EntreContos

Detox Literário.

Seus olhos (Marco Piscies)

  A chuva castigava a cidade, transformando a madrugada em uma noite impiedosa. Lúcio permanecia de pé sob a água incessante, segurando um guarda-chuvas que o protegia apenas da cintura … Continuar lendo

1 de maio de 2019 · 21 Comentários

O Vaso Milenar (Marco Piscies)

Marcus fechou o livro e respirou fundo, navegando pela sensação que o assomava sempre que terminava uma leitura. Levou algum tempo até que se levantasse da poltrona e pusesse o … Continuar lendo

17 de fevereiro de 2019 · 19 Comentários

O Que Fica (Marco Piscies)

  O banho era sagrado; tinha a função de purificar o seu corpo para a tarefa a seguir. Antônio tinha a toalha enrolada na cintura. Atrás de si, o chuveiro … Continuar lendo

20 de novembro de 2018 · 21 Comentários

O Alienígena (Marco Piscies)

  Diego estacionou próximo ao portão de ferro, aproveitando a sombra do muro. Saiu do veículo e esticou os ossos após a longa viagem de seis horas. Seis. Aquele número … Continuar lendo

2 de setembro de 2018 · 32 Comentários

Procela (Marco Piscies)

Fevereiro de 2002 Fabiana ultrapassou apressada os portões da faculdade, singrando o mar de transeuntes na calçada externa, seguindo na direção do estacionamento rotativo. Andava em longas passadas, balbuciando pedidos … Continuar lendo

9 de dezembro de 2017 · 45 Comentários

Nossos próprios deuses (Marco Piscies)

I Em uma época já esquecida, havia uma caverna de onde saíam vozes infindáveis. Seu solo era virgem, jamais tocado por pés humanos. Ainda assim as vozes soavam aos milhares, … Continuar lendo

13 de outubro de 2017 · 87 Comentários

Frescão (Marco Piscies)

A madrugada nascia em tons de branco e preto. Dentro do quarto, as pás do ventilador giravam lentas, quase sem produzir vento algum. Sua rotação arrastada era uma canção de … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · 23 Comentários

História de Taverna (Marco Piscies)

A taverna estava lotada naquela noite. Uma acalorada discussão transcorria entre os sete clientes, todos homens, alguns ouvindo e bebendo, outros proferindo barulhentas bravatas. Entre eles estava Hephew, um jovem … Continuar lendo

20 de maio de 2017 · 55 Comentários

Os Irmãos da Família Galvão (Marco Piscies)

Três irmãos habitavam a casa da família Galvão. Eram eles, em ordem de nascimento: Gabriel, Igor e Daniel. Contando com os seus pais, cinco almas chamavam o lugar de lar … Continuar lendo

10 de março de 2017 · 80 Comentários

Se eu pudesse voltar atrás… (Marco Piscies)

Tinham uma vida inteira pela frente, mas um acidente de carro trouxe o fim de tudo. No hospital: ossos quebrados, trocas de soro e a descoberta de uma cumplicidade divertida. … Continuar lendo

13 de janeiro de 2017 · 92 Comentários

A Flautista (Marco Piscies)

Rheinland-Pfalz, Alemanha. 1953 A temperatura caía junto com a noite. Empoleirada ao relento no terraço de um dos prédios da base militar alemã, Libby não conseguia controlar a tremedeira. Sentia … Continuar lendo

24 de novembro de 2016 · 85 Comentários

Enganando o tempo (Marco Piscies e Victor O. de Faria)

Eram um povo peculiar. As pessoas viviam cercadas por muralhas maciças que se disfarçavam de montanhas, e cobertas por uma abóbada translúcida que os fazia esquecer do seu enclausuramento. Lá … Continuar lendo

13 de julho de 2016 · 55 Comentários

Santo Sertão que Arde (Matheus Pacheco e Marco Piscies)

Breve amigo ribeirinho Santo Sertanejo, descalço e queimado, ardente pelo Sol, por que para na frente de meu casebre? “Vejo esse rio que corre para o leste e oeste ao … Continuar lendo

6 de julho de 2016 · 44 Comentários

Draemant (Marco Piscies)

Os pés percorriam a extensão do quarto de luxo, ressoando na madeira polida a impaciência de um réu inocente. De um lado para outro, do outro lado para um. A … Continuar lendo

5 de março de 2016 · 33 Comentários

Demônios (Marco Piscies)

Era o décimo dia de 2016. Ele sufocava sua primeira promessa com um longo trago no cigarro. Seus demônios agarravam sua garganta e pulmões, impedindo-o de respirar. Fechou os olhos. … Continuar lendo

14 de janeiro de 2016 · 58 Comentários

A Biblioteca do Mundo (Marco Piscies)

1. Caminho tortuoso Fernando galgava seu caminho costumeiro, cada passo uma vitória. As rodas do carrinho que puxava gemiam estridentes. Eram tortas e ofereciam resistência sempre que encontravam o minúsculo … Continuar lendo

9 de dezembro de 2015 · 36 Comentários

O campo e os corvos (Marco Piscies)

Os corvos sobrevoavam o campo que borbulhava com alimento fresco. A vista de cima era uma mistura de metal, carne, vísceras, terra, grama e lágrimas. Esperaram o movimento diminuir até … Continuar lendo

12 de setembro de 2015 · 80 Comentários

Ainda há esperança (Marco Piscies)

Parte I: Uma mensagem Eden era a única nave inventada pelo homem com a capacidade de captar e utilizar a energia escura. Abundante no universo, essa energia alimentava seus motores, … Continuar lendo

23 de julho de 2015 · 60 Comentários

Marco Piscies

Marco Aurélio Saraiva nasceu dia 8 de janeiro de 1986, em São Gonçalo, Rio de Janeiro. É Bacharel em Informática pela PUC-RIO, formado em 2010. Casou-se em 2012 com sua … Continuar lendo

13 de janeiro de 2015 · 5 Comentários

O Caçador de Espécimes (Marco Piscies)

Caçador de Espécimes – Indivíduo cuja principal atividade é a caça e venda de espécimes alienígenas. Normalmente um viajante, explorador de planetas e usuário exímio dos mais diversos armamentos de … Continuar lendo

20 de dezembro de 2014 · 45 Comentários

A História de uma Vida (Marco Piscies)

Sávio entrou na Lojas Americanas e deixou que seus passos o guiassem até a pequena sessão de aluguel de filmes. Aquele mísero espaço com algumas prateleiras era tudo o que … Continuar lendo

5 de novembro de 2014 · 36 Comentários

Sonata em noite sem luar (Marco Piscies)

Em 2065, as lendas urbanas que envolviam Carlos, o Violonista, tornaram-se muitas. Elas nasceram na faculdade de música que ele nunca conseguiu terminar. Era o maior violonista que o mundo … Continuar lendo

6 de outubro de 2014 · 8 Comentários

The Iron Horse – Short Story (Marco Piscies)

In the far northern part of the state of Paraíba lay a train cemetery. It looked like any other cemetery: deserted, silent, and somber. Arthur could almost feel the atmosphere … Continuar lendo

28 de março de 2014 · Deixe um comentário

Maria Fumaça (Marco Piscies)

Era um cemitério de trens no extremo norte da Paraíba. Tinha o aspecto de qualquer cemitério comum: deserto, silencioso e sombrio. Arthur podia até mesmo sentir ali o ar de … Continuar lendo

13 de setembro de 2013 · 20 Comentários