EntreContos

Detox Literário.

Desconectado (Norfolk Shaun)

Não há o que fazer quando alguém quer criar e a Literatura e a Tapeçaria se interpõem em seu caminho. Nem mesmo a paisagem bucólica ajuda. E é fácil se questionar e encarar suas dúvidas. Queria estar em outro lugar.

Queria mesmo era ser uma pessoa mais normal, levantar cedo, entrar em um ônibus lotado e ser esmagado por algumas horas até o escritório, como suas irmãs. Ou ser um professor que se esmaga entre Planejamentos e projetos de EVA e TNT em um celta velhinho, como seus irmãos, talvez. Mas não! Nascido o caçula, ou melhor, o décimo sexto filho de uma prole onde doze eram mulheres, vivendo entre a oficina da avó e o ateliê das tias, cercado por um bando de irmãs, primas e sobrinhas, ele acabou se tornando um homem prendado.

Viver assim rodeado de afazeres comuns ao universo feminino e vendo pai e tios a correr, nas horas vagas, entre prateleiras e corredores de Lojas de armarinho para ajudarem as mulheres da família, ele acabou se tornando um escritor que borda, pinta e até tece tapeçarias típicas de seus ancestrais.

Só que hoje ele precisa parar tudo e correr porque precisa enviar o livro para a Editora e ainda lhe faltavam dois contos dos prometidos. Não que a nuvem não esteja repleta de textos prontos, inéditos até. Entretanto, em sua costumeira mania de exigir demais de si, resolveu que precisaria seguir um tema na nova Antologia e não tem absolutamente nada pronto.

E, hoje, ele sonhou com tio Euclides. No sonho, o velho bonachão lhe disse que executasse, com pressa, uma tela mortuária espanhola. E ele não entendeu a mensagem. Porém, a imagem está presa em seus olhos: o lobo chorando sob o corpo do filhote, enquanto a loba olha o nada. Nuvens escuras acobertam o sol vermelho que se esvai em sangue pelo horizonte. Os pássaros sombrios tentam se aproximar do lobinho sem vida. E, ao fundo, o inevitável caçador que se afasta levando no ombro uma montanha de peles indecifráveis.

É fechar os olhos e ouvir tio Euclides. Mas ele sabe que não vai conseguir fazer nem isso e nem os contos. Olha para o espaço e pensa na cena que se repete em sua mente. E tudo o que ele lembra é que não tem tecido egípcio no ateliê. O que fazer?

Sentado à frente do computador, o documento em branco não lhe chama. Faltam-lhe: tema, coragem, inspiração, assunto… 

.
De repente, como vindo do nada, uma flecha ultrapassa a janela da varanda e se deposita exatamente ao seu lado. Ao fundo, seus ouvidos captam o urro de um lobo. Ele reconhece o choro. Tarde demais entende o aviso.

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado em 5 de julho de 2021 por em Minicontos 2021, Minicontos 2021 - Grupo Pinscher.