EntreContos

Detox Literário.

Tenebroso (Tereza Santiago)

Na cidade de Manicoré tudo era silêncio. Quando os ponteiros do relógio se encontravam, o som do sino da igreja da matriz invadia as casas anunciando que já era meia noite. Fazia 8 anos que Potira tinha sido adotada pelos pais, Maiara e Kaluanã, depois que a filha única, Jurema, foi trabalhar em Portugal como gerente de uma agência de turismo. Naquela noite, Maiara havia feito sua pizza predileta: quatro queijos. Depois do jantar Potira ficou conversando com Kaluanã sobre os novos personagens das suas histórias em quadrinhos. Era meia noite, Maiara e Kaluanã já haviam se recolhido para o descanso, mas Potira estava ansiosa pela visita de todas as madrugadas. 

A janela estava aberta, o vento balançava a cortina devagar e seu coração batia cada vez mais forte. Potira chegou à janela, avistou a lua cheia que iluminava o céu estrelado e sentiu o vento gelado que lhe provocou pavor. Sentia muito frio, já eram duas da manhã, então adormeceu desanimada com a longa espera. Durante o dia o desanimo atormentava suas ideias e a garota não parava de pensar no encontro dessa noite que aquecia sua alma. Inquieta, não conseguia se concentrar na criação dos novos personagens que havia planejado.

Na saída da escola Kaluanã levou Potira na lanchonete da praça para comer hambúrguer, enquanto batiam papo sobre as novidades do dia. No caminho para casa ela caminhava ao lado do pai e admirava o céu fascinada pelas estrelas. Mais tarde, o sino da igreja badalava repetidamente avisando que era meia-noite. Potira estava sentada próxima da janela, admirando as folhas da árvore que caiam lentamente com o vento do outono. Estava aflita, os segundos, os minutos e as horas passavam e a solidão preenchia seu coração. Potira estava desapontada novamente, o relógio marcava 3h da manhã, suspirou fundo e foi dormir.

 Na manhã seguinte, a menina acordou chorando muito, a saudade dilacerava seu corpo marcado pela incerteza do próximo reencontro. Após o café da manhã, Maiara constatou que Potira estava com febre e carecia de cuidados. Então, decidiu que naquele dia a filha não iria à escola e repousaria até que a febre cedesse com medicamentos. No fim daquela tarde, a febre começou a baixar e Potira tomou um banho para saborear a sopa de verduras que Maiara havia feito para restabelecer a saúde. A garota pediu aos pais para repousar mais cedo, tinha esperança que essa noite fosse marcada pelo reencontro tão esperado.

Deitada na cama, a chuva caía e fazia um barulho no telhado que acalmava sua ansiedade. O sino da igreja começou a tocar avisando que era meia noite novamente e seu coração batia forte, muito acelerado. Era meia noite e meia quando Potira viu uma sombra na janela encoberta pelas cortinas do seu quarto, não cabia em si de felicidade e a temperatura do seu corpo voltou ao normal quando ele chegou. A chuva parou de cair e ela se dirigiu a janela emocionada.

Discretamente, levantou a cortina e avistou seu amigo Tenebroso. Desde que conheceu Caburé, Potira deu o nome de Tenebroso por que só tinha um olho que provavelmente era defeito de nascença. Longe de Potira fazia 3 dias, Tenebroso estava assustado, mas quando a viu deu um pio de felicidade. Para comemorar o reencontro naquela noite, Potira  e Tenebroso ficaram acordados até o raiar do dia. A amizade entre os dois fazia um ano, quando ele invadiu seu quarto na madrugada. Ao amanhecer, Potira continuou na janela e observou seu voo até o infinito com a promessa de um novo encontro.

21 comentários em “Tenebroso (Tereza Santiago)

  1. soniazaghetto
    28 de junho de 2020

    O conto é bastante simples e poderia ser melhor desenvolvido, trabalhando aspectos de solidão, ansiedade, expectativa e mistério. É um conto apenas ambientado na Amazônia, mas poderia ocorrer em qualquer outro lugar. A Amazônia não é central na trama.
    Sinistra, imagino que você esteja iniciando nas artes literárias e seja fascinada por suspense. Se for assim, continue.
    A trama em si é interessante e isso é importantíssimo: ter um plot inovador é o primeiro passo para um bom texto (seja conto, romance, crônica). Em seguida vem uma segunda parte igualmente importante: a maneira de desenvolver essa ideia. É essa parte que você precisa aprimorar. Tenho certeza que vai conseguir.
    Boa sorte!

    • soniazaghetto
      28 de junho de 2020

      Resumo: Potira, uma criança adotada, todas as noites aguarda pela vinda de uma visita misteriosa chamada por ela de “Tenebroso”. A visita se revela uma ave.

  2. Gustavo Aquino Dos Reis
    27 de junho de 2020

    Resumo:

    Potira, uma criança que fora adotada por um casal, todas as noites aguarda pela vinda de uma ave misteriosa chamada de “Tenebroso”.

    Impressões:

    Conto curto, com uma pitada de suspense.

    Creio que o enredo merecia mais. É uma história promissora e que desde o início teve a capacidade de prender a atenção do leitor.

    Porém, gostaria de ter visto esse trabalho como um tiro mais longo.

  3. Renata Rothstein
    25 de junho de 2020

    Oi, autor(a),
    Tenebroso: menina adotada por casal após a filha ir viver em Portugal tem o hábito de esperar todas as noites por um amigo-ave, chegando a ficar doente, se ele não vem.

    Conto curto e direto, bastante rápido, me surpreendeu, pois parece um rascuno de um grande conto. Veja, seu conto não é ruim, é bom, mas deveria ser mais aprofundado, da forma que eu eu, como leitora, esperava.
    Há algo além em Tenebroso? É mesmo um amigo imaginário, ou há algo mais nas entrelinhas?
    Parece um experimento, se for, vá em frente, que tem tudo no enredo para dar uma grande história.
    Desejo boa sorte no Desafio, parabéns!

  4. Jorge Santos
    25 de junho de 2020

    Com contornos de suspense este conto narra a história de uma menina que durante a noite recebe a visita de um pássaro, que passa com ela a noite. Pelo menos foi este o entendimento que fiz do conto. Podem haver segundos sentidos escondidos no texto, mas não os encontrei.

    O texto tem o problema das expectativas geradas pelo título, que indicava um texto mais impactante. Outro problema que não encontrei foi o da indicação de uma jovem que vai trabalhar como gerente de uma agência de viagens aqui em Portugal. É tão improvável que alguém sem experiência vá ocupar cargos de liderança aqui em Portugal como no Brasil. Passa uma ideia completamente errada da vida dos imigrantes aqui, que é bastante dura.

  5. Priscila Pereira
    24 de junho de 2020

    Resumo: Potira espera alguém que nunca chega, fica doente de tanto esperar, no fim, ele vem, um pássaro!

    Olá, Sinistra!!
    Você leva muito jeito pra suspense! Devia se especializar nisso. Uma dica: no suspense, o tempo tem que ser perfeito, não dê voltas, não fique enrolando, vá direto ao ponto, com calma, mas direto. Esse conto seria perfeito se cortasse todas as cenas desnecessárias, tudo que não importasse pra trama.
    Seria um micro muito bom!
    Eu gostei do conto! Mas podia ser bem melhor!
    É um terror para crianças, muito bem bolado!
    Parabéns e boa sorte!
    Até mais!

  6. cgls9
    24 de junho de 2020

    Resumo:
    Uma menina adotada faz uma vigília solitária, esperando uma aparição que deveria chegar depois da meia-noite. Ao final, revela-se que se trata de um pássaro com um olho só.
    Comentários:
    O conto é de uma singeleza rara, porém, tropeça nessa simplicidade. É coloquial demais, a rotina dos personagens não ajuda a desenvolver o enredo. Pareceu-me que muitas ideias lançadas não foram desenvolvidas e perderam força. O conto promete mais do que entrega e me perdoe se exagero, mas os nomes dos personagens, Potira, Jurema Maiara, muitos “batidos”, né? Veja, seu conto não é ruim, longe disso! O problema é essa impressão de falta. No mais, adianto-me em declarar minha completa ignorância – o caburé, se trata de alguma lenda amazônica? Boa sorte!

  7. Luciana Merley
    23 de junho de 2020

    Olá, autor
    Uma menina adotiva que aguardava ansiosamente todas as noites uma visita misteriosa. Descobrimos que se tratava de um pássaro (caburé ou pequena coruja) e que ela o apelidou de Tenebroso.

    Farei minha avaliação conforme os seguintes critérios: Técnica + CRI (Coesão, ritmo e impacto).

    Você usa uma linguagem bastante simples, ingênua por vezes, e que lembra uma escrita adolescente (não sei se é o caso). É uma linguagem adequada para contos juvenis ou infantis, entretanto, o conto apresenta outros problemas que precisariam ser corrigidos. O seu texto é bastante curto e retirando os “vai e volta” poderia ser transformado num ótimo miniconto. Permita-me dizer que o estilo conto, por ser uma escrita curta e de impacto, exige a escolha muito cuidadosa de todas as palavras e o preenchimento de cada espaço deve ter um propósito que vá contribuir para a compreensão do todo. Não é escrita para idas e vindas, para repetições de informações ou para divagações por temas secundários. Por ex: a informação lá no início de que ela foi adotada não pareceu acrescentar nada de relevante para a compreensão do todo.
    Algo bom é que você cria um suspense por uma história fantasmagórica e no final surpreende o leitor com a singeleza de uma criança e um amigo pássaro. Como eu disse, ficaria ótimo num texto mais curto e sem as repetições, por ex: você descreveu 2 cenas em que ela espera o sino tocar, o que ficou um pouco confuso.

    De todo modo, parabenizo pela ideia e espero revê-lo em outros desafios.

  8. Regina Ruth Rincon Caires
    20 de junho de 2020

    Tenebroso (Sinistra)

    Resumo:

    A história da menina Potira e do amigo Caburé (Tenebroso), de Maiara e Kaluanã (pais adotivos de Potira). Trata-se de um contar sobre espera; solitária, Potira aguarda a visita noturna do amigo Tenebroso.

    Comentário:

    Texto ingênuo que descreve a ânsia de uma garota pela chegada do amigo. A escrita traz a “doçura jovem”, o desabrochar dos traços. Mostra começo, e isso é bom.

    É uma história simples, lida com a descrição da ansiedade. Percebe-se um teor infanto-juvenil, e, com poucos acertos, poderia tornar-se um belo texto ilustrado.

    Quanto ao título e pseudônimo, são cristalinos.

    Parabéns, Sinistra!

    Boa sorte!

    Abraços…

  9. Alexandre Coslei
    18 de junho de 2020

    A menina Potira espera pela visita uma criatura que batizou com o nome de “Tenebroso”, um ser alado (não está explícito que é um pássaro), de um olho só e que com ela mantém uma relação de amizade. Potira costuma esperar sua visita desde que o conheceu.

    O texto tem uma ideia bonita, com personagens que apelam para a nossa emoção e sensibilidade. Escrito com correção, creio que tinha o objetivo de ser uma história curta. Acredito que neste ponto é que está a falha, a história ficou enxuta demais e talvez a ideia pedisse mais conexões, explicações e ampliação do enredo. Nada disso inviabiliza a criatividade da autora Sinistra, mas como cria expectativas no leitor, há o risco de frustrá-lo quando chega a o fim do conto.

    Esperemos que numa próxima, a autora possa tornar mais denso o seu inegável talento criativo e nos ofereça uma narrativa que contemple com justiça a originalidade de suas criações. Como leitor, justamente por ter me prendido ao texto, fiquei querendo mais. Boa sorte!

  10. brunafrancielle
    17 de junho de 2020

    Resumo: Potira conheceu um pássaro (ou anjo?) e desde então espera-o sempre após a meia noite. Um dia ele aparece, e se vai de novo.

    Estarei analisando os aspectos que EU considero mais importante, baseado nas minhas participações anteriores no certame. Sinta-se a vontade para descartar minha singela opinião se não concordar.
    ENTRETENIMENTO (foi um conto chato de ler? Maçante? Legal?) : Baixo. A história e a narrativa não me cativaram. Não há muito o que falar sobre, pois o enredo é simplório, sobre um pássaro que vem e volta.Nada acontece de interessante entre ele e Potira.

    COMPREENSIBILIDADE (levando em consideração a formulação de orações e a história em si. Há diálogos confusos e etc?): Boa

    CRIATIVIDADE/ORIGINALIDADE (eu gosto de ler histórias de coisas que não vi ou não pensei antes. Ideias óbvias não se sairão bem neste quesito.): Onde está a Amazônia neste conto, senão apenas no pano de fundo da história, que poderia se passar em qualquer lugar com uma janela? Não desista. Não me agradou, mas outros devem gostar e principalmente você deve gostar.

  11. Gustavo Araujo
    17 de junho de 2020

    Resumo: Potira aguarda todas as noites pela chegada de Tenebroso, um ser que visitara anteriormente. A ansiedade causa febres e perda de atenção nas aulas. Mas, enfim, o ser aparece e acalma o coração da menina.

    Impressões: um enredo infanto-juvenil que, embora bem escrito, se assemelha a um esboço de uma história maior. A trama se desenrola rapidamente, de forma bastante sensível, mas de modo tão-só superficial. Creio que um mergulho mais profundo, com mais metáforas fariam bem à narrativa. Do modo como foi apresentada, revela uma autora com muito potencial, mas que teve certo receio de ousar. Também não vi muita relação com o tema do certame, a não ser pelos nomes dos personagens. Mas é uma história bacana, daquelas que instigam as crianças. Houve um momento em que pensei que teríamos um plot twist, uma revelação bombástica relacionada aos pais ou à irmã que se fora para Portugal, mas não… Um tanto frustrado, percebi que era mesmo uma história para crianças. Sou mesmo uma pessoa egoísta… De todo modo, desejo boa sorte no desafio.

  12. Thiago de Melo
    16 de junho de 2020

    Resumo:
    Uma menina que se sente muito solitária espera todos os dias pela chegada de um amigo que entrou em seu quarto um ano antes e que diariamente a visita.

    Análise:
    O conto é bonito e casou perfeitamente com a imagem que ilustra a página do conto. A história está bem escrita, mas o enredo é bastante simples. Ainda assim, o autor consegue manter a tensão do leitor, que espera pelo desfecho para conhecer aquele amigo misterioso. Um bom trabalho, bem dentro do tema do desafio, apesar de ser uma história simples.

    Parabéns!

  13. Felipe Rodrigues Araujo
    15 de junho de 2020

    Menina aguarda noite após noite a visita de Caburé. Encontram-se e depois ele some pelo céu, deixando-a novamente na saudade.

    Um conto que se apresenta de maneira bem simples e poderia ser enquadrado como literatura infanto-juvenil. Embora esses dias de suspense em que Caburé não aparece deixem um climan de mistério de forma eficaz no conto, senti falta de elementos a comprovarem o porquê essa ligação forte entre ela e este personagem misterioso.

  14. Paula
    15 de junho de 2020

    O conto nos faz ansiar, juntamente com a protagonista, pela chegada de sua visita da madrugada. Ela sofre por três noites, cada vez que aguarda à beira da janela, mas sua visita não chega. Ao final, descobrimos que o visitante é um pássaro, a quem a protagonista chama Tenebroso. E o final é feliz, pelo reencontro dos dois. O conto está bem escrito. A narrativa é forte.

  15. Fheluany Nogueira
    15 de junho de 2020

    A menina Potira esperava por visita que não veio naquela noite e nem nas seguintes. A garota adoece, mas, ao final, surgiu um pássaro que só tem um olho. Ele vai embora com a promessa de voltar.
    Texto sensível, com personagens interessantes que eu gostaria muito de ver mais aprofundados. Mesmo em um espaço breve, construiu-se um enredo, o espaço e ainda um desfecho. O texto é redondo, mas a história em si, peca pela falta de um atrativo maior. Ainda que fosse algumas descrições a mais ou outro tipo de surpresa ao fim.
    Pareceu-me um argumento infanto-juvenil, sem ligação ao tema de desafio, a não ser pelos nomes dos personagens.
    Boa sorte. Parabéns pelo trabalho. Abraço.

  16. Vanessa Honorato
    15 de junho de 2020

    Menina que sofre com a ausência de um amigo que não vem lhe visitar. Ela espera por ele a meia noite e quando ele finalmente aparece, descobre-se que se trata de uma corujinha de um olho só.
    Eu conheço por aqui essa corujinha como de hábitos mais diurnos, inclusive sua cantoria, mas como ela é de hábitos tanto noturnos quanto diurnos, tudo bem. E se não me engano, tem dela em todo Brasil, não só na Amazônia. Pelo título e pseudônimo, comecei a ler esperando um conto sombrio, de suspense ou terror, o final foi um pouco decepcionante, portanto. A curiosidade para saber quem é a visita tanto esperada é boa. Leitura rápida e fácil.
    Abraços ❤

  17. pedropaulosd
    10 de junho de 2020

    RESUMO: Potira é uma criança criativa que toda meia-noite aguarda um encontro, adoecendo nos dias de espera. Por fim encontra o seu amigo, uma corujinha, e mata as saudades que a estavam matando.

    COMENTÁRIO: O conto funciona ao estabelecer a expectativa do encontro, de modo que se anseia pela chegada do tão aguardado amigo que Potira espera. Entretanto, com certeza houve espaço para um maior desenvolvimento. Por um lado, na adequação ao tema – pelo que prezo – faltou um maior sentido amazônico a estória. No máximo, os nomes das personagens e a espécie da ave amiga situam o conto próximo à floresta, mas para mim, a abordagem do tema sendo somente “espacial”, isto é: a Amazônia aparece apenas como o solo em que a estória se desenrola, é a mais pobre das abordagens. E até então tem sido uma repetição neste desafio. Por outro lado, as personagens não são exploradas e aprofundadas. Tem os pais e a criança, que escreve quadrinhos e espera por um pássaro, fora isso, não se sabe muito deles ou mesmo interessa. A expectativa acaba sendo a única coisa que sustenta a leitura e isso acaba pesando contra o texto quando a descoberta do final não é nada muito empolgante, apesar da promessa do conto de ser algo medonho. A reviravolta, portanto, perde a sua força, mesmo que de fato contradiga o que se espera. Também notei algumas vírgulas faltando.

    Como todo o texto em que me posiciono criticamente, gosto de incluir que espero que a avaliação seja construtiva, pois a ideia é mostrar onde há potencial e porque exatamente a leitura não foi tão envolvente quanto poderia ser.

    Boa sorte.

  18. Anderson Do Prado Silva
    9 de junho de 2020

    Entre Contos – Avaliação – Tenebroso
    Resumo: Garota faz amizade com um monstrinho, que lhe visita a janela e o quarto toda noite.
    Abertura:
    ( x ) surpreende: o autor foi capcioso na escolha do título e da primeira frase: “tenebroso” desperta curiosidade (quem ou o que é tenebroso? por quê?) e “tudo era silêncio cria uma aura de mistério.
    ( ) não surpreende
    Desenvolvimento (fluidez narrativa):
    ( x ) texto fluido: o texto flui bem, possuindo início, meio e fim bem estruturadinhos.
    ( ) poderia ser melhor
    Encerramento:
    ( x ) surpreende: “a promessa de um novo encontro”, além de ser uma frase poeticamente bonita, deixa tudo em aberto, permitindo voos na imaginação do leitor.
    ( ) não surpreende
    Gramática:
    ( x ) não identifiquei erros dignos de nota: talvez uma ou outra vírgula falte aqui e ali, mas nada grave demais.
    ( ) possíveis erros gramaticais
    Enredo:
    ( x ) surpreende: dentro do que o autor se propôs, o enredo atende bem. É uma história algo próxima do infanto juvenil.
    ( ) não surpreende
    Linguagem:
    ( ) surpreende
    ( x ) não surpreende: o autor emprega as palavras em seu sentido majoritariamente denotativo, sem muita poesia.
    Estrutura:
    ( ) surpreende
    ( x ) não surpreende: o autor se atém ao clássico início-meio-e-fim.
    Estilo:
    ( ) surpreende
    ( x ) não surpreende: não é possível extrair do texto nada que possa ser identificado como um estilo próprio do autor.
    Excertos dignos de nota:
    ( x ) sim: “voo até o infinito com a promessa de um novo encontro”
    ( ) não
    Inteligência:
    ( ) desafia a inteligência
    ( x ) não desafia a inteligência: o texto soa como infanto-juvenil, talvez daí decorra o fato de não desafiar de maneira mais acentuada a inteligência do leitor, que fica dispensado de grandes reflexões ou aprofundamentos.
    Avaliação final: Sinistra, continue escrevendo, participando de desafios e concursos literários e, sobretudo, lendo autores consagrados pela crítica especializada, sempre atento ao que eles fazem de melhor. Boa sorte no desafio!
    Anderson do Prado Silva

  19. Ana Carolina Machado
    8 de junho de 2020

    Oiiiii. Um conto sobre uma menina chamada Potira que depois que os pais se recolhem para descansar fica esperando uma visita que não vem naquela noite. Isso deixa muito decepcionada. Na noite seguinte o mesmo ocorre e a garota acaba ficando ainda mais triste e chega a ter febre, talvez devido a saudade. No fim o encontro finalmente ocorre e descobrimos que Tenebroso é um pássaro e que a amizade deles começou há um ano.
    É interessante como é mostrado a questão da expectativa que a menina tinha pelo encontro e como o fato dele não ocorrer nas primeiras noites impactou ela, pois quando se é criança uma expectativa que não vira realidade causa uma certa tristeza , por isso que acho que a febre pode ter sido disso . Acho que o texto poderia ter sido um pouco mais longo, tipo ter falado um pouco mais da região em que a história ocorre e ter mostrado mais da relação dela com os pais (talvez ter mostrado um momento em que eles notassem que ela parecia mais triste ). Parabéns pelo conto e boa sorte no desafio.

  20. Angelo Rodrigues
    7 de junho de 2020

    Tenebroso (Sinistra)
    Resumo:
    Menina tem um amigo que talvez seja um pássaro, o Caburé, AKA Tenebroso. Já no final da história, Tenebroso aparece. Só tem um olho, então ele voa com a promessa de um reencontro.
    Comentários:
    Conto curto falando da relação entre uma menina adotada, Potira, e algo que se insinua como pássaro de um olho só.
    O conto, no que diz respeito ao tema proposto, não tem significação. Apenas os nomes dos personagens insinuam algo amazônico, sem, no entanto, fincar bandeira na terra.
    Não costumo ligar a isso, não o farei agora, mas, imagino que um cuidado maior poderia tratar do assunto amazônico com alguma maior relevância.
    Não é o mistério, o pássaro caolho ou mesmo o nome das personagens que devem trazer força à narrativa, mas a trama, a força dos personagens.
    Os personagens vão atravessando a história e não são capazes de dar uma unidade narrativa, amarrar os acontecimentos em algo mais sólido.
    Imagino que o autor deva dar uma revisada no texto, amarrar a história, criar pontos de conflitos, que embora possam não ser essenciais, dão consistência à história.
    Acho que o conto pode prometer mais, entregar mais com alguma elaboração.
    Boa sorte no desafio.

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 7 de junho de 2020 por em Amazônia, Amazônia - Grupo 2 e marcado .