EntreContos

Detox Literário.

Microcontos 2021 – Clara Emília (Sandra Daher)

[A2]

Fuzilamento

Diante do pelotão de morte, veio-lhe súbito a imagem do bolo de fubá de dona Osória e das unhas sujas do menino, que agora, tempos depois, apontava-lhe a arma:

— Roufinho!… Gritou, esperançado.

Olhando perplexo para o homem, o soldado baixou o fuzil. Ambos sentiram seus olhos embaciados.

[B2]

Releitura

Empaquei numa curva do caminho. Uma das rodas ficou presa e minha cara foi ao chão. Lá fiquei por anos. Senti o amargo da terra e sua cartilha. Até assimilar um flamboyant florido, à minha frente, que não vi por muitas primaveras.

[C1]

Auge

Mais um pouco e o coração não suportaria. Ela abriu os olhos, ajeitou-se na cama e esticou-se, alisando o cetim. E suspirou longo. De tanto brilho, de tanto doce, de tanto gozo.

[D3]

Lida

Com a marcha, os balões pesavam. Não eram, como antes, diversão. Aquilo era um logro. Sua existência neles depositada começava a ruir. Em cada tropeço, reerguia-se. Os pés, em chamas. Um pouco mais de gás e não os deixaria escapar. Ainda distante, o horizonte. E um arco-íris.

[E1]

Outro

Estava irreconhecível. Agora não se percebia o chiado na fala, como antes. Quando nada ainda estava no lugar, até dentes e língua se esbarravam. Na bagagem, sonhos e amigos recentes. Um outro porte. E um novo dentista.

72 comentários em “Microcontos 2021 – Clara Emília (Sandra Daher)

  1. anamartorelli
    10 de abril de 2021

    Olá, Clara Emília.

    Gostei da maneira como construiu suas narrativas, são simples e objetivas, nem sempre tão claras, mas não acho que comprometa a beleza, perde um pouco em impacto, mas me ganha pela total falta de pedância e apelo linguístico. Seu texto é elegante e sonoro, li em voz alta algumas vezes.
    Meu favorito? Difícil escolher um só, mas vou de C1 já que ele traduz bem meu estado atual.
    A2 e D3 também me agradam muito.

    Parabéns pelos textos e boa sorte no desafio.

    • Clara Emília
      10 de abril de 2021

      Boa noite, Ana, agradeço seu comentário bastante técnico e elegante . Fiquei feliz de ter gostado, dos meus contos, de modo geral. E fez uma ótima crítica. Um abraço.

      • Clara Emília
        10 de abril de 2021

        Retificando: tirar a vírgula depois de contos.

  2. Ana Maria Monteiro
    10 de abril de 2021

    Olá, Clara Emília.

    Gostei dos seus micros. Você usa uma escrita simples para ilustrar ideias profundas, aprecio muito isso, essa ausência de pretensiosismo na forma, para enriquecer o conteúdo ao leitor que queira lá chegar. Gostei particularmente de A2, o meu favorito, que contém uma simplicidade onde está tudo: a criança que sobrevive dentro de todos nós, o emoção do reconhecimento do amigo no que deveria ser encarado como oposto, a força da nossa própria bagagem individual que nos permite continuar a ser humanos, mesmo em meio aos maiores horrores; B2 está resumido no título, é mesmo a uma releitura da vida que muitas vezes as adversidades nos proporcionam e de que saímos enriquecidos; C1, que bom! E casa maravilhosamente com a frase estímulo; já imaginou se durasse, o suplício que não seria? Realmente o coração não aguentaria muito tempo desse auge; D3, a perseverança que compensa (nem sempre, mas aqui sim); em E1 encontrei humor no final, não creio que fosse essa a sua intenção, mas foi o que vi e, nesse meu sentido interpretativo, tem uma frase que sobra: “Na bagagem, sonhos e amigos recentes.”, se ao menos fossem amigos futuros, que acreditasse nasceriam da mudança, quem sabe? Ao menos, para mim, já teria encaixado melhor. No geral um excelente conjunto que decerto constará na minha lista final.

    Parabéns e boa sorte no desafio.

    • Clara Emília
      10 de abril de 2021

      Ana Maria, é muito bom quando o leitor entende o que você propôs basicamente, como foi o caso aqui. Muito boa sua leitura e eu lhe agradeço por isso. Quanto ao final bem humorado do E1, foi proposital, sim, e você foi a única a perceber isso… rs. A frase que sobra, no mesmo conto, fazia uma correlação com o estímulo. Ótimas observações, um abraço!

  3. Amana
    10 de abril de 2021

    Olá, Clara Emília, mas não muito clara para mim, rs. Eu gostei muito de ler seus textos, porém em quase todos teve alguma parte que eu fiquei meio lesada e não consegui entender, embora isso não tenha me impedido de gostar deles, me refiro a B2 e E1. O meu preferido foi D3.

    • Clara Emília
      10 de abril de 2021

      Oi, Amana, uma pena que não tenha entendido, mas agradeço a leitura e as observações, de qualquer modo. Que bom que gostou do D3, ele não é muito votado rsrs. Um abraço.

      • Amana
        10 de abril de 2021

        Acontece… Os seus li faz dias já, e antes de postar reli, continuo gostando deles, tanto que está na minha lista. Quanto a D3, achei bem surreal.

  4. Fernanda Caleffi Barbetta
    9 de abril de 2021

    [A2]
    Um microcotno sensível, emocionante. Talvez se tivesse deixado a informação de que se conheciam para o final, seria um desfecho mais impactante.

    [B2]
    Sem a imagem, a gente não entende logo de cara ser uma bicicleta, o que dificulta um pouco o entendimento.
    Título criativo.
    Sua cartilha – ?

    [C1]
    É bonito, mas parece que faltou alguma coisa. Acabou e eu não percebi que tinha acabado. Parece que faltou algo que mostrasse mais um desfecho.

    [D3]
    Poético, porém um pouco enigmático demais. Usou palavras desnecessárias, na minha opinião, e abriu mão de colocar outras que nos dessem mais alguma informação.

    [E1]
    Esse já traz uma surpresa no final, uma informação que faz o microconto ter sentido. Gostei.
    A frase “Na bagagem, sonhos e amigos recentes” ficou um pouco perdida, fora de contexto, sobrando.

    • Clara Emília
      10 de abril de 2021

      Boas observações, Fernanda, acrescentam bem. No último conto, essa frase, além complementar o sentido, teve o intuito de atender ao estímulo da letra da música. Muito obrigada, crítica valiosa. Um abraço.

  5. Anorkinda Neide
    9 de abril de 2021

    Olá, Clara Emília!
    Menina!! Que fantástico foi ler vc.. estou remoendo os micros aqui, apesar d a pressa em cumprir o prazo de leitura. Muito bom mesmo, textos pra degustar mesmo, pela beleza e significados.
    A2 emociona
    B2 me deixou pensando e me identificando…
    C1 é maravilhoso!!!! orgástico hehe
    D3 foio que mais estou remoendo.. que beleza.. que profundidade, mas vamu que vamu, o arco iris está logo ali.. tb me identificando aqui …
    E1, muito inteligente.. pelo q entendi o idoso ou idosa nao precisou explicitar isto, o q ue é fabuloso, trocou de dentadura kk isso q entendi e achei demais.. pq nao ficou engraçado, o texto é sóbrio e bonito e reflexivo, sim.. vida nova, não import a idade, inclusive com novos amigos..novamente me identificando…
    Parabéns!!

    • Clara Emilia
      9 de abril de 2021

      Anorkinda, gostei demais da interpretação que você deu ao último conto, que não foi a minha intenção…kkk mas tá valendo, prefiro assim, quando o leitor faz uma leitura diferente, sinal da abertura do conto, o que o torna mais atraente. Também com os outros textos você foi em cima, fez ótimas leituras. Fico muito agradecida por suas observações. Um abraço.

  6. Ana Carolina Machado
    9 de abril de 2021

    Oiiii. Abaixo falarei um pouco mais detalhadamente de cada texto:
    (A2)
    Um microconto sensível que fala sobre um reencontro em que um está na posição de condenado e outro de carrasco.
    (B2)
    Um microconto sobre uma pessoa que ficou presa em uma curva da longa estrada que é a vida.

    (C1)
    Um microconto que descreve sobre as sensações desencadeadas em uma mulher após o clímax.

    (D3)
    Um microconto que fala sobre como as vezes a caminhada pode ser difícil, mas encerra falando de esperança ao citar o arco íris.
    (E1)
    Um microconto sensível provavelmente sobre um morador de rua que passou por uma transformação e teve a oportunidade de cuidar e ajeitar os dentes. Esse foi o que mais gostei. Acho muito bonito o trabalho de assistência que algumas ONGs tem com as pessoas em situação de rua. Algumas ONGs até oferecem tratamento dentário e abrigo.

    Parabéns pelos textos e boa sorte no desafio!

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Oi, Ana Carolina, fiquei feliz que você captou bem as mensagens que eu quis passar com os contos. No último, você propôs uma variação ainda mais interessante do que a que imaginei, propriamente. Mas gosto assim, quando o leitor complementa com sua versão. Significa que o conto deu margem a isso, que não está feito com rigidez de sentido… Muito obrigada por suas considerações, um abraço.

  7. Klotz
    9 de abril de 2021

    Escolha de pseudônimo que causou curiosidade. É improvável que seja de autor masculino.
    A1 – Roufinho era apenas um do pelotão. Os outros atiraram. Ou não. Momentos impactantes. B2- Poético, mas não claro. C1- Ótima analogia com o efêmero. D3 – O autor não conseguiu me transmitir o que pensou. E1 – Devo ser ruim de metáforas. Não entendi a intenção do autor.

    • Clara Emilia
      9 de abril de 2021

      Olá, Klotz, o conto em A1 fica mesmo em aberto, para o leitor decidir. Bom que achou poético um dos contos, mas pena que faltou entendimento nele e em outros. Grata pela avaliação, de todo modo. Um abraço.

  8. jeff A Silva
    9 de abril de 2021

    Olá caro autor ou autor.

    Uma coleção bem delicada por aqui. Textos enxutos e palavras bem escolhidas em cada fragmento. Com uma ótima poesia (e uma grama de erotismo velado kk) vazando com maciez gostosa, sem ser contida por erros bobos no percurso. Seu estilo lembra uma amiga minha, mas como geralmente sou lesado deve ser coisa da minha cabeça. Num apanhado geral posso dizer que com exceção do A2 gostei bastante de todos.

    Parabéns pelo trabalho e sorte no aqui.

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Jeff, ri bastante com seu jeito de dizer…tomara que eu seja quem você está pensando. Agradeço pela “coleção bem delicada” e “ótima poesia”. Um abraço!

  9. Fernando Dias Cyrino
    9 de abril de 2021

    olá, Clara Emília, Cá vou seguindo eu nessas avaliações. Estou aqui agora às voltas com a sua obra. São microcontos interessantes. Achei-os muito bem escritos e com profundidade. Outro ponto que merece destaque é que são abertos. Deixam para mim, o leitor, tirar várias conclusões a partir do que me sugere. Caso possa destacar uma dentre as suas cinco narrativas, diria que o sabrinesco (como gostam de dizer por aqui) C1 conseguiu se sobressair nas suas histórias, não que as demais estivessem ruins, mas ela está mais à frente, ou mais acima. Fica com o meu abraço.

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Muito bom, Fernando, se encontrou profundidade e abertura nos contos, dando margem a mais de uma interpretação. Um outro abraço pra você e obrigada pelas considerações.

  10. Fil Felix
    8 de abril de 2021

    Olá, Clara Emília!

    Seus micros possuem uma estética muito boa, sempre me chamam a atenção quando o autor tem esse cuidado com a identidade visual dos textos. Gostei dos títulos, da sutileza em alguns temas. Dois micros eu gostei muito. O conto A traz todo um universo em suas linhas, tem uma história completa ali dentro, da infância à (quase?) morte. Dizem que o cheiro é um dos maiores ativadores da memória, não duvido que tenha sido assim, entre a beleza e o gosto do bolo e a terra suja, que vieram essas lembranças. Muito bom.

    O conto C também é excelente, principalmente por trazer o auge dos orgasmos dentro de uma sutileza quase que tímida, com medo de chegar nos finalmentes. É um micro visual, mas também sensorial: há uma contorção, um tecido macio, talvez até um gemido. Muito bom. O arco-íris no fim do caminho eu achei bonito. Os contos C e E achei que destoaram um pouco do conjunto, não me identifiquei tanto. Mas no geral, uma boa coleção!

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Muito obrigada, Fil, por suas observações sensíveis e construtivas. Achei bacana você destacar o item “identidade visual dos textos”. E outros, como sutileza em temas, memória por cheiros etc e citar a frase do arco-íris. Um abraço.

  11. davenirviganon
    8 de abril de 2021

    [Clara Emília]
    [A2] Fuzilamento: Conto me deixou pensando mais em que contexto a história se passa do que na situação em si. Gostei.
    [B2] Releitura: O título é que fez o conto ter um sentido, pois é uma nova forma de ver as quedas que a vida nos promove? Foi o que eu entendi.
    [C1] Auge: Uma siririca bem sucedida? Isso?
    [D3] Lida: Se eu tive de rever a imagem para entender, então não funcionou.
    [E1] Outro: Eu não acho que este conto funcione sem a música. Como não estou voltando a cada conto para rever cada inspiração, estou contando que o conto funcione sozinho.

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Davenir, você é bem sintético nas avaliações e isso é bom, vai direto ao ponto. VIncula o entedimènto dos dois últimos aos estímulos. É uma percepção sua, respeito. Muito obrigada, um abraço.

  12. Felipe Lomar
    8 de abril de 2021

    Olá,
    Você escreve bem. Gosto do seu estilo de escrita. Mas acho que seus contos não tiveram em mim o mesmo impacto que alguns outros que gostei. Tive a impressão de estar faltando alguma coisa para que a narrativa fique mais significativa.
    Boa sorte.

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Oi, Felipe, agradeço suas considerações, é sempre bom saber como nossa escrita chega ao leitor. Valeu muito, um abraço.

  13. Catarina Cunha
    8 de abril de 2021

    Micro: Vocabulário simples com linguagem complexa. Não entrega conclusões e instiga dúvidas. Isso é bom.

    Conto: O A2 ficou meio “sabrinesco” e o B2 eu não entendi nada. C e D, estão muito arrumadinhos, sem altos e baixos, mas gostei. O E está excelente.

    Destaque: Não sei se entendi, mas gostei dessa dicotomia ortodôntica:

    “[E1]
    Outro
    Estava irreconhecível. Agora não se percebia o chiado na fala, como antes. Quando nada ainda estava no lugar, até dentes e língua se esbarravam. Na bagagem, sonhos e amigos recentes. Um outro porte. E um novo dentista.”

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      OI, Catarina, seu comentário é interessante, peculiar. Gostei desse; “vocabulário simples com linguagem complexa”…tomara. Hilária a “dicotomia ortodôntica” rsrs houve intenção, sim…Obrigada pelas considerações, um abraço.

  14. Luciana Merley
    8 de abril de 2021

    Olá, caro autor.

    Para minha avaliação, utilizarei dois critérios principais: se o microtexto é uma HISTÓRIA e o IMPACTO que ela provocou.

    Uma coleção bastante interessante, com uma visão de mundo não muito peculiar. Sensível e fora da caixinha. Gostei muito.

    [A2] Muito interessante essa inversão que você faz. É o primeiro conto terno que leio com esse estímulo “pelotão”. Gostei muitíssimo. Gosto de finais felizes.

    [B2] Entendi que você usa o estimulo da bicicleta enterrada como uma metáfora para situações e desafios da vida. Gostei disso. A parte da árvore florida trouxe beleza, mas não consegui captar na totalidade a essência da presença dela no texto.

    [C1] É um pós orgasmo isso? Uau! Pela rapidez dá pra ver que é de uma mulher mesmo. Dura nada não (kkkkkk) Bom texto.

    [D3] Uma descrição quase exata da imagem. Bonito texto, mas não funcionaria sem o estímulo, por essa razão, não considero com tanto impacto.

    [E1] Boa sacada. Um micro falando de um tema estranho e muito particular, por muitos poderia ser considerado sem relevância, mas, quem conheceu pessoas assim, sabe do nível de transformação a que você se refere nesse ótimo micro.

    Ótimos textos. Parabéns.

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      OI, Luciana, muito grata por essa análise conto a conto, e por me achar com visão “fora da caixinha” rsrs. Em B2, a visão da árvore florida, que já estava no solo, veio para explicar a descoberta da vida de modo mais pleno, o que poderia não ter ocorrido, continuando eu a vê-la como via o chão, árido e ruím, sem perspectivas. Um abraço!

      • Luciana Merley
        9 de abril de 2021

        Que bacana, sobre a árvore. Um visão a ser desenvolvida num texto maior, quem sabe.

  15. danielreis1973
    7 de abril de 2021

    Prezado(a) Clara Emília:
    Gostei sobretudo do ritmo, das frases curtas, entrecortadas como golpes, e que parecem ser comuns a todos os contos e próprios do estilo do autor. Destaque evidente para a sensualidade da narrativa do C1 e para o peso mórbido do D3. Parabéns, sucesso no desafio.

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Oi, Daniel, grata pelo apanhado geral, captando bem o estilo da escrita, e os destaques. Interessante ver o D3 dessa forma… Um abraço.

  16. Fabio D'Oliveira
    7 de abril de 2021

    Uh, tanto mistério, Clarinha (posso te chamar de Clarinha, né, bem, já chamei).

    Você escreve bem. A estrutura de cada micro está bem delineada e a leitura é natural. Mas, devo admitir, sua narrativa não me conquistou. Há charme, claro. Alguns textos foram difíceis pra mim. Precisou de calma e reflexão, da minha parte, claro. Sim, sou um péssimo leitor, hahaha. Talvez eu não seja muito fã de textos que transpiram poesia. Eu gosto da prosa poética, mas quando a linha objetiva se torna tão tênue, ficando meio transparente, eu costumo perder o interesse. Aí a leitura se torna mais trabalhosa.

    Meu micro favorito é C1. Achei belo, poético na medida certa, sensual, sublime. O ápice do prazer. Amei, na verdade!

    Seu trabalho é muito bom. Parabéns!

    • Clara Emília
      9 de abril de 2021

      Obrigada, Fábio. Você tem razão, a prosa poética, muitas vezes por não desnudar completamente o objeto, torna mais difícil o entendimento. Há quem prefira esse estilo: não se escolhe, é escolhido… Valeu muito, um abraço.

  17. Elisabeth Lorena Alves
    7 de abril de 2021

    Olá, Clara Emília.

    Aqui em [A2], você nos promete uma seleção maravilhosa, pena que derrape durante o processo. Nesse primeiro você construiu um conto bem estruturado, mesmo com o uso da linguagem denotativa,conseguiu escrever sobre memória, infância e perdão. E ao usar a distinção entre homem e soldado deu ao conto uma importância de significados interessante pois a dureza do militar se desfaz com o fato dele logo depois ser apresentado no desfecho com os olhos “embaciados”. Não há como não se emocionar com isso. Perfeito.

    Já [B2] Não é conto. É um pensamento, desabafo até. Parece um intimismo
    forçado. Falo isso porque vi potencial nos seus acertos. E [C1] também fica devendo em tudo. tem um nome que promete, mas fica nisso. Próximo: [D3] Um conto de esperança? Se for, se perde na estrutura dúbia. O ruim de tentar escrever mais subjetivo é que traz esses equívocos. Com mais cuidado e talvez algumas metáforas mais específicas teria um resultado melhor. Digo isso porque em [E1] você conseguiu construi um excelente conto. Bem estruturado, com introdução e desenvolvimento completos, ruptura, clímax e desfecho no lugar. A ideia de marcar a auto estima conquistada pela ação de um bom profissional foi uma jogada deliciosa.

    Sorte no Desafio.

    • Clara Emilia
      8 de abril de 2021

      Elisabeth, você faz uma leitura bem técnica do meu texto e lhe agradeço muito. Essa chamada para a narrativa ao invés do intimismo, no conto, é muito pertinente, se o consideramos na sua concepção formal. Respeito sua leitura. Obrigada pelo detalhamento. Um abraço!

  18. Luis Fernando Amancio
    6 de abril de 2021

    Oi, Clara Emília. Antes de mais nada, parabéns! Sua prosa é para ser consumida aos poucos, de forma cadenciada e, em alguns momentos, com releituras. Não é um texto simples – e por que teria que ser?
    Na sua coleção, alguns se destacaram para mim. O primeiro foi um dos meus prediletos. O climax, a apresentação do momento. A imagem, prisioneiro diante da execução, tem sido recorrente no desafio. Dentre elas, a sua criação foi uma das melhores que li até agora.
    O C1 também é excelente. Mais simples em questão de enredo, digamos, mas com uma prosa poética de causar inveja em muito concorrente.
    Dos demais, o que menos gostei foi o quarto. Ainda assim, o conjunto termina com um saldo positivo.
    Boa sorte no desafio!

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Luis Fernando, muito positivas suas apreciações, fico muito grata. A gente tenta simplificar o que consegue, porque a simplicidade no mais das vezes é o melhor; mas se vai perder em qualidade, então que fique na forma menos acessível. Quem está disposto a ler, entende. Às vezes dá margem a mais de uma interpretação, e acho isso bom. Um abraço.

  19. Regina Ruth Rincon Caires
    5 de abril de 2021

    Microcontos 2021 – Clara Emília

    [A2] – Palavras: pelotão
    Fuzilamento

    Que aflição! Confesso que torci para que todo o pelotão não tenha atirado. Ave Maria!

    [B2] – Fotografias: bicicleta na parede
    Releitura

    Belo texto. Talvez seja a releitura da vida. Da queda ao renascimento. Muito bom.

    [C1] – Frases: “Há coisas que são preciosas por não durarem.”
    Auge

    Ainda bem que dura pouco, caso contrário, o coração a teria levado deste mundo! Texto intenso.

    [D3] – Ilustração: a menina com a mala
    Lida

    Texto poético, um externar da luta.
    “Coração na boca, peito aberto,
    Vou sangrando…
    Sao as lutas dessa nossa vida,
    Que eu estou cantando.”

    [E1 – Músicas: A Lista (Oswaldo Montenegro)
    Outro

    Menino, esse texto deu nó nas minhas ideias. Pensei em aparelho nos dentes, dentista recém-formado… Caraca, sinistro. Não se assuste, sou lerda.

    Clara Emília, escrita muito boa, brinca com o poético e a simplicidade. Parabéns pelo trabalho!

    Boa sorte no desafio!

    Abraços…

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Valeu, Regina, a poesia e a simplicidade são buscas constantes no meu texto. Muito obrigada, um abraço.

  20. angst447
    4 de abril de 2021

    Com o micro A2, senti o impacto da mistura da tensão do fuzilamento e a singeleza das memórias de menino. Soldado e condenado reconheceram como amigos de infÂncia.

    B2 , D3 e E1 apresentam prosa poética, tendendo mais para o lirismo do que para a preocupaçao de trazer uma narrativa ao leitor.

    Meu favorito desta coleção de micros é o último, talvez porque me faça lembrar da cadencia da música.

    Parabéns pela participação e boa sorte.

  21. Claudia Roberta Angst
    4 de abril de 2021

    Senti o impacto do micro A2, misturando a tensao do momento final com doces memórias em comum. Soldado e condenado se reconheceram.

    B2, D3 e E1 : Escritos em prosa poética. Não sei bem se entendi a narrativa como o pretendido pelo autor. .

    [E1] foi o meu favorito, microconto que me fez pensar na cadencia da música. Não explica muito, mas quem precisa de explicação do que se sente?

    Parabéns pela participação e boa sorte.

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Cláudia, vou responder seus dois comentários (acredito que houve necessidade de publicar de novo, são quase o mesmo) em um só: agradeço a percepção (que eu não tive) da cadência da música no E1; bom que o leitor complementa a escrita. Agradeço as obsevações de “prosa poética” e “quem precisa explicação do que sente?”. Um abraço!

  22. Elisa Ribeiro
    4 de abril de 2021

    Gostei da atmosfera digamos, poética de seus micros. Entretanto, na leitura de quase todos me observei fazendo reparos, fosse na linguagem, fosse em certos estranhamentos que algumas de suas imagens me causaram. Por exemplo, em A1, concluiria com um se abraçaram, ao invés das lágrimas; mais up e mais direto. Em D3, os pés em fogo, não consegui interpreta-los. Os que mais me agradaram foram B2 e C1. Um conjunto que se destaca pela unidade de estilo. Parabéns por isso. Feliz Páscoa 🐣

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Observações muito bem-vindas, Elisa. Reparos propostos, com eles se aprende. Pés em chama falam do cansaço da jornada. Bom que encontrou uma atmosfera poética e unidade de estilo nos micros. Obrigada e um abraço!

  23. cgls9
    3 de abril de 2021

    Gostei do A2 e do C1 os outros, sincera e lamentavelmente, eu não consegui alcançar o significado. Mil perdões. Boa sorte !

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      cgls9, é assim o nome? Não se desculpe, vai ver não me fiz entender pra você…Valeu a apreciação, um abraço.

  24. j2bohn
    2 de abril de 2021

    MICROCONTOS 2021 – CLARA EMÍLIA

    A2: Começou forte, mas terminou fraco. Infelizmente este leitor inexperiente não entendeu a conclusão do microconto.

    B2: Embora escrito em estilo poético e com muito floreio, eu não entendi a história de forma alguma. Desculpe por qualquer coisa.

    C1: Mais uma vez, não tenho certeza do objetivo da história. Tenho suposições, mas suposições vagas demais para o meu gosto.

    D3: Microconto muito poético. Para este leitor inexperiente com exposição limitada à língua portuguesa, é difícil de entender.

    E1: Mais um microconto poético. Gostei, mesmo que o significado tenha ficado mais uma vez um pouco obscuro para mim.

    Gostaria de dizer que eu amei ler os textos desta coleção. Ao mesmo tempo sinto que não entendi tanto quanto teria sido necessário e desejável para que meu prazer fosse ainda maior.

    Parabéns pelo poético trabalho e boa sorte no desafio!

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Bem, j2bohn, dizer que não entendeu, mas que amou ler os textos e os achou poéticos, já me deixa feliz… Um abraço!

  25. Fheluany Nogueira
    2 de abril de 2021

    Micros que retratam os pequenos dramas do cotidiano, com entrelinhas ricas de sentimentos, de sensações e de lirismo, mas curtos e diretos. Tudo na medida certa.

    Preferido? “Mais um pouco e o coração não suportaria. Ela abriu os olhos, ajeitou-se na cama e esticou-se, alisando o cetim. E suspirou longo. De tanto brilho, de tanto doce, de tanto gozo.”
    Por quê? Esse jogo de físico/alma me adocicou também. Acertou em cheio.

    Parabéns e boa sorte. Abraço.

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Fheluany, apreciação concisa e adocicada. Muito obrigada, um abraço.

  26. Marlo Romulo Werka
    1 de abril de 2021

    Prezada Clara Emília, é um bom conjunto, sem dúvidas.
    Todo mundo elogiando C1, que realmente é belo.
    Mas vejo mais talento, inteligência e pontos interessantes em B2.
    Parabéns e boa sorte!

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Veja só, Marlo, obrigada por citar B2, teve gente que reclamou…Um abraço.

  27. Evelyn Postali
    31 de março de 2021

    Caro(a) autor(a),
    Esses microcontos falam de vidas meio amargas, sofridas, realidades de um cotidiano muito real, muito pouco leve. Todos, porém, possuem uma poesia sutil. Palavras escolhidas, carregadas de sentido. Destaco o A2 e o C1.
    Boa sorte no desafio.

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      OI, Evelyn, fico feliz pela “poesia sutil” que encontrou nos microcontos. Um abraço, obrigada.

  28. antoniosbatista
    31 de março de 2021

    A 2- Afinal, o Rufinho atirou ou não atirou?
    B 2- Não entendi muito bem essa metáfora da bicicleta absorver a árvore em vez da parede. Mas valeu.
    C 1- Gostei da atmosfera caliente.
    D 3- Meigo.
    E 1- Sim, é preciso se reanimar de vez em quando, se renovar, recomeçar do zero.

    Cara Clara, seus micros são emotivos, a maioria claros, outros, meio nublados, pois uma metáfora pode ter várias faces propiciando outras interpretações além daquela que você imaginou. No geral, uma boa obra.

    • Clara Emília
      8 de abril de 2021

      Eu também queria saber se Roufinho atirou ou não..rs.A bicicleta na parede é uma empatação na vida. Ver um árvore florida e não se importar é uma coisa; ver a árvore sentindo-a , absorvendo-a, encontrando beleza nela, é outra; é um modo metafórico que achei para mostrar o abrir-se para a vida. Obrigada, Antônio, um abraço.

  29. Bruno Raposa
    31 de março de 2021

    [A2] Acho que você pesou a mão no drama aqui. Entendo a intenção de evocar um sentimento forte no momento final, mas não consegui comprar o enredo. Talvez seja uma questão pessoal minha, por não embarcar nesse tipo de narrativa. Num micro, não há espaço para furar as resistências do leitor. Não consegui curtir, infelizmente.

    [B2] Achei interessantíssima a forma como você utilizou o estímulo. O final foi um pouco confuso. Mas é um bom micro.

    [C1] Linear, sem grandes surpresas, mas bem escrito e dialoga bem com a citação escolhida. Gostei.

    [D3] Confesso que esse eu só não entendi. O final me deixou muito confuso 😦

    [E1] Outro em que tive muita dificuldade de interpretar e de relacionar ao estímulo.

    Bom, como deu pra perceber, me perdi do meio pro fim. Tive muita dificuldade de me conectar com a linguagem que você utilizou nos micros. Talvez o problema esteja comigo, não sei. De toda forma, nas partes em que entendi, rs, encontrei uma escrita muito interessante e atrativa.

    É isso, infelizmente não fui o leitor ideal aqui.

    Desejo sorte do desafio.

    Abraço.

    • Clara Emília
      31 de março de 2021

      Muito obrigada, Bruno, pela análise conto a conto. E pelos pontos favoráveis e os não. Tudo ajuda. No entanto, gostaria de entender o porquê das dificuldades que você e outros apontam no entendimento de alguns. Um abraço.

  30. Sandra Daher
    30 de março de 2021

    Achei que você, Clara Emília, teve o cuidado de valorizar o desfecho dos contos para o impacto necessário. E também apresentou concisão nas histórias sem prejudicar seu entendimento. Gosto do toque de humor do ultimo,E1, na última frase, ” E um novo dentista”. No entanto, o que gosto mais é o C1, em que mostra bem o clima pretendido. Valeu, boa sorte!

    • Clara Emília
      31 de março de 2021

      Obrigada pelas observações, Sandra.

  31. Kelly Hatanaka
    30 de março de 2021

    Olá Clara Emília!

    Muito interessantes, seus contos. Eles não seguem um caminho óbvio, são cheios de surpresas e de poesia. Alguns, tive que lê-los mais de uma vez para entender, mas valeu a pena. São lindos!

    Meu favorito foi o C1.

    Parabéns e boa sorte!

    • Clara Emília
      31 de março de 2021

      Obrigada pela apreciação, Kelly, muito boa!

  32. thiagocastrosouza
    28 de março de 2021

    Clara Emília, foi um passeio rápido pelas suas criações, textos levez,sem floreios, pendendo sempre para as emoções humanas, a fraqueza, a finitude, a autoestima, enfim, tenho apanhado para avaliar os textos. Certos momentos acho que os autores se excedem na quantidade de contos, enquanto em outros gostaria de receber mais criações do mesmo autor para compreender melhor suas intenções. No seu caso, fiquei divido, novamente:gostei, mas queria mais para apreciar material semelhante daquilo que agradou.

    Destaque:

    “Mais um pouco e o coração não suportaria. Ela abriu os olhos, ajeitou-se na cama e esticou-se, alisando o cetim. E suspirou longo. De tanto brilho, de tanto doce, de tanto gozo.”

    Apreciei demais E1, mas C1 foi , para mim também, o auge. Poucas palavras e um texto que nos leva junto com a personagem na sua escalada pelo prazer efêmero.

    Parabéns e boa sorte no desafio.

    • Clara Emília
      29 de março de 2021

      Obrigada, thiagocastrosouza, pela análise aprofundada dos microcontos. Valeu, um abraço!

  33. mariasantino1
    28 de março de 2021

    Olá, Clara Emília.

    Gostei muito do seu trabalho. O conto do gozo é tão bacana, tão bem exposto e a sensação repassada é tão verdadeira que a única ressalva que faço é que o texto acaba, e daí vamos de encontro com a frase de inspiração, o que é uma bela sacada. E não cabe só o gozo carnal, mas a realização, o lance de curtir o momento. Gosto, sobretudo, quando há esse convite para se preencher com suposições. O [D3] é igualmente bonito, cheio de figuras de linguagem e construções frasais arrebatadoras: “Com a marcha, os balões pesavam. Não eram, como antes, diversão. Aquilo era um logro. Sua existência neles depositada começava a ruir. Em cada tropeço, reerguia-se. Os pés, em chamas. Um pouco mais de gás e não os deixaria escapar. Ainda distante, o horizonte. E um arco-íris.” Sério! Perfeito repasse de crescimento, amadurecimento, escolhas e consequências, da lida, enfim, e fé, pois não? Até quis retirar alguma frase mais impactante, mas, pelo menos pra mim, está tudo na medida. Se melhorar estraga.

    Os demais contos são igualmente bacanas de serem lidos, onde ou a estrutura agrada ou o sentido repassando. Só não curti de todo o texto da bicicleta na parede, porque, apesar de sentir, das imagens serem bonitas e o ritmo empregado ser igualmente compatente no sentido de mexer com os sentidos, algo se perdeu pra mim, pois não captei o lance com o flamboyant florido e sinto que se for buscar na net um significado mais amplo o conto perde pontos, no sentido de completude de sentido estando solo, dentro do exposto. Já o primeiro é dramático como filme, mas nem por isso chega a incomodar, apesar de sentir que esbarra no espaço proposto. Em todo caso, apreciei a leitura.

    Parabéns e boa sorte neste desafio.

    • Clara Emília
      29 de março de 2021

      mariasantino1, muito grata pela crítica detalhada aos meus microcontos, muito proveitosa. O flamboyant usado no texto (só depois percebi isso) pode compor com os fatos antecedentes uma versão do Mito da Caverna, de Platão. Um abraço!

  34. Nilo Paraná
    28 de março de 2021

    Ola Clara Emilia, adorei seus micros, uma formação e até escolha de palavras bastante original, de uma singularidade poética. quase micro poesias. todos ligados a emoção. parabéns . boa sorte

    • Nilo Paraná
      28 de março de 2021

      continuando… Gostei especialmente do C! (auge) . um primor, das emoções, escolho as melhores.

      • Clara Emília
        29 de março de 2021

        Oi, agradeço, Nilo Paraná, suas observações construtivas e sua eleição. Acho que a emoção e a poesia que dela pode advir são fundamentais em textos como esses. Um abraço, valeu!

      • Clara Emília
        29 de março de 2021

        Obrigada por suas considerações, valeram muito!

Deixe uma resposta para Ana Maria Monteiro Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 28 de março de 2021 por em Microcontos 2021 e marcado .