EntreContos

Detox Literário.

Microcontos 2021 – Supercalifragilisticexpialidoce (Amana)

[A2]

Olhos vendados. Ainda assim, um sorriso nos lábios.

Algo a dizer, traidora? Como resposta, um aceno positivo da moça.

Tem dez segundos antes que o pelotão atire.

Instantes depois, a despedida: Hasta la vista, babies!

Diante do olhar de todos, o nada.

De volta ao futuro, a gargalhada de alívio de Nena.

[E4]

Chegou à Terra e foi tudo estranho. Ruas vazias, ninguém para fazer contato. Andou um pouco, parou em frente a uma casa e espiou por cima do muro. Uma terráquea apareceu, aos gritos: Não tá sabendo do lockdown mundial? Quem deixou você entrar? Volta pro seu planeta! Assim que der, a gente aglomera!

[D3]

Mostrou ao pai sua criação. O grande deus aplaudiu, orgulhoso.

“E essas aqui, debaixo da mesa?”

“Ah, não deram certo.”

Com um sopro ele inflou as esferas e as aqueceu. Feliz, a pequena deusa usou-as para iluminar seu caminho até o Centro de Estudos. Outro dia as colocaria de volta no Sistema Solar.

[D2]

Tantas maldades em vida, ao morrer foi condenado a atravessar uma ponte estreita, lá para cá, cá para lá. Cinco séculos. A ouvir o infinito tiquetaquear de um relógio. No 182.499° dia, porém, desequilibrou-se, caindo no Mar dos Aflitos. Em meio à lama quente, pensou: “desgraça pouca é bobagem”.

[A1]

Enfim deu-se conta do anoitecer. E do homem no banco em frente ao que ela ocupava, a observá-la. Apenas os dois na praça. Parecendo calma, fechou o livro, levantou-se e foi embora. O velho então pôde montar sua cama no lugar de sempre: debaixo do ipê rosa. “Pensei que ia ler o livro todo, vôte!”

[B3]

Falta muito, meu velho?

Não, tá quase.

A mochila tá pesada.

A senhora que quis trazer esse bando de coisa. Exagerada!

Uai, claro! Na sua não ia caber os remédios, o aparelho de pressão, disso, daquilo, o vibrad…

Vibra o quê?

Secador, secador! Não tá escutando direito!

Tá rindo de quê?

Nada… deixa pra lá!

[B1]

Ih, isso de outras vidas é balela, não acredito e ponto final!

A menina interrompeu Luis soprando uma bolha de sabão, estourando-a e dizendo: te amo, papá!

É mesmo, filha? E o quanto essa menina ama o papai, hein?

Hummm… desde cem mil anos!

O homem sentiu inexplicável certeza no coração. Quem sabe…

[C4]

O povo diz que sou corajoso. A mó de que, doutor,  se fosse outro tinha desistido faz é tempo. A seca trouxe a fome e levou meus filhos. E adiantou ter coragem? A mulher não aguentou, se foi. Se eu pudesse, trocava essa coragem toda por eles aqui, de volta. Seria covarde, mas seria inteiro de novo.

[E1]

Encontrou o velho caderno usado como diário na adolescência. Ao relê-lo, pareceu-lhe um livro de ficção, daqueles mal escritos. Na época tinha redigido aquelas notas como verdades absolutas. Mas alguém teria feito diferente? Amigos, paixões, velhas canções: fantasias. Algumas boas, outras nem tanto.

[C1]

A irmã e o marido estavam partindo. Recém-casados, a felicidade a envolvê-los. Por um momento o jovem esposo voltou sua atenção para a janela de onde Sérgio os observava. Um rápido encontro de olhares, o acordo silencioso: a noite que jamais seria esquecida por ambos. Um presente secreto.

33 comentários em “Microcontos 2021 – Supercalifragilisticexpialidoce (Amana)

  1. anamartorelli
    10 de abril de 2021

    Supercalifragilisticexpialidoce, olá!!!

    Ótima ideia separar os micros em categorias, tira um pouco aquela impressão de bagunça quando o autor resolve nos brindar com vários estilos. Notas doces, notas trágicas, notas reflexivas, obrigada pelo banquete. Apesar dos numerosos contos a leitura não se torna tão cansativa pela habilidade de quem escreve.

    Destaco como meu favorito: E1, pois acho que como qualquer um que escreve já passei muito por isso, revisitar textos e praticamente não me reconhecer neles. Gosto da temática “banal” (não é exatamente a palavra, mas não me ocorreu outra, desculpe) deste conto. Trivialidade, talvez. rs’

    Parabéns pelos textos e boa sorte!

  2. Ana Maria Monteiro
    10 de abril de 2021

    Olá, Supercalifragilisticexpialidoce, ou devo dizer Mary Poppins?.

    Você nos ofereceu dois grupos de micros bem distintos, o primeiro no clima de ficção e o segundo num quotidiano bem atual e com laivos de fantástico. Gostei muito de ambos os grupos, mais do segundo. No primeiro grupo gostei de todos, mas destaco como favorito o A2 e com menos glamour o E4. No segundo grupo também gostei de todos mas destaco por cima B1 e C1, excelentes.

    Parabéns e boa sorte no desafio.

  3. Amana
    10 de abril de 2021

    Olá, Super, tudo bem? No geral, gostei bastante dos seus textos, alguns fantásticos, outros dramáticos, com questões do cotidiano. Meus preferidos foram A2, C4 e C1. Em D3 talvez tenha explicado demais, mas gostei da imagem que construí na leitura.

  4. Ana Carolina Machado
    9 de abril de 2021

    Oiiii. Abaixo falarei um pouco mais detalhadamente dos microcontos os dividindo por temáticas:
    (A2) e (E4)
    Os dois microcontos são de ficção científica, sendo que um envolvendo viagem no tempo e o outro a chegada de um alien durante o lockdown.
    (D3), (D2) e (B1)
    Os dois microcontos são de fantasia, sendo um mais leve sobre uma menina e seu pai e o outro um pouco mais sombrio sobre um condenado que é obrigado a atravessar uma ponte várias vezes e no fim acaba caindo. O B1 coloquei junto a esses por assim como o D3 envolver uma interação pai e filha.
    (A1) e (C4)
    Os dois microcontos tem uma dose forte de realidade e nos fazem refletir. O primeiro sobre como a praça que serve de lazer também serve de lar para pessoas em situação se rua. O segundo é um relato triste de um homem que perdeu a família por causa da seca.

    (E1) e (C1)
    Os dois microcontos falam sobre coisas que ficaram para trás, seja a noite que ficaram juntos ou as notas no velho caderno .
    ( B3 )
    Um microconto leve sobre um casal de idosos e o monte de coisas que levaram para a viagem.

    Parabéns pelos textos e boa sorte no desafio.

  5. Fernanda Caleffi Barbetta
    9 de abril de 2021

    [A2]
    Bastante inusitado este seu desfecho, trazendo a viagem no tempo para o desafio. Muito bom.

    [E4]
    O lockdown atingindo escala mundial… É um bom micro, com um desfecho divertido.

    [D3]
    A ideia é boa, mas acho que tem informação demais. O Centro de Estudo ficou perdido, não acho necessária essa informação. Teria mais impacto se fosse mais direto.

    [D2]
    Achei o final um pouco aquém do restante. É um final que poderia servir para inúmeros microcontos.

    [A1]
    Gostei do humor, apesar do triste fato do senhor dormir na praça.
    Algumas infromações como “parecendo calma” são, na minha opinião, desnecessárias em um microconto.
    Não entendi o vôte.

    [B3]
    Bos ideia, divertido. Às vezes ficou confuso quem falava, se a linha seguinte ainda era do mesmo falante.

    [B1]
    Um pequeno instante foi capaz de alterar a crença do personagem. Isso porque ele tinha dito ponto final rsrs. Gostei.

    [C4]
    Muito bonita a mensagem.
    Entendi que optou por colocar o personagem om uma linguagem de homem da roça, mas não gostei do uso de “a mó de que”.

    [E1]
    Gostei da ideia de que mudamos tanto que nosso passado parece um livro de ficção, boa sacada. Senti que faltou uma finalização.

    [C1]
    Muito bom, contou uma história completa em poucas palavras. Um bom desfecho.

  6. Fil Felix
    9 de abril de 2021

    Olá, palavrão!

    De início, pensei que veria algo voltado para o infantil, para o universo fantástico a lá Poppins, mas fui surpreendido por temáticas diversas. Tem alguns sinais de infinito entre alguns micros, provavelmente não são aleatórios, mas acho que não consegui entender bem o que querem significar na estrutura. Achei interessante que você não seguiu a ordem dos estímulos, fazendo sua própria sequência, algo que não aconteceu muito no desafio. Quando veio o primeiro símbolo do infinito, pensei numa viagem no tempo ou algo cíclico, dando maior sentido ao conjunto. Não sei se era essa a ideia.

    Gostei bastante de três deles, começando pelo D3. Confesso que fiquei meio boiando com a criação divina, mas é daqueles textos que gosto mesmo sem entender, porque trazem uma poética muito bonita, além de um visual lindo que nos leva para outro lugar. Muito bom. C4 já traz uma questão forte e real, que é a fome. Uma história sensível, quase que um recorte da realidade ou de uma história maior, o custo e o peso da sobrevivência dos pais sobre os filhos, a saída da mãe e o remorso do pai, várias interpretações pela frente, muito bom também. Já em E1 nos traz aquela sensação de nostalgia, gosto muito de ter um diário (apesar de hoje ser mais algo pra metas e anotações), e seu conto me trouxe essas memórias, das coisas que nos orgulhamos (e das outras que nem tanto) que fizemos no passado. No geral, uma boa coletânea, apesar de alguns não terem me cativado tanto como esses três.

  7. Anorkinda Neide
    9 de abril de 2021

    Olá!!
    A princípio achei que seriam micros q formavam um conto maior… só que não.. ou não entendi nada rsrs
    Mas gostei da viagem no tempo, gostei de ‘assim que der, a gente aglomera’ rsrs
    gostei da criação da pequena deusa mas não tanto do cara que caiu da ponte..
    A1 e B3 era para serem engraçados, o A1 é bom, é meigo até, tragicômico mas B3 achei banal, apesar do clima gostoso dos idosos achei a piada fraca.
    B1 e C4 seria para serem emocionantes e de novo, o primeiro foi competente, gostei.. mas C4 já achei q ficou piegas.
    E1, tá direitinho e tal mas não brilha e C1, não curti nem um pouco, nao sei , acho que sou antiga pra essas coisas… se o desgramado gosta de meninos q nao case com mulher, fideumaégua :p
    No balanço geral foi uma boa experiência ler a sua coletânea… parabéns

  8. Klotz
    9 de abril de 2021

    Um pseudônimo palavrão para representar, ironicamente, microhistórias. Muito bom.
    A2 – O leitor precisa ter referências sobre “hasta la vista” e “Nena” para ter o máximo proveito ou graça do conto. Desconheço Nena. E4 – Ideia clichê ao associar “A Terra parou” com a quarentena. Ideia clichê é dizer o óbvio, o fácil, ou repetir ideias. D3 – Penso que o microconto deve “provocar” mesmo na ausência do mote (foto, imagem, música). Aqui o conto não funciona se a imagem. D2 – Fechamento com ideia clichê, como o tio do pavê que ri da própria piada. A1- Sensacional. Infelizmente acrescentou uma frase após o ótimo fechamento. B3 – A ideia foi bom, bem desenvolvida, engraçada, O conto infelizmente precisa da imagem para ser bem assimilado. As últimas 2 frases, pós fechamento, estão sobrando. B1 – Não entendi a intenção do conto. C4 – espetacular. Pegou o espírito de GR e mandou bem. E1 – Bom.C1 – Sem a provocação, o conto não se resolve.

  9. Luciana Merley
    9 de abril de 2021

    Olá, caro autor.

    Para minha avaliação, utilizarei dois critérios principais: se o microtexto é uma HISTÓRIA e o IMPACTO que ela provocou.

    Bons textos, no geral. Fiz algumas ressalvas em alguns textos. E4, D3 e C4 são meus favoritos.

    [A2]
    Uma garota espacial? Atemporal? Mágica? Acho que algo assim. Interessante, mas com impacto não tão marcante.

    [E4]
    Gostei desse absurdo interplanetário misturado à realidade da terra. Muito legal.

    [D3]
    Outro absurdo dos mais inteligentes, e meigos. Muito bonito.

    [D2]
    Sim, sempre pode piorar. Conto mais longo que o necessário, na minha opinião. Não gostei tanto do resultado em comparação aos anteriores.

    [A1]
    Uma gostosa surpresa quando imaginei uma cena terrível. Gostei, mas essa palavra “vôte!”, sobrou.

    [B3]
    Coitado! E ainda tem que transportar a coisa. Engraçado o conto. Gostei.

    [B1]
    Um conto bem terno. Quanto ao argumento, nada convincente (rsrs).

    [C4]
    É preciso ter coragem, mas é preciso estar inteiro. As “coisas” mais valiosas nem sempre estão no final das lutas. Que belo texto, e que porrada.

    [E1]
    Uma história comum, bem escrita, mas sem grande impacto para um micro.

    [C1]
    A história seria bastante comum se não fosse pela natureza homossexual da relação descrita. Bom conto, com um impacto interessante.

    Parabéns.

  10. jeff A Silva
    9 de abril de 2021

    Olá caro autor ou autor.

    São textos cheios de criatividade e, ao meu ver bastante humor (algo que sou incrivelmente avesso em minhas leituras) mesmo assim têm seu brilho próprio no que se dispõem a ser. Acho que se a seleção fosse menor talvez se mostrasse mais temperada (minha opinião pessoal) Infelizmente são sou a audiência para qual essas construções foram desenvolvidas e por isso termino minha critica aqui.

    Parabéns pelo trabalho e sorte no desafio.

  11. Regina Ruth Rincon Caires
    9 de abril de 2021

    Microcontos 2021 – Supercalifragilisticexpialidoce

    [A2] – Palavras: Pelotão

    Pedi ajuda aos universitários. De volta ao futuro, Nena… Bem escrito.

    [E4] – Músicas: O dia em que a terra parou (Raul Seixas)

    Um “marciano” baixou na Terra em tempo de quarentena. Assustou a terráquea. Bem interessante.

    [D3] – Ilustração: a menina com a mala

    Belo texto de fantasia. Muito bom.

    [D2] – Ilustração: relógio, abismo, ponte

    Kkkkkkkkkk “Desgraça pouca é bobagem”. Nem de longe eu pensaria neste desfecho. Debochado.

    [A1] – Palavras: Praça

    Ô, coitado! Queria dormir e a moça, folgadamente, lia. Fiquei com pena…

    [B3] – Fotografias: casal idoso

    Eita! E não é que a danada da velhinha quis levar o vibrador! Fazer o quê?!

    [B1] – Fotografias: a menina com as bolhasdesabão

    Que texto lindo! Que mensagem bonita! Que sensação boa!

    [C4] – Frases: “O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. “

    Que lindo! Um texto que traz a lembrança de lamento sertanejo, de asa branca. A dor da seca. Lindo!

    [E1] – Músicas: A Lista (Oswaldo Montenegro)

    Quem não?! Ah, os caderninhos! A gente corria na primeira folha para saber a lista de nomes de quem havia respondido ali… Que lembrança boa!

    [C1] – Frases: “Há coisas que são preciosas por não durarem.”

    Eita! Esse casamento não vai dar certo! Sinistro.

    Parabéns, Supercalifragilisticexpialidoce, popular “Copie e Cole”!

    Boa sorte no desafio!

    Abraços…

  12. Felipe Lomar
    8 de abril de 2021

    Olá,
    Você escreve bem. A revisão ortográfica e gramatical é cuidadosa. Mas No geral, seus txtos não me causaram um grande impacto. Achei os enredos um pouco previsíveis sem muito brilho. Os que tem uma dose de humor me entreteram, porém.
    Boa sorte.

  13. davenirviganon
    8 de abril de 2021

    [Supercalifragilisticexpialidoce]
    [A2] Se foi um teles transporte, faltou uma referência. A dúvida não veio no bom sentido.
    [E4] A realidade do conto chegou a ser mais bonita que a pandemia no Brasil. Esse conto é quase uma utopia.
    [D3] Demais planetas como erros e a Terra como acerto, mostram como você é otimista. Adorei a imagem que o conto deixou.
    [D2] O inferno é realmente um inferno.
    [A1] Gostei da ironia do prazer da leitura frente ao drama de um sem teto. Ser um leitor não garante empatia.
    [B3] Quase uma piada, mas ainda um conto. Acho que enxugar ajudaria mais.
    [B1] Fofo. Passou bem a doçura e o amor entre eles.
    [C4] Conto gira entorno do desabafo, mas acho que poderia ser mais que isso.
    [E1] Uma lembrança que foi apenas contada e não mostrada. Pouco impacto.
    [C1] Que bafo, menina. Serio agora. É possível imaginar a opressão que eles sentem em ter que viver uma vida que não queriam.

  14. Fernando Dias Cyrino
    8 de abril de 2021

    Olá, Supercalifragilisticexpialidoce (ufa, que apelido foi esse que você arrumou? Caramba). Pois é, um apelido assim e um bom nível de contos. Você escreve bem, demostra criatividade e consegue navegar por vários estilos diferentes. Bacana isto. Se posso dizer um conto que achei que se destacava dos demais foi o C1. Ficou forte esse olhar do noivo e do irmão da noiva. Fica com o meu abraço.

  15. Catarina Cunha
    8 de abril de 2021

    Micro: Narrativa solta com personagens sólidos. A falta do travessão (—) nos diálogos não achei legal, mas percebi que se os tivesse incluído passaria dos 300 caracteres. Uma enxugada cairia melhor.

    Conto: Todos bons e, principalmente, com clímax. O título deu trabalho extra para esta pobre leitora atrasada, mas com ajuda do Dr. Google cheguei à “”não há nada para se dizer”. Discordo, você têm muito a dizer; tanto que deve ter sofrido horrores para honrar o limite.

    Destaque: Esse eu gostaria de ter escrito!

    “[E4]
    Chegou à Terra e foi tudo estranho. Ruas vazias, ninguém para fazer contato. Andou um pouco, parou em frente a uma casa e espiou por cima do muro. Uma terráquea apareceu, aos gritos: Não tá sabendo do lockdown mundial? Quem deixou você entrar? Volta pro seu planeta! Assim que der, a gente aglomera!”

  16. danielreis1973
    7 de abril de 2021

    Prezado(a) Supercalifragilisticexpialidoce (eita pseudônimo complexo!):
    No geral dos contos, muita inventividade, imaginação e um agudo senso de observação dos relacionamentos humanos. Os que mais me impressionaram foram o C1 e B3, e os que menos gostei foram o de FC (D2) e o mitológico D3. Parabéns por dividir conosco suas narrativas!

  17. Fabio D'Oliveira
    7 de abril de 2021

    Eita, Super, adorei sua coletânea.

    O maior destaque do seu trabalho é sua criatividade. Depois disso, a diversidade brilha bastante. Além de textos bem escritos e sua preocupação com a estética do conjunto, você ainda brinca com as palavras e situações. Pra ter ideia da surpresa, já comecei te maldizendo. Até esse momento, uma situação anda se repetindo muito: pelotão de fuzilamento. Porém, com seu jogo de palavras, você conseguiu dar uma saída diferente e instigante (fiquei pensando se o conto tinha alguma inspiração na música 99 Luftballons, da Nena, pelo nome usado no final e pelo humor). Gostei especialmente da dinâmica, usando vários temáticas diferentes, para manter a atenção e o interesse do leitor vivo. Aliás, percebo que muitos escritores amadores sequer pensam nessa questão. É tão importante, né? Talvez você seja um escritor bem experiente ou extremamente talentoso, haha.

    Meu micro favorito é B1. Como uma pessoa sensível e emocional, esse continho me capturou de jeito. É simples, até clichê, mas a forma como foi contada me conquistou.

    Parabéns pelo super trabalho!

  18. Elisabeth Lorena Alves
    7 de abril de 2021

    Olá. Vamos aos contos. Seus textos possuem a estrutura completa, a maioria convenceu, todos ocuparam de forma satisfatória as temáticas sugeridas.

    Suspense e viagem no tempo em [A2], referência direta ao Exterminador do Futuro. Gostei. [E4] também traz o insólito. Aparentemente o mundo já está mais acostumado com contatos extraterrestres, já que o que rompe o mundo parado e a observação de uma terráquea sobre lockdown mundial e a possibilidade de aglomeração futura. [D3] obedece o tema, faz sentido, tem estrutura e é doce, afinal, o deus é como um homem comum que faz tudo para que seus filhos sejam felizes.

    Já [D2] perde o ritmo. A frase final quebra o texto e retira a estrutura e entendimento do conto.

    Gostei de [A1]. Não pela pobreza, obviamente, mas pela construção firme, a quebra da ideia da personagem, entretanto, a frase final é a chata e desnecessária cereja do bolo.

    Em [B3], o despudor faz comédia sem ser suja. Aqui, o “Nada… deixa pra lá!” também poderia ficar de fora, mas, por sorte, ele não quebra tanto a força de seu conto.

    [B1] traz a doçura do contato pai e filha e a ideia de outras vidas. Aqui foi seu Perfeito. O quem sabe é um escorregão, mas que não atrapalha em nada seu texto

    Concordo com o corajoso de [C4] entre a coragem e a felicidade, abraço o ser feliz. Conto bem funcional.

    [E1] não parece um conto. É só mais uma história de lembranças juvenis.

    Ódio de [C1]! Mas o conto é excelentemente construído. Tema, estrutura, aqui a bendita frase final deu certo e costurou bem o subtema. Perfeito. Mas sigo solidária à mulher. Gosta de outra pessoa, fica com ela.

  19. Luis Fernando Amancio
    5 de abril de 2021

    Olá, Supercalifra… você aí mesmo! Parabéns pela coleção tão dinâmica de microcontos. Você passa por bons gêneros aí, ein? Ficção científica, comédia, romance, fantasia… E, na média, contos muito bem escritos. Sinto que você tem familiaridade com os textos curtos. Consegue traçar boas narrativas mesmo com o limite de caracteres.
    Achei bem divertido o conto da velhinha e seu vibra… secador. Um bom humor para aquela foto que tem gerado uma porção de contos piegas. O A1 também me agradou deveras. Uma cena a qual, infelizmente, estamos tão acostumados, revela outra situação que, também infelizmente, é bem real. Muito criativo, um microconto exemplar.
    O C1 também está entre os meus prediletos. Sobre ele, porém, observo que o fato de começar com “a irmã e o marido” nos deixa logo de início intrigados com o irmão, oculto até o fim do texto. Eu colocaria “a jovem e o marido” e, mais adiante, substituiria “Sérgio” por “cunhado”, inserindo esse elemento depois. Bom, mas eu mal dei conta de escrever meus textos, porque estou me metendo nos seus?
    Os demais contos também me agradaram. Um ou outro, é verdade, não me cativaram. Como o primeiro, que nos surpreende, ao fim, por ser FC.
    Ainda assim, o saldo é positivo. Parabéns e boa sorte no desafio!

  20. Elisa Ribeiro
    5 de abril de 2021

    Um pouco estranha sua coleção que mistura gêneros e temáticas tão variadas: FC, regionalismo, homossexualidade. Um cardápio para gostos variados, muito engenhoso no contexto do desafio. Ou não. Bem, eu estou no grupo dos que se distraíram com seus micros justamente pela estranheza que essa abordagem variada me provocou. Acho que nunca havia lido um micro de FC e me surpreendi vendo os seus funcionarem relativamente bem. Destaco o D3 pela criatividade e C1, que me pegou completamente de surpresa. Um abraço e boa sorte.

  21. Nilo Paraná
    5 de abril de 2021

    ola Doce, permita-me trata-lo(a) pelo sobrenome. gostei da criatividade, contos interessantes, ótimos finais. gostei demais de A2, E4 e C4, mas não desfazendo dos restantes. parabéns .

  22. angst447
    4 de abril de 2021

    O micro A2 perdeu um pouco do impacto, pelo menos para mim, devido a sua extensão, poderia ser mais curto e assim surpreender ainda mais o leitor. Pelo o que entendi, a moça condenada à morte era uma viajante no tempo.
    O meu preferido foi o E4, talvez pela inusitada visita e a situação atual do mundo.
    Todos os contos estão bem escritos, alguns trazem mistério, mitologia[D3], FC, e outros humor como o [B3].
    Parabéns pela participação e boa sorte.

  23. cgls9
    3 de abril de 2021

    Muito bom o seu conjunto de contos; muitas surpresas, boas histórias, graça, erudição e grandes acertos. O pseudônimo, eu não sou obrigado a escrever aqui. Não me atrevo! Rs parabéns e boa sorte.

  24. j2bohn
    2 de abril de 2021

    MICROCONTOS 2021 – SUPERCALIFRAGILISTICEXPIALIDOCE

    A2: Um microconto comprido. Mas eu não entendi a conclusão, o que mata a pequena história como um todo.

    E4: Ideia interessante, mas que não me agradou muito pessoalmente.

    D3: Bela história com interpretação inovadora do estímulo.

    D2: Eu ri muito enquanto lia este microconto. Gostei da interpretação inesperada e humorística do estímulo. Bem legal.

    A1: Linda história descrevendo o medo de uma mulher de uma situação mundana. No entanto, teria gostado de um pouco mais de emoção e tensão.

    B3: Um microconto agradável e inocente, mas não muito memorável.

    B1: Gostei da ideia, mas poderia ter sido mais bem elaborada e mais concisa.

    C4: Um microconto que parece ter uma ideia legal por trás, mas o sentido exato ilude este leitor inexperiente.

    E1: Gosto da descrição factual, que se encaixa muito bem no estímulo.

    C1: Lindo microconto sobre um amor secreto e proibido. Alcançou um bom efeito, e com bom uso do estímulo.

    A coleção tem seus altos e baixos, mas de modo geral é bastante agradável.

    Parabéns pelo bom trabalho e boa sorte no desafio!

  25. Fheluany Nogueira
    2 de abril de 2021

    Uma coleção de micros bastante heterogênea: humorístico, reflexivo, FC, fantasia em ordem crescente da emoção que podem trazer ao leitor.

    Estão bem escritos e coesos, com reviravoltas interessantes. Agradam no geral, mesmo aqueles que trazem algumas explicações desnecessárias.

    Preferido? “Chegou à Terra e foi tudo estranho. Ruas vazias, ninguém para fazer contato. Andou um pouco, parou em frente a uma casa e espiou por cima do muro. Uma terráquea apareceu, aos gritos: Não tá sabendo do lockdown mundial? Quem deixou você entrar? Volta pro seu planeta! Assim que der, a gente aglomera!”
    Por quê? Talvez o tédio provocado por este lockdown interminável.

    E esse pseudônimo? Vai explicar no final, não é?

    Parabéns e boa sorte! Abraço.

  26. Evelyn Postali
    1 de abril de 2021

    Caro(a) autor(a),
    Microcontos bem escritos, palavras cuidadosas, linha coerente, movimento. Alguns têm um toque de humor. Espirituosos. Destaco D3, B1 e C1. Porque tem um quê reflexivo.
    Boa sorte no desafio.

  27. Marlo Romulo Werka
    1 de abril de 2021

    Supercalifragilisticexpialidoce (acertei?), que aula hein!
    Caramba, C4 é de rasgar a alma. Todos eles são bons.
    Ótimo estilo, tudo bem contado com poucas palavras.
    Microcontos na melhor forma.
    Estará entre os meus 15.
    Parabéns.

  28. antoniosbatista
    31 de março de 2021

    A 2- Fuga pelo teletransporte. Boa jogada. Surpreendente.
    E 4- Má hora para os marcianos invadir a Terra. Curiosente.
    D 3- Os deuses brincam no Olimpo. Engraçadente.
    D 2- Demorou para descobrir a desgraça. O final ficou ruim. Decepcionante.
    A 1- O sem-teto só queria sua cama. Gostante.
    B 3- A velhinha gosta de brincar. kkkkkkkk.
    B 1- Vidas passadas. Bem legal esse.
    C 4- Grande Sertão. Instigante.
    E 1- Coerente. Emotivo.
    C 1- Tem que prestar atenção para captar o sentido oculto. Boa sacada.

    No geral, bons micro contos, excelente criatividade.

  29. Bruno Raposa
    31 de março de 2021

    [A2] Muito bom. Subverte as expectativas, joga com o fantástico, surpreende no final. Tem uma história interessante sendo contada. Gostei.

    [E4] Divertido, rs. A princípio parece um ser humano voltando ao planeta, muito legal a reviravolta. E a ambientação durante a pandemia deu um ar curioso ao micro. Fico imaginando como seria de fato um alienígena chegando aqui nesse exato momento.

    [D3] Tive que ler mais de uma vez para entender. É bom, mas empalidece um pouco diante dos anteriores.

    [D2] Interessante o conceito de punição, quase um inferno particular. Forma uma narrativa e o final tem um humor inesperado. Gostei bastante.

    [A1] Acho que não entendi muito bem o que você quis passar. Fiquei meio confuso. 😦

    [B3] Divertido também, inesperado. Criativo uso da imagem de estímulo. Um micro bem engendrado.

    [B1] Bonito. Um tantinho sentimental demais aos meus olhos. Mas funciona bem.

    [C4] Muda bastante o tom aqui. Gostei dessa quebra e gostei do micro. Tem sensibilidade e forma uma narrativa que sugere bastante, dá pra montar um cenário muito rico em cima desse micro. A última frase é muito boa. Excelente.

    [E1] Linear, sem reviravoltas, mas competente. Boa ideia, reflexiva e conversa muito bem com a música de estímulo. Gostei.

    [C1] Tem uma ideia forte e dolorosa. Forma muito bem uma narrativa em curto espaço. Fecha a sequência com uma nota pesarosa.

    Supercalifragilisticexpialidoce – que pseudônimo! -, você foi muito feliz em ordenar seus micros de forma temática, não seguindo a ordem dos estímulos. Começa leve, divertido e termina em notas pesadas. Muito inteligente a escolha. Tem uma ótima variação temática e até de gêneros. Gostei muito. Entra no meu top 15.

    Desejo sorte no certame.

    Abraço.

  30. Kelly Hatanaka
    29 de março de 2021

    Olá, fã de Mary Poppins!

    Curti seus contos, cheios de poesia. Ao lê-los, imagino imagens, você desenha com as palavras. O meu preferido foi o D3, doce, profundo e surreal.

    Parabéns e boa sorte!

  31. thiagocastrosouza
    28 de março de 2021

    Olá! Vi que buscou separar os micros tematicamente, o que me pareceu uma boa ideia, a princípio. Porém, creio que alguns blocos se saíram melhores do que outros, sendo o segundo bloco o ponto alto. Achei os micros de FC um pouco carregados demais, quando não vagos. Informações demais, no micro, acho que prejudicam a narrativa.

    Já os dois contos centrais me cativaram, pelo humor e pelo comentário social feito com sutileza. Do terceiro,destaco o conto C4, uma dureza e reflexão que me levaram direto ao texto de Guimarães sem ser descritivo ou ilustrativo. Achei ele mais próximo da homenagem.

    Destaque:

    “O povo diz que sou corajoso. A mó de que, doutor, se fosse outro tinha desistido faz é tempo. A seca trouxe a fome e levou meus filhos. E adiantou ter coragem? A mulher não aguentou, se foi. Se eu pudesse, trocava essa coragem toda por eles aqui, de volta. Seria covarde, mas seria inteiro de novo.”

    Pelos motivos citados acima, meu favorito.

  32. mariasantino1
    28 de março de 2021

    Olá, Supercalifragilisticexpialidoce (!)

    Em primeiro lugar fiquei algum tempo refletindo no seu pseudônimo. O que ele esconde? Não matei. Depois olhei a imagem escolhida com os homenzinhos a adulterarem o cubo mágico. Mano, qq táconteceno?

    Então, críticas e elogios, ok?

    Bem, sinto que há algo escuso na escolha dos contos nas posições que eles estão e também devido ao uso do símbolo de infinito para separar um texto de outro. Sei que há muito de ficção científica e, apesar de curtir alguma coisa do gênero, todos os textos que abordaram o tema ficaram pedindo mais, pois o tema em si pede isso no quesito aclimatação de trama (opinião). Acho que há um pano de fundo que não ficou bem explicitado, mas causa sensação de estranheza (pelo menos em mim). Mas, enfim… Avaliando-os em separado, digo que o que mais saltou aos olhos foi o [C1]. Lembrou-me um filme (até o nome de um dos personagens), onde há um relacionamento impossível e secreto homoafetivo “Me Chame Pelo Seu Nome” da Netflix. Gostei do clima misterioso e de como as sensações despertadas são suplantadas pelo final do texto porque elas escondem o que realmente vai no peito dos dois: “Um rápido encontro de olhares, o acordo silencioso: a noite que jamais seria esquecida por ambos. Um presente secreto.” Desculpe mas minha chatice grita aqui e tenho que dizer que limaria o segundo “UM” aí para ficar mais fluído. Outro texto que curti bastante é o [B1]. Por mais que não entenda os motivos de nomear o personagem e por ele também te um Q de ficção científica há uma dúvida reflexiva que casa com nossos questionamentos primais de origem da vida, de finitude e do que realmente importa. Algo semelhante ocorre com o texto do retirante [C4]. É bonito, reflexivo e o modo contemplativo da fala ressalta a humanidade frente as consequências de escolhas ou mesmo do que é certo vs conivente a alguém.

    Nos demais eu não consegui gostar por inteiro, seja por haver essa cisma não elucidada ou pelo fato de alguns estarem aí somente para entreter e causar humor. Nada contra, somente a questão de desafio mesmo. Sendo assim não há problema com os textos [B3] e [A1]. O primeiro (desses dois que citei) serve apenas para entreter e fazer rir (cumpriu sim esse propósito) e o segundo é igualmente engraçado, além de haver uma crítica social implícita, uma vez que o homem usa a expressão antiga VÔTE o que indica ser bem idoso ou que a pessoa está em um tempo antigo no passado (talvez eu esteja me apegando muito aos detalhes) em todo caso o texto foi engraçado. Já o [E1] é solto demais e deixa-o com cara de lista, o que indica na música de incentivo, mas sem grande impacto. O [D2] oferece imagens bonitas onde ficção e fantasia se mesclam, mas o sentido fica disperso em meio a essas imagens. O do relógio é o texto onde a frase “desgraça pouca é bobagem” mais fez sentido como fio condutor dos seus contos, seja por eles possuírem esse ar mesmo de fatalidade misteriosa, seja pelo uso de coisas grandiosas em textos pequenos como viagem do tempo e lockdonw universal (hilária a ideia).

    Em todo caso, apesar do muito que falei e pouco disse, gostei das sensações despertadas em todos eles e como algumas ficaram. Perdoe-me se não pude notar tudo o vc que quis expressar.

    Me demorei muito aqui.

    Parabéns e boa sorte neste desafio!

  33. Sandra Daher
    28 de março de 2021

    Oi, Super, bons contos, entre o trágico, lúdico, amoroso, segredoso…sensível o da menina que aceita, com seu artefato, iluminar seus estudos, em vez de pertencer ao sistema solar. O do sertanejo que perde tudo, também, de uma beleza trágica. O “Sísifo” afundando a estrada…muito bons.

Deixe uma resposta para Klotz Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado às 28 de março de 2021 por em Microcontos 2021 e marcado .