EntreContos

Literatura que desafia.

Cadela (Cilas Medi)

— Vem cá, Vera, o que você acha, vou anunciar assim, mostrando.

Oferecemos o serviço de cópula para cães infernizados pela falta de companheira. O valor é de acordo com os exemplares caninos ofertados. O tamanho não é documento. Tanto deles como delas. Tratar aqui.

Lembre-se: o seu cão agarra o estrado ou a almofada todos os dias?  Quantas vezes?

Ele não incomoda? E se for à frente das visitas?

Portanto, o serviço é completo, total satisfação. Somos lindas, quatro patas, pelo lustroso e bem tratado, com xampu de ervas e afrodisíaco.

Trate bem o seu cão.

Cadela. Serviços de acompanhamento e treinamento sexual. Estamos com a ala feminina, para as afoitas e sempre no período de cio. Ótimos garanhões.

Acertamos a possibilidade de contrato mensal. Aproveite a oferta. Descontos progressivos.

— Engraçadinho, retrucou. Somos um pet de respeito. Riram os dois.

Anúncios

57 comentários em “Cadela (Cilas Medi)

  1. Miguel Bernardi
    29 de janeiro de 2016

    E ai, tudo bem?

    Não gostei do tom empregado e do humor negro presente… O texto não tem erros, ao menos pelo que notei, mas a temática e o desenvolvimento não me agradaram. Desculpe.

    Abraços e boa sorte.

  2. Nijair
    29 de janeiro de 2016

    .:.
    Cadela (Osso Amado)
    1. Temática: Humor negro
    2. Desenvolvimento: Não agradou.
    3. Texto: Sem deslizes significativos.
    4. Desfecho: O texto ‘desrespeita’ a liberdade canina e se autodenomina de respeito? Estranho, contrassenso.
    Sem muita graça… Humor negro, penso.
    Boa sorte!

  3. Tamara Padilha
    29 de janeiro de 2016

    Não gostei!
    Acho que o autor tentou fazer um conto bem humorado mas… não me atraiu. Foi bem escrito, parabéns.

  4. Thales Soares
    29 de janeiro de 2016

    Meu…….

    Desculpe, mas acho que não entendi nada. Não entendi a proposta do autor, e muito menos a história que me está sendo contada.

    Esse conto na verdade não passa de um anúncio. É uma forma estranha e diferente de se elaborar um texto. Mas, pelo menos para mim, isso não funcionou.

    Mais sorte na próxima vez.

  5. Wilson Barros Júnior
    29 de janeiro de 2016

    Hahahahahahahah, que legal. Viagens, viagens, viagens… Eu acho que os cães é que infernizam a vida do dono, esfregando-se nas almofadas, constrangendo-nos quando as tias idosas vêm nos visitar.

    Cadelas afoitas no cio…

    Muito bem dito, muito bem escrito. Aliás, a ideia é excelente, eu estava mesmo procurando um negócio para montar. Diferentemente da Vera, não vejo desrespeito nenhum nisso. Como eu citei no conto da “Cumplicidade”, Manoel Puig falou a coisa mais certa do mundo: “Cada vez me convenzo más de que el sexo es la inocencia misma.”

    Conto cheio de insinuações, talvez role alguma coisa entre o dono do pet e a vera…

  6. Tom Lima
    29 de janeiro de 2016

    Me parece que errou no formato. Talvez se o conto fosse o anúncio em si ficasse melhor. O diálogo soou estranho e sem propósito.

    Chega a ser engraçado, mas não agrada como conto.

  7. Fil Felix
    28 de janeiro de 2016

    “Procura-se cadelas ambiciosas, pagamento em dinheiro, ótimas comissões.”

    Não entendi muito bem se há uma história propriamente dita. Me pareceram aqueles adesivos que vemos nos orelhões da vida, só que ao invés de mulheres, temos cachorras. Não sei se a comparação foi das melhores (acho que gatas seria mais interessante), mas me fez rir em alguns momentos. Então, como conto cômico, já ganhou alguns pontos!

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 14 de janeiro de 2016 por em Micro Contos e marcado .