhos maravilhosos, são divertidos, dá gosto de ler. Fiel às motivações, vc criou algo muito bom! Parabéns!

  22. j2bohn
    2 de abril de 2021

    MICROCONTOS 2021 – NELSON RODRIX

    Essa coleção se destaca pelo modelo usado de manchetes de um jornal para os microcontos, e pelos títulos inteligentemente escolhidos que contribuem para o efeito humorístico em cada caso.

    Por outro lado, essa sacada também tem seus pontos fracos – que o modelo se repete e não tem muita variedade entre os microcontos. Assim, para este leitor inexperiente, a experiência de leitura se degrada com o tempo devido a uma certa monotonia.

    Também a narrativa em si não sempre faz muito sentido, se olharmos pela forma de apresentação.

    O meu favorito é E4. Não dá pra deixar de rir quando se lê essa manchete.

    Ainda assim, uma coleção muito boa, com alguns grandes trocadilhos, e até mesmo apresentando uma imagem do jornal com as manchetes (mesmo que eu não considere isso no meu julgamento dos próprios microcontos). Candidato para os top-10, mas não a minha coleção favorita.

    Parabéns pelas muitas risadas geradas por este trabalho e boa sorte no desafio!

  23. Evelyn Postali
    1 de abril de 2021

    Caro(a) autor(a),
    Eu ri e gostei de como estruturou a apresentação de seus microcontos. Vou destacar B4. C1 e E4; Têm humor, sarcasmo, bem assentados na realidade.
    Boa sorte no desafio.

  24. Marlo Romulo Werka
    1 de abril de 2021

    Esplêndido, bravíssimo!
    Sagacidade e bom humor. Que textos…
    É verdade que o nível varia um pouco, de micro para micro, mas o conceito final é altíssimo. B4 e E4 são perfeitos.
    Parabéns.

  25. Fheluany Nogueira
    1 de abril de 2021

    “Está no jornal, é verdade” é um dito popular. Bem, aqui serviu para fazer humor. Ideia criativa e divertida a de usar esse recurso. E ainda com um pseudônimo da pesada e sugestivo. Pena que ficou meio difícil avaliar cada unidade separadamente.

    O preferido? “Músico de rua é preso em flagrante com o instrumento pra fora, em atentado violento ao pudor. “Era só meu blow-job noturno” alegou, num sopro de voz.”

    Amo um jogo de palavras, a ambiguidade consequente. Dando boas risadas aqui.
    Parabéns e boa sorte! Abraço.

  26. Bruno Raposa
    31 de março de 2021

    [A1] Inteligente, humor afiado. O trocadilho na última frase foi muito esperto.

    [A2] A sacanagem do (DP) foi muito bem bolada.

    [B2] Mais bons trocadilhos, inclusive com o “caso concreto”.

    [B4] Trocadilhos bilíngues agora, rs.

    [C1] Não vai dar pra todo mundo, no duro. Esse jornal aí tá mais pra editorial de sacanagem, rs.

    [C3] É, aqui perdeu a sutileza.

    [D3] Legal, mas não tão inteligente quanto os anteriores.

    [D4] Esse é muito bom. Excelente uso da imagem de estímulo.

    [E1] Mais um bom uso do estimulo.

    [E4] O título e a última frase são ótimos trocadilhos. Fechou em alta no tom de sacanagem, rs.

    Então, Nelson Rodrix, me diverti muito com a leitura do seu texto. Tem um humor inteligente, afiado e muito criativo. Foi das melhores leituras nesse desafio.

    Porém, implico um pouco com o formato. Não dá a sensação de estar lendo uma série de microcontos e sim um texto só. Uma crônica divertida. Se visse esse texto fora do desafio, jamais pensaria em classificá-lo como microcontos.

    Isso não tira o mérito do texto. Ele é excelente. Mas realmente não consigo dissociar suas partes. Isoladamente elas nem fazem muito sentido.

    Na minha avaliação, isso pesa contra. Mas reitero que a leitura foi muito divertida, cumpriu perfeitamente seu papel.

    Boa sorte no certame.

    Abraço.

  27. antoniosbatista
    30 de março de 2021

    A 1- Parece que o mendigo era um magnata que faliu.
    A 2- Fizeram suruba na DP.
    B 2- Se eu fosse escrever, faria um conto de teletransporte que deu errado.
    B 4- Músico exibicionista. Com certeza foi preso.
    C 1- Os idosos querem bater o ponto.
    C 3- A mulher tinha uma vara escondida.
    D 3- Maus presságios. Numa segunda olhada, percebi que os balões eram planetas.
    D 4- Esse combinou bem direitinho.
    E 1- O movimento de vai e vem.

    Uma boa ideia criar a estrutura geral numa espécie de conjunto de reportagens. Poucos autores tiveram a ideia de apresentar algo novo, diferente. Com certeza a originalidade contribui para que à obra tenha mais valor, propicia uma boa nota.

  28. Kelly Hatanaka
    29 de março de 2021

    Olá Nelson Rodrix!

    Amei sua ideia de formatar seu texto como manchetes de uma jornal sensacionalista. Genial e divertido! Seus contos funcionam separadamente também, o que não é nada fácil de conseguir.

    Meu favorito é o HOMO-SAX-SSUAL , engraçado e expressivo.

    Um dos meus autores preferidos até agora.

    Parabéns e boa sorte!

  29. Sandra Daher
    29 de março de 2021

    Que beleza, Nelson Rodrix, um estilo humorístico tão bem definido! Certamente, um dom especial e um talento que daí desenvolveu, e que muito aprecio. Ri demais com os idosos na fila do kit…Parabéns , boa sorte e vá em frente! Veja lá os errinhos da revisão e mesmo o “obrigado” no francês…um abraço, valeu!

    • Nelson Rodrix
      29 de março de 2021

      Obrigado pela observação. Mandei o tradutor aqui da redação passar no RH pra acertar as contas também.

      • Nelson Rodrix
        31 de março de 2021

        Nem os jornais fazem sentido, atualmente. Obrigado.

  30. thiagocastrosouza
    28 de março de 2021

    Falar da sagacidade em construir os micros como manchetes é chover no molhado. Ficou muito bom! A ideia é boa e citar os estímulos como cadernos também suaviza o visual da postagem como um todo. Apesar disso, o fato de você fazer trocadilhos em algumas referências e não em outras, parece que faltou um pouco de gás, além de denunciar a pressa na escrita, perceptível também nos errinhos de revisão. A imprensa muitas vezes é assim, não?

    De qualquer maneira, o tom escatológico estilo notícias populares se sobressai e o despojamento descarado dão homogeneidade para os micros. Não são todos que me agradam, mas valeu o esforço!

    Destaque

    “Músico de rua é preso em flagrante com o instrumento pra fora, em atentado violento ao pudor. “Era só meu blow-job noturno” alegou, num sopro de voz.”

    Tenho problemas com a chamada, mas a brincadeira com as palavras e o duplo sentido intencionalmente exagerado dão a tônica dos contos.

    Parabéns e boa sorte nos desafio

    • Nelson Rodrix
      28 de março de 2021

      Obrigado! Pra vender jornais é preciso ferir suscetibilidades.

  31. mariasantino1
    28 de março de 2021

    Olha a ousadia deste ser?

    Então, autor! Gostei da inovação. Ninguém no certame havia pensado nisso, vc foi lá e fez (parece frase de auto-ajuda, né? ).Gostei da ideia de ter textos expostos como títulos de manchete, e todos eles são bem instigante sendo cada chamada um convite humorado para a imaginação completar o que não está explícito. Vc também fez o jornal? Sensacional!
    As putarias implícitas foram as melhores, para mim 😛 “HOMO-SAX-SSUAL”, “E A MOLEZA, VAI ACABAR?”e “SÓ TÁ FECHADO O QUE NÃO ABRE.” Rendeu boas risadas aqui e certamente se fosse um Stand Up seria bem recebido.

    Mas… por mais que seja uma boa ideia, depois de um tempo satura um pouco ler chamada após chamada com mesmo tom jornalístico embora o alívio cômico seja bem-vindo.

    Parabéns pelo trabalho!

    Desejo sorte no desafio.

    • Nelson Rodrix
      28 de março de 2021

      Putaria é a nossa linha editorial. Obrigado pela preferência!

  32. angst447
    28 de março de 2021

    Nelson Rodrix, adorei tudo. O pseudônimo mistura Nelson Rodrigues com Zé Rodrix. O mais marcante foi a criatividade em fazer os microcontos como se fossem pequenas manchetes de jornal. Arrasou.
    Mas,poxa, amiguinho[a], tanto talento sobrando e você resvala na revisão? Foi a pressa, né?
    – A2 – Pelotão inteiro se recusar a usar máscara > RECUSA
    – B2 – antes jogar cimento > antes DE jogar cimento
    – E4 – atenderem os cliente > atenderem os clienteS
    – E4 – o movimento não pára > o movimento não PARA.
    Mas gostei da suas ideias. Os textos são tão bons que nem tenho um favorito. Não sou capaz de opinar. Boa sorte.

    • Nelson Rodrix
      28 de março de 2021

      Sim, vc tem razão. Mandei demitir o revisor. Abs

  33. Nilo Paraná
    27 de março de 2021

    Nelson, muito espirituosa a formatação de seus micros. micros sucintos, com humor mordaz, bastante claro, se fosse um quadro diria que é um Gauguin, cores fortes e definidas. gostei bastante. parabéns. Boa sorte.

    • Nelson R
      28 de março de 2021

      Merci beocoup!

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado em 27 de março de 2021 por em Microcontos 2021.