EntreContos

Detox Literário.

Um assassinato no escuro (Gustavo Henrique)

Era 7:00 da manhã e havia um velho batendo em sua porta com força, ela não queria abrir mas ele insistia… ela não abriu e então ele parou e o telefone tocou.

– Abra a porta, ou coisas ruins acontece com você! – era uma voz rouca e forte.

Ela colocou o telefone na mesa assustada demais, e começou a fechar a casa correndo, trancou tudo e então voltou ao telefone pra ver se tinha alguém ainda na linha.

– Eis a questão agora garota, você me trancou pra dentro ou pra fora?
E as luzes da casa se apagaram…

Anúncios

86 comentários em “Um assassinato no escuro (Gustavo Henrique)

  1. Felipe Teodoro
    27 de janeiro de 2017

    Olá. Provavelmente você é iniciante na arte da escrita. Dá pra perceber pq o conto peca na parte da escrita, que pode ser muito melhorada. Basta você ler mais e continuar escrevendo. Estudar. Sobre a trama, ela é muito boa e é uma pena ela perder seu brilho, devido a escrita. Enfim, mesmo com os problemas eu gostei, mas poderia ter gostado muito mais se o texto estivesse revisado.

  2. Victória
    27 de janeiro de 2017

    Eu gosto de textos de suspense/terror e a premissa é muito boa, mas não me cativou. Não achei o final tão surpreendente assim. Mas boa sorte!

  3. Pedro Luna
    27 de janeiro de 2017

    Infelizmente não gostei. A ideia é boa mas a execução deixou a desejar. Na verdade, posso estar errado, mas acho que é de alguém que começou a escrever agora ou não tem tanto costume. Pois enxerguei, além dos erros de revisão, uma dificuldade em estruturar as ações para validá-las. Esquecendo esses detalhes, o texto tem pontas soltas que não se justificam. Por exemplo, pq é um velho que está batendo na porta. Faria diferença se fosse um homem jovem? Ele a chama de garota na ligação, então é uma menina? Sozinha em casa as 7 da manhã?

    As luzes se apagaram, mas 7 da manhã já não é dia?

  4. Thayná Afonso
    27 de janeiro de 2017

    Certo, nada muito original, mas poderia ter ficado interessante. Se o texto tivesse sido mais bem trabalhado, eu teria gostado bastante, mas achei a escrita fraca e carente de uma revisão mais atenta. Boa sorte!

  5. Remisson Aniceto (@RemissonA)
    27 de janeiro de 2017

    Me interessei pelo tema e até pela oração inicial. Depois pensei que o erro gramatical pudesse ser proposital, mas não. Poderia ser melhor, independente destas falhas.

  6. Leandro B.
    27 de janeiro de 2017

    Oi, Verve.

    Achei a premissa meio clichê, remetendo ao clássico “Pânico” e a lendas urbanas estadunidenses. A revisão apressada também prejudicou o micro. Em um texto tão curto, temos que triplicar a atenção.

    Mas é isso mesmo. O exercício de escrever terror/horror nos dias de hoje é muito complexo e só pode melhorar com esforço e tentativa.

  7. rsollberg
    27 de janeiro de 2017

    Tem potencial de se tornar um bom conto de suspense, mas os erros e a estrutura deixaram muito a deixar. Nesse caso não da nem para separar a história da estrutura. Faltou revisão e maturação.
    De qualquer modo, parabéns e boa sorte

  8. Lohan Lage
    27 de janeiro de 2017

    Algumas falhas gramaticais comprometeram um texto super promissor. Uma pena. Gosto do tema.

    Obrigado!

  9. Fil Felix
    26 de janeiro de 2017

    Se tivesse uma pipoca estourando no fundo, poderia dizer que essa é exatamente uma cena de Pânico. A trama não é das originais, mas até que gosto bastante desse estilo de “terror”, da “ligação está vindo de dentro da casa”. Gosto mesmo, mas acho que faltou um pouco de sustança no texto, há falhas e nenhuma construção que salte aos olhos.

  10. Estela Menezes
    26 de janeiro de 2017

    Meu comentário vai apenas corroborar o que os demais já apontaram: uma história promissora, desde o início prejudicada por inúmeras falhas. Que pena!

  11. Gustavo Aquino Dos Reis
    26 de janeiro de 2017

    Diamante que precisa ser mais lapidado.

    É uma história bem clichê, que trabalha no mesmo tom dos roteiros de filme de terror Slash.

    Faltou uma revisão melhor.

  12. Simoni Dário
    26 de janeiro de 2017

    Um texto de suspense muito criativo no qual o autor narra de forma competente. Percebi alguns erros que travaram a leitura.
    Bom desafio!

  13. Srgio Ferrari
    26 de janeiro de 2017

    Ótimo. Só tem que revisar e reescrever de modo certo. Na verdade é uma joia suja de terra. Poderia estar concorrendo forte se não fossem os erros tão bobos.

    • Brian Oliveira Lancaster
      26 de janeiro de 2017

      E se trocássemos “erros” por “leitores”?

  14. Rubem Cabral
    26 de janeiro de 2017

    Olá, Verve09.

    Um bom conto de terror, mas comprometido pela escrita ruim. Há erros de concordância, pontuação, uso indevido de preposições, etc.

    Nota: 6.

  15. Lee Rodrigues
    26 de janeiro de 2017

    Poxa, Verve09…

    Sabe, eu li um recorte de cena da “Franquia Pânico”, o telefone toca, a voz rouca, a ameaça… ela corre, fecha a casa, o trem tá dentro…e ainda tem a “Samarinha”, mas essa dá o “tempo” certo.

    Mas é isso aí, tem que começar de algum modo, com referências, inspirações… use a seu favor, personalize, traga para o seu mundo, pegue a base e crie o seu. Leia, leia muito, isso ajuda a melhorar sua relação com a língua pátria e sua ortografia; aqui mesmo você vai encontrar excelentes autores, uma boa fonte para se beber, e se você já for alguém experiente e talls, perdoe a minha falta de percepção.

  16. Anderson Henrique
    25 de janeiro de 2017

    Gostei bastante da ideia e da capacidade que você teve em conduzir o texto. Mas não gostei tanto das construções. Tem vírgula sobrando aí que poderia ser trocada por ponto final para dar ritmo. Outras construções estão bem esquisitas e denotam que faltou cuidado na composição do texto ou perícia. “ela não abriu e então ele parou e o telefone tocou.” A formação dessa frase é um terror. Arrumando isso seu conto iria lá pra cima, mas ele tropicou nesses detalhes. Vamos trabalhar esse texto que ele ficará ótimo. A premissa é simples e o encerramento é ótimo.

  17. Cilas Medi
    25 de janeiro de 2017

    Um bom terror e ficou em aberto para decisão final pelo leitor. Erros acontecem e a pontuação foi uma falha que faz perder a emoção e a expectativa.

  18. Paula Giannini - palcodapalavrablog
    25 de janeiro de 2017

    Olá Verve,

    Tudo bem?

    Temos aqui um conto com uma boa premissa e uma ótima ideia que embora já bastante explorada no cinema pode render muito texto bom.

    Infelizmente, você pecou pela falta de revisão. Meu conselho é revise, revise, revise. Sempre que for submeter seus textos à leitura de outros. Principalmente em um desafio.

    Ainda assim, sua ver é muito boa e ser um bom contador de histórias é o mais importante. Revisão é o segundo passo. Mas precisa ser dado, tá?

    Beijos e boa sorte no desafio.

  19. angst447
    25 de janeiro de 2017

    Um pequeno conto de terror. Dentro ou fora? Ela está mais segura trancada ou se pôs em maior perigo? Não é algo que nunca tenha lido ou visto,mas achei bacana o suspense.
    Alguns probleminhas na estrutura – concordância verbal arranhada:
    Era 7:00 horas > ERAM sete horas
    coisas ruins acontece > coisas ruins acontecem
    O ritmo é de puro suspense, embora haja algumas pontas soltas que nos fazem pensar que o velho (talvez fosse melhor deixar a identidade do invasor oculta).
    Percebe-se que o autor gosta do que escreve e deve continuar nessa linha, mas desenvolver a técnica e aproveitar melhor suas boas ideias.
    Boa sorte!

  20. Daniel Reis
    25 de janeiro de 2017

    Conto de suspense e terror. Algumas pontas ficaram soltas, como: se o velho batia à porta, então ele estava fora. E se ele estivesse dentro, não teria ligado, teria ido até ela. Para mim, é isso. E, se as luzes apagaram, decerto ele desligo o disjuntor no poste, só pode. Quanto à técnica, o uso do verbo haver com gerúndio, no começo, dá uma ideia de ação contínua, enquanto acho que era episódica. Portanto, “um velho bateu em minha porta e eu abri…”

  21. Givago Domingues Thimoti
    25 de janeiro de 2017

    Gostei do enredo, mas os erros gramaticais quebraram a história. Uma revisão, uma mudança no título e o seu microconto seria top-20…
    Uma pena…
    Boa sorte!

  22. vitormcleite
    24 de janeiro de 2017

    História impactante que deixa o leitor meio indeciso sobre o que irá acontecer. Consegues criar uma atmosfera meia de terror que até me agradou na leitura. Parabéns

  23. Davenir Viganon
    24 de janeiro de 2017

    Um conto centrado na ação poderia ter mais diálogos e menos explicações didáticas. A ideia eu achei ótima e a forma está encaminhada mas do jeito que está não consegui gostar muito.

  24. Matheus Pacheco
    24 de janeiro de 2017

    Esse é um outro conto baseado em uma CreepyPasta, cara eu não estou tirando seu mérito porque o conto está bem escrito, mas é realmente bem parecido com eu acho a creepypasta do “Omegle” (eu não me lembro o nome).
    Um abração ao escritor.

  25. Sra Datti
    24 de janeiro de 2017

    Bom trechinho narrativo que se travestiu de suspense, com bastante coisa a se organizar. Booora lá!

    Conteúdo::
    Verve09, você matou a moça (e o texto) com um só título?
    – a gente já sabe que alguém vai morrer;
    – lá fora, a manhã já está acesa;
    – logo, o assassinato será dentro de algum lugar (mata-se a charada no primeiro parágrafo)!
    A não ser que houvesse outras variáveis.
    A personagem está em agonia, mas o leitor já encaçapou as bolas.
    Sugira mais e conte menos.

    Forma: pensei que você brincasse de Saramago:
    – faltam vírgulas, letras maiúsculas após os pontos finais e pontos finais no lugar de vírgulas;
    – Ai, esses verbos, como lá nas cabeceiras, “Era(m) 7h00”; “coisas ruins acontece(m) com você.

    Mas não se preocupe, pois tudo é treino…Assim como tudo na vida, escrever bem requer muita leitura, prática, paciência (pois que rastejamos um bocado, tropeçamos e temos de aceitar as críticas como lições) e persistência, ah, e paixão pela arte. Mesmo em tempos corridos, onde volta e meia perdemos a consciência e nos esquecemos de nós.

    Mãos à obra!
    Paz e bem!

  26. chrisdatti
    24 de janeiro de 2017

    Bom trechinho narrativo que se travestiu de suspense, com bastante coisa a se organizar. Booora lá!

    Conteúdo::
    Verve09, você matou a moça (e o texto) com um só título?
    – a gente já sabe que alguém vai morrer;
    – lá fora, a manhã já está acesa;
    – logo, o assassinato será dentro de algum lugar (mata-se a charada no primeiro parágrafo)!
    A não ser que houvesse outras variáveis.
    A personagem está em agonia, mas o leitor já encaçapou as bolas.
    Sugira mais e conte menos.

    Forma: pensei que você brincasse de Saramago:
    – faltam vírgulas, letras maiúsculas após os pontos finais e pontos finais no lugar de vírgulas;
    – Ai, esses verbos, como lá nas cabeceiras, “Era(m) 7h00”; “coisas ruins acontece(m) com você.

    Mas não se preocupe, pois tudo é treino…Assim como tudo na vida, escrever bem requer muita leitura, prática, paciência (pois que rastejamos um bocado, tropeçamos e temos de aceitar as críticas como lições) e persistência, ah, e paixão pela arte. Mesmo em tempos corridos, onde volta e meia perdemos a consciência e nos esquecemos de nós.

    Mãos à obra!
    Paz e bem!

  27. Miquéias Dell'Orti
    24 de janeiro de 2017

    Oi,

    Seu conto começou bem, criando tensão sobre o que aconteceria. O clima opressor de uma mulher sozinha em uma casa e com um desconhecido forçando a porta nos cria certa aflição.

    Porém, o final não me pegou. Como leitor, esperava algo mais arrematador, que me transmitisse mais impacto. O fato dele estar dentro da casa me deixou a impressão de clichê, porém, outros leitores podem gostar.

    Existem alguns erros de pontuação e gramática que fizeram a história perder um pouco o poder. Uma correção a deixaria mais bacana.

  28. Mariana
    24 de janeiro de 2017

    Uma revisão de palavras e pontuações seria interessante. A ideia é boa, mas nada que já não tenha aparecido em alguns filmes de terror.

  29. Luiz Eduardo
    24 de janeiro de 2017

    O começo me deixou bem instigado, mas no final parece que a história embolou um pouco. Ainda assim, acho que o grande mérito do conto é conseguir transmitir a apreensão sentida pela personagem. Boa sorte!

  30. Laís Helena Serra Ramalho
    24 de janeiro de 2017

    A narrativa podia ter sido melhor trabalhada. Ela conta demais, quando o texto exigiria o “mostrar”, aqueles detalhes que constroem o clima aos poucos e fazem o leitor ficar com medo junto do personagem. Da forma como foi escrito, o que poderia ser um ótimo conto perdeu o impacto.

  31. Vitor De Lerbo
    24 de janeiro de 2017

    Os erros gramaticais nos tiram do mergulho que o terror tanto exige. Fora que 7 da manhã, normalmente, já não está mais tão escuro, o que também me chamou a atenção.
    A trama é boa e a última fala do homem misterioso é ótima, mas esses detalhes acabaram se sobressaindo.
    Boa sorte!

  32. Thata Pereira
    23 de janeiro de 2017

    O enredo é bacana, mas a falta de revisão prejudicou muito o conto. Acredito que o pessoal já tenha citado a questão das palavras e pontuações, então vou falar algumas coisas na construção que me incomodaram:

    > a repetição de ela e ele no início;
    > “era uma voz rouca e forte” – quanto você fala de forma tão direta isso, nós não escutamos a voz rouca e forte, porque você já diz, escreva de uma forma que a gente consiga ouvir a voz rouca e forte;
    > “assustada demais” – mesma coisa, invés de escrever “demais”, “muito”, “pouco”, para intensificar sentimentos, descreva ações que demonstrem isso para o leitor sem você precisar dizer, pois, novamente, não conseguimos sentir o quanto ela está assustada.
    > “se tinha alguém ainda na linha”: ainda mais em um microconto, corte palavras desnecessárias. Para mim, o ainda fica sobrando na frase. Isso acontece também em “Eis a questão agora garota”, não acha que fica melhor tirando a palavra “agora”?
    > Reticências passa a impressão de continuidade e um ponto final indicando que as luzes apagaram e que acabou o desespero ficaria melhor no final.
    > Outra coisa são as ações muito rápidas, tipo assim: abri a geladeira, peguei a água, abri a tampa, segurei o copo, coloquei a água, fechei a tampa, bebi o líquido. Não dá tempo de pensar na ação anterior, pois tudo acontece de forma muito rápida.

    Espero ter ajudado!

    Boa sorte!

  33. Juliano Gadêlha
    23 de janeiro de 2017

    A premissa é muito boa e a narrativa até segue um caminho interessante, mas o texto é muito prejudicado pelos erros de pontuação, e até por construções que acabaram ficando longas demais, e até mesmo sem ritmo. Uma boa revisão e o conto ganhará muito. Continue com o bom trabalho!

  34. Renato Silva
    23 de janeiro de 2017

    O enredo, apesar de batido, me interessa; adoro suspenses. Mas no texto faltou um certo cuidado na elaboração do seu microconto. Faltou aquela revisão básica e pequenos erros acabam não sendo muito tolerados em microcontos. Veja, eu mesmo enviei o meu com um pequeno erro e, com certeza, serei penalizado.

    Logo no começo, um erro de concordância. Não “era”, mas “eram 7:00 da manhã”, pois se trata de um plural. Ex: uma hora, duas horas, três horas, assim em diante).

    Na frase “Abra a porta, ou coisas ruins acontece com você! “, você poderia dizer “Abra a porta, ou coisas ruins irão acontecer com você (ou “irão te acontecer”). Esse uso do verbo “acontecer” no presente ficou muito estranho.

    Percebi também uns errinhos de pontuação. São apenas 99 palavras, então qualquer erro, qualquer palavra omitida fica bem evidente e isso pesa bastante nas avaliações, já que temos pequenas obras primas neste desafio. No entanto, te parabenizo pelo empenho neste desafio e te desejo boa sorte.

  35. Thiago de Melo
    23 de janeiro de 2017

    Amigo autor,

    Achei que a sacada do “dentro ou fora” ficou perfeita para concluir o seu texto. Como já apontado por colegas, o seu texto precisa de uma revisão, mas o seu final me surpreendeu e fez seu conto subir no meu conceito. Gostei. Parabéns!

  36. Jan Santos
    22 de janeiro de 2017

    Lugar um tanto comum do “microconto de terror”, esse do assassino invisível, mas ainda assim uma estratégia válida para um concurso como este. Como já foi dito, só tenha mais cuidado com a revisão e procure ser um pouco mais inventivo se for usar uma estratégia já bem conhecida.

  37. Gustavo Castro Araujo
    22 de janeiro de 2017

    Bom suspense, mas que sofre um bocadinho com a pontuação equivocada – creio que o pessoal que já leu deve ter apontado. Gostei do mote, contudo. O final amarrou muito bem as pontas, gerando aquela sensação típica que se tem ao assistir um bom filme do estilo Sexta-Feira 13. Dentro ou fora – boa ideia para entrelinhas – um final aberto e que deixa o leitor pensando, afinal, se a protagonista conseguirá escapar. Enfim, com um pouquinho de revisão, este conto há de ficar ótimo.

  38. waldo gomes
    22 de janeiro de 2017

    Conto “trash” sobre clichê do assassino solto na casa.

    Merece uma revisão e melhor trato na maneira de contar.

  39. Glória W. de Oliveira Souza
    22 de janeiro de 2017

    Um texto que deixa certa confusão. Apesar dos detalhes na descrição, não há impacto dramático, quer na apresentação, quer na conclusão da narrativa. A minha compreensão da temática ‘apagou as luzes’ dos meus pensamentos.

  40. Luis Guilherme
    22 de janeiro de 2017

    Gostei da trama, bem como do desfecho!

    Coitada da mina, que angústia.
    Porém, achei que o texto carece um pouco na parte técnica, com erros de revisão e gramaticais.

    Por exemplo, “ou coisas ruim acontece com você”.

    Ainda assim, gostei do resultado! É criativo e bem contado.

    Parabéns e boa sorte

  41. Lídia
    22 de janeiro de 2017

    A única coisa que me incomodou foi o “acontece”… mas perdoo.
    Como o Dou disse, parece muito com a forma em que o assassino de Scream (tanto na série quanto nos filmes) se comunica com as vítimas.
    Adorei! Só precisava de uma revisão mais criteriosa…

  42. Tatiane Mara
    21 de janeiro de 2017

    Olá….

    Texto sobre um maníaco ou um trote.

    Infelizmente, a execução foi fraca. Mais que erros que precisam ser revisados, o estilo é adolescente demais.

    Boa sorte.

  43. Patricia Marguê Cana Verde Silva
    21 de janeiro de 2017

    O início é meio batido mas adorei o final. Me surpreendi! Parabéns!

  44. Tiago Menezes
    21 de janeiro de 2017

    Olá verve09. O conto é interessante e bem construído, mas com alguns erros gramaticais. Se fizer uma revisão ele ficará ótimo. Parabéns e boa sorte.

  45. elicio santos
    21 de janeiro de 2017

    Interessante. Os erros gramaticais pesam contra, mas a construção foi bem bolada. Sucesso!

  46. Vanessa Oliveira
    21 de janeiro de 2017

    Bem, fico imaginando como seria se isso tivesse ocorrido. Fiquei confusa em alguns momentos, afinal, que assassino liga para mandar a vítima abrir a porta? E como ele teria entrado se ela trancou todas as portas? Não me deixou muito instigada a descobrir o que aconteceria; talvez porque eu acabei de ler outro conto sobre assassinato, haha, então fiquei meio cansada do tema. Mas como conto, ‘tá tudo certo, não é tão aberto porque o titulo entrega o que acontecerá (ou não, não sei). Boa sorte!
    P.S.: se fosse eu, já ia direito pra cozinha arrumar uma faca, ahahaha.

  47. Amanda Gomez
    21 de janeiro de 2017

    Olá,

    Sacanagem, hein!… me peguei pensando em como eu reagiria em uma situação dessa, não sei se ficar trancada dentro de casa seria mais interessante, psicologicamente falando seria a pior ideia.

    O título já entrega o que vai acontecer, ele estava dentro, agora e só questão de tempo até cumprir com seu desejo de matar a coitada, motivo? não sei, mas . remete a filmes de terror comuns, o motivo é sempre banal.

    O suspense funcionou comigo, mas a execução de todo o resto ficou um pouco prejudicada pelos probleminhas na escrita.

    No geral um bom conto, boa sorte no desafio.

  48. Anorkinda Neide
    21 de janeiro de 2017

    Tá bom, se ela trancou tudo pode ter ficado escuro dentro de casa, ainda mais se for inverno e for no rio grande do sul rsrsrs
    o conto é bom, mas faltou uma lapidação no texto, coisa q se pega conforme for escrevendo mais e mais.
    abraço e boa sorte

  49. Andreza Araujo
    20 de janeiro de 2017

    Gostei da ideia num geral, e da conclusão de seu conto, mas acho que poderia ter sido melhor revisado. O título, infelizmente, acaba entregando mais que deveria, diminuindo o suspense.

  50. catarinacunha2015
    20 de janeiro de 2017

    MERGULHO de olhos vendados e mãos amarradas. Haja suspense. Aposta na ação bem sucedida. A execução simples não causou o IMPACTO desejado (esse título foi cruel). Cada palavra no microconto precisa ser forte, não só a trama. Uma boa ideia, logo vale revisão. Tapa com luva de seda desfiada.

  51. Tiago Volpato
    20 de janeiro de 2017

    Texto interessante. Faltou maior revisão, tem muito erros de concordância, isso prejudicou o texto. Abraços!

  52. Antonio Stegues Batista
    19 de janeiro de 2017

    A escolha do título não foi boa. Também notei alguns erros nas frases, que os colgas apontaram. O conto é bom, só precisava de uma boa lapidação. Eu trocaria a palavra “acontece”, por “acontecerão”, pois o velho não fez nada com ela, ainda. Percebe?

  53. Leo Jardim
    18 de janeiro de 2017

    Minhas impressões de cada aspecto do microconto:

    📜 História (⭐⭐▫): Bastante simples, mas fechada em si.

    📝 Técnica (⭐▫▫): Não gostei muito, há muita repetição de palavras próximas e pontuação irregular. Travou um pouco a leitura.

    💡 Criatividade (⭐▫): Não é muito criativo.

    ✂ Concisão (⭐⭐): Toda a informação está no conto.

    🎭 Impacto (⭐⭐▫): Existe um impacto interessante, mas o título estragou um pouco. Não fosse ele, acho que a revelação final teria funcionado muito bem.

  54. mariasantino1
    17 de janeiro de 2017

    Olá!

    Lembrou- me imediatamente de Scream. Achei legal, mas a execução com inúmeras repetições de ELA, além de cansar ainda faz voltar e ler mais de uma vez as linhas, porque trava a fluidez narrativa.

    Queria ter curtido mais, mas não foi possível.

    Boa sorte no desafio

  55. Douglas Moreira Costa
    17 de janeiro de 2017

    GAROTX, você assistiu Scream? kkkkk Eu gostei muito do final, e gostei mais ainda porque Scream tem uma cena assim mesmo, quando a Emma atende o telefone na casa dela. O problema é que ao longo do texto o suspense não se fez ver, não me fez sentir apreensão pela moça. Se tivesse sido um pouco mais trabalhado isso, o final teria um impacto ainda maior.
    Parabéns pelo conto. (Caso não tenha visto Scream, FAÇA-O)

    • Lídia
      22 de janeiro de 2017

      PARA TUDO QUE EU TAMBÉM PENSEI EM SCREAM.
      Também indico, caso não conheça.

  56. Guilherme de Oliveira Paes
    17 de janeiro de 2017

    Acho que há problemas na escrita e na forma, consequentemente. O conteúdo também poderia ter sido melhor desenvolvido de forma a dar mais identidade ao texto, torná-lo mais original. A mim soou um pouco como cena de blockbuster de suspense.

  57. Iolandinha Pinheiro
    17 de janeiro de 2017

    Para tudo! São sete horas da manhã e as luzes da casa se apagaram. Como assim Assassinato no escuro? Não estava escuro! Eram sete da manhã, e não precisava haver luz acesa, pois tudo estava claro. Sei não…

  58. Jowilton Amaral da Costa
    17 de janeiro de 2017

    Pô, se a execução tivesse sido um pouquinho mais elaborada seria um ótimo micro conto. No diálogo acho que tem um erro de concordância. A frase final do velho é muito boa, dá um bom suspense. No frigir dos ovos achei um bom micro conto. Boa sorte.

  59. Sabrina Dalbelo
    17 de janeiro de 2017

    É uma bela ideia e o final é surpreendente e legal de ler.
    A ideia é apavorar o leitor e acho que funciona.

    Só que…
    No início, a primeira frase ficou longa e cansativa, poderia ter sido enxugada.
    Ou seja, precisaria bem menos palavras pra dizer o que foi dito. O texto, ao que parece, portanto, precisa de uma revisão.
    Mas gostei muito da ambientação e da criatividade.
    Parabéns!

  60. José Leonardo
    17 de janeiro de 2017

    Olá, Verve09.

    A ideia é muito boa. Um sujeito, um maníaco, que inflige medo numa vítima que me parece aleatória, mas a respeito da qual se tem informações. (Por vigiar os movimentos dela?)

    O título nos leva à conclusão imaginada do seu conto. Em minha opinião, ele poderia ser modificado para algo que fosse de encontro à obviedade, pois o bom dos micro contos abertos é o leitor interpretar, algo que não ocorre sabendo-se que ela foi assassinada. Deixe o leitor pensar num desfecho diferente, isso é bacana.

    Faltou revisão final, mas acredito que, posteriormente, isso será feito. O importante é perseverar na escrita e continuar evoluindo.

    Boa sorte neste desafio.

  61. Victor F. Miranda
    17 de janeiro de 2017

    Acho que você perdeu oportunidades boas pra intensificar o suspense, entregou muitas coisas rápido demais. Achei mediano.

  62. Wender Lemes
    16 de janeiro de 2017

    Olá! As falhas de concordância e demais questões gramaticais poderiam ser relevadas se fossem restritas às falas dos personagens, mas acabam invadindo a própria narrativa, o que a deixa um pouco truncada. O conto busca a imersão no terror e permeia, talvez não tão intencionalmente, o humor. O resultado dessa mescla acabou ficando legal.
    Parabéns e boa sorte.

  63. Fabio Baptista
    16 de janeiro de 2017

    A ideia é boa, tem um jeitão de creepypasta, assim como outro conto que comentei recentemente aqui no desafio.
    Infelizmente, os problemas técnicos acabaram comprometendo, não permitindo uma completa imersão na história.

    – havia um velho batendo
    >>> seria melhor deixar a imagem de quem batia à porta em segredo, deixar o leitor formular a imagem

    – Abra a porta, ou coisas ruins acontece com você!
    >>> coisas ruins acontecerão

    – Ela colocou o telefone na mesa assustada demais
    >>> Ela colocou o telefone na mesa, assustada demais

    – Eis a questão agora garota
    >>> Eis a questão agora, garota

    – E as luzes da casa se apagaram
    >>> Seria melhor ser outro horário… 7 da manhã não deu a impressão de escuro que o conto pedia para funcionar (mesmo havendo a informação de que ela fechou toda a casa).

    Abraço!

  64. Fernando Cyrino
    16 de janeiro de 2017

    Um conto de assassinato que na minha ótica deixou a desejar. Achei que faltou um cuidado maior com a estrutura, da narrativa, bem como também uma revisão. Abraços de sucesso.

  65. Marco Aurélio Saraiva
    16 de janeiro de 2017

    Gostei da ideia. Muito boa!

    A execução está um pouco falha, meio seca demais e rápida demais, mas a imagem que formei na minha cabeça foi interessantíssima. Um bom microconto de suspense e terror, que só pede um pouco mais de esmero com as palavras.

    Frases como “Ela colocou o telefone na mesa assustada demais…” são muito diretas e descrevem demais. Se você narrasse que a mão dela tremia enquanto colocava o telefone sobre a mesa, ou algo parecido, o conto talvez ganhasse um pouco mais de sentimento.

    De qualquer forma, parabéns!

  66. Bruna Francielle
    16 de janeiro de 2017

    Bem, acho que é um micro conto fechado, pois o título indica que vai ocorrer um assassinato e que ele ficou trancado dentro da casa !
    Nesse caso, o título ajudou a desvendar o mistério, eu particularmente gostei disso, nem sempre acho legal um final em que não se sabe o que aconteceu.
    A história é simples, mas bacana. Claro que faltou um motivo pra ela morrer e tal.. tlvez uma dica nesse sentido deixasse mais completo
    Assim fica meio.. superficial demais. mesmo levando em conta o limite

  67. juliana calafange da costa ribeiro
    16 de janeiro de 2017

    engraçado o final. Acho q vc devia ter dado um pouco mais de atenção à revisão. Talvez algumas palavras pudessem ser mais fortes q outras, e Tb fiquei na dúvida: quando a Voz no telefone diz “coisas ruins acontece com você!”, esse erro de concordância é proposital? Ou passou batido na revisão? De qualquer forma, gostei muito do conto, parabéns!

  68. Ceres Marcon
    16 de janeiro de 2017

    Não sei se entendi. Tinha por pressuposto ser um suspense. O título me levou a pensar sobre isso. Aí ficaram as dúvidas. Quem é o velho? Por que a está perseguindo? É uma alucinação? Ela é louca? É sobrenatural?

  69. andré souto
    15 de janeiro de 2017

    A ideia é interessante.Parece haver faltado um pouco de “carpintaria” no texto,um certo acabamento.Lembra alguns episódios de Amazing Stories.

  70. Iolandinha Pinheiro
    15 de janeiro de 2017

    Coisas ruins acontecem a quem não faz a concordância correta…Acho que já ouvi este teu texto em alguma piada, então serviu para rir. Achei divertido o sujeito ameaçar a pessoa se ela NÃO abrisse a porta, fiquei pensando no que aconteceria se ela abrisse… No fim achei superbacana – um cult. Hahaha. Parabéns e boa sorte.

  71. Fheluany Nogueira
    15 de janeiro de 2017

    Interessante, mesmo com a previsibilidade marcada pelo título. A narrativa ficou parecendo cena de filme trash e mais prejudicada pelos deslizes gramaticais, pela ordem das palavras em algumas frases e pela escolha vocabular. Mas ficou bom o suspense criado e a ideia sugerida de que o escuro está na alma de cada um. Assim ficaria explicado porque “as luzes da casa se apagaram” às sete da manhã. Parabéns pela participação e abraços.

  72. Tom Lima
    15 de janeiro de 2017

    Ei ri em vários momentos, mas acho que não era esse o objetivo de verve09.

    A estrutura escolhida fez isso acontecer, e uma certa falta de revisão.

    Quando leio “– Abra a porta, ou coisas ruins acontece com você! ” eu já penso em uma protagonista sarcástica que responde “- Sério? E se eu abrir o que acontece? Nós tomamos um chá?”

    Ai se perde a tensão que parece ser o que Verve09 queria passar.

    Tem potencial, mas não funcionou comigo.

    Boa sorte. Abraços.

  73. Evandro Furtado
    15 de janeiro de 2017

    O texto traz uma vibe meio creepypasta bastante interessante. Peca, no entanto, na estrutura, tanto na questão da pontuação como da concordância verbal. Vale uma revisão nesse quesito. O conteúdo é bacana, bem amarrado. A colocação do assassino passa de uma ameça para um aviso. “Abra a porta, ou coisas ruins acontecem…”. Ele não queria entrar, mas estava dando-lhe a chance de sair, de escapar dele. O assassino, nesse caso, é um jogador. Ele faz uso do medo da outra personagem para se divertir.

    Resultado – Average

  74. Edson Carvalho dos Santos Filho
    15 de janeiro de 2017

    Uma conto de realismo fantástico interessante, caso fosse a introdução de um conto maior. A ideia dentro/fora é boa. Precisa seriamente de revisão, muitos errinhos fáceis.

  75. Olisomar Pires
    14 de janeiro de 2017

    Lamento dizer, mas está mal escrito.

    Os equívocos ou escolhas de palavras equivocadas chamam mais a atenção que o tema em si:

    – “ELA não queria abrir..”, “ELA não abriu”, “ELE parou”, quantos pronomes só primeiro paragrafo;

    – “E então ele parou E o telefone tocou” , ” E começou a fechar a casa… E então voltou”, muitos conectivos que não ligam, quebram o ritmo;

    – “Me trancou PRA dentro ou PRA fora” ? essa é de doer o ouvido.

    – 7 da manhã e as luzes se apagaram, dando a entender que o sujeito estava na casa, num filme de comédia seria uma cena muito boa.

    Enfim… estamos todos tentando melhorar.

  76. Andre Luiz
    14 de janeiro de 2017

    Achei o conto bem interessante, especialmente porque brincou com o leitor na última frase e fez com que eu voltasse pelo menos umas 3 vezes para ler e entender. Apesar de eu ainda ter ficado com uma pulga atrás da orelha e não ter decidido se ela o trancou dentro ou fora (rsrsr) foi um texto muito bom de se ler.

    -Originalidade(8,5): Mais um conto sobre assassinatos, porém desta vez a temática foi sobrenatural também, o que contou pontos. Você soube usar bem o mistério para construir o texto.

    -Construção(6,0): Apesar de o texto ter sido muito bom e o desfecho misterioso, eu acho que faltou uma revisão mais minuciosa tanto na gramática como no contexto geral. Algumas frases, se colocadas de forma diferente, poderiam até mesmo aumentar o impacto.

    -Apego(9,0): Eu fiquei extasiado junto com a personagem, na iminência de ser atacada. O escuro sempre me fascina e amedronta, e você o trouxe em seu texto de uma forma muito boa e competente.

    Boa sorte!

  77. Eduardo Selga
    14 de janeiro de 2017

    Complicado… Do ponto de vista formal o conto deixa muito a desejar. Temos horário escrito de modo equivocado, excesso de ele-ela no primeiro parágrafo, concordância errada em “[…] ou coisas ruins acontece com você!” (ACONTECEM), ambiguidade não estética em “ela colocou o telefone na mesa assustada demais […]” (A MESA ESTAVA ASSUSTADA?), preposição errada em “eis a questão agora garota, você me trancou pra dentro ou pra fora?” (POR ao invés de PRA).

    No último parágrafo (“e as luzes da casa se apagaram…”), se entendi bem, uma informação contraditória com o fato de a ação se passar de manhã: as luzes foram apagadas?

    Que trama resiste a tanto?

  78. Virgílio Gabriel
    14 de janeiro de 2017

    Muito bom o conto, mas existem alguns errinhos “coisas ruins acontecerão”, falta de vírgula… Bom, mas no geral, o que mais me agradou foi o tema. Me fez lembrar histórias do tipo “slasher”. Só faltou o assassino perguntar para a moça qual é o filme preferido dela. Parabéns, boa sorte.

  79. Bianca Machado
    13 de janeiro de 2017

    Chega até a ser engraçada a situação, li e cada vez eu achava graça em uma parte. Claro que essa situação vivenciada na realidade deve ser horrível, não quero nem imaginar se acontecesse comigo, mas imaginando assim, na ficção, quase como uma cena de “Todo Mundo em Pânico” é engraçado, sim. Acho que o último parágrafo estragou um pouquinho a sensação no final. Com a frase, sabemos o que houve. Sem a frase, ficamos desesperados, porque afinal, meu Deus, o que será que aconteceu com essa guria? O título também entrega, melhor ainda se não acontecesse isso. Quem sabe “Memento Mori”? É uma expressão que significa “Você vai morrer e não há nada o que se possa fazer a respeito disso”, rs. Faltou revisar um pouquinho mais, mas tudo bem, nada que atrapalhe a leitura. Parabéns e boa sorte.

  80. Brian Oliveira Lancaster
    13 de janeiro de 2017

    GOD (Gosto, Originalidade, Desenvolvimento)
    G: Excelentes sensações. Depois que veio o final e voltei ao título, fechou com chave de ouro. Não encaro como spoiler, pois muitos ignoram o título de primeira. Fazer sentido depois, pra mim, foi muito melhor. – 9,0
    O: Criativo dentro do que se propõe. Uma visão bem claustrofóbica após a pergunta final. – 9,0
    D: É claro que falta uma pequena revisão, e algumas frases poderiam ser mais trabalhadas, mas é um texto que ganha muito justamente pelo próprio “modo de contar”. O suspense vai crescendo e o final recompensa. – 8,0
    Fator “Oh my”: faltou um tantinho para alcançar a graça, mas leva boa nota por causa da construção em si.

  81. Priscila Pereira
    13 de janeiro de 2017

    Olá Verve09, gostei da ideia do seu texto, mas o título entrega tudo não é?? O legal é ficarmos na dúvida, perguntando se ele está dentro ou não… mas com esse título… Você fez de propósito o erro na fala do velho? “coisas ruins acontece com você” não seria cosas ruins acontecerão com você?? Boa sorte aí!!

  82. Zé Ronaldo
    13 de janeiro de 2017

    Conto aberto, maravilhoso, tipicamente microconto. O leitor deve encontrar a sua verdade no texto. Ficar remoendo e, então, gritar “eureka!”. A filosofia do texto está toda centrada na última fala. pode, ainda, ser um tema metafísico: E nós todos não trancamos nossos próprios algozes dentro de nós mesmos?

  83. Evelyn Postali
    13 de janeiro de 2017

    Eu não entendi muito bem o seu conto. Para mim, está faltando um sentido, aí. Talvez tenha que reler em outra ocasião para buscar um novo entendimento.

    • Evelyn Postali
      13 de janeiro de 2017

      Estou aqui e reli o seu texto. Ontem já havia lido várias vezes. Não conseguia perceber o sentido de tudo. Lendo o comentário do colega Zé Ronaldo, consigo entender um pouco mais a construção toda.

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Informação

Publicado às 13 de janeiro de 2017 por em Microcontos 2017 e marcado .