EntreContos

Literatura que desafia.

Semana Sem Ana (Rubem Cabral)

dia-da-saudade-1

Acordei só. Pensei por um instante que não fosse verdade. Que teria sido só um sonho ruim. Que bastaria ir à cozinha e te encontrar cantarolando e passando um café fresco. Escutando música no rádio, conversando com as plantas que tu acabavas sufocando com cuidados demais.

Em geral, essa esperança era o que havia de mais cruel. Quase tão cruel quanto te esquecer. É uma vergonha, mas já não me lembrava direito da cor dos teus olhos. Não conseguia recordar do perfume que tu mais gostavas. Não sabia de tanta coisa tua e não te tinha aqui para me dizer.

Joguei o braço para o lado e ele caiu sobre o teu travesseiro: frio. “Nunca mais”, pensei. Nunca mais fugir do mundo com a cabeça entre teus seios. Sentir tuas mãos em meus cabelos, escutar que está tudo bem, que vai passar, que vai regredir.

Se Deus quiser, vai regredir.

E o mundo lá fora continuou a girar, o sol nasceu brilhante e o céu zombeiro; azul. Como ousam? Como ousam cuspir em meu rosto alegria e felicidade que me são negadas? Que direito têm?

Que morram e sequem todas as flores, que dos céus caiam todos os pássaros, que se fechem todas as portas e janelas. Que os dias sejam frios, chuvosos e cinzas. Que não se ria, que não se sinta nada a não ser esse vazio que machuca, esta certeza de morte em vida, este desespero paralítico e covarde que não me permite terminar com tudo de vez.

Não ousem rir de minha dor. Respeitem-me!

Uma semana sem Ana. A primeira de muitas da minha vida. Que vida?

Anúncios

18 comentários em “Semana Sem Ana (Rubem Cabral)

  1. Priscila Pereira
    25 de junho de 2016

    Ótimo texto Rubem, perfeito! Tão triste, um verdadeiro desabafo de uma alma torturada pela saudade e amargura. Parabéns!!

  2. Anorkinda Neide
    2 de fevereiro de 2016

    Muito bonito e excelente texto, Rubem.
    Uma alma sofrida grita.
    Foi este grito que ouvi aqui. rsrs
    Abraço

  3. Nijair
    29 de janeiro de 2016

    Pena não ter seguido as regras. Se impuseram limites, devem ser respeitados.

  4. Nijair
    29 de janeiro de 2016

    .:.
    Semana Sem Ana (Rubem Cabral)
    1. Temática: Morte. Sofrimento. Angústia.
    2. Desenvolvimento: Interessante, em tom de desabafo.
    3. Texto: Sem deslizes significativos.
    4. Desfecho: A saudade nos corrói demais. É uma dor que nos machuca mesmo. Espero que seja, apenas, ficção.

  5. Thiago
    26 de janeiro de 2016

    Excelente conto! Gostei bastante como expressa a doar e angústia. Parabéns!

  6. Cilas Medi
    24 de janeiro de 2016

    Espero não ser motivo para desclassificar o fato do conto estar com 271 palavras. O achei firme e bem escrito, com lembranças bem marcadas e definidas na abstração e no delírio de se sentir sozinho.

    • Rubem Cabral
      25 de janeiro de 2016

      Olá, Cilas.

      Este conto não participa do desafio. Ele é “off-desafio”. Portanto, não teve que respeitar os limites do desafio, não foi publicado sob pseudônimo, etc.

      Abraços.

  7. Leda Spenassatto
    18 de janeiro de 2016

    Uma semana que pareceu uma eternidade.
    Vida, que Vida? A vida!
    Muito bem desenvolvido, sem rodeios, o escritor foi direto ao ponto a que se propôs.
    Parabéns!

  8. Naianh Andrade
    13 de janeiro de 2016

    Bravo!

  9. Evie Dutra
    13 de janeiro de 2016

    Uau…
    Lindo o seu conto. Triste e lindo.
    Você sabe transmitir sentimentos muito bem.
    Parabéns.

  10. mariasantino1
    13 de janeiro de 2016

    Se Deus quiser vai regredir… É duro quando não se pode fazer mais nada além de desejar que Deus cure. Parabéns pelo conto 😉

  11. Brian Oliveira Lancaster
    13 de janeiro de 2016

    Bem melancólico e emotivo. Gostei da quebra de sentidos do meio para frente, foi uma montanha-russa contida. Curto, mas diz muito.

  12. Claudia Roberta Angst
    13 de janeiro de 2016

    Parabéns! Texto sensível e nada cansativo.

  13. Simoni Dário
    13 de janeiro de 2016

    Nossa! É a primeira vez que choro lendo algum conto aqui no desafio, o que é isso?? Tocante demais.Que Deus abençoe esse talento.
    Parabéns com muitas estrelinhas!
    Abraço

  14. Piscies
    13 de janeiro de 2016

    Gostei! Muito bonito.

  15. Marcelo Porto
    13 de janeiro de 2016

    Gostei também. Bom esquente pro que vem por aí.

  16. elicio santos
    13 de janeiro de 2016

    Só achei incongruente o fato do narrador ter se esquecido da cor dos olhos da mulher e do perfume dela em uma semana. De resto está muito bom!

  17. Fabio Baptista
    13 de janeiro de 2016

    Muito bom, man!

    Triste e bonito.

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 13 de janeiro de 2016 por em Contos Off-Desafio e marcado .