EntreContos

Literatura que desafia.

Cicatriz das três – Poesia (Michel Menezes)

é tudo muito estranho
mas
paradoxalmente
estou intimamente acostumado
com essa solidão
perversa
gostosa
das três da manhã

peguei uma nova cerveja
acendi um novo cigarro e um novo incenso
o último da caixa que você deixou ao partir
sentei-me em frente a máquina de escrever
e tentei produzir
qualquer porcaria
que descrevesse
o quão vazio estou
sem ter você
às três da manhã

olhei pela janela
a lua cheia
perfeita
fundia-se
com nuvens noturnas
incrível.
lembrei-me
da noite em
que
nos conhecemos,
no Bar do Jhow
você garçonete
eu bêbado e fedido
uma breve troca de olhares
“quero transar com essa mulher!”
transamos.
então ganhei
sua companhia
e seu corpo quente
ardente
aliviava-me
sua boca crua
insegura
sustentava-me
seu quadril perfeito
estreito
equilibrava-me.
e entre
tanto suporte
perdi o porte
e a chance
de dizê-la
eu te
amo
mulher.

Anúncios

7 comentários em “Cicatriz das três – Poesia (Michel Menezes)

  1. Brian Oliveira Lancaster
    4 de fevereiro de 2016

    O parágrafo final se encaixou melhor no estilo poético. Bem construído, mas existem mais descrições que sensações na parte inicial. Não é regra, mas nem sempre precisa-se contar uma história nesse conceito.

  2. Neusa Maria Fontolan
    7 de janeiro de 2016

    As pequenas grandes coisas da vida. Gostei, parabéns.

  3. Fabio D'Oliveira
    8 de setembro de 2015

    ☬ Cicatriz das três
    ☫ Michel Menezes

    ண Mente: Parece uma estória em forma de poema. E a leitura flui naturalmente. É um romance crú, sem magia, recheado com bastante realidade. A formatação escolhida é bem ousada, pois irá mexer com o gosto pessoal do leitor. Por exemplo, pessoalmente, senti-me incomodado. Gosta da estética bela dos textos.

    ஜ Coração: O efeito desejado é passado para aqueles que apreciam o texto por completo. E daqueles que entregaram suas vidas ao amor mágico também não irão apreciar por completo. A realidade não é muito atraente para alguns. No entanto, o texto não é crú, não é racional, não é frio. Muito pelo contrário, é um poema recheado de emoções.

    Ω Final: Uma poesia livre, que não irá agradar a todos exatamente por isso. Uma estória, várias lamúrias, emoções baseadas numa realidade crua e sem magia.

    ௫ Nota: 7.

  4. Fabio Baptista
    7 de setembro de 2015

    Muito bom, cara.

    Nesse feriado chuvoso, deu até vontade de sair e ficar bêbado e conhecer uma mulher, dessas por quem a gente às vezes perde a chance de dizer que ama e depois fica remoendo a oportunidade perdida às três da manhã de outro dia qualquer.

    Abraço!

  5. Anorkinda Neide
    7 de setembro de 2015

    posso dizer palavrão?!! PQP!! que lindo! rsrsrs
    muito bacana a formatação que você deu ao poema.
    e a emoção que você trouxe tb! Parabéns!

    apenas aqui: a chance de dizê-la
    o correto é: a chance de dizer

    Abraço e obrigada por esta leitura! 🙂

    • Michel Menezes
      7 de setembro de 2015

      Obrigado, Anorkinda!
      A formatação proporciona um ritmo de leitura que tem como consequência a emoção que busquei passar. Que bom que gostou, fico feliz.
      Agradeço também pelo toque, realmente deixei passar esse. Mas acontece e reitero os votos.
      Abraço

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 6 de setembro de 2015 por em Poesias e marcado .