EntreContos

Detox Literário.

A Maioridade é Uma Pena – Poesia (William Oliveira)

A maioridade é uma pena. Viva assim esse dilema, de quem não percebe que o problema não é exibido no Datena. Velho branco engravatado lucrando com o enjaulado, criando verba … Continuar lendo

27 de fevereiro de 2016 · 8 Comentários

Criança Negra – Poesia (William Oliveira)

Criança negra não tema, a vida não é teu problema. Do teu sorriso lembra, que alivia toda a tormenta de uma luta para não ser lenda. se desprenda, da corrente … Continuar lendo

9 de novembro de 2015 · 7 Comentários

Terroristas – Poesia (William Oliveira)

A barba que marca, Jihad ou Je Sui. A carne e a navalha, Amedy ou Charlie. Um culto ao seu, que nunca foi meu. Uma caneta escreveu e outra história … Continuar lendo

4 de outubro de 2015 · 10 Comentários

Bye Bye Blue Sky! (William Oliveira)

Acordei assustado, o sol já invadia meu quarto e esquentava os meus pés. Justo eu, cão adestrado tão bem, que pulava ao ouvir o primeiro toque do despertador, como se … Continuar lendo

30 de junho de 2015 · 111 Comentários

Jornada ao Nada – Poesia (William Oliveira)

No livro dos paradigmas, paradigmado esta. Caminho, tropeço e levanto. Rumando, rimando e cantando. Fatídico estado de estar. Que canta pra rua de frente pro bar. Detestando o compasso que … Continuar lendo

25 de junho de 2015 · 6 Comentários

Suicídio Diário – Poesia (William Oliveira)

Criar para os olhos do outro, tem sempre um destino ingrato. Imensidão de tão pouco. Encaixe apertado. Arte tecida, alheia, Entorpecida, Sujeita. Não é bom pra mim, gastar o tempo … Continuar lendo

19 de junho de 2015 · 6 Comentários

Confusionante – Poesia (William Oliveira)

Minha cabeça está confusa Ela e tudo mais Tudo é uma imensa bagunça Nada está em paz   Olho sem saber o que vejo Sem saber o que olhar Sem … Continuar lendo

17 de junho de 2015 · 8 Comentários