EntreContos

Literatura que desafia.

CrossFit Street Running (Apollo)

Rayanne vinha de carro, voltando do trabalho para casa, quando viu várias pessoas correndo pela rua, com roupas de ginástica. Todas usavam um boné com uma logomarca: “Academia CrossFit Street Running”. Estacionou seu carro e viu que todas as pessoas paravam em frente a uma caminhonete parecida com um foodtruck, e depois continuavam correndo. Na lateral da caminhonete, a mesma logomarca estava pintada com letras brilhantes.

Os corredores e corredoras pareciam em forma, alguns nem tanto, é verdade, mas, no geral, Rayanne ficou interessada nos corpos sarados que corriam pela calçada e pela lateral da pista, indo e voltando até aquela caminhonete. Decidiu pedir mais informações. Ela bem que poderia voltar a se exercitar.

Desceu do carro e foi até o foodtruck da malhação. Na caçamba/escritório/academia, um rapaz bonito e musculoso acompanhava a movimentação dos atletas.

– Oi, boa noite, tudo bem? – ela arriscou.

– Boa noite, tudo ótimo! E aí? Tá querendo entrar em forma também? – o rapaz perguntou, terminando a frase com um sorriso luminoso.

– Pois é, eu vi esse pessoal todo correndo aqui na rua e fiquei interessada. Você é representante de uma academia? Como é o trabalho de vocês?

– É bem simples, vou te explicar. Nosso plano básico custa 300 reais. Você recebe a orientação inicial sobre a metodologia do nosso sistema, o equipamento básico e as diretrizes do seu treino, que será estruturado especificamente pra você.

– Nossa, 300 reais? Mas onde fica a academia?

– Ué, tá olhando pra ela. Hoje, ela fica aqui onde estamos, amanhã pode ser na rua de baixo, depois de amanhã na rua de cima. Toda essa aqui é a nossa área de atuação. A gente também faz pacotes para parques e outros locais.

– Mas, moço, eu não tô entendendo. Isso aqui é uma caminhonete.

– Sim! É um novo conceito em academia. Os FoodTrucks abriram o caminho nesse novo nicho de mercado: a prestação de serviço móvel. Depois vieram os BrechóTrucks, os PetShopTrucks e mais uma infinidade de Trucks. Agora chegou essa novidade: a GymTruck.

– Tá, e se eu quiser me matricular. Como funciona?

– Você paga os 300 reais da mensalidade, mais 150 reais de matrícula e aí é só começar a entrar em forma. Questão de tempo! – o rapaz disse a última frase apontando para o próprio bíceps.

– E como é o programa?

– A gente trabalha com duas modalidades: street running e CrossFit. Ah!, só um detalhe. No pacote básico você precisa escolher apenas uma das modalidades. Se quiser fazer as duas, a mensalidade sobe pra 450 reais.

– Inicialmente eu me interesso pela corrida.

– Ótimo! Digamos que você queira começar hoje. Eu te paço o equipamento básico: esse aqui – o rapaz mostrou um boné para a jovem, igual ao que os corredores na rua estavam usando. Depois elaboro as diretrizes do seu treino, bom base no seu biótipo, constituição corporal, idade e nível de condicionamento físico. No seu caso – o rapaz olhou a jovem de cima abaixo –, acho que umas três voltas no quarteirão já dá pra iniciar bem, sem forçar, sem pegar leve demais. Com o tempo a gente vai intensificando os treinamentos.

– Qual é o seu nome, moço?

– André. E o seu?

– O meu é Rayanne. Olha só, André, então eu vou te pagar 300 reais pra ganhar um boné e poder correr três vezes ao redor do quarteirão, é só isso?

– Não! Claro que não é só isso! Faltou te explicar a metodologia do nosso sistema. A cada volta, você vai parar aqui no nosso GymTruck e fazer um risquinho com giz ali naquele quadro.

Havia uma lousa verde pendurada na lateral da caminhonete, que era onde os corredores que já faziam parte do “programa” estavam parando a cada volta no quarteirão. André continuou a explicação:

– Esse é o nosso “enhanced tracking system”. É onde a mágica acontece! Esse quadrinho aqui já fez muito milagre! Falando nisso, olha um milagre chegando aí! – O professor do GymTruck apontou para um rapaz de cabelos pretos, barba de lenhador e ombros largos que chegava todo suado para riscar o tal quadro mágico – E aí, Gustavão!? Essa aqui é a Rayanne, tá pensando em entrar no nosso programa. Quantos quilos você perdeu com a gente? Fala aí!

Ofegante, Gustavo respondeu – Até agora, 30 quilos! – ele olhou para a garota e deu um sorriso que a fez tremer os joelhos – E quando a companhia é boa, as voltas no quarteirão passam sem a gente nem perceber! – riscou o quadro verde e saiu correndo novamente.

– Gustavão era obeso mórbido – André voltou a falar – Ficava só em casa, vendo série sem parar na televisão, comendo pizza e fritura, reclamando da vida, pressão alta. O fundo do poço pra ele foi entrar em grupos de Facebook. Agora tá aí, nosso garoto propaganda! A CrossFit Street Running salvou a vida dele.

Ainda abalada pelo encontro com “Gustavão”, pelo sorriso, pelos ombros, Rayanne voltou a tirar suas últimas dúvidas.

– Tá, gostei do método e da corrida. E como funciona o CrossFit?

– É nossa outra especialidade. Vem aqui atrás do GymTruck pra você ver.

A jovem deu a volta e, no chão, atrás da caminhonete, foi apresentada aos equipamentos da segunda especialidade da academia. Havia duas cordas grossas amarradas no para-choque do carro, um pneu no chão com uma marreta em cima, duas correntes grossas também no chão e uma haste de metal soldada na carroceria da caminhonete.

– Aqui atrás é a área de CrossFit da academia. Ali na lataria é a barra. As mulheres não curtiam muito o CrossFit, mas agora estão se empoderando e descendo a marretada no pneu!

– Mas, se eu quiser fazer as duas modalidades, eu vou te dar 450 reais pra correr na rua e ficar aqui marretando esse pneu? – Rayanne voltou a si por alguns instantes.

– Quem me dera! Na verdade, a CrossFit Street Running é uma franquia. Começou nos Estados Unidos, super famosa por lá. Aqui o pessoal estranha porque ainda estamos começando. Parte dessa grana vai para outros custos, não fica tudo comigo.

Gustavão vinha correndo, depois de mais uma volta pelo quarteirão, e parou na área do CrossFit. Fez 5 barras devagar, terminando cada uma com um “pffffiiiiuuu” sibilante. Nas costas da camiseta de Gustavão estava escrito: “Personal”. Rayanne assistia boquiaberta. Depois das barras, o rapaz pegou na marreta e começou a castigar o pneu no chão.

– André – Rayanne chamou o rapaz num canto – o Gustavo é personal aqui? Tem algum plano específico pra isso?

– Ah!, tem sim. Você está querendo o nosso Pacote Premium Ultra. Gustavão é o orientador. Esse sai por mil reais por mês.

– Vou querer. Cadê meu boné!?

Anúncios

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 5 de agosto de 2017 por em Comédia - Grupo 1, Comédia Finalistas.