EntreContos

Detox Literário.

Viagem aos seios de Catharina (Thiago de Castro)

O pastor Adalberto escutava, em sua sala, reclamações de um casal. 

— Estou cansado. 

— Do meu esforço na cozinha, das crianças?

— Faz seis meses que a gente não…

— Da roupa lavadinha toda semana?

— Como posso falar isso em termos bíblicos?

— Peguei ele fumando escondido na varanda. Sabia, pastor?

— Valéria, você prometeu…

— Fica pior, era um Eight vermelho!

— Pastor, caí em tentação, hábitos do mundo, mas quando uma coisa tá em falta, a gente compensa noutra. 

— Achei o maço atrás da descarga, praticamente vazio!

— Fumei só um, joguei o resto fora!

— O ralo da varanda entupido de bituca!

— Há quanto tempo você não lava a varanda?

— O cheiro fica na barba, na roupa, aí que não consigo mesmo…

— Tá vendo? É uma conspiração!

— O que me garante que você parou de fumar?

— Eu já fumava antes de te conhecer!

— Você não era convertido!

— Você já, nem por isso esperamos o casamento para…

— Gregório!

— Não era para falar tudo? Então coloca na mesa!

— Pastor, eu ainda era jovem na fé…ingênua.

— Ingênua? Só na fé. 

— Pastor? 

O pastor Adalberto cochilava. Num breve sonho de sono discreto, as palavras do casal povoaram seu inconsciente, reconstruindo lembranças da juventude: sua primeira vez com Catharina, os cigarros que fumavam juntos, a conversão por causa da amada, o tempo deles na igreja, ela tentada pelas coisas do mundo, Adalberto trocado por um projeto de hippie, a dedicação à vida missionária para lidar com a frustração, o casamento com Mariângela, frígido, sua morte prematura, as promoções como pastor.

— Pastor, está passando mal?

— Ah, perdão — se ajeita na cadeira — Com a idade, o corpo exige o dobro de concentração. O caso de vocês?

— O cigarro, pastor!

— E problemas de intimidade. 

Suspirou, apanhou a velha bíblia à procura de algum versículo genérico que dispensasse o casal. 

— O que dizem as escrituras? 

Abriu. 

— Cânticos! Capítulo oito, versículos seis e sete. 

Leu em pensamento, depois murmurou baixo para si mesmo. O casal aguardava ansioso. 

Marcou a página, fechou o livro. 

— Vocês se amam?

— Pastor?

— Imagino que sim, para trazerem tantas questões para um velho pastor. Meu conselho: deixem os filhos com os avós e aluguem um chalé. Uma semana. Conversem bastante, de preferência, acompanhados de uma boa taça de vinho e fondue. Não dou cinco dias para você largar o vício e você voltar a sentir tesão.

— Pastor? — Gregório engasgou.

— E o versículo? 

—  Não precisa. A vida é uma só, depois da ressurreição não guardaremos lembranças da experiência terrena, nem dos vínculos que aqui criamos. Isso já basta. 

— Só?

— Estão dispensados, preciso preparar o sermão do culto da noite. 

O casal se levanta. 

— Ah, Gregório!

— Sim, pastor?

— Você tem um maço de cigarro aí, não tem? Deixa aqui. 

Gregório apalpa constrangido o paletó e coloca o maço na mesa: um Eight.

— O isqueiro também. Obrigado. Agora vão na paz de Cristo!

*

Sozinho, Adalberto reabriu no versículo marcado. Colocou os pés sobre a mesa, acendeu o cigarro. 

Catharina estaria viva? Ainda casada? 

Deu um trago e nebulou a sala.

Moraria na mesma casa? 

20 comentários em “Viagem aos seios de Catharina (Thiago de Castro)

  1. Elisabeth Lorena
    24 de julho de 2021

    Um conto sobre tentações nada cristãs, porém muito humanas. Sobre hipocrisia e falta de sinceridade pessoal.
    Infelizmente, pelo excesso de gente sem responsabilidade com suas escolhas religiosas e pessoais, é um texto que agride um pouco as escolhas do outro.
    De Catarina só lembranças…
    Sorte no Desafio.

  2. Matheus Pacheco
    18 de julho de 2021

    Resumo: História comenta sobre um pastor que estava aconselhando amorosamente um casal com problemas conjugais. Ele queria sexo, ela queria atenção e o pastor se lembrou de sua antiga paixão e seus antigos vícios. Ele amava Catharina e, ainda por cima, fumava.

    Coisas que gostei: Achei o texto super cômico, adorei os personagens, as conversas e o Pastor, adorei o final.

    Coisas que não gostei: Gostei do texto em sua totalidade.

  3. Ana Carolina Machado
    18 de julho de 2021

    Oiii. Um miniconto sobre lembranças que foram despertadas por meio de uma conversa com um casal que apresentavam alguns problemas no casamento. O texto me lembrou daquele conto do Machado de Assis, em que a mulher idosa relembra uma história de amor do passado dela ao ouvir o relato de uma neta. Parabéns pelo texto e boa sorte no desafio.

  4. Fabiano Sorbara
    18 de julho de 2021

    Muito do que o texto passa através dos diálogos poderia ser feitos com o uso da narrativa. Isso daria um ganho ao conto, principalmente mostrando a falta de interesse, sonolência do Pastor, já que no final o leitor descobre que a narrativa é mais sobre o religioso do que o casal.
    O legal do texto é que ele tem um bom humor. O absurdo da situação foi bem explorado.

  5. Raquel
    18 de julho de 2021

    Ótimo!!!
    Um título inspirador, leitura fluida e super divertido! 😂🤣Diálogos perfeitinhos. Bom dimais da conta moço. Tô curtindo com um cigarrinho em brasa.
    Nota 10.

  6. Regina Ruth Rincon Caires
    17 de julho de 2021

    Viagem aos seios de Catharina (Mefistófeles)

    Comentário:

    Coitado do pastor Adalberto! A DR do casal serviu para remexer nas lembranças trancadas na memória do religioso. Solução para o casal ele nem tentou achar, mas o encanto de Catharina retornou. Haja cigarros…

    Texto bem escrito, o autor optou por construí-lo em diálogos. Não é fácil. Interessante a “lavagem da roupa suja”, divertidas as frases entrecortadas (por respeito ao pastor). Não há como não sorrir. Leitura bem leve.

    Não encontrei qualquer deslize de escrita, a linguagem é simples e fluente.

    Parabéns, Mefistófeles (aliado de Lúcifer?)! Misericórdia!

    Boa sorte no desafio!

    Abraços…

  7. Andre Brizola
    17 de julho de 2021

    Olá, Mefistófeles!

    Conto sobre um pastor que parece um tanto desiludido e desencantado com sua profissão. Já com certa idade, Adalberto é levado a relembrar seu passado graças à discussão de um casal, durante um aconselhamento.

    Olha, o conto está bem escrito. Os diálogos são realistas e adequados à proposta que o enredo nos proporciona. Não há problemas técnicos que tenham me atrapalhado durante a leitura e achei que o ritmo imposto deixa tudo muito fluido e limpo (até pelo fato de ser escorado em diálogos, em sua quase totalidade).

    E é difícil de especificar o motivo, mas não consegui ser atraído pelo enredo. O casal discutindo seus problemas conjugais me pareceu adequado, mas o pastor Adalberto, bonachão, cochilando na frente dos fiéis, não me agradou. Acho que a mudança daquele pastor do início do texto, que cochila, para aquele que sugere vinho e fondue, e que fuma um cigarro qualquer dentro da igreja, é drástica demais. Mas essa é apenas a minha visão. Tenho certeza de que outros leitores não ficarão incomodados com isso.

    É isso. Boa sorte no desafio!

  8. Catarina Cunha
    17 de julho de 2021

    MINI – Diálogo rápido com linguagem direta bem construída. Precisei reler para entender quem falava com quem em alguns momentos. Depois entendi a presença muda do pastor no diálogo.

    CONTO – Crônica gostosa do cotidiano com bom título. Lá estavam os seios da minha xará no inconsciente do pastor.

    DESTAQUE – “A vida é uma só, depois da ressurreição não guardaremos lembranças da experiência terrena, nem dos vínculos que aqui criamos.” Ah, se eu sou soubesse teria pecado muito mais. Rsrsrs….

  9. DAYANNE DE LIMA PINHEIRO
    15 de julho de 2021

    Um conto cotidiano sobre as memórias e frustrações de uma escolha errada entre “Deus” e o “Mundo”. Gostei de como a voz narrativa dos personagens se sobressaem de tal forma que dispensa o verbo dicendi. Parabéns!

  10. Fernanda Caleffi Barbetta
    13 de julho de 2021

    Olá, Mefistófeles, gostei bastante do seu miniconto. A meu ver, é realmente um miniconto, um texto escrito para ocupar este tamanho.
    O conto é divertido, flui bem. Gostei do final, apesar de ser bastante previsível.

    O diálogo está bem feito, bastante natural, verossímil. Parabéns.
    Apenas estes dois, abaixo, me incomodaram:
    “— O que me garante que você parou de fumar?”
    “— Eu já fumava antes de te conhecer!”
    Esta pergunta dela sobre ele ter parado de fumar não fez muito sentido porque até ali não houve esta promessa; além de ter ficado claro, na conversa, que ele não tinha parado. E a resposta dele também não pareceu algo que alguém responderia à pergunta dela, não encaixou… mas ai pode ser coisa minha.

    Cuidado com as pontuações nos diáologos. Exemplo:
    “— Ah, perdão (ponto final) — se (Se) ajeita na cadeira (ponto final) — Com a idade”

  11. Giovani Roehrs Gelati
    13 de julho de 2021

    Parabéns pelo conto.
    Uma sequência muito boa de diálogos, trazendo questões costumeiras de relacionamento à baila e humanizando um religioso, com suas imperfeições e raciocínio de pessoa comum.
    O texto é bem-humorado e apresenta a mulher como quem faz as tarefas da casa, mas não alguém que se satisfaz com esses afazeres, como muitas religiosas assim entendem, mas como alguém indignada com os vícios do marido e a não participação nas tarefas da casa.
    O final ficou bem legal também.

  12. Paulo Luís Ferreira
    12 de julho de 2021

    Resumo: Casal participa de uma sessão de lavagem-de-roupa-suja com o pastor, o qual passa por divagações de sua vida na juventude, com as mesmas prevaricações do casal
    Gramática: Nada a contestar. Escrita sem problemas de gramática
    Comentário: O conto trata de uma sátira dos confessionários religiosos, que o faz com muito bom humor. Um conto leve, sem muitas pretensões, mas passa como uma boa crônica da vida conjugal. Embora a ideia do tema dê asas para mais explorações.

  13. Kelly Hatanaka
    11 de julho de 2021

    Olá Mefistófeles!

    Amei o pastor Adalberto! Aposto que ele ajudou Valéria e Gregório muito mais do que faria o versículo que ele abriu a esmo e não leu.

    Em poucas linhas, você contou duas histórias ótimas, com personagens muito reais e por quem a gente torce muito naturalmente.

    Um conto leve, agradável, com humor. Um verdadeiro alívio!

    Parabéns!

  14. iolandinhapinheiro
    10 de julho de 2021

    Boa noite, Mefistóteles.

    Parabéns pelo texto divertido, leve, pelo pastor não convencional, pelo texto que mesmo predominantemente em diálogos tenha conseguido me manter interessada até o fim.

    Gostei.

    Você fez um trabalho muito bom com a mistura de diálogos e um número limitado de palavras.

    Não tenho correções a fazer.

    Parabéns e sorte no desafio.

  15. claudiaangst
    10 de julho de 2021

    Casal buscando aconselhamento acaba por despertar memórias da juventude de Adalberto, o pastor.
    O diálogo entre o casal e o pastor deu ritmo mais ligeiro ao conto. A leitura é bastante fluída e o final traz um devaneio. Ficamos imaginando se o pastor vai procurar Catharina ou não.
    Bem escrito, linguagem coloquial e clara. Narrativa que se desenrola com facilidade mesmo sem apresentar muita ação e sim reflexão. A vida é curta demais…
    Parabéns pela participação e boa sorte no desafio.

  16. Júlio Alves
    10 de julho de 2021

    Sempre gosto de histórias que se passam em meios religiosos, e a sua me deixou bem contente. Gosto dos elementos, do cigarro Eight (deus me defenderai), e da aplicação do versículo e o modo como o diálogo vai se autoexplicando pela voz consistente das personagens.

    O pastor corrupto e considerado guia espiritual eu achei muito bom. Fiquei esperando uma quebra de expectativa maior de acordo com o que estava sendo me apresentado (como se Catharina na verdade fosse a mulher que ele falava com), mas, no fim, ainda foi um bom conto.

    De ressalva, tenho apenas que o pastor (pelo menos não os que eu conheci) não falaria tesão, mas o conto é teu, então o que tenho eu a ver hahaha abraços, parabéns pelo conto!

  17. Victor O. de Faria
    9 de julho de 2021

    BOI (Base, Ortografia, Interesse)
    B: “Pois o amor é tão forte como a morte”. Um texto bem humorado e critico ao mesmo tempo. Tem aquela pegada de apenas diálogos, mas é fácil de compreender quem está falando o quê. Uma boa passagem irônica e sarcástica.
    O: A escrita flui bem. Só senti falta de alguns “disse ele”, “disse ela”, mas no fim, consegui captar tudo.
    I: Um texto que vai dividir opiniões. Não sou muito fã de textos cotidianos e ainda mais polêmicos, mas gostei do que foi apresentado, pelo seu estilo e construção de comédia dramática.
    Nota: 9

  18. Priscila Pereira
    9 de julho de 2021

    Olá, Mefistófeles!
    Quase todo em diálogo, o seu mini tem uma história que coube perfeitamente, está bem narrado, bem escrito e descrito e até verossímil.
    Não posso dizer que gostei do conteúdo, mas a forma está muito boa.
    Boa sorte!
    Até mais!

  19. Eduardo Fernandes
    7 de julho de 2021

    Muito bom texto, excelente ritmo.
    Dos diálogos que li, provavelmente terá sido o melhor.

    Como costumo dizer, texto é como carro velho, se procurar problema, acha.
    No teu caso, vou deixar quieto porque ele é uma lufada de ar fresco.

    Mas para não dizerem que fiz comentários “rasos”, o parágrafo do pastor a cochilar quebrou muito o ritmo do texto. Podias ter feito a mesma coisa de uma forma muito mais dinâmica, o que resultaria num texto muito melhor.

  20. Anderson Prado
    5 de julho de 2021

    Após ouvir o depoimento de um casal, pastor se arrepende das escolhas que fez na vida.

    É um bom conto. Está bem escrito, sem erros dignos de nota. Há um certo humor, deboche, escárnio e crítica. Também parece haver uma certa defesa de determinado ponto de vista. Não é politicamente correto. Alguma coisa me escapou, talvez os motes das ações do pastor – seria decorrência do meu desconhecimento do trecho bíblico citado?

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 5 de julho de 2021 por em Minicontos 2021, Minicontos 2021 - Grupo Pinscher e marcado .
%d blogueiros gostam disto: