EntreContos

Detox Literário.

Cartas na Mesa (Eduardo Selga)

leque

O som monótono produzido pelos sinos de vento, assim que a porta se abriu, anunciou a entrada da última cliente do dia. E já não era sem tempo: taróloga sem vocação para interpretar quaisquer verdades ocultas, não lia com todas as letras as mensagens dos arcanos: supunha-as vagamente, ficcionalizava os espaços em branco, examinando o contexto e o tipo de verdade que a cliente queria ouvir. Algo assim como um repórter ordinário que pusesse palavras não ditas na boca do entrevistado de modo a satisfazer a linha editorial. E naquele dia estava exausta, tantas mulheres com amores mal resolvidos, não via a hora de encerrar o expediente, beber duas ou três cervejas com seus fantasmas pessoais e, mais uma noite sem companhia, deixar-se dormir.

***

Este conto faz parte da coletânea “Devaneios Improváveis“, Primeira Antologia EntreContos, cujo download gratuito pode ser feito AQUI.

Anúncios

24 comentários em “Cartas na Mesa (Eduardo Selga)

  1. Lucas Guimarães
    25 de fevereiro de 2014

    Olá, James! A escrita é realmente muito boa, mas a história, por algum motivo, não conseguiu me cativar =/ Bom, de qualquer forma, boa sorte!

  2. Pedro Luna
    25 de fevereiro de 2014

    Eu gostei da personagem da taróloga. Além disso, achei que o autor tem uma boa habilidade de descrição. Bom conto.

  3. Felipe Rodriguez
    25 de fevereiro de 2014

    “paixão com naftalina”, vou roubar isso. Dos que li até agora, foi o mais empolgante. As descrições estão muito boas e fazem as personagens praticamente pularem das linhas. Como crítica, tenho apenas a fazer em relação ao final, se uma ponte um pouco maior tivesse sido construída entre o penúltimo e o último parágrafo, esse belo conto fecharia com chave de ouro. Mas achei muito bom, mesmo assim. Parabéns.

  4. Frank
    23 de fevereiro de 2014

    Hahahaha…bem divertido, adorei como a sacada final broxou o clima “sensual imaginário” da cartomante…hahahaha. Essa coisa de amores não resolvidos pode predispor a problemas…hahaha. Bem bacana. Parabéns!!!!

  5. Tom Lima
    21 de fevereiro de 2014

    Não me agradou.
    Personagens superficiais e narrativa corrida, aceito bem um ou outro, nunca ambos no mesmo conto.

    Mas a escrita e boa, e a ideia interessante.

  6. Pedro Viana
    16 de fevereiro de 2014

    Conto pequeno, narrativa ágil e personagens interessantes. Gostei do final, mas achei-o muito abrupto (tive a impressão de que poderia ter ido um pouquinho mais longe). No entanto, é bom como um todo. Parabéns.

  7. Blanche
    13 de fevereiro de 2014

    Divertido, bem escrito e nada pretensioso. Está no meu TOP 10 com todos os méritos possíveis!

  8. Marcellus
    8 de fevereiro de 2014

    Bom conto, parabéns ao autor. Apenas alguns erros que passaram pela revisão e algo um pouco mais grave: “…de alguma maneira incandescer as partes mais emboloradas de seus porões.”. Uma infeliz escolha de palavras.

    O final pareceu apressado demais, quebrando um pouco do clima.

    Mas, como disse, é um bom conto. Parabéns e boa sorte!

  9. Thata Pereira
    7 de fevereiro de 2014

    Eu comecei a ler o conto frustada, questionando o motivo das duas não se reconhecerem. A surpresa do final foi bem bacana. Sem mais o que dizer. Gostei do conto.

    Boa sorte!

  10. Ricardo Gnecco Falco
    6 de fevereiro de 2014

    Muito bem escrito! Diria até tenebroso… Se eu fosse cartomante, certamente ficaria com medo desta história! (rs!)
    Parabéns!
    🙂

  11. Felipe França
    6 de fevereiro de 2014

    Olha… eu gostei do conto! O autor conseguiu colocar vida na protagonista, e sua alma metade, ou seria antagonista (rs), conseguiu transparecer também. Uma trama simples com o começo bem elaborado, entretanto senti que o final ficou “meio apressado”. O desfecho poderia ter sido mais detalhado, contudo creio que é muita exigência de minha parte. Boa sorte! Ao infinito… e além.

  12. mhs1971
    5 de fevereiro de 2014

    Um pouco rápido demais. Na descrição/ narração dos pensamentos da taróloga, achei meio ensebados. Os diálogos longos poderiam ser divididos para ter uma dinâmica de diálogo mais interessante. O final foi interessante mas poderia ter a inserção de elementos ligados à magia para uma finalização dramática. Um conto acima da média dos participantes.

  13. Paula Melo
    5 de fevereiro de 2014

    Adorei o conto,me cativou logo de cara.
    Parabéns e Boa Sorte !

  14. Rodrigo Arcadia
    4 de fevereiro de 2014

    ótimo conto. nada tenho pra apontar. personagem muito boa também.
    Abraços!

  15. Anorkinda Neide
    4 de fevereiro de 2014

    Muito interessante, bem conduzido do início ate o desfecho.

    Parabéns!

  16. Leonardo Stockler
    4 de fevereiro de 2014

    É por aí mesmo. Descrições na medida. Ótimo ritmo. Diálogos bons e convincentes. Elementos bem distribuídos, com um final que funciona. Gostei das pequenas digressões psicológicas. Ficaram confusas, mas isso não é um defeito. Na verdade, acho que é legal esse ping-pong entre o que é falado e o que é pensado. Conduziu muito bem, e quando eu vi, já tinha terminado. Parabéns!

  17. rubemcabral
    4 de fevereiro de 2014

    Gostei do conto e da puxada de tapete ao final. Bem divertido e bem escrito também.

    Muito bom.

  18. Harry
    4 de fevereiro de 2014

    Outro muito legal! Eu sei que meus comentário são sempre assim, mas é que estou achando os contos melhores que o meu, e estou gostando deles. Então não veja como falsidade minha! ^^ gsotei de verdade! Meus parabéns, e boa sorte!

  19. Bia Machado
    3 de fevereiro de 2014

    Um conto divertido, principalmente pelas últimas linhas, mas tive a sensação de que aconteceu tudo um pouco rápido demais, a meu ver podia ter brincado um pouco mais, mas isso é uma preferência minha como leitora, nada mais. Parabéns!

  20. ryanmso5
    3 de fevereiro de 2014

    Realmente um bom conto, bem escrito e com boa história. Outro que não tenho críticas “negativas”, até por pensar que outros farão de maneira melhor se houver o que dizer sobre. Meus parabéns!

  21. Claudia Roberta Angst
    3 de fevereiro de 2014

    Conto muito bem escrito com características que prendem a atenção do leitor. A narrativa mostra-se ágil, até bem divertida. Apreciei a linguagem, a ideia e principalmente o final. A cartomante sem chances, mas o autor do conto com muita possibilidade de um bom lugar no pódio. Parabéns!

  22. Gustavo Araujo
    3 de fevereiro de 2014

    Como é bom ler um texto bem escrito, envolvente, livre de erros. Narrativa primorosa, com uma sensualidade latente sem parecer vulgar. Muito bom mesmo, especialmente pelo suspense que prende o leitor até o fim. E, quando se chega lá, não se sabe ao certo se o destino decantado pela cliente já aconteceu ou ainda vai acontecer. Excelente. Parabéns.

  23. Jefferson Lemos
    3 de fevereiro de 2014

    Não gostei.
    Não consegui entrar na história e as personagens me pareceram superficiais.
    De qualquer forma, parabéns e boa sorte!

  24. Pétrya Bischoff
    3 de fevereiro de 2014

    Absolutamente mágico!
    Uma leitura agradável, texto muito bem elaborado. Notei somente um ou dois erros que vejo como de digitação, e não gramaticais.
    Não gostei do vocabulário “Paty”, meio que “rachou” o encanto do conto, mas não o quebrou rsrs 😉
    Me surpreendeu no final, como um golpe. Não, elas não terão outra chance :/
    Parabéns! Foi ótimo. Boa sorte 🙂

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 3 de fevereiro de 2014 por em Tarô e marcado .