EntreContos

Literatura que desafia.

A Caixa (Pandora)

I. Em cima da mesa, o telefone tocava com aquela insistência que celulares costumam ter quando você acaba de entrar no banho e está sozinho em casa. No display, “NUMERO … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Sorria (Soteropolitano)

FADE-IN ABERTURA 5 anos juntos e ainda nada de lua-de-mel, ela fazia beicinho. Lua-de-mel. Coisa antiquada. Não tinham dinheiro. Ele batia o pé mais por teimosia que pela economia em … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

O frango e a freira (1,2,3, Oliveira 4)

Nasceu em 23 de março de um ano desses qualquer na cidade de Mogi das Cruzes, na grande São Paulo. A princípio não ganhou nome por ser filho de chocadeira. … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

A última tentação de J.C. (Maria Madalena)

Esta não é mais uma história de amor, nem mesmo um drama que mereça atenção. Seria trágico se não fosse cômico.   Tudo começou na internet. Tinha de ser, não … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Deus, o impessoal (Bar Mitzvá)

— Alô? — Alô. — Senhor Pacheco? — Sim. Quem fala? — Aqui é Deus. Tenho uma notícia para o senhor. — É quem? Para de loucura, homem. — É … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Humilhação (Anamaria Di Branco)

A mulher chega em casa cabisbaixa, escondendo o rosto entre as mãos, se tranca no quarto sem dizer palavra. Seu Geraldo fica intrigado, nunca viu a esposa entrar em casa … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

A farsa da boa consciência (Strauss)

Fui incubido da peculiar missão de reconhecer o ambiente terrestre brasileiro, do Oiapoque ao Chuí, feito arauto da colonização. Ao contrário de meus irmãos, que foram em outras direções. Desci … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Por favor, me deixe longe do Top 10 (E. U. Tim Ploro)

Existe um site chamado Couchsurfing. Nele, pessoas de diversas partes do mundo oferecem suas próprias casas para que outras pessoas cadastradas na plataforma possam se hospedar ali gratuitamente, por um … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Uma questão de mordida (Ruy Balboasa)

Esselentíssimo Doutor, Senhor, onipresente, ó Pai, todo poderoso, nascido da tormenta, primeiro do seu nome, rei do norte, Juiz de Direito – e esquerdo – Ceo & Manager Supremo da … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

O noivado (Comedi(d)a)

Nasci mudo. A condição é algo rara, mas não inédita. É aborrecido, acreditem. Mas ao menos não tive que aprender a estar calado, o que é uma grande vantagem – … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

A transformação (Curiango)

Quando Gregório de Matos Sansei acordou na manhã de 30 de fevereiro, após uma agradável noite maldormida, viu que estava transformado num ser ridículo. — Puta merda! — exclamou Gregório. … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Roubada com a mulata (Blackbridge)

Algumas histórias são realmente terríveis de se viver, e só se tornam cômicas depois que já passamos por elas e estamos confortáveis na mesa do bar fazendo os amigos rirem, … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Segundo Escalão (Garota Esquilo)

Todo super-herói tem uma história de origem. Com o jovem pedreiro Luigi Focaccia não fora, então, assim tão diferente. Naquele mês de agosto Roma fritava os pedestres como não costumava … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Roça Hills (Uau Disnei)

Era uma vez um Reino Encantado, onde as cocadas floresciam à beira da estrada e as rapaduras brotavam em frondosas árvores. Um lugar em que todas as pessoas eram bonitas … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Morte súbita (Chandler Bing)

Ai! Que dor…  Espera aí, o que aconteceu? Não, não acredito nisso! Eu morri? Mas como assim? Agorinha mesmo eu estava bem, andando tranquilamente pela rua, até pensava na lasanha … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

A dor no dedo do meu pé não tem mais cura (Arlindo)

– Tem certeza disso, Diego? – Claro. – deu-lhe dois tapinhas nas costas. – Não tem como dar errado. – Não sei. Não tô gostando disso. Permaneciam abaixados, ambos, atrás … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

A História de Chico Fominha (Tia Kuda)

Com a morte da esposa e já aposentado, Seu Baka, um português que morava na Bahia, resolveu abrir uma funerária. Pareceu ser uma boa ideia, afinal, todos seriam clientes, mais … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Frescão (Cauá Moesa)

A madrugada nascia em tons de branco e preto. Dentro do quarto, as pás do ventilador giravam lentas, quase sem produzir vento algum. Sua rotação arrastada era uma canção de … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

O enterro (Tom Biszonho)

“Eles só ficam olhando. Porque não acompanham?” “Se fosse eu também não acompanharia. Ainda não acredito que estamos nos prestando a isso.” “Mas a senhora concordou que um enterro cristão … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário

Meu Deus (Príncipe Judas)

co.mé.di.a (latim comoedia, -ae) substantivo feminino. 1. Peça de teatro cujo assunto é tirado de fatos ridículos e jocosos da vida social. 2. Gênero desta composição. 3. [Figurado] Impostura; fingimento. 4. … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · Deixe um comentário