EntreContos

Literatura que desafia.

Porcos de Guerra (Victor O. de Faria)

Heitor mantinha o rifle de cano duplo próximo à muralha. Observava com calma a Travessia, quieta e enigmática como sempre. Atirou a esmo, a fim de testar a nova tecnologia … Continuar lendo

20 de maio de 2017 · 51 Comentários

Não se preocupe (Victor O. de faria)

Hospital psiquiátrico, 1914. Ele, seu pai – internado. Ela, sua filha – muda. Ouvia tudo o que a mente senil, perturbada por assombrações, dizia. Sua mãe a abandonara quando pequena. … Continuar lendo

13 de janeiro de 2017 · 202 Comentários

Entre por sua própria conta e risco; mas a conta fica – Conto (Victor O. de Faria)

I. O Passado Dan ignorou o letreiro, ajeitou a Pulsar no cinto, recostou-se à mesa do bar e apontou sobre os ombros do autômato. — Eu quero aquela! A figura … Continuar lendo

4 de janeiro de 2017 · 5 Comentários

Filho do Sol (Victor O. de Faria)

Era uma mãe dedicada… Mas agora, segurando uma tesoura banhada em sangue de outrem, já não sabia quem era. Yosef Hamashia, perplexo com as manchas que se multiplicavam em seu … Continuar lendo

10 de novembro de 2016 · 41 Comentários

O Apanhador (Victor O. de Faria)

— Azul, lilás, vermelho, laranja, amarelo. O que são esses cristais, Isalla? — São presentes do pai dela, Janilla. — Ele não foi sorteado há três anos? — Foi. — … Continuar lendo

15 de setembro de 2016 · 43 Comentários

Enganando o tempo (Marco Piscies e Victor O. de Faria)

Eram um povo peculiar. As pessoas viviam cercadas por muralhas maciças que se disfarçavam de montanhas, e cobertas por uma abóbada translúcida que os fazia esquecer do seu enclausuramento. Lá … Continuar lendo

13 de julho de 2016 · 55 Comentários

Evidência (Victor O. de Faria e Jowilton Amaral)

No ano 2916, cinco tripulantes à bordo da nau capitânia Maelstrom desapareceram. A última mensagem, transmitida da Nebulosa do Haltere, no Braço de Órion, trazia apenas uma frase, suficiente para … Continuar lendo

3 de julho de 2016 · 40 Comentários

Farrapos e Glória (Victor O. de Faria)

A professora entrou na sala.     Os raios de sol alaranjados, espalhados pelo chão, traziam lembranças de décadas passadas. Retirou calmamente os livros da pasta do magistério, os distribuiu sobre … Continuar lendo

14 de maio de 2016 · 35 Comentários

O menino e a máquina do tempo – Conto (Victor O. de Faria)

A camiseta vermelha com furos, a bermuda amarela rasgada e os chinelos gastos – sem perder o barulho característico – não incomodavam sua insólita amiga, a lixeira, fonte inesgotável de … Continuar lendo

8 de abril de 2016 · 6 Comentários

Uádi (Victor O. de Faria)

I   ‘Asfar e ‘Arjuani despejavam seu brilho intenso sobre a superfície rochosa das Montanhas do Peregrino, local sagrado que, segundo relatos repassados através de gerações, demarcava a Alvorada – … Continuar lendo

5 de março de 2016 · 55 Comentários

Aurora (Victor O. de Faria)

Da escuridão profunda do sistema triplo de Alpha Centauri avistava-se A Nuvem. Carregada de matéria primordial e sóis em formação, percorria lentamente o vazio do espaço desconhecido, semeando planetas e … Continuar lendo

14 de janeiro de 2016 · 65 Comentários

A Fórmula (Victor O. de Faria)

I – Tudo é precioso para aquele que foi Tempus fugit… Sim. O tempo voa e escorre pelas mãos de uma criança, cuja ampulheta quebrada já não satisfaz o desejo … Continuar lendo

9 de dezembro de 2015 · 48 Comentários

Após o uso, dê a descarga (pressione aqui) (Victor O. de Faria)

— Mas que sacanagem! Tinha acabado de limpar! Sujeira e lodo escorreram pelos enormes tubos de esgoto da colônia de mineração. Severino William Adamastor Trento, apelidado de “Swat” por seus … Continuar lendo

12 de setembro de 2015 · 73 Comentários

Santuário (Victor O. de Faria)

Andy acariciava as inscrições em seu braço esquerdo, enquanto apreciava o brilho artificial da imitação quase perfeita do Sol. A geração de autômatos domésticos, Androide Y, costumava estar no topo … Continuar lendo

2 de julho de 2015 · 70 Comentários

Nas Entranhas de Ceres (Victor O. de Fariar)

Cristais de quartzo absorviam a luz solar distante e ressoavam através do vidro panorâmico superior, transmitindo calor e energia ao complexo. Desciam lentamente pelas paredes hexagonais da cúpula, banhando seres … Continuar lendo

27 de maio de 2015 · 29 Comentários

Conexões (Victor O. de Faria)

Parte 1 – Terra Estrelas distantes, luzes tênues… Poderia um simples olhar conter seu esplendor? Que lástima ao pensar, anos-luz de distância, Uma civilização morreu envolvida em terror.   Este … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 9 Comentários

Ciclos (Victor O. de Faria)

Gotas escorriam pela janela da sala, enquanto a pequenina sonhava com um universo de perguntas. A bola de pelos ronronou em seu colo. — Pai, por que o céu tá … Continuar lendo

2 de maio de 2015 · 4 Comentários

O Último Pôr do Sol de Outono (Victor O. de Faria)

Olhos na escuridão, dotados de um brilho incomum, a estudavam. Rochas úmidas ao seu redor completavam a estranha sensação. A única luz disponível incidia sobre um corvo parcialmente cinza, na … Continuar lendo

22 de março de 2015 · 41 Comentários

Enigma (Victor O. de Faria)

Ebulição! Galáxias inteiras se formaram com apenas um movimento. O grande poder desprendido criava espirais dançantes, que desapareciam em questão de segundos, desequilibrando o espaço e o tempo. No meio … Continuar lendo

4 de fevereiro de 2015 · 52 Comentários

Fênix de Gelo (Victor O. de Faria)

Tentei, eu confesso! Mas as lembranças daquele dia não serão facilmente esquecidas. Quando nos deparamos com o incompreensível, leva-se tempo até filtrarmos as sensações, e nem sempre a lógica vence … Continuar lendo

3 de dezembro de 2014 · 39 Comentários

Max (Victor O. de Faria)

O som de cristal quebrado ecoou pela sala. Como em um passe de mágica a mãe apareceu, segurando a jarra de café. — O que estão fazendo? — Foi o … Continuar lendo

28 de novembro de 2014 · 3 Comentários

Ópera Espacial (Victor O. de Faria)

I Raiava o Sol sobre as águas, montanhas e florestas, indicando que um novo amanhã se iniciava. O objeto pontiagudo, alto e semitransparente, venerado por diversos grupos de criaturas locais, … Continuar lendo

22 de outubro de 2014 · 30 Comentários

Reverberação (Victor O. de Faria)

As sombras gigantes do paredão sem fim assemelhavam-se a um relógio de Sol, moderno. O ponteiro menor, criado indiretamente por um jovem solitário, demonstrava que a manhã recém-nascida trazia consigo … Continuar lendo

10 de outubro de 2014 · 7 Comentários

Sonham as Montanhas Russas com Trilhos de Ouro? (Victor O. de Faria)

Dizia que me amava. Que aquele passeio seria especial. Fez promessas. Acreditei em tudo. No fim, a realidade falou mais alto. Fui abandonada sem dó nem piedade naquele imenso deserto. … Continuar lendo

5 de setembro de 2014 · 53 Comentários

Silêncio Interestelar (Victor O. de Faria)

No final, todo ser humano deseja apenas ser amado… Desceu o dedo indicador suavemente por sua face. Afagou seus cabelos e, por fim, a abraçou. Longa e demoradamente. A gota … Continuar lendo

27 de agosto de 2014 · 11 Comentários

Recomeço; um registro do início do fim (Victor O. de Faria)

Não se preocupe. Tudo, um dia, havia de chegar a este ponto. Só não esperava me unir ao cosmos desta forma. Mas deixo-lhe um consolo: em cada raio de sol, … Continuar lendo

3 de junho de 2014 · 29 Comentários

Questão de Honra (Victor O. de Faria)

I Ainda não conseguia lembrar-se de quem realmente era. Tinha certeza apenas de um fato: possuía o gatilho mais rápido do oeste. Naquela manhã empoeirada, a cidadezinha de Nova Vitória … Continuar lendo

19 de abril de 2014 · 34 Comentários