EntreContos

Literatura que desafia.

Resenha: “E de Extermínio” (Rubem Cabral)

e de exterminio

“E de Extermínio”, do escritor fluminense Cirilo S. Lemos,  é um livro sui-generis, no bom sentido da expressão.

Depois de ler um resumo sobre seu enredo e achar graça da capa, que evoca o estilo de ilustrações e panfletos da antiga U.R.S.S., o leitor esperará por um típico romance dieselpunk, por uma trama passada numa realidade histórica alternativa. Quanto a esses aspectos, não ficará decepcionado: professor de história, Cirilo nos brinda com ambientação imersiva e um quadro complexo e bem estruturado desse Brasil onde algumas coisas não ocorreram como nossos livros nos contaram.

O império, ainda que cambaleante, persiste nos anos 30, dirigíveis são o meio de transporte favorito dos ricos e aristocratas, os frutos da Revolução Industrial, que vieram substituir a mão de obra escrava, trouxeram-nos poluição e máquinas, muitas máquinas: robôs, fortalezas voadoras, “vestíveis” de combate. E, acima de tudo, há no livro conspirações por poder e embates ideológicos. Monarquistas versus republicanos, integralistas versus comunistas, e muito mais.

No entanto, se existem na obra os elementos típicos de uma ficção científica retrô, a paranormalidade (?) manifestada pelas aparições a diferentes personagens de uma santa do hiperespaço, de um super-herói de quadrinhos e de um cachorro falante, talvez fizessem o livro se encaixar melhor no escaninho do New Weird.

A ambientação, suja, palpável, a boa construção das personagens principais e a pouco conhecida história da Baixada Fluminense, são os pontos de destaque do livro, isso, além da trama complexa e bem urdida.

Que o leitor não espere, contudo, um livro escapista e leve de aventuras, onde personagens principais nunca se ferem ou mesmo morrem. “E de Extermínio” é muitas vezes um livro duro, onde apenas os mais fortes sobreviverão, onde nem sempre a justiça irá prevalecer.

Anúncios

2 comentários em “Resenha: “E de Extermínio” (Rubem Cabral)

  1. Laís Helena
    22 de junho de 2016

    Parece interessante. Nunca experimentei nada dos gêneros dieselpunk ou new weird, mas interesse não falta.

  2. Davenir Viganon
    22 de junho de 2016

    Muito me interessei!

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 22 de junho de 2016 por em Resenhas e marcado , .