EntreContos

Detox Literário.

Queda – Poesia (Francisco Ferreira)

Calcar na rocha a rubrica da dor

tatuar no sangue espesso

cristalizar signos

da cruz de todo o dia.

 

Pictografar a pele

na tortura do voo revés

desguarnecido das asas

com que sonhei-me anjo

ou pássaro…

 

Tanto mais a vida me reflui

mais me infinito em paradoxos.

Assimilo-me às pedras e perdas

faço-me montanhas. Túmulos…

 

No desamparo da queda

apeado de asas

em múltiplas âncoras

álibis ou habeas-corpus tão inúteis.

 

O voo se desata no chão.

Anúncios

6 comentários em “Queda – Poesia (Francisco Ferreira)

  1. Anorkinda Neide
    17 de agosto de 2015

    É um poema bem trabalhado, sem dúvida… mas me deixa dúvidas… hehehe

    Os dois primeiros parágrafos: pictografar, tatuar, calcar, cristalizar signos, achei tudo a mesma coisa, como sinônimos para ‘encher’ o poema.

    Tanto mais a vida me reflui

    mais me infinito em paradoxos.

    Adorei isto! achei este verso maravilhoso! e simplesmente, ele vive sozinho, acho q nem encaixa neste poema, pra dizer a verdade.

    e novamente: desguarnecido de asas, apeado de asas, voo se desata no chão…. tudo a mesma coisa… poderia dizer isto uma só vez, num verso só. O poema ficaria mais forte.

    A mensagem é muito bonita e intimista, cortando repetiçoes de ideias, daria um belo e forte poemeto!

    Abração

    • Anorkinda Neide
      17 de agosto de 2015

      desculpe nao sao parágrafos e sim, estrofes!
      kk a leitura de contos me perturbou!

  2. William de Oliveira
    30 de junho de 2015

    “Assimilo-me às pedras e perdas/ faço-me montanhas. Túmulos…”

    Muito bom Francisco, eu me apropriei da poesia no primeiro trecho, encarnei as palavras.

    “tatuar no sangue espesso/ cristalizar signos/ da cruz de todo o dia”. Me serviu a carapuça é muito do que faço, pois sou todo marcado, algumas marcas não escolhi, mas a maior parte delas costumo dizer que marco minha pele que por tantas vezes me marcou.

    Enfim, fiquei muito satisfeito em ler seu poema.

  3. Francisco Ferreira
    29 de junho de 2015

    Obrigado, Vitor Leite e Juliano Marques, curtam o meu blog http://impalpavelpoeiradaspalvras.blogspot.com.br/ onde poderão ler outros dos meus poemas.

  4. vitor leite
    27 de junho de 2015

    olá Francisco, parabéns pelas imagens que apresentas, algumas muito interessantes. gostei muito da frase final. muitos parabéns

  5. Juliano MARQUES
    25 de junho de 2015

    Que belo poema, um final surpreendente. parabéns gostei muito.

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 25 de junho de 2015 por em Poesias e marcado .