EntreContos

Detox Literário.

Interior – Poesia (Gardel Dias)

Eu me lembro da serração do interior que vejo tão rápida quando ali passo na estrada lisa e azulada. É o pé da serra feito uma espessa listra esverdeada que … Continuar lendo

11 de fevereiro de 2017 · 2 Comentários

Homenagem ao Palhaço – Poesia (Gardel Dias)

No deslumbre das águas ali eu me via Do caudaloso Rio, misterioso por demais Nos brados destas sertanistas cantorias Em meio aos tamanhos nobres matagais Nas correntezas da vida, imensas … Continuar lendo

24 de outubro de 2016 · 2 Comentários

Qualquer dia – Poesia (Gardel Dias)

Saio andando um dia por semana, salvai-me por um dia, o pesar meu A foto semanalmente diária por vir, bem mais – invento, recrio, destruo Apenas um dia durante toda a … Continuar lendo

26 de agosto de 2016 · 2 Comentários

A beleza do teu olhar – Poesia (Gardel Dias)

Ao contemplar a tua face luzida, noto-a com grande apreço, entretanto o teu olhar é tristonho e de alto peso: são ilhas noturnas e sem vida, ainda. Na imensidão, no … Continuar lendo

12 de junho de 2016 · 2 Comentários

Essa Coisa Estranha – Crônica (Gardel Dias)

Eram umas 23:36 hs em terra de Ferreira Gullar, ouvindo uma versão em inglês do Trem Azul de Lô Borges um dos grandes do clube da esquina, pois bem, a … Continuar lendo

8 de maio de 2016 · 2 Comentários

Um Canto no Sertão – Conto (Gardel Dias)

Ao acordar, logo percebo as luzes solares que ultrapassam as vidraças da janela do meu quarto, o belo clarear que bate de fronte ao meu rosto ilumina também a cama, a coleção … Continuar lendo

28 de abril de 2016 · 4 Comentários

InVerso – Poesia (Gardel Dias)

Pela janela que vejo a nuvem d’água vindo Com os pensamentos, escura manhã Na mesma janela que noto meu poema indo Em tormentas nas horas d’um Leviatã Saudade, inquietude e … Continuar lendo

8 de abril de 2016 · 2 Comentários