EntreContos

Detox Literário.

Pérolas nas Coxas (Elicio Nascimento)

Pérolas nas Coxas

Vizinho como aquele não se acha mais. A gente se entendeu desde o primeiro dia. Vivemos muita coisa juntos. Eu queria tudo o que ele tinha, mas o bendito nem ligava. Fui seu amigo do peito até na morte quando, com um golpe, arranquei-lhe as palpitações. Eu e a viúva ainda gozamos do fato, nas noites mais saudosas.

Anúncios

59 comentários em “Pérolas nas Coxas (Elicio Nascimento)

  1. Swylmar Ferreira
    28 de janeiro de 2016

    O conto foi bem escrito. Já a criatividade deixou a desejar já que aborda o jargão do desejo à mulher do próximo sem nenhuma novidade. Poderia ter aproveitado melhor o espaço e dado mais consistência ao conto.

  2. Matheus Pacheco
    28 de janeiro de 2016

    É… aquele negócio “a gente só dá valor quando perde”. Só que o azarado foi morto por seu “amigo” que ainda ficou com a esposa dele.
    heheheh eu achei irônico.

  3. Kleber
    28 de janeiro de 2016

    Olá, Cronos.

    A cobiça em sua mais asquerosa e sombria manifestação. E o que é pior, com a anuencia da pessoa cobiçada. Sujo, chocante e impactante. Diferente e ao mesmo tempo comum mundo afora, por incrível que possa parecer.

    Sucesso!

  4. mkalves
    28 de janeiro de 2016

    Não captei o vínculo do título com o conteúdo. A crueldade cínica e sem conflitos do narrador protagonista também não me ajudou a gostar da história. O fato de não haver nenhum rodeio, nenhum mistério no que é contado talvez (embora não esteja certa de que é este o problema) dilua o impacto que o conto poderia ter.

  5. Nijair
    28 de janeiro de 2016

    .:.
    Pérolas nas coxas (Cronos)
    1. Temática: Inveja. Sublimação da realidade.
    2. Desenvolvimento: Perfeito! Conciso, preciso, cirúrgico!
    3. Texto: Denso – poético, apesar de trágico.
    4. Desfecho: surpreendente – típico dos invejosos, que querem tudo do ser ‘invejado’… Até as esposas!
    Estará no meu top 15!

  6. Nijair
    27 de janeiro de 2016

    Ousado, excelente! Parabéns!

  7. Pedro Luna
    26 de janeiro de 2016

    Putz, que filho da mãe. o Trecho ”Eu queria tudo o que ele tinha, mas o bendito nem ligava” mostra que o coitado que morreu ou era cornão manso ou uma alma nobre, desprendida de desconfianças, o que dá mais raiva ao leitor. Sempre tem alguém que quer o seu lugar.

    Bom, é curto, simples, direto ao assunto. É um bom conto.

  8. Daniel Reis
    26 de janeiro de 2016

    Cronos, foi assim que eu li sua história:

    TEMÁTICA: traição e complô, por um motivo passional. Inveja, cobiça. Sempre há margens para expandir a imaginação, quando se parte daí. Boa escolha.

    TÉCNICA: apesar de ser muito, muito curta, a narrativa mostra exatamente o que aconteceu, só não entra em detalhes. E isso, cabe ao leitor fazer. E, com franqueza, não gostei da expressão “nas noites mais saudosas.” De quem, do falecido?

    TRANSCENDÊNCIA: apesar de bem construído, o conto não teve um impacto maior, um razão além de “a vida como ela é”.

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 14 de janeiro de 2016 por em Micro Contos e marcado .