EntreContos

Detox Literário.

Amazônia – Finalistas

Caros participantes, amigos e curiosos,

Vencida a etapa de grupos, passamos à fase final, com os cinco contos que, em cada grupo, obtiveram as melhores avaliações. São os seguintes (em ordem alfabética, por grupo):

Grupo 1

– À Margem (Orestes);

– Do Lado Direito do Rio… (Quarup);

– Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô);

– Iara (Hannah Viv); e

– Terra de Santa Cruz (Uirapuru);

Grupo 2

– Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó);

– BR-230 (Lábrea Cabedelo);

– Conexões Intermitentes (Apoema);

– Encontro (Solimões); e

– Macaco Guariba (Ribeirinha);

***

A par dos finalistas, tivemos dois contos desclassificados no Grupo 1 e sete no Grupo 2 por conta do não cumprimento, pelos autores, das regras previstas no regulamento — ora por conta da ausência de ineditismo, ora por falha nos comentários e/ou na votação — e que portanto serão deletados do site. São eles:

– Saciar-se (Filomena Gama);

– Distopia Tropical (Vortex);

– Camila (Tefa Ribreto);

– Um prazer receber você (Amaranta Shuen);

– A lenda da cidreira (Francisco Maria);

– No lugar errado (Ao Gosto dos Anjos);

– A devolução dos mortos (Dark);

– Garota Diamante (Roberto Ramos); e

– S.O.S (Marcelo Coimbra)

***

Uma vez conhecidos os finalistas, passamos às regras da fase derradeira:

1) Os contos finalistas serão reunidos sob a categoria “Amazônia – Finalistas“, para acesso, leitura e comentários.

2) Os autores classificados para esta fase deverão comentar e avaliar TODOS os contos finalistas, com exceção daqueles que já tiverem comentado e avaliado na primeira fase.

3) Os comentários nesta fase serão fechados, permanecendo a regra de que deverão ser iniciados com um resumo e complementados com a análise propriamente dita.

4) As notas poderão variar de zero a cinco, em valores INTEIROS, isto é, sem o uso de casas decimais.

5) As notas deverão ser informadas na área de comentários do presente post.

6) Contos porventura avaliados na primeira fase permanecerão com as notas que lhes foram então atribuídas.

7) Autores não classificados para a etapa final, bem como qualquer pessoa, poderão atribuir notas na presente fase, desde que comentem todos os contos finalistas.

8) O prazo para comentários e atribuição de notas se encerrará às 23h59 do dia 4 de julho de 2020 (sábado), hora de Brasília, DF, Brasil.

9) No dia 5 de julho de 2020, a moderação publicará os resultados, liberando os comentários e as notas, tanto da primeira fase, como da etapa final.

10) A classificação final será definida pela nota média de cada conto nesta fase. Como critério para eventual desempate, será considerada a maior quantidade notas mais altas. Persistindo o empate, a moderação decidirá.

11) Dúvidas poderão ser sanadas por meio do Regulamento do presente certame. Persistindo o dilema, a moderação poderá ser acionada pelo email desafio.entrecontos@gmail.com

19 comentários em “Amazônia – Finalistas

  1. EntreContos
    5 de julho de 2020

    Votação Encerrada!

  2. fabiolaterrabaccega
    4 de julho de 2020

    Notas
    Ajuricaba 4
    BR 320 5
    Conexões 4
    Encontro 5
    Macaco Guariba 5

  3. Jorge Santos
    4 de julho de 2020

    – À Margem (Orestes) – Nota 5
    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup); Nota 4
    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô); Nota 5
    – Iara (Hannah Viv); Nota 5
    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru); Nota 4

  4. Angelo Rodrigues
    4 de julho de 2020

    Notas dos Finalistas:

    Grupo 1
    À Margem (Orestes) = 5
    Do Lado Direito do Rio… (Quarup) = 4
    Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô) = 5
    Iara (Hannah Viv) = 4
    Terra de Santa Cruz (Uirapuru) = 4
    …………………………………
    Grupo 2 (Anteriormente postadas)
    Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó) : 5
    BR-230 (Lábrea Cabedelo) = 4
    Conexões Intermitentes (Apoema) = 3
    Encontro (Solimões) = 4
    Macaco Guariba (Ribeirinha) = 5

    Parabéns a todos. Contos muito bons.

  5. Daniel Reis
    3 de julho de 2020

    – Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó); 4,0
    – BR-230 (Lábrea Cabedelo); AUTOR
    – Conexões Intermitentes (Apoema); 4,0
    – Encontro (Solimões); 5,0
    – Macaco Guariba (Ribeirinha); 4,0

    Parabéns a todos os participantes!

  6. Alexandre Coslei (@Alex_Coslei)
    3 de julho de 2020

    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup) – Nota: 4

    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô) – Nota: 3

    – Iara (Hannah Viv) – Nota: 4

    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru) – Nota 3

    – À Margem (Orestes) X

  7. pedropaulosd
    3 de julho de 2020

    Grupo 1

    – À Margem (Orestes); – 3

    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup); – 5

    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô); – 4

    – Iara (Hannah Viv); – 3

    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru); – +3

    Os comentários que redigi para os contos foram postados durante a primeira fase e não davam grande importância às notas, motivo pelo qual decidi escrever um comentário que equipara os contos e deixa mais clara a razão da comparação e os critérios usados.

    Teria feito o mesmo para o grupo 2, mas fui informado que as notas da primeira fase servirão à última também.

    COMENTÁRIO: Há dois contos em que o tema – a Amazônia – é tratado na forma de memórias. Em “Iara” a floresta praticamente irrompe durante o texto, assaltando a narrativa como uma persistente memória incontrolável, uma verdadeira força nostálgica cujas descrições vívidas – resultado da escrita primorosa – dão consistência e impacto. No caso de “Filho de mãe solteira”, no entanto, todo o conto é uma memória, redigido também com grande qualidade, mas numa forma epistolar, quase que testamentária. A aparição da Amazônia é distinta nos outros três contos, sendo mais material do que virtual, delineando o solo e as águas por onde andam e navegam as personagens. Baltazar guia seu barco pelo rio, Nadi corre com o seu filho nos braços e o homem sem horizontes anda pelas ruas de Manaus. Aqui fica para decidir qual foi o melhor proveito do tema.

    O veredito será dado enquanto se revela os critérios. A primeira grande diferenciação é entre floresta e estado. Amazonas difere de Amazônia, de modo que para mim o melhor proveito do tema se dá quando a referência base da trama é na floresta em si, o que de modo algum suprime as possibilidades do conto. Afinal, a Amazônia é a maior floresta tropical do mundo e passa pelas fronteiras nacionais de vários países, hospedando diversos povos dentro de si. Portanto, um texto como “À Margem”, por exemplo, apesar de ser imersivo e bem ambientado, dá sua referência a Manaus, um espaço que é mais fácil de se associar ao estado do que à floresta, mas não deixa de ser um cenário genuinamente amazônico. Afinal, o mundo atual concebe cidades em todos os lugares do globo, inclusive no meio de florestas. É por isso que, comparando a “Terra de Santa Cruz”, a apropriação do tema em “À Margem” é mais consistente. Afinal, a estória de Nadi é cativante e trágica, além de encorpar o drama real da falta de acesso à saúde. Mas por que seria amazônica? A contraposição entre indígenas e as fazendas em si não dá sustento à ambientação. Ao mesmo tempo, enquanto a Amazônia é invasiva e tem uma presença poderosa em “Hannah”, o problema é outro, pois não tem estória. A personagem faz sua refeição e faz duas voltas: ao escritório e às suas lembranças. Mas e aí?

    Eu considero que a estória de Baltazar acaba sendo a melhor apropriação do tema. O primeiro fato é que a floresta em si não é espaço da trama, mas o ponto de referência é um lugar real das matas, um empreendimento bizarro e curioso, mas que agora constitui o universo amazônico. Para mim, investir nisso foi uma ótima sacada, pois traz algo específico sem descolar de uma premissa geral: o olhar colonizador para o exótico. No entanto, faz isso a partir das ruínas do lugar, as ruínas do “progresso”. Isso por meio de personagens cativantes cujo relacionamento, improvável, afetuoso e também trágico, é genuinamente envolvente. Em “Filho de Mãe Solteira” também encontrei esse mesmo investimento no específico, mas dentro do tema do desmatamento e com um protagonista complexo e com um histórico que, embora consumindo o início do conto e assim enfraquecendo a introdução, ainda dá verossimilhança à personagem e às decisões que toma, colocando-o dentro de uma luta contínua, aspecto que engrandece o conto. Achei uma boa apropriação do tema, mas numa narrativa que não me agrada muito, que é excessivamente memorialista, não permitindo ao leitor viver os momentos junto com o personagem, mantendo-o sempre à distância. Faz completo sentido e é feito muito bem, pois é um conto no formato de carta, mas, mesmo assim, combinado à introdução voltada em demasiado ao passado do personagem, acho que tirou um pouco da força do conto na competição.

    Enfim, são todos textos excelentes e esta avaliação se dá não pelos contos em si, como se fez na primeira fase, mas pela comparação entre eles à luz dos critérios do certame. Espero não ter desapontado com o comentário – se é que será lido, dado que não é comum acompanhar as notas de comentários.

  8. Fabio D'Oliveira
    3 de julho de 2020

    Segue a minha avaliação da final! Todos excelentes, com certeza não ficarei entre os primeiro, HAHAHAHA.

    – Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó): Nota 5

    – BR-230 (Lábrea Cabedelo): Nota 4

    – Encontro (Solimões): Nota 4

    – Macaco Guariba (Ribeirinha): Nota 4

    Todos levariam nota 5 se a Amazônia tivesse uma presença mais marcante no conto. O que me levou a dar nota 4 para a maioria foi unicamente pela adaptação da floresta estar alocada no plano de fundo, como uma mera ambientação, na maior parte do conto. Ajuricaba do Nascimento retratou o amor e a saudade da floresta de uma forma eficiente e teve foco nisso, por isso recebeu a nota máxima.

    Foi um ótimo desafio!

  9. soniazaghetto
    1 de julho de 2020

    À Margem (Orestes): 4

    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup): 4

    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô): 4

    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru): 3

  10. Fheluany Nogueira
    1 de julho de 2020

    Grupo 1:

    – À Margem (Orestes) – nota:4,0
    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup) – nota: 5,0
    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô) – nota: 4,0
    – Iara (Hannah Viv) – nota: 3,0
    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru) – nota: 3,0

    Grupo 2 (avaliados na fase 1):
    – Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó) – nota: 3,0
    – BR-230 (Lábrea Cabedelo) – nota: 5,0
    – Conexões Intermitentes (Apoema) – nota: 4,0
    – Encontro (Solimões) – nota: 3,0
    – Macaco Guariba (Ribeirinha) – nota: 4,0

  11. Regina Ruth Rincon Caires
    1 de julho de 2020

    Finalistas do Grupo 2:

    – BR-230 (Lábrea Cabedelo) 5,0

    – Conexões Intermitentes (Apoema) 4,0

    – Encontro (Solimões) 4,0

    – Macaco Guariba (Ribeirinha) 4,0

  12. Luciana Merley
    30 de junho de 2020

    Avaliação final

    – À Margem (Orestes) – 4

    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup) – 5

    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô) – 4

    – Iara (Hannah Viv) – 5

  13. angst447
    29 de junho de 2020

    Notas dos finalistas do Grupo 1 (repetição das notas já dadas):

    – À Margem (Orestes) = 5

    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup) = 5

    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô) = 5

    – Iara (Hannah Viv) = 4

    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru) = 4
    …………………………………………………………………………….

    Seguem as notas dos finalistas do Grupo 2:

    – Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó) = 5

    – BR-230 (Lábrea Cabedelo) = 4

    – Conexões Intermitentes (Apoema) = 4

    – Encontro (Solimões) = X

    – Macaco Guariba (Ribeirinha) = 5

  14. Gustavo Aquino Dos Reis
    29 de junho de 2020

    – À Margem (Orestes): 2

    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô): 3

    – Iara (Hannah Viv): 2

    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru): 3

  15. Matheus
    28 de junho de 2020

    Parabéns. Quando começa o próximo concurso? Descobri agora o site e quero participar.

  16. Anderson Do Prado Silva
    28 de junho de 2020

    Inicialmente, reproduzo as notas que atribuí aos textos do grupo 2 na primeira fase:
    – Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó) – 4
    – BR-230 (Lábrea Cabedelo) – 5
    – Conexões Intermitentes (Apoema) – 5
    – Encontro (Solimões) – 4
    – Macaco Guariba (Ribeirinha) – 4
    Agora, colaciono as notas que atribuo aos textos do grupo 1:
    – À Margem (Orestes) – 4
    – Do Lado Direito do Rio… (Quarup) – 4
    – Filho de Mãe Solteira (Mobília Retrô) – não se aplica
    – Iara (Hannah Viv) – 5
    – Terra de Santa Cruz (Uirapuru) – 5
    “Iara” é tecnicamente impecável, abordou o tema de maneira inusual e possui uma aquilatada prosa poética. Por causa dessa última característica (aquilatada prosa poética), julgo que “Iara” se destaca neste desafio, merecendo a nota 5. Ademais, a Amazônia, descrita nos termos em que foi, é quase a protagonista do texto.
    “Terra de Santa Cruz” angustia e enternece. Tanto angustia, tanto enternece, tanto cativa, que não me furtarei de também lhe dar uma nota 5.
    “À Margem” tem um último parágrafo que é absolutamente arrebatador! No entanto, não possui a riqueza poética e vernacular de “Iara”, nem angustia, cativa e enternece como “Terra de Santa Cruz”. Por esses motivos, apesar de ser um texto muito bom, irei lhe atribuir nota 4.
    “Do Lado Direito do Rio…”, apesar de possuir ótimo enredo e retratar uma linda amizade, não possui a riqueza poética e vocabular de “Iara”, nem cativa e enternece como “Terra de Santa Cruz”. Por esses motivos, apesar de ser um texto muito bom, também irei lhe atribuir nota 4.
    Gostei muito de “Iara”, mas, na impossibilidade de atribuir nota 6, deixo meus parabéns ao autor e carimbo minha torcida!
    Aos demais participantes e finalistas, meus parabéns! E obrigado pelo carinho com meu texto! Ah, parabéns e obrigado aos organizadores do espaço!

  17. fabiolaterrabaccega
    28 de junho de 2020

    Parabéns aos finalistas!
    Fiquei feliz que os que avaliei com nota máxima estão na lista!
    Fiquei muito feliz por ter participado, por ter recebido avaliações todas construtivas e por ter aprendido um pouco mais sobre essa tão linda arte de colocar os sentimentos em forma de palavras escritas.
    E finalmente, fiquei feliz por ter cumprido o programa e as regras e por não ter sido desclassificada!!
    Muito obrigada!
    Abraços

    • EntreContos
      28 de junho de 2020

      Excelente, Fabiola! Mas não deixe de comentar e avaliar os contos que estavam no seu grupo e que passaram para a final. Assim você poderá influenciar positivamente no resultado!

  18. Gustavo Araujo
    28 de junho de 2020

    Notas dos Finalistas do Grupo 2:

    – Ajuricaba Nascimento (Ipojuca Manaó); Nota 3

    – BR-230 (Lábrea Cabedelo); Nota: 4

    – Conexões Intermitentes (Apoema); Nota 3

    – Encontro (Solimões); Nota: 4

    – Macaco Guariba (Ribeirinha); —

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 27 de junho de 2020 por em Amazônia, Amazônia - Grupo 1, Amazônia - Grupo 2, Amazonia-Finalistas e marcado .