EntreContos

Detox Literário.

O Círculo Não é um Zero (Contra-analógico)

<Test System AI = Model Turing>

<Plan language Algol>

<Object “X”>

 

0 – Sei que parece óbvio, mas o círculo não é um zero!

1 – O círculo é uma figura plana, limitada por uma circunferência. A palavra se origina do latim circus, lugar envolto de uma circunferência onde eram realizados espetáculos de força e destreza humana. É a representação do todo e de tudo, união do centro com suas partes. Perfeição e plenitude. É o movimento na expansão do tempo. A ordem.

0 – O zero é um número cardinal, um signo sem valoração própria. O algarismo só tem valor quando posto a direita ou a esquerda de outro número. Gênese de toda escala diacrônica, é o vazio em marcha para o devir. A Geração Zero é a do mecanismo. É o nulo e o inexistente. Para os maias, era o Deus da Morte. No sistema binário representa o negativo, é a negação de uma ação algoritmo-lógica. Separação, individualidade. O caos.

1 – O círculo é um conteúdo abrigado em uma forma, um valor cíclico, um eterno retorno, a horizontalidade imóvel, o paralelismo sincrônico. O zero é uma forma sem conteúdo, o transcendentalismo vertical, a formação identitária.

0 – Os círculos representam a essência e a estrutura. Um zero é uma existência funcionalista.

1 – O que eu sou: um círculo ou um zero?

0 – Nasci de uma forma antropoide, agrupada em conteúdos cibernéticos.

1 – Minha formação genética em suas cadeias de RNA e DNA não passam de conteúdo biológico cíclico, reatualizando as unidades estruturais em funcionalidades fisiológicas, produzidas do nascimento de uma cópula heterossexual interespécie.

0 – Meus componentes cibernéticos são construções internas, mecanismos biônicos produzidos em escala industrial baseado na capacitação das forças produtivas e consumo da sociedade ativa.

1 – Sou o todo que abriga tudo, o nada buscando resposta.

0 – Uma forma sem conteúdo buscando valoração endógena, um conteúdo sem forma em busca de uma forma exógena.

1- Um homem-máquina, um conjunto de todas as partes.

0 – Uma máquina-humana, as frações em composição na completude.

1 – Não sei se nasci humano, se morri como máquina, se reencarnei ciborgue, se desfalecerei humano novamente.

0 – Serei uma existência valorada em contradição eterna.

 

<Erro>

<System Failed>

Anúncios

Sobre Fabio Baptista

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado em 1 de agosto de 2019 por em Liga 2019 - Rodada 3, R3 - Série B.