EntreContos

Literatura que desafia.

Resultados do Desafio “Bruxas”

Caros participantes, amigos e curiosos de sempre. Definitivamente, este foi o melhor desafio se considerarmos o nível de empenho dos participantes. Trinta contos, mais de novecentos comentários. Jamais na história … Continuar lendo

22 de agosto de 2014 · 49 Comentários

Votação – Bruxas

Caros participantes, Agradecemos mais uma vez a presença de todos por aqui. Hora da caça às bruxas. Levantem as tochas, ergam os garfos de feno, acendam o fogo! O tema … Continuar lendo

3 de agosto de 2014 · 42 Comentários

Aquela Velha Inocência (Fil Felix)

Há um momento na vida em que a morte parece estar próxima. Sendo possível sentir seu hálito pútrido sobre a nuca. Como se fosse abocanhá-lo a qualquer momento. E neste … Continuar lendo

2 de agosto de 2014 · 62 Comentários

No Soy Bruja (Juliano Gadêlha)

Minha mãe sempre me ensinou a não ter medo. Dizia que nós, bruxas, éramos seres mais poderosos que qualquer outro, e que não devíamos temer nossos inferiores. Isso sempre me … Continuar lendo

2 de agosto de 2014 · 30 Comentários

Coração Gelado (Pedro Luna)

– Bruxas não podem se apaixonar – disse, Elyza. – Já é a milésima vez que eu falo, Dinda, e não pretendo mais bancar a bruxa compreensível. Da próxima vez … Continuar lendo

2 de agosto de 2014 · 32 Comentários

A Última Noite (Marcellus Pereira)

Colocou o fone no gancho no exato momento em que o relógio de pêndulo, principal elemento decorativo da enorme sala de estar, iniciava seu enfadonho ciclo melódico. Três da manhã. … Continuar lendo

2 de agosto de 2014 · 30 Comentários

Cólicas Femininas (Pétrya Bischoff)

Já sangrava há três dias. Desde a menarca aprendeu a associar seu útero a uma trouxa de roupa que alguém torcia e batia e sovava nas pedras lisas do arroio, … Continuar lendo

2 de agosto de 2014 · 29 Comentários

Mãe (Edivana Berganton)

No prenúncio da aurora, sustentadas suas mortiças mãos, abriu os olhos sem vida uma última vez e sorriu com lábios rachados, um leve esgar, uma funesta despedida. Dos olhos verteram … Continuar lendo

1 de agosto de 2014 · 30 Comentários

O Presente (Martha Angelo)

O amanhecer de Perugia era uma paleta de cores suaves, uma aquarela marítima na qual os poucos moradores da ilha poderiam ser congelados pelos mesmos gestos cotidianos: pescadores, vendedores de … Continuar lendo

1 de agosto de 2014 · 30 Comentários

Fratricidium (Willians Marc)

Numa manhã qualquer de um dia de inverno, sob alguns lençóis e protegida em seu quarto humano, Sansa acabara de acordar. Seu pequeno corpo estava estranhamente dormente e teve dificuldades … Continuar lendo

1 de agosto de 2014 · 30 Comentários

Filhos das Trevas (Sombria)

As prateleiras estavam cheias de coisas estranhas descritas numa letra bem desenhada: lascas de unhas, leite de cachorro, leite de mãe de defunto, língua de gato pardo, veneno de sapo … Continuar lendo

31 de julho de 2014 · 34 Comentários

Dois por um (Weslley Reis)

Ele segurava a menina recém-nascida no colo feito uma garrafa de uísque de duzentos conto. A pele dela tinha quase a tonalidade do líquido. Mas ela estava enrolada por um … Continuar lendo

31 de julho de 2014 · 29 Comentários

A Herança (Thais Pereira)

As duas andavam abraçadas. Vez ou outra as unhas grandes e vermelhas da primeira espetavam a segunda, mas elas não se importavam. Era bom aproveitar aquele momento, pois não sabiam … Continuar lendo

31 de julho de 2014 · 30 Comentários

Ouroboros (Jefferson Lemos)

O corpo leitoso assumia um tom amarelado ao ser atingido pelas luzes que emanavam das grandes e sebosas velas, espalhadas pelo cômodo. O “morto” acomodava-se sobre uma velha mesa de … Continuar lendo

30 de julho de 2014 · 27 Comentários

Por um instante (Gustavo Araujo)

Naquela manhã, como de costume, Bernardo despertou sozinho. Porém, deitado sob uma grossa camada de cobertores, manteve os olhos fechados, enganando a si mesmo com um breve momento de normalidade. … Continuar lendo

30 de julho de 2014 · 31 Comentários

Lua Dora (Claudia Roberta Angst)

– Pensa que é quem pra me olhar assim? Dora torceu a bainha do avental. Os nós dos dedos brancos, circulação estagnada em medo e ira. Os olhos seguiram caminho … Continuar lendo

30 de julho de 2014 · 66 Comentários

Só as Bruxas são Felizes (Eduardo Selga)

É uma janela que, boiando serena, pendurada por um prego na parede invisível, observa atentamente a moradora prestes ao suicídio, ato que, se levado a efeito, nenhuma consternação causará aos … Continuar lendo

30 de julho de 2014 · 32 Comentários

A Última Vanera (Eduardo Matias)

Os dois garotos voltavam da escola por uma arborizada rua de Jaguará do Sul, Santa Catarina. Meia dúzia de crianças brincava nas calçadas, senhoras fofocavam despreocupadamente em frente as suas … Continuar lendo

29 de julho de 2014 · 34 Comentários

O Ritual (Lucas Almeida)

Tudo que precisava para enfim conseguir fazer o ritual estava reunido. Mal podia acreditar que depois de quase um século de sofrimento, um século sendo perseguida por aqueles que a … Continuar lendo

29 de julho de 2014 · 32 Comentários

A Ascensão das Trevas (Lorde W)

Europa. Século XII. A pequena fogueira bruxuleante que ardia em meio à longínqua aldeia, era tudo o que o mendigo maltrapilho e adormecido detinha para aquecê-lo naquela noite fria e … Continuar lendo

29 de julho de 2014 · 29 Comentários

O Roubo de Ventres (Wender Lemes)

“O fato é que o feto definha fora do útero.”. Líquido quente escorre pelas pernas da mulher, mas não é urina, não cheira a urina. Há um pulsar automático, sistemático, … Continuar lendo

28 de julho de 2014 · 60 Comentários

Certa Magia… (Fernando Abreu)

A Mi acordou e a sala já estava cheia de fumaça. Saiu do quarto ainda com as pantufas de sapo e deu de cara com a minha mãe. Ela viu … Continuar lendo

28 de julho de 2014 · 34 Comentários

Delirium Tropicalis (Ricardo Falco)

Avistara a mesa recém-liberada do outro lado do salão. O restaurante estava lotado. O centro da cidade estava lotado. O metrô, pela manhã, lotado. As calçadas, já na hora do … Continuar lendo

27 de julho de 2014 · 35 Comentários

A Iniciação (Marquidones Morais)

Era uma manhã de domingo, o céu estava carregado de nuvens limpas e o vento levantava as folhas secas no pátio do templo Rosacruz. Em seu interior, um grupo de … Continuar lendo

26 de julho de 2014 · 38 Comentários

Ato Santo (Maria Santino)

As mãos trêmulas de excitação empurram lentamente a porta do antro que recebe a luz acobreada da noite, o homem de batina se esgueira nas sombras tendo a espada em … Continuar lendo

25 de julho de 2014 · 32 Comentários

Convergência (Rubem Cabral)

06 de Junho de 1999. Já está gravando? (Pigarros, tosse). Meu nome é Luiz Arthur Sundfeld Maia, e farei hoje trinta e três. Como iniciar? Bem, sem falsa modéstia e … Continuar lendo

25 de julho de 2014 · 32 Comentários

Perspectivus (Rafael Sollberg)

No centro da cela escura, a velha seminua permanecia caída sobre os joelhos. A luz da lamparina iluminando o perfil de seu rosto macabro. O imenso nariz de rapina pendendo … Continuar lendo

23 de julho de 2014 · 32 Comentários

Beatrix e Jeannelynne (José Geraldo Gouvea)

“Ó amiga e companheira da noite, ó tu que te regozijas no ladrar dos cães e no sangue derramado, que perambulais por entre as sombras entre as tumbas e trazeis … Continuar lendo

23 de julho de 2014 · 32 Comentários

Memórias de uma Bruxa (Fabio Baptista)

Era inverno, mas não estava frio. O sapotizeiro, de galhos suntuosos e raízes que se esparramavam emaranhadas pelo centro da praça, farfalhava sua imponência e oferecia boa sombra a quem … Continuar lendo

22 de julho de 2014 · 33 Comentários

Regulamento Desafio Bruxas

É possível que alguns lembrem da pesquisa que realizamos há algum tempo no site, ouvindo o que vocês, participantes mais assíduos tinham a dizer. Foi com base nela que decidimos, no desfio … Continuar lendo

20 de julho de 2014