EntreContos

Detox Literário.

O homem sem sombra – Poesia (Jefferson Lemos)

Eu perdi a noção do tempo como o humano que naufragou no universo de suas emoções e foi confundido com um astronauta; todas as suas ações eram sem gravidade sem … Continuar lendo

15 de novembro de 2017 · 2 Comentários

Mensageiro (Wender Lemes e Jefferson Lemos)

Tantas vezes visitei a cobertura deste prédio só pelo prazer de olhar para baixo e rir das miudezas da vida. De repente, eu pareço me apequenar junto a todo o … Continuar lendo

13 de julho de 2016 · 38 Comentários

O Canto do Homem-Pássaro (Jefferson Lemos e Rubem Cabral)

“As folhas que formavam um tapete de sangria, agora já não mais caíam. A cor de osso velho assumiu uma alvura quase ofuscante. A árvore florescia, e suas flores exalavam … Continuar lendo

6 de julho de 2016 · 36 Comentários

Acrônico – Conto (Jefferson Lemos)

Das manhãs frias às noites vertiginosas, são das tardes de outono que mais tenho lembranças. Os gorros de lã se encaixavam na cabeça como capacetes de gladiadores. Tínhamos toda virilidade … Continuar lendo

22 de junho de 2016 · 12 Comentários

O Caminho dos Mil Sóis (Jefferson Lemos)

A vida passou em frente aos olhos de Anwar. “A TV ligada exibia o noticiário recente. Na tela, um homem capturado em uma filmagem precária adentrava em meio à multidão. … Continuar lendo

14 de janeiro de 2016 · 58 Comentários

O Pulo do Gato (Jefferson Lemos)

O mormaço parecia estar estagnado dentro do carro, que mesmo com o ar-condicionado ligado, não era capaz de sobrepor a temperatura quente que cismava em fazer o suor escorrer. Alberto … Continuar lendo

12 de setembro de 2015 · 41 Comentários

Chuva Ácida (Jefferson Lemos)

Nem mesmo as estrelas duram para sempre  (Avenged Sevenfold – Acid Rain) Tão fugaz…   O horizonte árido se estendia tremulante com as ondas de mormaço estagnadas no ar. No … Continuar lendo

16 de julho de 2015 · 50 Comentários

Ponto de Fissão (Jefferson Lemos)

Observei o céu de chumbo daquela tarde vertiginosa e inspirei o vento frio que anunciava chuva fraca. O sinal já havia soado, como de costume, e me encaminhei para a … Continuar lendo

18 de junho de 2015 · 3 Comentários

Crisálida (Jefferson Lemos)

Quando jovem, eu buscava uma explicação – ou qualquer outra coisa – que pudesse justificar o sentimento de solidão que crescia internamente. Uma sombra negra se apossando das cores de … Continuar lendo

26 de maio de 2015 · 39 Comentários

O Temor de um robô (Jefferson Lemos)

Hoje fui capaz de vislumbrar o passado E por um momento fitei a existência transgressora Havia carne nos ossos e circuito nas mãos Eram todos felizes e pareciam pessoas   … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 28 Comentários

A Morte não pede carona (ela entra, senta e se aconchega) – (Jefferson Lemos)

Desculpe-me pela história resumida, mas os baixos níveis de oxigênio não me permitem extravagâncias. Afinal de contas, o ser humano tem dessas coisas. A morte iminente nos assola, cercando como … Continuar lendo

3 de maio de 2015 · 7 Comentários

Colifrenia (Jefferson Lemos)

A lua auspiciosa borrava a escuridão que se esgueirava pelos cantos gradeados. Os dedos graciosos que roçavam as barras de ferro, tamborilavam um som baixo, quase inaudível. Na cabeça da … Continuar lendo

17 de março de 2015 · 47 Comentários

Encapsulado (Jefferson Lemos)

Sentado nesse chão acolchoado, olhando para as paredes brancas e macias que me cercam, lembro-me dela… E da vida que seu sorriso incutia no meu dia-a-dia.  O cheiro de lavanda … Continuar lendo

2 de março de 2015 · 4 Comentários

Refluxo (Jefferson Lemos)

Os finos braceletes de sangue escorriam na solidão do manto noturno. Pela fresta da janela, a luz entrava e incidia sobre o penitente. Agachado, segurando um chicote, a arma estalava … Continuar lendo

3 de fevereiro de 2015 · 47 Comentários

O Peso do Mundo (Jefferson Lemos)

O sol do meio-dia resplandecia nas calçadas sulcadas rumo à Central do Brasil, enquanto Fernando caminhava descontraído ouvindo uma melódica música clássica. Não que fosse um adepto do classicismo, mas … Continuar lendo

14 de janeiro de 2015 · 15 Comentários

Paixão de Primavera (Jefferson Lemos)

Os raios de fim de tarde deitavam sobre as planícies longínquas, enquanto Berenice observava seu amado à distância. Andava distraído, com a silhueta delineada dando ênfase a sua forma perfeita … Continuar lendo

20 de dezembro de 2014 · 35 Comentários

Reclusão (Jefferson Lemos)

There’s someone inside me that softly kills everyone around They don’t know they’re dead to me, cause intent never makes a sound -Anberlin   Dizem que a noite é escura … Continuar lendo

23 de novembro de 2014 · Deixe um comentário

O Problema é a Gravidade ou a Falta Dela? (Jefferson Lemos)

A primeira vez que vi o planeta terra pela janela da estação, tive a sensação de uma bolha caleidoscópica estourando dentro de meu estômago, espalhando as cores para cima e … Continuar lendo

6 de novembro de 2014 · 25 Comentários

O Voo da Fênix (Jefferson Lemos)

Não sei ao certo quando tudo começou a “desandar”, e a vida, como ela deveria ser – como ela deveria ter sido –, passou a fazer sentido em minha cabeça, … Continuar lendo

15 de setembro de 2014 · 78 Comentários

Deuses Entre Nós (Jefferson Lemos)

“Pois não há morto que fique em repouso eterno, E com imensa idade, poderá finar-se a morte.” -Trecho do Necronomicon Em sua morada em R’lyeh, morto Cthulhu espera sonhando, e desejo, do âmago do meu … Continuar lendo

27 de agosto de 2014 · 8 Comentários

Ouroboros (Jefferson Lemos)

O corpo leitoso assumia um tom amarelado ao ser atingido pelas luzes que emanavam das grandes e sebosas velas, espalhadas pelo cômodo. O “morto” acomodava-se sobre uma velha mesa de … Continuar lendo

30 de julho de 2014 · 27 Comentários

Queime Depois de Ler… ou Morra Tentando (Jefferson Lemos)

  “Querida Alana, Talvez isso seja apenas uma ilusão resultante de minha insanidade, talvez eu realmente esteja insano, mas… há uma grande possibilidade de que esteja certo (eu quero estar, … Continuar lendo

21 de junho de 2014 · 17 Comentários

O Sol Nascente do Oeste Selvagem (Jefferson Lemos)

Fort Summer, Novo México, 13 de Julho de 1881.   O Homem Sem Mestre   Os sons animados do piano mecânico preenchiam o ar com uma melodia alegre e contagiante. … Continuar lendo

21 de abril de 2014 · 29 Comentários

Entre Irmãos (Jefferson Lemos)

As colunas de fumaça manchavam o anil do céu. O calor e o mormaço subiam em pequenas ondas e ali e acolá, alguns focos de incêndio ainda queimavam de forma … Continuar lendo

7 de março de 2014 · 34 Comentários

Os Filhos da Noite (Jefferson Lemos)

A Força Won’t you stop, take a breath Find a moment to reflect On the pure and simple choices that we fail to see From the worst to the best … Continuar lendo

7 de fevereiro de 2014 · 45 Comentários

O Homem Planta o Que Pode, e Colhe o Que Plantou (Jefferson Lemos)

O dia está quente hoje. Não consigo me lembrar de um dia que tenha sido tão quente quanto o de hoje está sendo. Hoje está diferente, e eu me sinto … Continuar lendo

22 de dezembro de 2013 · 56 Comentários

Crepúsculo em Tons de Cinza (Jefferson Lemos)

Olho para o céu tempestuoso e tudo que consigo sentir são os pingos de chuva. Queimam como ácido e encharcam como a verdadeira água. Tudo aqui é tão cinza, sem … Continuar lendo

16 de dezembro de 2013 · 63 Comentários

Vingança (Jefferson Lemos)

O cheiro de cigarro barato impregnava o pequeno quarto. Um cubículo com paredes sujas e caindo aos pedaços. A lâmpada pendurada no teto era apenas parte da decoração. Uma porta … Continuar lendo

13 de novembro de 2013 · 24 Comentários

Paradoxo (Jefferson Lemos)

Diário de Joshua Herington, encontrado no porão de sua casa, por entre caixas e mais caixas de entulhos e bugigangas. Joshua era formado em Física e trabalhava no governo no … Continuar lendo

11 de outubro de 2013 · 24 Comentários