EntreContos

Detox Literário.

Revelações (Wender Lemes)

Seres alados caminharam entre os homens, mas nenhuma trombeta soou naquele dia. Ouviu-se, em contrapartida, o silvo agourento de corujas. *** O Opala desbotado a acomodava enquanto, perdida por lembranças … Continuar lendo

17 de fevereiro de 2019 · 19 Comentários

Às moscas (Wender Lemes)

A cafeteria de dona Hermínia sempre foi um dos estabelecimentos mais inóspitos do reservado município gaúcho de Não-Me-Toque. O finado marido dera-lhe – antes de falecer, como pode-se supor – … Continuar lendo

5 de agosto de 2017 · 47 Comentários

Caninos (Wender Lemes)

O tamborilar da chuva pela calha de metalão funcionava como um marcador para a gaita de Tomás. Ia preenchendo os intervalos distribuídos pela goteira com a melodia que lhe vinha … Continuar lendo

20 de maio de 2017 · 52 Comentários

Eleutério e o Garrafão (Wender Lemes)

Da pequena Jequitinhonha, no cocuruto das Minas Gerais, nasceu um Eleutério – primeira cria entre cinco que haveriam de vir. Como primogênito, esperava-se muito dele: que carregasse o legado de … Continuar lendo

10 de março de 2017 · 41 Comentários

Semáforo (Wender Lemes)

Faz calor, muito calor. Sinal fechado, sanidade escorre pelos poros. O display de calçada, monótono e compassado, ora explicita minha urgência, ora mostra um embaralhado de segmentos. Termômetros que nunca … Continuar lendo

13 de janeiro de 2017 · 91 Comentários

Crias Áridas (Wender Lemes)

– Então… vocês são filhos do deserto? – o soldado de olhos azuis nos perguntou, logo antes de sua gargalhada contaminar seus companheiros no armazém. Mantínhamos a expressão séria, mas … Continuar lendo

26 de novembro de 2016 · 40 Comentários

Túmulos em Si (Wender Lemes)

O cheiro de tabaco velho que escapava daquela gaveta dispersava memórias antigas pelo ar. Seu Sebastião tinha a mania de sentar-se ali na beirada da cama e revirar as coisas … Continuar lendo

11 de setembro de 2016 · 52 Comentários

Tempos Difíceis (Leonardo Jardim e Wender Lemes)

Julio bateu com o grande martelo de borracha na picareta repetidamente até concluir a obra: um paralelepípedo extraído de uma pedra bruta. Colocou o objeto numa pilha com centenas de … Continuar lendo

13 de julho de 2016 · 36 Comentários

Mensageiro (Wender Lemes e Jefferson Lemos)

Tantas vezes visitei a cobertura deste prédio só pelo prazer de olhar para baixo e rir das miudezas da vida. De repente, eu pareço me apequenar junto a todo o … Continuar lendo

13 de julho de 2016 · 38 Comentários

Hermano (Wender Lemes)

Sentado com sua cuia à porta do casebre, via dois cabritinhos pulando na baixada distante. Aquela cena alivia-lhe o peito, de certa forma, do peso que a manhã lhe incutia. … Continuar lendo

14 de maio de 2016 · 32 Comentários

Abutres do Novo Mundo (Wender Lemes)

O facismo O preconceito está presente, é poeira que se acumula nas narinas. É um pó a que os bons samaritanos não querem aspirar, mas do pó viemos e a … Continuar lendo

5 de março de 2016 · 14 Comentários

Apologia ao Ódio (Wender Lemes)

Odeio os moderados! Odeio tudo que torna a vida medíocre! Odeio quem apanha e se cala, quem não chega a odiar, quem acha chicória amarga – mas engole! Odeio a … Continuar lendo

5 de maio de 2015 · 30 Comentários

Azarão (Wender Lemes)

Meu cavalo tentava achar algum vestígio de grama entre pedras e pegadas na entrada de Alcázar. Não, não falo do castelo Sevilha, falo de uma casa empoeirada na periferia de … Continuar lendo

4 de abril de 2015 · 38 Comentários

Chanchada Decadente (Wender Lemes)

Ato I – Vida Cáustica Antonieta Burglary está sentada, semiacocorada, no parapeito da janela de seu apartamento, com as costas no batente e os glúteos nus na pedra de granito. … Continuar lendo

21 de outubro de 2014 · 58 Comentários

Todavia (Wender Lemes)

O mundo é vasto desde que o mundo é mundo, e vasto e imundo é que se forma belo. Maria José cresceu num bar em Poço Fundo, lavando copos, às … Continuar lendo

16 de outubro de 2014 · 6 Comentários

O Roubo de Ventres (Wender Lemes)

“O fato é que o feto definha fora do útero.”. Líquido quente escorre pelas pernas da mulher, mas não é urina, não cheira a urina. Há um pulsar automático, sistemático, … Continuar lendo

28 de julho de 2014 · 60 Comentários

Monsieur Jepeto (Wender Lemes)

Sou narrador porque gosto de ser narrador, porque alguém em um plano superior me fez assim (acredito eu), porque desconheço a real existência desse alguém. Sou projeção de algo mais … Continuar lendo

8 de junho de 2014 · 23 Comentários