EntreContos

Detox Literário.

[EM] Flor e espinho (Mistérios da Alma)

2083 ou 7438 d.C.? Já não se sabe mais, afinal por aqui ninguém mais faz contagem de tempo. Todos os animais foram extintos e as plantas, para sobreviverem, sofreram drásticas mutações. Agora o mundo era delas. Carnívoras (ou plantívoras…), venenosas, parasitas, folhas, flores, sementes… Cada uma delas desenvolveu sentidos e agora disputam os poucos espaços férteis ainda disponíveis, além da água, que está bem escassa e do sol, que permanece atrás de grandes nuvens de poeira boa parte do dia.

As carnívoras foram as primeiras que precisaram se adaptar. Não havia mais insetos e era necessário encontrar outra fonte de alimento. As folhas secas que caíam das árvores pareciam indigestas, mas aquelas verdinhas, ainda no galho… Eram muito apetitosas.

Por outro lado, ninguém queria ser devorado por uma planta, e cada vez mais, foram ficando mais venenosas a fim de tentar impedir tal ataque. As orquídeas, com toda a sua elegância, continuavam sugando a seiva de sua hospedeira vagarosamente… sem alarde. As Trepadeiras chegavam aos lugares mais altos, sempre em busca de sol, e ai de quem cruzasse seu caminho! Suas ramas eram capazes de aniquilar qualquer um que tentasse ir mais alto que ela. As Gramíneas eram as que protegiam o solo, e só deixava germinar ali, quem lhe fosse bem familiar. As plantas aquáticas faziam a guarda dos poucos rios e lagos que tinham por ali.

Apesar de toda essa disputa por alimento, água, solo e sol, havia alguém que não se importava muito com isso. Não precisava de muita água, nem de solo fértil para sobreviver e por causa disso estavam ficando cada vez mais numerosos. Eram os Cactos. Seus espinhos lhe serviam de armadura e ninguém ousava se aproximar.

Enquanto cada espécie cuidava de seu território, as coisas iam bem. Porém, certo dia, após a passagem de um vendaval, sementes das mais variadas espécies foram levadas aos lugares mais longínquos. Pouco tempo depois, quando os brotos começaram a surgir é que se pode perceber o caos que estava por vir: Estava decretada a batalha.

9 comentários em “[EM] Flor e espinho (Mistérios da Alma)

  1. opedropaulo
    5 de maio de 2021

    CONSIDERAÇÕES GERAIS: Julgo que o conto se limitou à introdução, sem entregar propriamente um enredo com início, meio e fim, antes apresentando o cenário, dando um gosto do que viria e repentinamente encerrando, como se apenas parte do arquivo tivesse sido enviado para a administração. Dessa forma, embora o texto atenda ao tema do certame, perde em outros atributos que procuramos nos contos participantes.

    AMBIENTAÇÃO: Ficou clara, com diversas imagens determinando o apocalipse botânico e mutante que assumiu o planeta. Na paciência que só os vegetais possuem, ficou perceptível a existência de um mundo hostil.

    ENREDO: Caso tivesse desenvolvido uma história em que constassem personagens, uma trama, conflitos mais apreensíveis e envolventes, eu teria reclamado de que a introdução se arrastou por mais parágrafos, mas acabou sendo que não houve nada disso e esses primeiros parágrafos se propuseram como conto.

    ESCRITA: Encontrei uma escrita limpa de erros e bastante direta, inclusive ao descrever como as plantas mutantes se comportavam neste mundo que tomaram para si.

  2. Anderson Prado
    5 de maio de 2021

    Ambientação: Adequada. Compreendi que o mundo chegava ao seu termo e as plantas foram as única sobreviventes (além de terem entrado em “guerra” entre si).

    Enredo: Enxuto. O autor narra como algumas plantas se adptaram a um mundo em extinção.

    Escrita: Boa. Não há erros vistosos.

    Considerações gerais: É um bom texto, que, porém, no contexto do desafio, não se destaca. Senti que o autor deveria ter investido mais no conto.

  3. Danilo Heitor
    4 de maio de 2021

    Ambientação: boa, deu pra visualizar bem esse deserto verde.

    Enredo: parou no começo, nem no meio. Ambientou legal, mas quando a ação ia começar, não começou.

    Escrita: excelente, quase sem erro algum.

    Considerações gerais: achei uma excelente ideia que não terminou de ser executada.

  4. antoniosbatista
    4 de maio de 2021

    Ambientação= Um mundo de paixões. Verde para todos os lados. Van Gogh usava o vermelho e o verde para expressar as paixões humanas.

    Enredo= Após a extinção dos animais, (Aqui não diz que, ou se, os humanos também foram extintos) as planta tomaram conta do planeta (Terra).

    Escrita= Muito boa, frases bem construídas, boas ideias.

    Considerações Gerais= Faltou dizer a causa da extinção dos animais e dos Humanos. Ninguém mais faz contagem de tempo. Não sei, talvez restou alguém em alguma cidade pequena. Numa Sociedade Distópico Mutante, que se perdeu no Tempo. Se as sementes foram levadas pelo vento para regiões distantes, significa que nem toda a superfície do globo foi tomado pela vegetação, como os desertos e os polos. Acho que a autora não descreveu a sua ideia na totalidade para o final do conto, houve um lapso antes. ”As plantas sofreram mutações ( não por radiação nuclear causada por uma guerra atômica), desenvolveram sentidos”. O ser humano tem 5 sentidos; 1 olfato-2 tato- 3 audição – 4 paladar- 5 visão. As plantas sempre tiveram sentido de tato. Quando encontram um obstáculo, mudam de direção. As plantas sensitivas se retraem. Elas (cada espécie) também transmitem para suas gerações futuras, informações sobre o ambiente em que vivem e dessa forma possam se adaptar. O assunto é longo e é melhor parar por aqui.

    De qualquer forma, o argumento é interessante. O conto merece ser reescrito e ampliado com mais elementos e outras situações visuais interessantes que vc sabe criar. Boa sorte.

  5. Tolbert Dzowo
    3 de maio de 2021

    Ambientação : estava começando a ter uma ideia e derepente acabou 💔
    Erendo : curto demais, não te da nem tempo de se envolver com nada.
    Escrita : boa.
    Considerações : Falta trabalho aqui, acredito que falta de ideias não foi, não sei o que aconteceu, mas faltou trabalho, nada foi explorado, está mais para uma sinopse.

  6. thiagocastrosouza
    3 de maio de 2021

    Ambientação: Um universo só de plantas. É bem construído e fica tudo muito claro logo nas primeiras linhas o universo em que se passará o conto, ainda que a forma de descrevê-lo seja um pouco explicativa.

    Enredo: Muito curto, o texto fica no campo da sugestão: o que acontecerá nesse mundo botânico, que há muito não vê a humanidade. A história continua, mesmo com nossa ausência.

    Escrita: Certa. Nada fora do lugar.

    Considerações Finais: Achei o texto pequeno demais. Poderia ter desenvolvido melhor a história que queria contar, é como se eu fosse falar sobre uma xícara de café, mas parasse o conto enquanto a água está fervendo.

    Boa sorte no desafio!

  7. Ana Caroline de Arimathea
    2 de maio de 2021

    Ambientação: Da pra ter noção do mundo, mas podia ter uma visão mais abrangente sobre como é este novo mundo

    Enredo: As descrições são boas mas não acontece quase nada

    Escrita: Você escreve bem

    Considerações gerais: Pra um conto falta mais história

  8. Ana Lúcia
    2 de maio de 2021

    Ambientação: o foco excessivo nas plantas, não ajudou muito a entender o mundo e nem o que teria causado o fim daquele mundo.
    Enredo: não entendi o que conta a história, só vi sobre plantas e a descrição sobre elas. Sem ter uma linha de raciocínio clara, fica confusa.
    Escrita: a escrita foi boa.
    Considerações finais: a história parece que faltou ser melhor planejada, mesmo tendo uma boa escrita. Infelizmente foi curta demais e tem uma ambientação que deixou a desejar.

  9. Lucas Julião
    2 de maio de 2021

    Ambientação: Tá boa, o problema é que não se expõe os humanos nessa história toda. O narrador se importa com medidas de tempo nossas -antes ou depois de Cristo- e realmente só se fala das plantas.
    Enredo: Bom! Eu gostei. O problema é que é muito curto. Se isso fosse parte de uma história melhor seria mais legal.
    Escrita: A escrita está boa. Pouca coisa me deixou confuso pra falar a verdade
    Considerações gerais: É a mesma história do conto anterior, só que verdadeiramente apocalíptica e nada fofinha. Só que ela é muito curta e tem um problema de ambientação e por isso é 7,0/10

E Então? O que achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Informação

Publicado em 1 de maio de 2021 por em EntreMundos - Fim do Mundo.