EntreContos

Literatura que desafia.

A Porta (Thales Soares)

the_dark_door_by_scarielle-d310mz2

No início, havia apenas uma porta.

“O que há por detrás dela?”, perguntava-se Julia, temendo transpassa-la.

Não, a madura garota não a abriu. Não naquele momento. Optou por prolongar sua curiosidade por incontáveis dias, mergulhando sua mente em devaneios.

Certo dia, ouviu-se uma voz vinda do outro lado. Tão sombria quanto um crepúsculo no inferno, a voz pedia que Julia abrisse a porta.

“Não!”, disse Julia, amedrontada, temendo o pior.

A voz então começou a barganhar: “Se você abrir, realizarei o maior dos seus desejos”

Julia mergulhou seus pensamentos em prazeres ocultos e desejos secretos. A voz sombria poderia estar mentindo, mas e se fosse verdade?

Assim, ela cedeu.

O demônio do outro lado da porta sorriu.

Era tarde demais…

O demônio embusteiro, com sua genitália do tamanho da de um cavalo, estuprou Julia durante quase três séculos ininterruptos.

Quando enfim gozou, um novo universo nasceu.

Um universo de arrependimentos.

 

Anúncios

61 comentários em “A Porta (Thales Soares)

  1. Fabio D'Oliveira
    29 de janeiro de 2016

    ௫ A Porta (Sr. Wilson)

    ஒ Estrutura: Escrita fantástica e magistral. Simples e profundo, ao mesmo tempo. São nas suas contradições que vemos que o texto é completo. Wilson merece os parabéns!

    ஜ Essência: Uma estória sombria, onde a protagonista se encontra numa situação insólita, com um final chocante. Não há mais nada além disso.

    ஆ Egocentrismo: Gostei bastante até o final. Não desgostei do final, mas acho que o autor poderia ter feito algo mais surreal.

    ண Nota: 9.

  2. Tamara Padilha
    29 de janeiro de 2016

    Ah não, eu não consegui gostar. Primeiro achei que era algo de fantasia, depois algo infantil… não sei, ficou um tanto estranho e simples demais esse final.

  3. Nijair
    29 de janeiro de 2016

    .:.
    A Porta (Sr. Wilson)
    1. Temática: Fantástico.
    2. Desenvolvimento: a abertura dessa porta rendeu muito – três séculos de sexo cavalar, nossa! Beira ao fantástico! Já imaginou três séculos de amor, paz, harmonia? Maravilha, não!
    3. Texto: Transpassá-la.
    4. Desfecho: Três séculos de sexo deixam frutos, muitos frutos. Ainda bem que houve arrependimento, diferido, mas houve.

  4. mkalves
    28 de janeiro de 2016

    A cena vaga de uma moça em um local que não consigo materializar na mente, esperando (o quê?) sem justificativa, alimentando uma curiosidade que não se sustenta na narrativa não me fisgou. Um demônio do outro lado da porta para fazer sentido tem de estar em um contexto que me convença. Um estupro de três séculos não contém a violência autêntica que talvez o autor desejasse expressar. Talvez seja um universo vasto demais para caber em 150 palavras.

  5. Swylmar Ferreira
    27 de janeiro de 2016

    Bom enredo. Iniciou o conto com uma linha infantil e no final passa para terror?
    Não sei. Achei o final bastante metafórico e bem criativo.
    Boas sorte.

  6. Nijair
    27 de janeiro de 2016

    Parei na alegoria genital… Desnecessária, mas válida. Boa sorte!

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 14 de janeiro de 2016 por em Micro Contos e marcado .