EntreContos

Detox Literário.

[EM] Vida por Vida (Rowland)

Nasci num tempo onde as pessoas estavam em excesso, e para ter um filho eu teria que esperar que alguém da família morresse ou eu deveria matar algum meu familiar ou morrer para que meu filho pudesse viver. E como nós pobres não tínhamos muito poder as nossas famílias eram muito reduzidas… os ricos poderiam comprar por mais espaço matando um pobre e nós não tínhamos como fazer nada, era só esperar a morte ou rezar por uma tragédia, porque fora isso não teríamos filhos, quando acontecia uma tragédia nós não lamentávamos, pelo contrário era como se Deus estivesse reduzindo o número por nós, e consoante o número de mortos eram divididas entre as famílias, a maioria vinha para nós porque os ricos já tinham os seus filhos.

            Em caso de gémeos o pai e a mãe eram mortos, eles valorizam mais as crianças que os mais velhos, porque o consumo das crianças era reduzido e eles nasciam mais inteligentes e tinham mais condições de criar algo que salvasse a população. Nós estamos esperando pelo salvador pela criança da profecia a mais inteligente criança da história da humanidade, os anciões tiveram uma visão onde uma criança salvava o mundo. Na minha família nós éramos 5, eu Carlos, minha mulher Sheila, e meus dois irmãos e meu tio que fugiu quando eu comecei a namorar com a Sheila, ele temia que eu reivindicasse a vida dele para que eu pudesse ter um filho. Sendo assim eu não tenho como ter filhos porque não há espaço para mais ninguém e eu sou o mais velho não poderia matar ninguém e não vejo motivos para ter filhos se não poderei estar para o ver crescer, então descartei essa possibilidade, cheguei a procurar por parentes mais próximos que pudessem me dar a oportunidade de ter um filho, mas encontrei pessoas mais novas que reivindicariam a minha vida para eles terem filhos, não os contactei, todos os mais velhos quando percebem que em breve suas vidas estarão em perigo eles fogem para poder viver e eu não poderia me expor. O que me preocupava era que em breve os meus irmãos irão crescer levar mulheres e vão querer ter seus próprios filhos e com isso corro risco de um deles querer minha vida.

Até hoje eles me julgam por ter escolhido a Sheila como mulher, porque ela era a única de sua família e pessoas que não tem nenhum parente acabam sozinhas porque ninguém quer arriscar sua geração numa pessoa que não tem ninguém para ser reivindicado e estou cansado disso, família é poder quem não tem é visto como nada. Para mudar isso me envolvi com a Sheila, uma mulher que não tem ninguém esse é o primeiro passo para um novo amanha, mas as coisas estão difíceis e eu não pensei que fosse acabar assim…em breve meus irmãos vão querer uma vida e eu não pretendo morrer para que os filhos deles vivam e acabem tendo o mesmo destino que o meu, então quando eles arranjarem uma mulher eu irei fugir com a Sheila, era esse meu plano antes de descobrir que ela estava grávida, quando eu soube disso percebi que o cronómetro da minha vida só tinha 9 meses, eu só tinha 9 meses para mudar a minha vida, já não adiantava em nada fugir. Pensei em abortar, mas se descobrissem toda minha família seria morta, não há crime mais grave que esse, era como se eu estivesse matando a criança da profecia. Enquanto eu pensava Sheila veio ate mim e disse:

Sheila: (ansiosa) Não te preocupes tanto meu amor, eu sempre quis essa criança, eu irei partir no seu lugar e deixarei que você cuide dela.

Carlos: (sorrindo) Não meu amor, mesmo que você fizesse isso, meus irmãos ainda vão reivindicar a minha vida, eu irei partir para que vocês vivam, essa é a única vantagem de ser a única e ele terá muitas vidas para reivindicar.

            Nesses 9 meses que haviam restado fiz de tudo para deixar tudo pronto para o meu filho, dei tanto amor tanto carinho ele ainda na barriga da mãe. Não sei mais eu gostaria que ele salvasse o mundo, eu nunca acreditei nisso, mas gostaria mesmo assim que fosse ele. Passaram se 8 meses a bolsa estourou e eu tinha um mês a menos, a levei ao hospital bem apressado e fiquei fora esperando era um parto complicado, a polícia estava do meu lado esperando para me levar, o medico saiu com uma cara triste e disse:

Medico: (cabisbaixo) A sua filha está forte e saudável, fora de perigo é uma linda menina. Você deve ver ela ficamos impressionados com ela, é uma guerreira!

Carlos: Doutor e a minha mulher?

Medico: Infelizmente ela não resistiu, a sua mulher morreu no parto, ela pediu para salvar a filha a qualquer custo, e mesmo que não tivesse pedido, essas são as normas as criancas em primeiro lugar.

            Fiquei feliz por um instante e não consegui mais processar direito quando ouvi que a minha mulher morreu, os policiais foram embora e a vida havia sido paga com vida, a medica veio e trouxe a criança ate mim, e eu não conseguia a segurar porque eu esperava por um homem e não uma mulher que tirou de mim minha mulher e meu sonho de transformar meu filho no salvador, sai correndo do hospital, fui a um bar, eu nem bebia mais bebi tanto nesse dia que arrumei confusão e acabei no mesmo hospital.

            Quando acordei todo machucado a tristeza voltou para mim, era eu que deveria estar morto e não ela, sentia uma dor muito forte que os machucados não doíam, a medica de ontem veio e disse:

Medica: Você pode ir embora se quiser, você esta bem… e eu perdi uma criança, eu poderia amamentar sua filha se você quiser.

Carlos: (sem animo) Tanto faz, não me importa!

Medica: Você sabe quais foram as últimas palavras dela? Eu ainda me lembro!

Carlos: (agitado) Me diga por favor o que ela disse…

Medica: (sorrindo) Calma assim você vai acabar abrindo as feridas…

Carlos: (sentindo dor) Ai ai…Por favor me diga…

Medica: Esta bem! ela disse: Eu deixo a salvadora em suas mãos, você a guia desde o meu ventre e continuara a guiando ate ela realizar seus sonhos!

            Me levantei apressado e fui ate onde ela estava, e ela de todos os bebes era a única que não chorava, tão forte como uma guerreira, nesse mesmo instante resolvi fazer dela a salvadora, a chamei de Josina, deixei que a Medica a amamentasse por um tempo e depois disso a levei comigo e ela pediu que mantivesse contacto com ela e que no dia que ela quiser ter filhos a sua vida era dela, eu disse que ela poderia manter contacto e a vida dela era dela, porque a menina que ela amamentou era a salvadora.

            18 Anos depois.

Josina: Pai eu já tenho 18 anos, ate quando esse treino vai durar.

Carlos: Ele já acabou filha, agora você está livre desse velho, você de toda a gente que eu conheci é a mais inteligente.

Josina: Não diga isso pai, eu amo o senhor, o senhor fez de mim a mais inteligente. Você ficava enrolado, para passar mais tempo comigo e eu aceitava para passar mais tempo com o senhor também.

            Eles se abraçaram e nesse mesmo dia foi anunciado ao mundo inteiro que o salvador havia nascido e que todos o poderiam ver na televisão de noite. Quando o Carlos ficou sabendo disso ficou bobo, porque não existia ninguém mais inteligente que a sua filha, ele não acreditou e quis ver com os seus próprios olhos…anoitecei e o salvador saiu na televisão e foi impressionante que com 19 anos ele já havia inventado muitas coisas, então o mundo inteiro acreditou que ele era mesmo o herói de que tanto esperavam ate a Josina, menos o Carlos ele não o aceitava, ele continuou procurando por patrocínios para a sua filha, era difícil alguém patrocinar uma mulher alegavam que era perca de tempo, todos esperavam um salvador e não uma salvadora, mas o Carlos nunca desistiu e a Josina confiava no seu pai que se empenhava ainda mais nos estudos.

            Passaram se alguns meses e o salvador já havia criado uma maquina, uma nova forma de ar artificial e renovável, onde as pessoas renovariam o ar, sendo assim ao invés das pessoas morrerem para que alguém da sua família vivesse ou tivessem filhos, eles morreriam para que o ar existente neles passe para outras pessoas e quanto mais jovem melhor, ele fez isso pensando que as pessoas não deveriam morrer em vão e para que as pessoas não fossem sacrificadas o tempo todo, somente criminosos seriam sacrificados, não importando o crime ou idade e com isso ele conseguiu que as pessoas pudessem procriar a vontade.

Josina: (Cansada de tanto correr) Pai…pai você esta vendo a máquina que ele criou?

Carlos: (furioso) Sim minha filha, como eles puderam aprovar algo como isso…

Josina: Essa foi minha primeira invenção quando eu tinha 12 anos e nós a descartamos porque continuaria usando as pessoas e…

Carlos: Eu percebi minha filha, parece que ele conseguiu atingir sua inteligência de 12 anos.

Josina: (rindo) Pai não é hora para isso! Pai essa maquina vai destruir o mundo, ela é temporária.

Carlos: Então se apresse e descubra como salvar o mundo…

Josina: é o que eu estou fazendo, mas tudo tem efeitos colaterias esmagadores…

Carlos: Eu confio em voce meu amor!

            As pessoas quando ouviram falar dessa maquina a principio não gostaram mais depois de um tempo eles gostaram e a começaram a adorar o salvador, ele era falando em todo mundo e todas as Empresas estavam de olho nele. Enquanto o pai da Josina continuava procurando, a Josina já havia enchido os cadernos com ideias de como salvar o mundo, mas todas as empresas estavam investido no falso salvador, ela tinha ideias fabulosas e com um pouco de apoio ela salvaria as pessoas.

            A Josina cansada de esperar resolveu marcar um entrevista com o lúcio (falso salvador) mais sempre ela era barrada sendo assim ela levou um dos seus projectos e disse para o pai levar ate ele, que se ele for mesmo inteligente perceberia o que era e aceitaria um encontro, o pai sem entender nada do que havia sido escrito nos papeis foi ate ele e foi aceito, ele alegou que era algo do seu filho, porque estava velho para inventar e se mencionasse uma mulher seria rejeitado, já na sala com o lúcio.

Lúcio: Sejamos breves, eu estou muito interessado nesse seu filho, ele realmente tem uma mente fértil e o preço na importa.

Carlos: Eu fico feliz por o senhor ter reconhecido a inteligência da minha filha quando ela tinha 14 anos.

Lúcio: (confuso) Você disse filha? Não tem como uma mulher saber tanto assim, elas são todas burras.

Carlos: Isso é só um dos rascunhos dela para aperfeiçoar a sua máquina ela esta dando de presente e em troca ela só quer um encontro com você.

Lúcio: Onde e quando?

Carlos: Ela disse que você saberia onde e quando!

            Então o Carlos foi embora deixando o lúcio todo impressionado, a curiosidade de conhecer a dona daqueles papéis era imensa. Carlos chegou em casa e contou a sua filha que saltou de alegria, que foi ao seu quarto e começou a desenvolver mais a suas ideias, para não decepcionar o lúcio.

            Passados alguns dias, chegou o dia do encontro, a Josina já estava no local um pouco adiantada e o lúcio enquanto se preparava para ir ao encontro decide perguntar seus pais se era uma boa ideia ir ter com ela, os pais disseram que era uma perda de tempo que eles só queriam aparecer e 14 anos, se fosse verdade eles teriam aproveitado essa oportunidade, que eles estavam tramando algo, que seria melhor os ignorar e começar a aperfeiçoar a máquina. O lúcio fez como seus pais disseram e não foi ao encontro, a Josina ficou esperando por muito tempo e cansada de esperar foi ate ao seu laboratório onde foi impedida de entrar pelos guardas alegando que ela era uma das fãs do lúcio. Ela voltou arrasada para casa.

Carlos: (aliviado) Filha ainda bem que você voltou, eu já estava indo procurar você!

Josina: (arrasada) Ele não veio pai, ele acabou de condenar o mundo.

Carlos: não se preocupe eu irei lá amanha…

Josina: (desanimada) eu preciso me deitar…

            Carlos acordou bem cedo e foi ate ao laboratório mas os guardas tinham ordens de não deixar que ninguém estranho entrasse, ele viu a carro de lúcio chegando tentou o barrar mais quase foi atropelado e os guardas o expulsaram a palmadas. Chegando em casa ele encontrou a Josina esperando por ele, quando ele a viu abanou a cabeça para os lados, o que aumentou o desânimo da Josina, ela ficou por uns dias sem trabalhar em suas pesquisas, ela já havia desistido e quando viu que o lúcio havia usado sua ideia para melhorar a maquina o desanimo só aumentou, se não fosse o pai ela teria botado fogo em todos os papeis dela em tudo que ela ficou pesquisando durante anos.

Josina: Me deixa pai, isso não vale nada…

Carlos: Talvez agora não…mais um dia isso mudara o mundo…

Josina: Talvez esse mundo não queira ser salvo.

Carlos: Então ficaremos esperando ate que ele queira ser salvo. Você mesma disse que aquilo era temporário.

Josina: Eu não ligo mais para isso, eu irei sair com meus amigos não me espere para jantar.

Carlos: Filha esses sentimentos vão enfraquecer a sua mente…

            Ela saiu e o deixou sozinho, desde que o lúcio não apareceu no encontro ela começou a sair com pessoas, ela nunca se envolvia com ninguém porque ela mesma disse que quando o coração esta mergulhado em sentimentos acaba afogando a mente. Por isso ela nunca se envolvia, mas como ela já havia desistido ela resolveu se envolver com o Júnior que ela conheceu através da Ana. Júnior vinha de uma família com posses não muito mas tinham seu nome no mercado. Depois de algum tempo ela pediu que o júnior falasse com seus pais para financiar suas pesquisas, ele falou com os seus pais mais eles disseram que não podia gastar muito porque havia investido numas acções. Então ela se esqueceu do mundo e começou a criar coisas pequenas, e a aderência era enorme, mais a maior parte ficava com os investidores, ela não se importava ficava feliz só vendo as coisas que ela criou no mercado, então ela preferiu viver assim…

            Passaram-se alguns anos e a máquina criada por Lúcio começou a falhar, a taxa de natalidade havia aumentado e os crimes cometidos não eram suficientes para cobrir tudo, e a máquina não suportou que as pessoas fracas e crianças começaram a morrer porque a maquina foi desenvolvida para manter o equilíbrio e voltou a funcionar normalmente, e lúcio não quis dizer as pessoas a verdade ele disse que o ocorrido foi devido a uma sabotagem, ele sabia que dentro de três meses a maquina iria eliminar mais pessoas para se manter estável, matando mais pessoas que não conseguissem buscar pelo ar, que usam o ar em excesso devido as suas doenças.

            Quando a josina soube do ocorrido ela já sabia que não foi sabotagem nenhuma e que a maquina havia começado a falhar e que de agora em diante a máquina iria falhar mais vezes e causando mais mortes, então ela disse aos pais de júnior que queria produzir mais, que gostaria que investissem mais nela, eles pediram para ver o que ela queria produzir e ela pediu alguns dias.

            Lúcio foi a procura dela em seu laboratório, quando ele viu as invenções dessa nova empresa, logo percebeu que era a mesma da pessoa que lhe deu os papeis de como aprimorar a maquina e se não fosse por esse aprimoramento mais pessoas teriam morrido.

Lúcio: Vejo que você conseguiu se estabelecer.

Josina: Não com a sua ajuda, o que você faz aqui?

Lúcio: Sem perder tempo eu quero fazer a você a mesma proposta que eu fiz ao seu pai, trabalhe para mim e você ira ganhar muito…

Josina: Eu nunca irei trabalhar para você, não depois do que você fez.

Lúcio: Você não estava tão empenhada em salvar a humanidade? Eu estou lhe dando essa chance.

Josina: Sim eu irei salvar a humanidade mais não do seu jeito.

Lúcio: Faça como quiser, sem mim você não ira a lugar algum.

            Lúcio foi embora bem desapontado e jurou se vingar dela, por ter recusado trabalhar para ele, ele estava sem ideias e já não sabia o que fazer e quando a Josina recusou trabalhar para ele ficou somente com a proposta feita a ele pelos seus pais, para que a maquina não matasse pessoas de novo aleatoriamente ele usou o aprimoramento que lhe foi dado pela Josina para seleccionar um devido local onde a maquina iria usar as pessoas daquele local para sugar o ar deles, dito feito ele marcou uma zona pobre e depois que a maquina sugasse a energia do local, e tinha homens prontos para que fizessem aquilo parecer um desastre natural.

            Enquanto isso os dias que a Josina havia pedido aos pais de júnior já havia se esgotado e ela, mostrou a eles as ideias que ela teve e eles gostaram muito delas e aprovaram e começaram a pedir apoios, mais eles foram barrados pelas outras empresas a pedido do lúcio e foram obrigados a vender uma parte para o lúcio. Com isso a Josina decidiu abandonar a empresa e voltar para casa do seu pai já que eles não se viam a muito tempo.

Carlos: Então é verdade!

Josina: O que é verdade?

Carlos: Que bom filho sempre volta a casa!

Josina: Me perdoe, eu não queria…

Carlos: Minha filha me perdoe, por ter tirado a sua infância de você, por ter privado você de tudo, me de uma nova chance filha.

            Eles se abraçaram e decidiram recomeçar de zero, mas sem pressão que devessem levar as coisas naturalmente, Josina havia terminado com Júnior mais o pai a fez voltar com ele alegando que ele era um bom rapaz, mas ela não aceitou voltar para a empresa, que já havia crescido com as ideias que ela havia desenvolvido, mas nenhuma dela salvava o mundo.

            Passaram três meses e a Maquina voltou a sugar o ar das pessoas, mas dessa vez ela sugou ar suficiente para 1 ano, matando todos de um determinado bairro, depois da maquina sugar eles lançaram alguns explosivos e fizeram parecer um acidente. Mas a josina e o Carlos não acreditaram nisso porque eles sabiam que em três meses a maquina iria querer mais pessoas, vendo isso tudo a Josina não teve outra alternativa a não ser se juntar ao lúcio para que mais pessoas não morressem. O lúcio a aceitou e eles trabalharam directamente juntos para achar uma solução.

            O trabalho ia bem ao poucos eles iam progredindo mais lúcio não gostava do tempo que a Josina dedicava ao trabalho por causa do júnior então ele decidiu os separar, alegando que estava fazendo isso pelo trabalho e não porque ele estava começando a gostar dela de verdade, ele armou para que a Josina visse o Júnior com outra mulher, e Josina ao ver isso terminou com júnior. E se dedicou de corpo e alma ao trabalho, o pai a visitava sempre e quando soube que eles terminaram desconfiou do lúcio, ele não gostava nada dele, mas não tinha provas e ele ia sempre lá para ver se conseguia algo que o incriminasse mas lúcio era mais esperto.

Cinco meses depois a maquina comete um erro gravíssimo eles pensavam que tinham um ano para resolver o problema da maquina mais só tinham um mês, a Josina ficou desesperada sem saber o que fazer…

Lucio: E agora o que faremos?

Josina: Vamos destruir a maquina!

Lucio: não podemos!

Josina: Se as pessoas souberem de todo mal que a maquina fez elas mesmo a irão destruir, e quanto a você, eu estarei do seu lado…

Lucio: Eles ja sabem, todos os investidores e os mais influentes eles sabem de tudo e eles não ligam desde que isso não os afecte…eles mesmo é que escolhem os locias onde a maquina deve sugar o ar…nós nunca chegaremos perto da maquina.

Josina: Eu ja imaginava isso, mas e se a maquina precisar ser reparada?

Lucio: Eles tem pessoal trabalhando nisso. Não adianta eles…

Josina: Eu ja estive do mesmo jeito que você, quando voce não veio ao encontro, ficar assim não vai resolver nada, o único jeito de poder operar a maquina é fazendo ela sugar o ar das pessoas daqui, dos chefões.

Lucio: Se você fizer isso muitas pessoas importantes vão morrer, inclusive a gente!

Josina: Carrega mais esse fardo comigo, mas dessa vez é pela humanidade!

Lucio: Está certo! Carregaremos esse fardo juntos, você sabe como desviar isso?

Josina: Claro que sei, vou precisar da sua ajuda.

            Então eles começaram a trabalhar e estavam mais proximos, o falso escolhido e a escolhida, depois de algumas semanas faltando somente algumas horas para a maquina volta a sugar eles desviaram para a cidade dos milionarios onde eles estavam, e eles foram descobertos, fizeram de tudo para voltar a mandar para outra localização e não conseguiram tentaram desligar a maquina e não conseguiram Lucio e Josina tomaram providencias quanto a isso, eles ficaram desesperados muitos entraram em seus helicóptero tentando fugir, mas ja era tarde, a maquina começou a selecção e muitos morreram nesse dia, incluindo os pais da Josina e do lucio, eles nem tempo para chorar tiveram, eles criaram mascaras que os permitiu escapar da selecção quando a populaçao soube da maquina, se revoltaram foram destruído tudo e Lucio sabia que isso iria acontecer e que eles precisariam de um culpado.

Lucio: Você me promete?

Josina: O que?

Lucio: Que você salvará esse mundo?

Josina: Como assim? Eles não vão nos deixar viver depois do que fizemos!

Lucio: Eu sei, por isso eu pretendo assumir a culpa sozinho, se ambos morrermos não existirá nenhum escolhido e sera o fim do mundo, você deve sobriviver…

Josina: (Chorando) Não, eu ja perdi todos eu não tenho ninguém aqui…

            Ele a beija e depois ejecta nela um sonifero nela, a amara para parecer que ela estava sendo mantida em cativero e espalha todas as ideias dela pelo local.

            Lucio fala para o mundo toda a verdade por detrás da maquina e assumi a responsabilidade e acrescenta que ele mantinha em cativero a verdadeira escolhida.

            Depois de suas palavras todos que sobriviveram, foram ate sua oficina e começaram a destruir tudo a procura dele, quando eles entraram na sala, ele pegou a Josina e disse que atiraria nela se não o deixassem fugir, as pessoas largaram todas as armas e o deixaram passar ele entrou no  helicóptero que explodiu, como ele havia planejada. Salvaram a Josina a verdadeira salvadora e quando ela acordou, passou um tempo tentando digerir tudo que aconteceu e depois disso começou a trabalhar para salvar o mundo.

26 comentários em “[EM] Vida por Vida (Rowland)

  1. Luis Fernando Amancio
    8 de maio de 2021

    Imagina, amigo, não há o que se desculpar. Como eu disse, estamos todos aprendendo aqui. Ler os comentários com atenção é um importante passo. Espero vê-lo em futuros desafios!

  2. davenirviganon
    6 de maio de 2021

    [EM] Vida por Vida (Rowland)

    Ambientação= Uma distopia em que a taxa de natalidade é controlada rigidamente, tornando crime ter filhos mas não matar um parente para abrir uma “vaga”. Uma extrapolação da Lei do Filho Único na China.

    Enredo= Centrado em uma profecia, de que uma criança salvará o mundo usando a inteligência e ciência. Achei maniqueísta demais para meu gosto, mas isso não é intrinsecamente um problema, mas precisa trabalhar mais os personagens, pois eles estão muito simples (o conto começa e termina e apenas Lúcio mudou).

    Escrita= Provavelmente você é novato na escrita. Algumas sugestões que podem te ajudar: tente fazer frases mais curtas, ao invés de separar tudo com vírgulas. Facilita para quem lê e ajuda a organizar as ideias para quem escreve. Procure mostrar mais que contar, é uma técnica que chamamos de “Não Mostre, Conte!”, pois queremos sentir os dramas dos personagens, não apenas ser informados de que eles existem. Por exemplo, quando você coloca, (Ansioso) (Irritado) entre parênteses, quando as falas e as situações já nos fazem entender isso. Espero que leve na boa, pois são coisas que eu já fiz em outros desafios e aprendi muita coisa boa aqui no Entre Contos/Mundos.

    Considerações gerais= Sua ideia é muito boa e algumas visões que você promove são bacanas também. No entanto sua técnica ainda está atrapalhando um pouco a apreciação, mas não é nada que não se resolva com prática e técnica, pois criativo você já é.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, passarei a fazer uso dessa técnica, obrigado pelas ideias e o incentivo, estou levando de boa sim, eu precisava disso. Obrigado

  3. Marcia Dias
    6 de maio de 2021

    Ambientação: O primeiro parágrafo, que diz sobre o que o universo representa, “para nascer alguém precisa haver a morte de outro”, já desenha em nossas mentes o mundo caótico. Ideia muito criativa. Imagino um cenário não tão distante se não houver um equilíbrio de recursos a partir de hoje.

    Enredo: Um mundo superpovoado em que a vida só é viável com a morte de outra vida, e os ricos não se sacrificam porque compram as mortes dos pobres para gerar a sua própria prole é um cenário muito perverso. Não fosse a esperança de um menino salvador, o mundo seria insuportável. No entanto, esse salvador é uma menina, o que ninguém espera. Adorei o começo! Mas depois disso acho que a história se perdeu um pouco. Voltou-se para uma máquina que poderia salvar o mundo, mas que estava era matando gente. Não entendi o funcionamento da máquina, como ela salvaria o mundo. Achei que as ações foram perdendo força e ficando em segundo plano. A máquina foi assumindo o protagonismo da história, mas eu não entendi o que ela fazia de fato e também não entendi o que a salvadora e o falso salvador do mundo estavam tentando criar.

    Escrita: Precisa de revisão.

    Considerações finais: Fiz poucas leituras até agora (somente 5). Talvez eu devesse guardar essa nota para mais tarde, mas sou impulsiva, às vezes, rs. Geralmente, eu tenho dito nos cometários de escrita, “Precisa de revisão”. Não me sinto à vontade em apontar as falhas gramaticais, de coesão e coerência. Acho indelicado e, talvez, fora de propósito aqui. Pode desmerecer as ideias criativas que vejo e gerar bloqueios. É isso que não desejo! Vejo boas e ótimas ideias se perderem um pouco (e também muito) por falta do uso correto da gramática na escrita criativa. Falo isso para mim também. Acho que devemos estudar nossa língua até morrermos, rs. Não estou falando apenas desse conto aqui, falo de quase todos, inclusive o meu! Vamos revisar sempre! Isso vai enriquecer putamente (ops!) nossa escrita! Mas quero terminar ressaltando a sua criatividade e potencial! Sua ambientação é maravilhosa!

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, realmente esse é meu primeiro trabalho. Mas isso não justifica, Tem muita coisa que percebi após ler o seu comentário. Absorvi tudo que você disse e prometo melhorar. Muito Obrigado

  4. Anderson Prado
    5 de maio de 2021

    Ambientação: Boa, pois nos sentimos perfeitamente ambientados em um futuro em que os recursos materiais estão escassos e a taxa de natalidade sofre severo controle estatal e social.

    Enredo: Poderia ser melhor desenvolvido, pois em diversos momentos me senti desorientado.

    Escrita: Poderia ser melhor, pois há muitos erros.

    Considerações gerais: Creio se tratar de um texto de escritor em formação, com muitas possibilidades para melhoras. Nota 9,6.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita. Essa nota representa muito para mim. Obrigado

  5. Luis Fernando Amancio
    4 de maio de 2021

    AMBIENTAÇÃO
    Futuro em que o planeta está em crise ambiental e populacional. A quantidade de pessoas é limitada e existe um cálculo para adequar o nascimento de crianças – um famíliar, o mais velho, deve morrer.
    ENREDO
    Carlos e sua esposa terão um filho. Como ele é o mais velho de sua família, deverá morrer se a criança nascer. Ele acredita que a criança será a salvadora do mundo, mito que enche de esperanças os habitantes desse futuro triste. A mãe morre no parto, então Carlos pode viver. Ele treina a filha, Josina, para ser a salvadora do mundo.
    ESCRITA
    Apresenta falhas, gramaticais e de estilo.
    CONSIDERAÇÕES GERAIS
    Caro autor, acima de tudo, parabéns pela ideia. Muito criativa. Sua história é interessante, tenho certeza que pode interessar a muitos leitores. Imagino que você deveria investir em algumas lições sobre a escrita, para apurar sua construção narrativa. Da forma como o texto foi apresentado, ele está muito bruto, sem revisão e confuso. Uma boa ideia é sempre um ótimo começo para um texto, mas é só o início. É o bom desenvolvimento da narrativa que tornará o conto memorável. Siga aprendendo, é o que todos nós aqui no EntreContos fazemos.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita. Agradeço por ter apontando os meus furos, farei o meu máximo para melhorar. Obrigado

  6. KellyHatanaka
    3 de maio de 2021

    Ambientação:
    Um futuro em que o mundo está superpovoado e em que vigora uma lei que restringe a taxa de natalidade. Entendi a base, mas não consegui embarcar na ideia…

    Enredo:
    Achei um bocado confuso. Se os parentes mais velhos podem fugir para não serem reivindicados, para onde vão? E o que os governos ganhariam com um monte de órfãos, que é o que uma lei desse tipo geraria? Gostaria também de ver uma explicação sobre o salvador. Quem define quem é o salvador? Há um teste?

    Escrita:
    Talvez parte das minhas dificuldades com o enredo tenham vindo da escrita, que achei meio perdida, às vezes. Em alguns momentos, a história parecia dar voltas sem chegar a lugar nenhum. Senti falta de um pouco mais de clareza. Alguns erros também prejudicaram a compreensão. Uma revisão mais acurada poderia melhorar bastante essa questão da clareza.

    Considerações gerais:
    A ideia da sua história é muito boa. Os pontos que assinalei acima são pontos em que, na minha opinião, há espaço para melhorar. Acho que você parte de uma boa base. Talvez falte prática, não sei. Em todo caso, não pare. Continue, insista, reescreva, edite, revise, e vá em frente.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita. O governo só se importava com as crianças, de quem eram filhos não importava. A lei era para manter o equilíbrio, para que as pessoas parassem de procriar, agora que você perguntou, um teste faria mais sentido, porém o número de páginas acabou me afundando. Obrigado

      • Kelly Hatanaka
        10 de maio de 2021

        Não há nada a ser desculpado e seu texto esteve longe de dar dor de cabeça. Só prossiga, continue escrevendo e vá em frente, porque vale a pena, ok?

        Kelly

  7. opedropaulo
    2 de maio de 2021

    CONSIDERAÇÕES GERAIS: Oi, Rowland, ao menos neste caso começarei com as considerações gerais, pois algo me diz que é um escritor iniciante (querendo dizer exclusivamente que começou a escrever agora) e, devido aos vários problemas textuais que se encontram no seu conto, redigi um comentário majoritariamente crítico. Por isso preferi iniciar abordando o texto em seu todo. Há espaço para mais de uma história interessante no mundo que apresentou no conto. Imaginei, por exemplo, um conto inteiro dedicado aos bastidores e a uma luta entre parentes que desejam ter um filho ou uma reunião de executivos discutindo como o excesso demográfico mantém a estabilidade de seus negócios… achei que de todas as histórias possíveis, embora a trama se comunique bem com o tema proposto pelo desafio, a trama que decidiu contar seguiu com personagens que cativam, mas que não escapam dos clichês que os concebem. Não é errado usufruir de clichês, mas se assentar tanto neles demanda um empenho maior para que a história surpreenda e se entregue com originalidade. Há bastante criatividade presente aqui e não duvido que poderia ter pensado em uma história mais envolvente. Mas o principal problema é mais a execução do que a história. O que aprendi nos meus poucos anos escrevendo é que tenho muito mais a ler do que a escrever e, restringindo-me a escrita, percebo que reescreverei mais do que escreverei. Com isso quero aconselhá-lo que exercite a sua escrita, sempre trabalhe em algo, mantenha seus projetos e essa rotina recompensará em um reconhecimento de suas qualidades e defeitos enquanto escritor, familiarizando-o com os ditames da língua portuguesa e também deixando mais evidente o que da literatura você deverá buscar para definir o que quer escrever. E, enquanto escreve e lê mais, com certeza vai descobrir que nenhum texto, absolutamente nenhum, poderá seguir sem ser revisado. Há sempre erros que passam despercebidos e trechos que podem ser melhores. Não há como escapar e, aceitando isso, descobrirá prazer da mesma forma que um escultor deve sentir ao ver os contornos de sua obra em uma rocha que olhos comuns acham estéril.

    Ademais, aproveite a nossa comunidade! Além de amizades, esta te oferecerá a possibilidade de um trabalho constante e de múltiplos olhares críticos em que descobrirá caminhos interessantes por onde pode refletir sobre seus textos. Boa sorte!

    AMBIENTAÇÃO: Apesar das críticas dos colegas, não achei a ambientação tão confusa e foi o que mais me cativou no enredo. São os problemas textuais e narrativos que atrapalham a leitura, mas tocarei nisso mais tarde. Acredito que o primeiro parágrafo estabelece de forma satisfatória o que move a história: em um mundo de explosão demográfica, é necessário ceifar para deixar viver, crianças são extremamente preciosas, uma profecia dirige as expectativas para os recém-nascidos e um mundo extremamente desigual persevera. Nesse cenário, as dinâmicas familiares são muito mais tensas e perigosas, bem como o desespero é perceptível em todas as personagens. Por isso, achei que o conto apresentou uma ideia muito boa, falhando bastante na sua execução.

    ENREDO: Entrando agora nas falhas de execução, existem algumas presentes no enredo. Em primeiro lugar, houve uma indecisão sobre qual narrador adotar, seguindo primeiro Carlos e seus medos e depois passando para Josiane e Lúcio. Nada de errado em apresentar múltiplas perspectivas, mas foi o tempo passado com cada personagem e a foram abrupta como se deu essa transição que acabou truncando o texto, fazendo excessivo todo o tempo investido em Carlos, como se fosse uma introdução que saiu do controle. Havia formas mais sucintas de apresenta-lo, deixando mais espaço para Josiane e o seu fardo de ser a escolhida. Outro problema é que tudo seguiu sem muitas surpresas, com a divergência inicial entre os dois gênios os mantendo afastados e depois havendo um reencontro do qual depende a vida de toda a humanidade. Incluiu aí até um romance que pareceu tão inacreditável quanto a relação entre os personagens Finn e Ben no último capítulo da mais recente trilogia de Star Wars. Outros aspectos merecem críticas. A divisão entre “chefões ricos e malvados” e os cientistas autônomos salvando o mundo das mãos da ganância é superficial e previsível demais para engajar; além disso, alguns trechos tomam espaço demais enquanto outros são passados tão rapidamente que mal são sentidos, como a morte dos pais dos protagonistas. Enfim, é uma história que está muito mal balanceada. Mas veja, eu usei o verbo “estar” justamente para reafirmar o que lhe escrevi nas considerações. Nenhuma história publicada é escrita, mas reescrita.

    ESCRITA: Aqui há bastante amadurecimento a ser feito. Há muitos erros de grafia, nomes que deveriam ser iniciados com letra maiúscula, frases redundantes e parágrafos que se estendem demais, podendo ser bem mais sucintos e coesos. A forma de apresentação dos diálogos pareceu mais apropriada a uma peça teatral do que a um conto, principalmente quando há um limite de palavras e se gasta pelo menos uma palavra indicando quem é que está falando e às vezes mais uma para denotar o sentimento do falante, enquanto seria muito mais sutil e orgânico deixar que as próprias palavras faladas apresentassem os sentimentos do personagem. Ou seja, há muito a ser trabalhado no sentido de revisar, eliminando erros de pontuação, grafia, ao mesmo tempo em que se dedicar à mais leitura e algumas visitas à gramática te darão pistas de como melhor escrever e aperfeiçoar seu texto, organizando as palavras de uma forma mais fluida e confortável para o leitor. Com isso, entregará um texto mais belo e ágil.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, esses foram meus maiores problemas, eu mesmo senti isso enquanto escrevia, eu procurava encurtar e ocultar detalhes para que não passasse das páginas, após ler alguns trabalhos e comentários aqui eu percebi que poderia ter feito melhor, o romance eu o envolvi porque Lúcio estava sendo uma marionette dos seus pais, achei que esse era o único jeito dele se redimir. Quanto ao resto eu só tenho a agradecer e prometer melhorar. Obrigado

  8. Danilo Heitor
    2 de maio de 2021

    Ambientação: tem elementos ótimos, mas está muito bagunçada, com alguns furos importantes. É preciso sempre reler e reler, e de preferência pedir para outras pessoas lerem e apontarem problemas.

    Enredo: muito confuso. A personagem principal troca mais de uma vez, as coisas vão e voltam, de repente tem 18 anos de salto, não é muito explicado a questão do ar, nem porque o salvador só é anunciado 19 anos depois do nascimento… muitas ideias boas, algumas já batidas, mas que precisam ser reorganizadas. O conto termina meio sem terminar

    Escrita: também muito confusa, o que inclusive prejudica a compreensão do enredo. Frases longas demais, erros de pontuação. Os diálogos são anunciados como se fosse um roteiro, não um texto literário. Coisas que melhoram com o tempo.

    Considerações gerais: o texto me pareceu um rascunho, uma ideia que foi colocada pra fora sem ser trabalhada pra se transformar efetivamente em texto. Tem bastante criatividade na história, mas faltou cuidado até chegar no texto final.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, infelizmente eu não tenho quem possa ler e me indicar os erros, prometo melhorar nos aspectos mencionados. Muito Obrigado.

  9. Thiago de Castro
    2 de maio de 2021

    Ambientação: A premissa é interessante, mas um pouco confusa na forma que é colocada no texto. Em momentos achei que se tratava de um mundo mais inóspito, em outras, super tecnológico. Demorei para embarcar no cenário que você construiu.

    Enredo: Talvez o ponto mais fraco do texto. Muitos personagens, volteios, decisões duvidosas, pessoas desimportantes inseridas e retiradas da trama sem mais nem menos, que confundem o leitor. Veja, durante a leitura vamos armazenando aquilo que nos é apresentado, pois supomos que essa informação terá alguma importância ou relevância na trama, e isso não acontece aqui. Por outro lado, aprecio a inventividade de ir trazendo as pessoas e ir tentando imbricá-las na trama. Meu palpite é que você escreveu esse texto em uma sentada, mas não fez a revisão adequada nem os cortes para deixar tudo mais enxuto.

    Escrita: Há muitos erros de revisão e concordância que, devido ao excesso, nos tiram da leitura. Nomes próprios com letra minúscula, mudança na narrativa, as formas como os diálogos são inseridos, mesmo sendo um texto em primeira pessoa, na primeira parte, e em terceira ,na segunda.

    Considerações finais: Caro(a), há muitos problemas no seu texto. Acho que apontá-los pode te ajudar a evoluir naquilo que deseja contar. Antes, queria reforçar que o mais importante você fez, tomou a atitude de sentar, pensar uma história, escrever e publicar. Isso é essencial e, daqui para frente, é refinar o trabalho, revisar, reler, etc.

    As frases são longas, há uma série de erros de concordância que nos tiram do texto e tomadas de decisão ingênuas na hora de construir o diálogo dos personagens. Há vários momentos em que, logo após o narrador em primeira pessoa dizer que fulano está triste, você insere o nome do personagem e entre parênteses aquilo que ele está sentindo. Isso é subestimar o leitor, ou uma tentativa rasa de passar para o leitor o estado emocional dos seus personagens. Existem outras formas mais sutis de se fazer isso, que causam um impacto muito maior em quem está lendo, é o famoso “mostre, mas não conte”. O fato de ser escrito em primeira pessoa também deixa o texto muito explicativo, o personagem conta as regras do mundo, os fatos de maneira seguida, parece que estamos lendo um relatório, mas aí você quebra a lógica do seu texto e insere os diálogos num estilo de texto dramático, pontuando quem fala e como falam, conforme citei acima. Enfim, faltou enxugar melhor o texto, trabalhar com carinho as ideias. Acho a premissa interessante, não original, mas que poderia ter sido melhor desenvolvida. Se você for um escritor ou escritora jovem, como eu acho que é, siga lendo e trabalhando, pois tenho certeza que fará coisas maravilhosas em FC.

    Grande abraço!

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, Eu não havia percebido isso, em hipótese alguma tive intenção de subestimar o leitor, realmente me faltou muito organização e prática, obrigado por apontar os meus erros, prometo melhorar.

  10. Lucas Julião
    1 de maio de 2021

    Ambientação: Tá bem confusa.
    Enredo: Cara, tinha um material bom! Mas não trabalhou bem, não. Se o mundo era tão limitado e ele era pobre como tinha dois irmãos?
    Escrita: Aqui acho que é o maior problema do conto. As frases tão longas, mudança de narrador… Faz as coisas ficarem bem sem sentido.
    considerações; Não ir bem em um concurso não implica em falta de talento (como se isso existisse) e nem que você não é capaz (as vezes só estava em um mal dia). Recomendo fortemente voltar aos livros e passar horas divagando sobre como os autores escrevem, a história tem uns furos e a ambientação está estranha e por isso minha nota é 4,0/10,0

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, gémios! Tem uma parte que eu citei que em caso de gémios, os pais eram mortos, devo ter excluído isso da execução, me perdoe. Muito Obrigado pelos comentários.

  11. Ana Caroline de Arimathea
    1 de maio de 2021

    Ambientação: Faltou descrever melhor o que é este mundo em que se ambientam as personagens, ao longo da leitura temos uma noção mas não uma certeza

    Enredo: Um pouco parado e confuso, as personagens não tem muita profundidade o que faz o leitor não se prender na história

    Escrita: confusa e pouco fluida, muitos erros gramaticais e de pontuação que atrapalham a leitura. A boa noticia é que isso melhora com a pratica.

    Considerações gerais: Você é bastante criativo mas ainda confuso na hora de escrever, a melhor forma de você melhorar sua escrita é lendo bastante e não desistindo, planeje seu texto, não queira escreve-lo logo de cara, leia e releia, está tudo claro? Se questione e reescreva se necessário, crie bem os personagens, de a eles falhas e qualidades, e faça isso transparecer ou então eles ficaram muito artificiais.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, muito obrigado farei isso, desistir não está nos meus planos, os livros são o meu único refúgio.

  12. Ana Lúcia
    1 de maio de 2021

    Ambientação: A ideia do mundo foi criativa. Porém a execução não foi tão boa, a história parecia corrida e muitas coisas aconteciam ao mesmo tempo.
    Enredo: Os personagens ficaram rasos e a trama como eu já disse antes pareceu corrida, com coisas demais acontecendo e se resolvendo de maneira muito fantasiosa.
    Escrita: Achei no texto vários erros de português bastante bobos. E os diálogos são escritos como um texto teatral e não em prosa, além é claro deles parecerem muito não naturais.
    Considerações gerais: como disse no primeiro tópico a ideia é criativa, mas foi estragado com erros de português bobos, personagens rasos e uma trama corrida.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, realmente o tempo passado com os personagens foi muito curto, eu acabei deixando muitas partes da trama só na minha imaginação, me desculpe por isso… Prometo melhorar

  13. antoniosbatista
    1 de maio de 2021

    Ambientação= A ambientação me pareceu uma pintura surrealista.

    Enredo= O argumento seria bom, mas as ideias não ficaram claras.

    Escrita= A escrita deve ser melhorada, assim como o fluxo de ideias. Não se deve escrever qualquer coisa que vem à cabeça, é necessário um relato coerente.

    Considerações gerais= Há muitos erros, tanto de palavras repetidas, frases muito longas, erros de gramática, de tempo verbal e ideias absurdas, como a da máquina que suga ar de um bairro para as pessoas morrerem. É uma questão de física. A não ser que o tal bairro é um ambiente fechado, como uma redoma, por exemplo.

    Durante a leitura, me perdi sem saber quem é Carlos, se é ele o narrador, quem é o pai de Josiane e o mote do conto.

    • Rowland
      6 de maio de 2021

      Muito obrigado por ter lido até ao fim, e me desculpe por ter lhe dado dores de cabeça com a escrita, Me desculpe eu não pensei muito na física na hora da execução. Pensarei nos mínimos detalhes da próxima. Obrigado

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado em 1 de maio de 2021 por em EntreMundos - Fim do Mundo.