EntreContos

Literatura que desafia.

Aves Tristes – Poesia (Francisco Ferreira)

Rebrilham nesta lua
um empréstimo de saudades
e tristezas tolas, tolas.
Toscas correntes
que trancam nossos peitos
em amores de porvir e devir
num derredor de ais
não ditos, insuspíraveis que são.
Um bolo amargo
desenha-se na garganta,
lagriminhas
miúdas de olhos ausentes,
afanados prantos
de escorrer, em cascatas,
poesias dúbias…
Que olhos teimosos,
aflitas aves de migração revés
que, menos te vêm,

mais te desejam.

Anúncios

Um comentário em “Aves Tristes – Poesia (Francisco Ferreira)

  1. marcilenecardoso2000
    8 de abril de 2017

    Acho que quem inventou os adjetivos estava pensando em nós, os poetas, né? Poesia docinha, coisa de mineiro mesmo, adorei. Parabéns

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 29 de outubro de 2016 por em Poesias e marcado .