EntreContos

Detox Literário.

Microcontos 2021 – Eva N°3 (Jeff Silva)

[A1]

Sentou-se mais uma vez no banco de praça tão velho quanto sua pele ressecada. Trinta primaveras esperando o grande amor perdido. Até o dia que o viu chegando. Levantou-se e correu o mais rápido que pôde ao seu encontro. O abraço foi recíproco, porém como bons fantasmas não se tocaram nem choraram.

[A2]

O pelotão avança pelo campo. Metralhadoras rugem contra eles. O som da artilharia grita sobre suas jovens cabeças.

A guerra era pela a honra, agora pela paz. Diziam os líderes.

Quem cai está morto.

Dorme o sono dos guerreiros.

Diferente dos presidentes, em suas camas quentes.

O sono dos hipócritas.

[B1]

Ru sorria ao olhar a holo-foto de uma criança brincando com bolhas de sabão.

– Quem é?

Perguntou o soldado ao lado.

– Uma de minhas tataravós.

– Nossa, isso é antigo. É da época que ainda precisávamos beber água.

– Verdade.

Ambos desconectaram seus carregadores e pularam da nave para lutar em Marte.

[C3]

– Acha que restou mais alguém?

– Não sei – disse, cansado.

Os olhos já falhando. A praga.

– Vamos.

Arrastou a companheira já cega para fora das ruínas da cidade. A chuva tinha passado e eles eram os últimos humanos.

– O que você vê meu amor?

Olhou para seus olhos mortos.

– Só você.

Mentiu, entre lágrimas.

[D4]

Era a primeira vez que voava sem a supervisão da mãe. Mesmo assim, se sentia confiante sobre a vassoura. O vento frio da noite balançava seu chapéu pontudo. Tinha seu gato preto à frente e uma cidade para queimar por perto.

Jurou por sua mãe morta que eles iriam sentir o peso do arrependimento.

[E4]

Primeiro foram as crianças, depois os animais, e por último as cores. Todos sumiram. Um fim do mundo triste e doloroso.

– Ana! – gritou sua irmã, no meio da rua preta e branca. 

– Cadê o jornal?

“A terra parou” era a manchete. 

Foi até a janela para responder. 

Ela não estava mais lá.

Nem o mundo.

33 comentários em “Microcontos 2021 – Eva N°3 (Jeff Silva)

  1. Ana Carolina Machado
    10 de abril de 2021

    Oiiii. Uma coleção de microcontos em que temos vários textos de ficção científica. Abaixo falarei um pouco mais detalhadamente de cada:
    (A1)
    Um microconto sobre um encontro entre fantasmas. Acho que talvez eles não fossem fantasmas literalmente, mas pessoas que talvez sentissem como se fossem invisíveis para os outros.

    (A2)
    Um microconto que reflete sobre como quem começa as guerras nem pisa no campo de batalha, mas dorme o sono dos hipócritas. Me lembrou um pouco daquela música do Legião Urbana chamada “A canção do senhor da guerra “.

    (B1)
    Um microconto de ficção científica sobre soldados futuristas que se prepararam para uma batalha em Marte. Foi interessante a forma como a foto da menina com as bolhas de sabão representou uma lembrança do passado, quase como um documento histórico.

    (C3)
    Um microconto melancólico que se passa em um cenário pòs apocalíptico. No texto acompanhamos um casal, que provavelmente são os últimos humanos e tem somente o amor deles para os aquecer.

    (D4)
    Um microconto sobre uma bruxa que parece está em busca de vingança. Acho que a cidade que ela planeja queimar foi responsável pela morte da mãe dela.

    (E4)
    Um microconto que mostra um cenário assustador em que todas as coisas começam a sumir.

    Parabéns pelos textos e boa sorte no desafio.

  2. Elisa Ribeiro
    10 de abril de 2021

    Gostei muito do seu conjunto. Vc passeou por diferentes gêneros – horror, FC, guerra – mas sempre com um sentimento humano como pano de fundo e sem resvalar para o sentimentalismo. Em A1 gostei da atmosfera que você mesmo em tão poucas palavras conseguiu criar. Em A2, vi mais uma cena do que uma história, mas ok pelo impacto. Em B1, um micro FC, gostei também. C3 me lembrou o Ensaio sobre a cegueira a E4 me capturou de vez com esse seu mundo preto e branco. Muito bom! Desejo sorte. Um abraço.

  3. cgls9
    10 de abril de 2021

    Diversidade de estilos é a sua marca. A1, C3 e E4 são melancólicos. A2 é panfletário e B1, uma delícia! Boa sorte!

  4. Amana
    10 de abril de 2021

    Gostei da maioria dos seus micros. Aliás, o que menos gostei foi E4, me senti um pouco confusa ali no diálogo curto. Os meus preferidos foram A2 e B1, gostei de ler FC e achei muito imaginativo. Será que um dia teremos holo-fotos? Só espero que a guerra em Marte não se concretize.

  5. Felipe Lomar
    10 de abril de 2021

    Olá,
    Gostei muito da sua construção narrativa. Mesmo no pouco espaço, as histórias tem substância, trazendo uma diversidade que inclui ficção científica, fantasia e crítica social. Gostei muito do A2, que traz uma reflexão bem pertinente, que me lembrou um verso do system of a down: ‘why don’t the president fight the war/why do we always send the poor?”

  6. Catarina Cunha
    9 de abril de 2021

    Micro: Tem estilo consolidado e melancólico. Não sei se pelo impacto destes tristes tempos.

    Conto: O D4 está D+! Joga com o leitor de forma surpreendente. De um passeio singelo, infantil, à uma terrível vingança. O E4 ficou morno. Desculpa aí a expressão. Os outros 3 estão no mesmo nível: alto.

    Destaque: Pelo horror da guerra, escolhi o contundente:

    [A2]
    O pelotão avança pelo campo. Metralhadoras rugem contra eles. O som da artilharia grita sobre suas jovens cabeças.
    A guerra era pela a honra, agora pela paz. Diziam os líderes.
    Quem cai está morto.
    Dorme o sono dos guerreiros.
    Diferente dos presidentes, em suas camas quentes.
    O sono dos hipócritas.

  7. Ana Maria Monteiro
    9 de abril de 2021

    Olá, Eva nº3.
    Os seus micros são muito na área da ficção e também do fantástico. São dois géneros bem diferentes e, pessoalmente, não aprecio ficção, mas adoro fantástico. Algo que achei neles foi que, no geral, foram longos demais. Chamar longo a um micro parece uma patetice – e talvez seja, mas para mim, quanto mais curtos melhor. O primeiro, para mim o segundo melhor (o que achei melhor conseguido foi o último) foi excessivamente longo, você poderia, sem prejuízo algum, tê-lo reduzido a metade e assim duplicando o impacto. Veja: “Sentada no banco de praça, esperava há trinta anos grande amor perdido. No dia que o viu chegar, levantou-se e correu ao seu encontro. O abraço foi recíproco, porém, sendo fantasmas, não se tocaram nem choraram.” Para o meu gosto, teria sido melhor e mais impactante. O mesmo sucede com B1 e C3, os outros nem tanto. Não leve a mal, é só uma opinião pessoal e bem-intencionada. Em D4, preferia ter visto vingança em lugar de arrependimento, também seria mais forte. O que gostei mais foi o primeiro, o último foi o que achei melhor.

    Parabéns e boa sorte no desafio.

  8. Klotz
    9 de abril de 2021

    Instigante pseudônimo. Eva foi a primeira mulher. Esta Eva é a terceira.
    A1 – Gostei muito. “Trinta primaveras” é um baita clichê. Prefira anos. O fechamento me surpreendeu. A2 – Enxerguei a imagem da guerra e dos sonos conflitantes. B1- triste futuro sem bolhas de sabão. C3 – Impactante. D4- perfeito para uma aprendiz de bruxa. E4 – Não transmitiu o impacto desejado para um fim de mundo. O fim de mundo estava na abertura, como premissa.

  9. Fernando Dias Cyrino
    8 de abril de 2021

    ei, Terceira Eva, você me traz um conjunto de microcontos diferente de tudo que vi aqui até agora (li e avaliei a metade). Gostei do que li. Você tem uma pegada boa. Tem uma qualidade de escrita bem legal, suas narrativas são muito bem elaboradas. Considero que A1 se sobressai no conjunto da sua obra. É realmente um microconto bem bacana. Grande abraço e parabéns.

  10. danielreis1973
    7 de abril de 2021

    Prezado(a) Eva N°3:
    A terceira mulher? Bom, sua coletânea de micros destacou-se pela variedade de estilos, passando desde a ficção científica (B1) até o sobrenatural (A1). Justamente essa multiplicidade causa uma discrepância estilística que torna injusto avaliar o autor(a) pelas amostras. Meu preferido, pela convergência entre distopia e sentimento, é o C3. Boa sorte no desafio!

  11. angst447
    7 de abril de 2021

    Não sei se fico sensibilizada, invejosa pela qualidade da sua escrita, ou deprimida com o teor dos seus microcontos. Mas você, sem dúvida, escreve muito bem.
    [A1] – é o meu favorito, talvez pelo tema romântico mesmo fantasmagórico.
    Também gostei da pitada de FC em outros microcontos, apesar de não ser minha preferência, foi uma escolha acertada a dosagem de FC e poesia.
    Parabéns pela participação e boa sorte.

  12. davenirviganon
    7 de abril de 2021

    Eva Nº3
    [A1] Um encontro de almas. Gostei da virada no final.
    [A2] Mais uma reflexão que poderíamos tirar de um conto que um conto em si.
    [B1] Transhumanismo, Marte em uma Sci-Fi pocket. Representou!
    [C3] Ficou a dúvida sobre que coisa horrorosa esse fim de mundo despertou no sobrevivente. Provocativo. Gostei bastante. O melhor deste conjunto!
    [D4] Hora da vingança. Gostei.
    [E4] Gostei da entropia repentina, linha por linha.

  13. anamartorelli
    7 de abril de 2021

    Olá Eva,

    O que temos por aqui, hein? Até o momento é meu conjunto favorito, embora trate de assuntos fantásticos e sejam alguns marcados por um fatalismo apocalíptico, que realmente não são minhas temáticas favoritas, seus micros me ganharam pela construção imagética, consigo construir cada cena com facilidade e me envolver com quase todas as personagens.
    Achei [D4] um pouco confuso, de todos achei o mais fraco, mas não deixa de funcionar
    Destaco o último como meu favorito, pois provocou uma aflição gostosinha, sabe?! Aquele medo de ler um bom conto de terror.

    Parabéns pelo conjunto e boa sorte no desafio!

  14. Nilo Paraná
    5 de abril de 2021

    ola Eva, gostei muito de seus micros, a maioria com dinâmica de FC, muito bem descritos. gostei especialmente de C3, mais singelo. mas o conjunto todo marcante. parabéns.

  15. Anorkinda Neide
    4 de abril de 2021

    Olá, Eva nº 3
    Gostei tanto do primeiro conto!! .. bons fantasmas… hehe me surpreendi com o final, acho q por isto gostei imenso!
    Porém os demais contos, não me fisgaram, exceto pelo último… o interessante é que vc escreveu contos mesmo, mesmo que micros… não fez poucas frases, vc elaborou mesmo historias, isto é bom, muito bom.
    o A2 passa uma ideia tão batida.. ao menos para mim, a conclusao vive por ae em cards do facebook, confesso que esperei por uma surpresa que não veio.
    Ru… pode ser um bom conto, mas como eu nao suporto FC, eu torci os labios, no final, sorry.. falha minha!
    a história da praga ficou confusa na elaboração dos diálogos, não deixou claro quem fala em cada fala. Não vejo ligação com a inspiração proposta apesar de falar de cegueira, a não ser q eu veja esta ‘praga’ como algo metafórico.
    D4 narrou demais a imagem mas buscou o fio narrativo e isto foi bom.
    o último conto foi tenso, reli muito e fiquei apreensiva todas as vezes… rsrs é um bom conto. Parabéns.

  16. Sandra Daher
    4 de abril de 2021

    Eva, sua escrita é convincente, bem elaborada, e ainda trata de temas ficcionais atraentes. O C3 é o melhor pra mim, envolvente, trágico, bem resolvido. Não me agrada o final do A1. O do A2 também não, não acho correta a palavra “hipócrita” para a situação. Achei interessante ter incluído as cores para serem abolidas na extinção do mundo…bonito e triste! Parabéns, boa sorte do desafio!

  17. Elisabeth Lorena Alves
    4 de abril de 2021

    Olá, Eva.

    Seus contos estão bem elaborados. Seguiram as propostas de imagens-mensagens; possuem uma riqueza especial de linguagem e sentido. Parabéns.

    No texto [A1] há doçura e suspense. E o desfecho depois do clímax em “abraço recíproco” é de um pesar gritante. Embora eu ache que se existem fantasmas, eles se sentem. Em [A2], você transforma em conto a frase de Alfred “Bubi” Hartmann: “La guerra es un lugar donde jóvenes que no se conocen y no se odian, se matan entre sí, por la decisión de viejos que se conocen y se odian, pero que no se matan“. Ele que era um piloto de caça alemão deveria saber bem do que estava falando, você, refez a frase como conto de forma magnífica. Parabéns! E a elipse de dormem “O sono dos hipócritas” deu mais força à denúncia. Já [B1] traz a revoltante verdade que, não importa quanto avance a tecnologia e o homem evolua, ele sempre vai invadir o espaço alheio. Sempre através da guerra, quando não seja ideológica, transformando e criando tradições para justificar seus atos frente ao oprimido, seja através de armas. E a construção trouxe uma leveza que o subtema bélico não tem.

    [C3] traz a singeleza ou crueldade da mentira por proteção – depende do ângulo de quem olha. Entretanto o texto só é rico com ela funcionando. E ela funciona bem. A crueldade do outro contra as bruxas surge no conto [D4], que tem linguagem marcada junto ao tema, estrutura bem delimitada, história crível e bem elaborada com clímax e desfecho brilhantes. Perfeito.

    [E4] fecha bem sua antologia, aqui o final é muitíssimo triste e termina o conto com clímax correto: “Ela não estava mais lá.” e desfecho perfeito: Nem o mundo.Parabéns!

    Boa sorte!

  18. j2bohn
    2 de abril de 2021

    MICROCONTOS 2021 – EVA N°3

    A1: Ideia boa, mas a conclusão não deu muito certo para mim.

    A2: Bem executado, mas a conclusão para mim também pareceu previsível.

    B1: Que avanço de tecnologia, hein? Gostei da solução inovadora e inesperada da ficção cientifica.

    C3: Que história triste e poderosa, que só se revelou para mim apenas após a segunda leitura. Muito bem executado.

    D4: Boa sacada também, com conclusão concisa e forte que se revela na última palavra “arrependimento” do conto. Gostei.

    E4: Tem substância, mas não muito bem trabalhado. Um diamante bruto que promete mais do que foi escrito.

    Parabéns pelo interessante trabalho e boa sorte no desafio!

  19. Evelyn Postali
    1 de abril de 2021

    Caro(a) autor(a),
    Amei seu microcontos. Eles estão bem escritos, concisos, têm movimento, ritmo e deixam um ‘quero mais’ no final. Não sei qual escolher entre eles. Gostei de todos.
    Boa sorte no desafio.

  20. Luis Fernando Amancio
    1 de abril de 2021

    Oi, Eva 3!

    Muito interessante a sua coleção de microcontos. Mais um autor que traz uma marca autoral para sua releitura dos estímulos. Também achei curiosa a sua escolha por temas de ficção científica. Arriscado, eu diria, já que esse gênero costuma demandar uma ambientação do leitor.
    Em alguns casos, isso funcionou muito bem. Gostei bastante do C3, uma narrativa sensível e bem elaborada. O E4 é bom, tem um bom ritmo. O B1 não me agradou. Achei um pouco sem sentido, como se quisesse impactar o leitor apenas com seus elementos de FC.
    O microconto da jovem bruxa vingativa foi o que teve minha melhor avaliação.
    Boa sorte no concurso e parabéns pela boa coleção de textos que compartilhou conosco!

  21. jeff A Silva
    1 de abril de 2021

    Olá caro autor ou autora.

    Parabéns por sua construção aqui inspirado autor!

    Dizer que gosto da ficção científica aqui é chover no molhado, assim como o insólito de alguns minis aqui. O preferido com certeza é o C3, tudo nele é bom, uma história grande e pesada num pacote pequeno. Já o mais fraquinho e destoante do restante é o D4. Os demais ficaram na média.

    Parabéns pelo trabalho e uma boa sorte aqui.

  22. Fernanda Caleffi Barbetta
    31 de março de 2021

    [A1]
    Gostei do final, da ideia de revelar apenas no desfecho a informação de que eram fantasmas. Porém, achei controverso se abraçarem sem se tocarem. Será que fui eu que não entendi?
    [A2]
    Boa ideia a de fazer uma crítica aos nossos políticos. São realmente uns hipócritas. Bem estruturado o seu microconto.
    [B1]
    Talvez haja muita informação para um microconto. A imagem da bolha de sabão ficou perdida aqui, pois poderia ser uma foto de qualquer outra coisa. A referência não foi bem utilizada.
    [C3]
    Que lindo este microconto. Adorei. O final é belo e surpreendente.
    [D4]
    Legal ter trazido a revanche à queima das bruxas. Muito bom.
    [E4]
    Uma dica: se as duas falas são da mesma pessoa, seria melhor colocar na mesma linha para não confundir. Gostei do final inesperado.

  23. Marlo Romulo Werka
    31 de março de 2021

    Eva nº 3, me senti em uma montanha russa.
    O A1 é de ótimo nível, joga a expectativa lá pra cima. Parabéns.
    O A2 dá uma caída.
    Os demais vão recuperando altura e velocidade até chegar no E4: ápice.
    Parabéns pelo conjunto e boa sorte.

  24. Luciana Merley
    30 de março de 2021

    Olá, caro autor.

    Uma sequência de textos, alguns mais longos, e que parecem ter um centro nevrálgico mais catastrófico e apocalíptico.

    Para minha avaliação, utilizarei dois critérios principais: se o microtexto é uma HISTÓRIA e o IMPACTO que ela provocou.

    [A1] Alguém que morreu antes do seu amor? Assim entendi. Bonito texto. Cheio de nostalgia e romantismo. Tive a impressão de que usou mais palavras do que os 300 caracteres. Claro que não contei e é só impressão (rsrsr).

    [A2] Uma crítica à terrível realidade da guerra e aos políticos. Texto forte, mas sem demagogias óbvias ou clichês. Gostei muito.

    [B1] Um micro futurista. Bem bolado. Bacana demais. Fico assustada com essa FC tão próxima a nós. Logo ali…

    [C3] Muito bonita essa outra FC. Um mundo devastado em que a leveza do amor consegue arrefecer a dor.

    [D4] Conto pesado, furando a bolha das incoerentes historiazinhas de “bruxinhas boas”, afinal, se é bruxa é má mesmo.

    [E4] E pra finalizar sua sequência de FCs, um conto mais longo que o necessário, na minha opinião. Confuso na separação do diálogo: era uma pessoa só? Contudo, traz a questão da “terra parada” de um jeito bem mais apocalíptico. ousado. Gostei.

    Parabéns pela super sequência.

  25. Bruno Raposa
    30 de março de 2021

    [A1] Bom, micro, com uma boa quebra de expectativas. Achei só que a construção da última frase poderia ser melhor. Faltou um pouco de sutileza, ficou por demais explicativa. O termo “bons fantasmas” me tirou um pouco da história.

    [A2] Não curti muito esse. Não é ruim; tem uma boa estrutura, constrói bem sua narrativa. Só achei a ideia muito pueril. É uma questão pessoal, decerto. Infelizmente os micros não têm espaço para construir argumentos de forma a convencer o leitor. Assim, fica difícil gostar quando a ideia é algo que o aborrece. Faz parte do jogo, rs.

    [B1] Gostei da ideia de brincar com FC e do jeitão meio descompromissado com que eles saem para uma batalha. Tem um certo humor no segundo plano. Me agrada. Só achei a ideia de não precisarem mais beber água meio over, hehe.

    [C3] O melhor dessa coleção. Num curto espaço consegue sugerir enredo, ambientação e ainda causar impacto emocional com os personagens. Excelente micro, um dos melhores que encontrei no desafio até aqui.

    [D4] Achei bacana o uso da ilustração de estímulo de forma literal. Abraçou o fantástico e sugeriu uma trama que, se não ganha pontos por inovação, traz o conforto da familiaridade. Pra quem gosta do gênero, é sempre divertido. Eu gosto, rs.

    [E4] Muito bom também, constrói bem a ideia, oferece uma narrativa interessante e tem uma dose interessante de lirismo, com o lance das cores. Mais um ponto positivo.

    No geral gostei bastante, um dos meus favoritos até agora. Achei o [A2] desnecessário, não apenas por não ter gostado, mas porque os outros oferecem uma unidade da qual ele destoa. Gostei de ver que você correu riscos passeando pela literatura de gênero em textos tão curtos. É sempre um desafio e você o cumpriu muito bem.

    Desejo sorte no certame.

    Abraço.

  26. Fil Felix
    29 de março de 2021

    Boa noite, EVA3!

    O que gostei nesse conjunto de micros é a liga entre eles, essa conversa com o fantástico e o futurista. O tantos lados do pós-apocalíptico e das guerras. Os primeiros contos são excelentes, achei muito bom o primeiro A1, uma história de amor além mundo, um reencontro quase a lá Viva (o desenho), esperando por esse momento por décadas. Muito bom. A2 também é incrível, principalmente por trazer essa crítica em relação às guerras, tão pertinente ao nosso mundo de hoje.

    Entretanto, conforme os micros foram avançando e adentrando cada vez mais na parafernália científica, fui gostando menos. Não pelo gênero, mas por achar que é difícil abordar o sci-fi nesse curto espaço sem parecer uma chuva de ideias futuristas. Como o micro da bolha de sabão, talvez um dos meus menos preferidos, é plug, robô, nave, Mad Max, holograma, etc, deixando o conto um pouco inflado demais de informações pra “parecer” futurista. Mas de maneira geral, um coleção de micros que começou de maneira excelente. Eu só teria um pouco mais de atenção na revisão, tem algumas palavrinhas e letras sobrando em alguns.

    Parabéns e boa sorte no desafio!

  27. Fabio D'Oliveira
    29 de março de 2021

    Eva, apenas seu nome já conta uma história, número três. Por que número três? Quem foi Eva 1 e Eva 2? E isso revela um pouco de você como autor(a).

    Quase todos os micros possuem uma temática fantástica, seja pós-apocalíptica, seja num tom FC, seja sobrenatural. O conto que destoa um pouco da linha é A2, mas ele é um bom conto. Eu vou concorda com uma coisa que o Thiago disse: a maioria dos seus contos abrem portas para um macrocosmo. Eu achei isso excelente. E vou discordar com outra coisa que ele disse: nem todo microconto precisa ser impactante. Eu acredito na liberdade do artista. Só precisamos respeitar isso. Se uma pessoa quer escrever um micro sobre flores, sobre a beleza delas, sobre o perfume delas, tudo num tom sutil, leve e sem reviravolta ou impacto, é direito dela. Lendo esse texto com olhos sensíveis, considerando a intenção do autor, estando bem escrito, acredito que tudo pode ser apreciado. É igual comida. Tem prato que harmoniza melhor com pimenta do que com salsa. E vice e versa.

    Eu disse isso tudo pra chegar até aqui: eu realmente gostei de todos seus micros, da forma como estão e achei que atenderam bem sua proposta. Claro, sempre dá pra melhorar, mas num refinamento de técnica, pra deixar a leitura mais apreciável, mais fluida, mais próxima da perfeição.

    Meu micro favorito é o A2. O mais comum, hahaha. Mas não por isso. Se fosse pelo tom fantástico, eu posso afirmar que meu favorito mesmo é o E4. Porém, o que me conquistou nesse micro é sua mensagem. Tão realista, tão forte e tão atual. Eu sempre tive esse pensamento sobre a guerra. É vendida a ideia do patriotismo para morrermos por brigas de gordos que estão protegidos e seguros. Morremos para eles enriquecerem. Antigamente, tinha toda uma prática de honra, os reis participavam das campanhas, pois sabiam que não teriam seguidores se permanecessem escondidos. Mas, mesmo assim, a maioria se escondia na linha de fundo. Os miseráveis sempre vão para a linha de frente. Os peões, os sacrifícios.

    Acho que viajei demais, hahaha. Gostei dos seus contos, Eva. É do jeito que gosto, parece que tentou escrever um gênero por vez, o que me deixou satisfeito, e ainda conseguiu criar universos atraentes em pouco espaço, o que acho admirável. Parabéns!

  28. Regina Ruth Rincon Caires
    28 de março de 2021

    Microcontos 2021 – Eva N°3

    [A1] – Palavras: PRAÇA

    Narrativa poética e que descreve um amor perdido, mostra a esperança do reencontro. E ele acontece, ainda que tardio. O texto, se pontuado corretamente, ficará ainda mais lindo.

    [A2] – Palavras: PELOTÃO

    Exatamente. É o terrível lema: manda quem pode, obedece quem tem juízo. Que raiva! A situação se incorpora, na medida, quando olhamos, hoje, os profissionais da saúde indo para o campo de guerra, enquanto os governantes (sustentados por nós) dormem em camas quentes. Quando digo “profissionais da saúde”, falo de todos eles, de toda a equipe, dos que botam a mão na massa. Gostei muito do seu texto. Atual.

    [B1] – Fotografias – criança com bolhas de sabão

    Texto futurista e com toques de poesia. Bem pensado. Doce.

    [C3] – “A cegueira também é isto, viver num mundo onde se tenha acabado a esperança.”

    Narrativa extremamente poética. O gesto é mais que amor, mostra generosidade. Muito bonito. Encantador.

    [D4] – Ilustração: a bruxa e o gato

    Outro texto que evoca a vingança. Bem escrito. Assustador.

    [E4] – Música: O dia em que a terra parou (Raul Seixas)

    Bonito texto. A terra já havia perdido as cores, a mãe chegou atrasada. Muito triste. Desolador.

    Eva N°3, sua escrita é um tanto “dark”, muito interessante. Parabéns!

    Boa sorte no desafio!

    Abraços…

  29. Kelly Hatanaka
    27 de março de 2021

    Oi Eva n°3.

    Você apresenta um conjunto de microcontos que, de certa forma, parecem conectados. São todos futuristas, apocalípticos, falam de guerras e perdas. Além de cada um ser uma história em si, em conjunto eles criam uma vibe, uma ambientação. Quase parecem ocorrer todas no mesmo espaço.

    Proposital ou não, isso dá uma sensação de coesão muito boa.
    Gostei muito de todos e meu favorito foi o A2.

    Parabéns e boa sorte!

  30. Fheluany Nogueira
    27 de março de 2021

    Abordagens futuristas, de perdas ou achados; tom de crítica, com certo sarcasmo. Faltou mesmo apenas enxugar mais a linguagem, usar menos descrições para que os micros ficassem mais perturbadores. É preciso dar maior margem para as interpretações, confiar mais no leitor sem lhe dar tudo mastigadinho.

    Preferido? “Ru sorria ao olhar a holo-foto de uma criança brincando com bolhas de sabão.
    – Quem é? (…)” Por quê? O salto no tempo e espaço é mais que olímpico.

    Parabéns! Sucesso no desafio. Abraço.

  31. antoniosbatista
    27 de março de 2021

    A 1- Um micro conto incrível de fantasmas!
    A 2- Uma história verdadeira. Tem um filme que eu assisti, não recordo o nome, onde um soldado fala para o companheiro que eles estão ali no campo de batalha morrendo, enquanto aqueles que provocaram a guerra pelos seus próprios motivos e interesses, ficam em seus gabinetes fumando charuto e bebendo uísque.
    B 1- Ficção científica. As conexões com a imagem ficaram perfeitas.
    C 3- Um micro pós-apocalíptico. Bem triste.
    D 4- Um micro que faz o leitor raciocinar sobre motivo ocultos. Muito bom.
    E4- Conexões perfeitas. Micro contundente.

    Dona Eva, a senhora/senhorita, tem uma imaginação fértil para Literatura Fantástica, Fantasia e Ficção Científica. Parabéns pelo conjunto da obra. Não é porque gosto dos gêneros, dou os parabéns pela abordagem diferenciada, desprezando metáforas e sentido figurado. As imagens têm uma linguagem visual, você conseguiu transpô-las para uma linguagem escrita com perfeição.

  32. mariasantino1
    25 de março de 2021

    Olha, o desafio fim do mundo é em outro edital, ok? KKKKK

    Olá, Eva № 3!

    Então, com exceção do primeiro, vc engatou o fim de mundo e seguiu firme. Todos os contos falam de finitude: uma perda, o final de um ciclo… É legal esse pano de fundo como cada conto solo funciona também. Imagino como deva ser difícil limar palavras para fazer esses minis, porque é perceptível que o autor teve ideias bem maiores. São tramas inteiras que não cabem nesses textos pequenos, mas ainda assim são agradáveis de serem lidos. Gostei, particularmente do [A2] que está recheado de palavras de ordem, construções frasais fortes como: “A guerra era pela a honra, agora pela paz. Diziam os líderes.” ou “Dorme o sono dos guerreiros. Diferente dos presidentes, em suas camas quentes. O sono dos hipócritas.” Bom, forte, real, crítico. Gostei bastante deste conto.

    Bem, embora tenha curtido o teor e as diversa construções frasais fortes e bacanas, o tom de denúncia, de seriedade que vc empregou a cada conto (exceto o primeiro) não agrada muito.

    Parabéns e boa sorte no desafio!

  33. thiagocastrosouza
    25 de março de 2021

    Saldo geral:

    Eva nº 3, acho que você tem um bom material em mãos. Boa parte dos contos tem finais reveladores, surpreendentes, que ampliam os pequenos enredos que você decidiu apresentar. No entanto, faltou um pouco mais de refinamento, achei, de lapidar os contos até eles ficarem cirurgicamente impactantes. Até chegarmos nesses finais, o caminho é um pouquinho truncado, mas nem sempre. Gostei de muitas soluções que tomou, como em A2, de estruturar poeticamente as frases “Dorme o sono dos guerreiros./ O sono dos hipócritas.”, assim como a ampliação de mundo em B1, apesar do diálogo explicativo. D4 tinha um baita potencial, mas se perdeu nas descrições. A referencia da imagem já constrói a bruxa em nossas cabeças: chapéu de ponta, o gato, são informações sobrantes, já inculcadas no imaginário dos leitores.

    Outro ponto alto é a abordagem apocalíptica e futurista na maioria dos textos. São personagens diante do fim, de catástrofes, sendo que não se trata diretamente da tragédia em si, mas do cotidiano de quem as enfrenta, seja o soldado, os cegos, os cidadãos comuns.

    Destaque:

    “Ru sorria ao olhar a holo-foto de uma criança brincando com bolhas de sabão.
    – Quem é?
    Perguntou o soldado ao lado.
    – Uma de minhas tataravós.
    – Nossa, isso é antigo. É da época que ainda precisávamos beber água.
    – Verdade.
    Ambos desconectaram seus carregadores e pularam da nave para lutar em Marte.”

    Apesar do diálogo explicativo e da razão estranha que faz um soldado estar apreciando a foto da tataravó numa nave, o conto dá, literalmente, um salto tão grande do micro (na figura do objeto) para o macro (a guerra em Marte) abrindo o horizonte do leitor que eu quase perdi o fôlego junto com o protagonista.

    Um pouco mais de calma e precisão, seria um dos meus favoritos do desafio.

    Parabéns e boa sorte!

Deixe uma resposta para Fernanda Caleffi Barbetta Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 25 de março de 2021 por em Microcontos 2021 e marcado .