EntreContos

Literatura que desafia.

Frankenstein – Poesia (Pedroom Lanne)

Renascido como homem
Concebido por mulher
Não é lobisomem
Nem monstro qualquer

Subconsciente humano
De seu próprio poder
De criar a vida
Ou pôr tudo a perder

Lhe proíbem amar
Falta do criador
Dele irá se vingar

Fazê-lo sangrar e doer
De profundo terror
Prazer, de vê-lo morrer

Anúncios

2 comentários em “Frankenstein – Poesia (Pedroom Lanne)

  1. marcilenecardoso2000
    18 de abril de 2017

    Triste, deprimente, bem a figura da estória. Reprodução poética e fidedigna de algo tão desolador como é a vida do cara.

  2. Priscila Pereira
    16 de abril de 2017

    Oi Pedroom, não sei se entendi a essencia do seu poema… e para mim, não dá para apreciar sem entender… Até mais!!

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 13 de abril de 2017 por em Poesias e marcado .